Eleições 2014/Corrida Presidencial: Aumenta a distância entre Dilma e Marina, diz Pesquisa CNT/MDA *

 

Possível segundo turno aponta disputa ainda mais apertada

entre Dilma Rousseff e Marina Silva

 

 

 

Dilma, 36,0%; Marina 27,4% e Aécio 17,6 – diz a pesquisa CNT/MDA

Com queda de Marina, intenções de voto nas duas estão ainda mais próximas. Aécio Neves cresceu.

 

 

 

Pesquisa MDA divulgada nesta terça-feira, 23, mostra que a presidente Dilma Rousseff ampliou a vantagem que tinha em relação a Marina Silva no primeiro turno da corrida ao Palácio do Planalto. Dilma oscilou de 38,1% para 36% das intenções de voto, mas Marina caiu de 33,5% para 27,4% na comparação para a sondagem divulgada do dia 9 de setembro. O candidato do PSDB, Aécio Neves, teve leve crescimento de 14,7% para 17,6%.

No principal cenário de disputa para segundo turno, Dilma tem 42% contra 41% de Marina, empatadas tecnicamente. No levantamento anterior, Marina e Dilma também estavam tecnicamente empatadas, a candidata do PSB tinha 45,5% contra 42,7% da petista.

Na disputa entre Dilma e Aécio, a presidente se reelegeria com 45,5% contra 36,5% do tucano. Na última pesquisa, Dilma tinha 47,5% e o tucano, 33,7%.

Avaliação. O levantamento mostra ainda que a avaliação positiva do governo Dilma Rousseff oscilou de 37,5% para 37,4%. A sondagem aponta que a avaliação negativa oscilou de 23% para 25,1%. O porcentual dos que avaliaram o governo Dilma como regular oscilou de 39% para 36,8%.

Segundo a CNT, foram entrevistadas 2.002 pessoas, em 137 municípios de 25 unidades federativas das cinco regiões do País, nos dias 20 e 21 de setembro. A margem da pesquisa de erro é de 2,2 pontos porcentuais para mais ou para menos. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral sob o número BR-00753/2014.

Leia a íntegra da Pesquisa:

 

 

Pesquisa CNT/MDA nº 122 – setembro de 2014 - íntegra

Resumo dos dados

Relatório de cruzamentos

 

* Fonte: CNT/MDA

Eleições 2014/Pernambuco: Presença de Paulo Câmara empolga o Brejo da Madre de Deus *

 

 

Cheiro de vitória da
Frente Popular ganha
as ruas de Brejo da Madre de Deus

 

Um mar gente acompanhou caminhada de Paulo no município

 

Exiba Foto Wagner Ramos_15.jpg na apresentação de slidesExiba Foto Wagner Ramos_12.jpg na apresentação de slides

 

A certeza de que Pernambuco seguirá no rumo das transformações levou, nesse domingo (21), um entusiasmado mar de gente às ruas de Brejo da Madre de Deus, no Agreste, durante uma enérgica caminhada comandada por Paulo Câmara (PSB). Ao longo de todo o percurso, os populares expressavam um sentimento que vem tomando conta de todos os pernambucanos, de que o Estado não quer e não dará um passo atrás e confirmará Paulo governador e Fernando Bezerra Coelho (PSB) senador.

Erguendo bandeiras e faixas da Frente Popular, os brejenses também carregavam no olhar a vontade de ver Paulo Câmara prosseguindo o legado do ex-governador Eduardo Campos. Ladeado pelo seu companheiro de chapa Fernando Bezerra Coelho (PSB/Senado), do governador João Lyra Neto (PSB), de postulantes proporcionais e lideranças locais, o socialista fez dessa missão um compromisso.

O que vimos hoje em Brejo da Madre de Deus, Fernando e eu estamos vendo em todo o Estado. As pessoas nos acompanham com alegria, sabendo do nosso compromisso de honrar o que foi iniciado por Eduardo. E nós vamos honrar e fazer muito mais”, destacou Paulo Câmara.

O governador João Lyra Neto ressaltou que a população está muito próxima de garantir a continuidade do “novo Pernambuco”. “E isso ocorrerá com a eleição de Paulo Câmara. Não podemos parar o avanço”, afirmou o gestor, completando: “Ele é um servidor público de carreira, que foi secretário dedicado e que tem todas as condições de fazer o Estado ainda mais forte, garantido uma melhoria também na qualidade de vida de todos.”

* Fonte: Assessoria de Imprensa do PSB

Editorial: Limite de Idade para Imputação Criminal. Fora da Realidade *

 

 

 

Fora da realidade

TEMA EM DISCUSSÃO: Limite de idade para imputação criminal

 

 

 

 

O arrastão que levou pânico a praias da Zona Sul do Rio, num domingo de verão fora de época, duas semanas atrás, terminou com mais de 50 pessoas detidas. Entre os envolvidos encaminhados à delegacia, a grande maioria era de menores de idade.

Juntaram-se, no episódio, os elementos de um enredo batido. Além de os ladrões terem se aproveitado do imperdoável relaxamento das autoridades com o policiamento, para agir em áreas onde, previsivelmente, haveria grande concentração de banhistas, repetiu-se o igualmente conhecido script das ações em que há prisão de suspeitos com menos de 18 anos: apenas seis deles, maiores de idade, ficaram efetivamente presos, e dois adolescentes, apreendidos, foram transferidos para a Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente.

Os demais, meia centena de delinquentes envolvidos em atos ilegais, alguns de forma violenta, sequer esquentaram a cadeira na DP; liberados, voltaram para as ruas, seguramente para praticar outros delitos.

Esse movimento de prende e solta, algo como enxugar gelo, é um dos aspectos resultantes de uma legislação esquizofrênica no que diz respeito à responsabilidade penal de jovens que, a despeito de terem plena consciência dos atos ilegais que praticam, são declarados inimputáveis. A lei, no caso o Estatuto da Criança e do Adolescente, que estabelece em 18 anos o limite a partir do qual alguém pode ser alcançado pelo Código Penal, está a um ano de completar um quarto de século desde que foi instituída.

Leia a Íntegra:

 

Dar opções em vez de punir

TEMA EM DISCUSSÃO: Limite de idade para imputação criminal

 

Respeito quem se posicione a favor da redução da maioridade penal, pois não sou o dono da verdade. Mas noto que, geralmente, esse discurso repressivo se baseia em argumentos frágeis. Primeiramente, a redução da criminalidade não pode ser feita através do terror e do medo da pena. Até porque, ao contrário do senso comum, o Brasil não é o país da impunidade. Somos o quarto país do mundo com o maior número de presos.

Punimos muito e punimos mal, pois a quase totalidade dos presos é constituída de miseráveis, que praticaram os crimes patrimoniais mais toscos, como pequenos roubos e o tráfico de drogas. A sensação de impunidade nada tem a ver com a concreta aplicação das penas, pois as pessoas comuns não estudam estatísticas criminais e a parte oportunista da mídia somente tem o interesse em vender notícias bombásticas, desinformando e aterrorizando a população. Nossas prisões já estão superlotadas, os presos vivem em condições subumanas e sem qualquer controle estatal. Com isso, os presos foram obrigados a se organizar e surgiram as chamadas facções, como o PCC, em São Paulo.

Em vez de reduzir o crime, nosso sistema penal tem transformado um monte de pés-rapados em uma criminalidade muito pior e organizada. Ou seja, em lugar de diminuir a criminalidade, a política repressiva é uma de suas causas. Incluir os jovens nas prisões é aumentar o número de soldados à disposição das organizações criminosas.

Leia a Íntegra:

Outra opinião: dar opções em vez de punir


* Autor: Filipe Fialdini é advogado

* Fonte: O Globo

Brasil/Câmara dos deputados: Campeões de votos têm atuação APAGADA *

 

Campeões de votos

têm atuação apagada

 

Levantamento técnico da Câmara mostra participação apática em tomadas de decisão

 

Campeões nas urnas na última eleição, os 30 deputados federais que tiveram mais votos em seus Estados em 2010 chegam em sua maioria ao fim do mandato com uma atuação pífia. Levantamento da área técnica da Câmara feito para o Estado mostra que a maior parte desses parlamentares teve uma participação apática em tomadas de decisão e no debate dos principais temas do Congresso, no plenário e comissões.

A lista inclui o deputado mais votado de cada Estado, acrescida por três parlamentares que figuraram no ranking dos dez principais em número de votos no País, conforme dados do Tribunal de Superior Eleitoral (TSE). Apenas cinco dos 30 concentraram 59% dos discursos e apartes em tribuna. O quinteto foi responsável por 34,5% das matérias relatadas pelo grupo e por 25,7% dos projetos, emendas e requerimentos elaborados por eles.

Um dos critérios utilizado para a análise do desempenho dos deputados levou em conta o número de matérias relatadas pelos parlamentares. O papel do relator é orientar o voto dos colegas sobre temas que podem virar lei no País. Além disso, a relatoria pode ser usada para barganhar apoio a projetos individuais.

(Deputado Eduardo da Fonte PP/PE relatou apenas 3 projetos)

À frente do bloco PP-PROS, a terceira maior bancada da Câmara, o líder Eduardo da Fonte (foto) (PP-PE), o segundo mais votado em seu Estado, relatou apenas três projetos. O deputado argumenta, por meio de sua assessoria, que em 2011 e 2012 foi segundo vice-presidente da Câmara, o que o impedia de relatar projetos. Já em 2013, Fonte alega que foi presidente da Comissão de Minas e Energia e, por “tradição”, não é recomendável relatar. Em 2014, ele diz que assumiu a liderança partidária e, em razão disso, “acha melhor dividir” as relatorias entre seus correligionários.

]

Dida Sampaio/Agência Estado

(Deputado mais votado do País, o palhaço Tiririca relatou oito projetos, mas nunca defendeu uma ideia ou projeto em discurso na tribuna)

Deputado mais votado do País – escolhido por 1,35 milhão de eleitores -, Francisco Everardo Oliveira Silva (foto) (PR-SP), o palhaço Tiririca, relatou oito projetos – entre eles, um que renomeava viaduto em Guaratinguetá (SP) e outro denominando Caçapava (SP) como “Capital Nacional do Antigomobilismo”, ou seja, a cidade da restauração e manutenção de veículos antigos. Entretanto, em quatro anos, Tiririca nunca defendeu uma ideia ou projeto em discurso na tribuna.

Atual líder nas pesquisas para o Senado no Distrito Federal, José Antônio Reguffe (PDT) empata em relatorias com Tiririca, que supera outros oito parlamentares – como os ex-líderes de bancada ACM Neto (DEM-BA) e Ana Arraes (PSB-PE). Ambos deixaram os mandatos mais cedo para assumir os cargos de prefeito de Salvador e de ministra do Tribunal de Contas da União (TCU), respectivamente. No topo da lista está o deputado Esperidião Amin (PP-SC), com 79 projetos relatados. 

Os 30 deputados analisados pelo Estado fizeram 3.787 manifestações na tribuna, entre discursos e apartes, e apresentaram 6.560 proposições – como projetos individuais e coletivos, emendas e requerimentos. Eles foram relatores de 457 projetos, medidas provisórias, entre outros. 

O deputado Vinícius Gurgel (PR), o mais votado do Amapá em 2010, é o último da lista em número de proposições – apenas 32. Em penúltimo está Tiririca – com 42 proposições, sendo 30 projetos próprios relacionados ao circo. Nenhum aprovado.

Para a comparação, no lado oposto, com mais matérias apresentadas durante o mandato entre os 30 parlamentares da lista, a deputada Fátima Bezerra (PT-RN) aparece com um total de 757 proposições. 

 

* Fonte: Estadão/NIVALDO SOUZA E ERICH DECAT – O ESTADO DE S. PAULO

Eleições 2014/Pernambuco: Candidato Paulo Câmara investe pesado em reduto da oposição *

 

 

No embalo da onda amarela,

Paulo comanda maior caminhada

da história de Brasília Teimosa

 

 

 

Multidão acompanha com entusiasmo o socialista pelas ruas do bairro do Recife

 

 

 

 

O politizado bairro de Brasília Teimosa, no Recife, abraçou com entusiasmo , na manhã deste domingo (21), a onda amarela que toma conta de todo Pernambuco. Uma multidão ocupou completamente as estreitas ruas da região na maior e mais empolgante caminhada que a localidade já assistiu para mostrar que está fechada com Paulo Câmara (PSB). Ao longo de todo o percurso, os populares fizeram questão de cumprimentar, beijar e abraçar o socialista, que foi repetida vezes saudado como o futuro governador do Estado.

A efusiva recepção reforçou ainda mais a determinação e a disposição de Paulo Câmara nesta reta final da campanha rumo ao Palácio do Campo das Princesas. “Foi uma bonita caminhada. Uma mostra de que os pernambucanos desejam a continuidade das transformações iniciadas por Eduardo Campos. Vamos honrar o seu legado”, destacou o socialista, completando: “Faltam 14 dias para a eleição. Vamos continuar nas ruas com a mesma vontade, levando as nossas ideias”.

Durante a caminhada, muitas pessoas que estavam trabalhando em estabelecimentos comerciais não puderam deixar seus pontos. Entretanto não deixaram de mostrar o seu carinho e o seu desejo de ver Paulo Câmara governador. “Fiquei torcendo que ele chegasse aqui e entrasse na farmácia para eu dar um beijo nele. Veio e pude dizer que ‘sou 40′. Foi uma coisa muito boa“, confessou a farmacêutica Jane Dantas.

A dona de casa Marília da Silva revelou que saiu correndo de casa quando soube que Paulo Câmara passaria em sua rua. “Eu tinha que ver ele aqui. Deixei tudo que estava fazendo para dar um abraço. Nele, no Fernando Bezerra e no prefeito Geraldo Julio. São homens do bem, que gostam do povo”, afirmou, empolgada.

Coube ao prefeito do Recife, o agradecimento inicial pela participação popular na caminhada. Geraldo Julio destacou que o engajamento da população no ato sinaliza que os pernambucanos sabem que o Estado seguirá na direção certa sono comando de Paulo Câmara. “Foi a maior caminhada que Brasília Teimosa já viu. Vamos construir uma bonita vitória”, conclamou o gestor.

* Fonte: Assessoria de Imprensa do PSB

Eleições 2014/Pernambuco; Veja o que diz o DATALIBA sobre possíveis eleitos *

PESQUISA

As previsões do

Dataliba 2014

Mantendo a tradição de 26 anos, o ex-vereador Liberato Costa Junior (PMDB) divulgou a relação dos nomes que serão eleitos como deputado estadual e federal

Depois de quase dois meses debruçado no atual cenário eleitoral, o ex-vereador Liberato Costa Junior (PMDB) apresentou a sua versão DataLiba 2014. Nas últimas semanas, aproximadamente 300 ligações foram feitas por Liberato. Prefeitos, ex-prefeitos, vereadores, deputados estaduais e lideranças comunitárias foram contactadas no período. Após alguns cálculos e avaliações, Liba apresentou os nomes daqueles que, de acordo com seu levantamento, serão eleitos deputados estaduais e federais. O PSB, segundo os cálculos, vai eleger a maior bancada estadual, com 18 deputados, no mínimo.

Ainda de acordo com a previsão, o partido terá dois dos candidatos mais votados, o presbítero Adalto Santos e a deputada Raquel Lyra. Liberato listou outros dois nomes que figuram como os que serão mais votados para a Assembleia Legislativa: Guilherme Uchoa (PDT) e Pastor Cleiton Collins (PP). Na pesquisa, ele faz questão de registrar todos por ordem alfabética.

A coligação que mais vai eleger deputados, de acordo com o levantamento, é Frente Popular de Pernambuco, podendo fazer entre 29 e 32 nomes. A coligação Frente pela Redução da Carga Tributária deve eleger um o dois deputados. A candidata Socorro Pimentel (PHS) desponta com maior densidade eleitoral, segundo Liba. Na Mobilização Pelo Poder Popular, a briga vai ser acirrada para eleger um nome. Os favoritos são Edilson Silva (Psol) e Ramos (PMN). “Vai ser briga de foice”, avaliou o ex-vereador.

Composta pelo PP e Pros, a coligação Pernambuco Que Eu Quero elegerá três ou quatro nomes. O favorito da chapa é o deputado Cleiton Collins (PP). A Unidos pela Redução da Carga Tributária deve eleger um ou dois. Jadeval Lima (PTN) desponta como o de maior densidade eleitoral. Já a coligação Unidos pela Redução dos Impostos vai brigar para eleger um nome. Despontam Amaro do Sindicato, Diogo Cantareli, João Eudes, Manuca e Rildo Braz, todos do PRP. Por outro lado, a coligação Pernambuco Vai Mais Longe deve eleger entre 10 e 12 deputados.

Com 26 anos de tradição nas pesquisas, Liberato destacou que sua intenção nunca foi disputar com cientistas políticos. Segundo ele, seu levantamento é muito mais amplo que os feitos com os candidatos majoritários, pois envolve aproximadamente 700 nomes – entre deputados estaduais e federais. O vereador ainda destaca que a sua pesquisa é feita com isenção, sem privilegiar qualquer lado político.

Bem organizada, a DataLiba destaca o quantitativo dos eleitores de todas as mesorregiões do Estado. O Recife tem um destaque na pesquisa, já que envolve um número grande de eleitores. O vereador, inclusive, levou em consideração o novo eleitorado municipal, já que os números reduziram com a biometria. “Os candidatos metropolitanos podem ter prejuízo por isso”, destacou. Na arte ao lado, você pode conferir os candidatos que despontam nas coligações e ainda aqueles com chances de serem eleitos.

 

Para federal, Liba prevê luta acirrada

 

Dois “novatos” despontam como os favoritos em números de votos na disputa federal, pelo DataLiba 2014: Felipe Carreras (PSB) e Jarbas Vasconcelos (PMDB) estão entre os quatro mais cotados, junto com Eduardo da Fonte (PP) e Pastor Eurico (PSB) – Liberato destaca todos por ordem alfabética. Nesta disputa, a Frente Popular mais uma vez desponta como a coligação com mais eleitos. Nos cálculos de Liberato, 16 ou 18 nomes têm chances de ocupar vaga na Câmara Federal.

A Juntos Pelo Imposto Único deve eleger, no máximo, um deputado federal. O Dataliba destaca Luciano Bivar (PSL) como o nome de maior densidade eleitoral. Seis ou sete vagas serão da Pernambuco Vai Mais Longe. A Mobilização Pelo Poder Popular, composta por PMN e PSOL, não deve atingir o quociente eleitoral. PCB e PSTU também não terão representatividade na Câmara Federal.

Durante o período de estudos, Liberato recebeu muitas ligações, algumas com o intuito de obter os nomes da pesquisa. “Eu não digo porque acaba a surpresa”, salienta.

O Dataliba é divulgado desde 1988 e é considerada como um hobby para Liberato, atualmente com 96 anos. Dono de uma memória invejável, Liberato destaca que a pesquisa é feita com dedicação exaustiva e começa antes mesmo antes do registro oficial das chapas, através de contatos com lideranças políticas. Após as convenções, o ex-vereador intensifica as consultas. “Este trabalho não pretende esgotar todas as possibilidades, sendo passível de erros e acertos, mas que somente a realidade será decidida nas urnas“, destaca o vereador na apresentação da pesquisa.

 

(Clique na imagem para aumentar)

 

Previsão Dataliba

Leia também:

* Fonte: Jornal do Commercio/Política

Artigo/Opinião: Programa de Aécio promete 44 ações para o Nordeste. De onde viria tanto dinheiro? *

O NORDESTE DE

AÉCIO E DILMA

A ampliação do Bolsa Família e do Minha Casa Minha Vida e criação de outra “bolsa”: uma em que cada estudante do ensino médio receberá uma poupança de R$ 1 mil por ano, podendo sacá-la quando concluir o ciclo. Para algumas áreas, como a segurança, prevê investimentos acima da média nacional. Promete manter e ampliar o Prouni, o Fies e o Ciência Sem Fronteira, em todos priorizando o Nordeste. Ao todo, são 44 ações que, se efetivadas, representariam uma atenção superior ao que a região teve no governo Dilma.

Sabe qual foi o único candidato a presidente desta eleição a lançar um programa específico para o Nordeste? Foi Aécio Neves (PSDB). Comparado com o que prometeu Geraldo Alckmin, em 2006, e José Serra, em 2010, o programa de Aécio para a região é o mais ambicioso. Prevê o aumento do volume de recursos destinados para cá, conclusão da Transnordestina e da Transposição do Rio São Francisco, duplicação de BRs, investimentos em infraestrutura turística e em energia.

Acham pouco? Tem ainda o “compromisso” de elevar a renda média domiciliar per capita nordestina para pelo menos 70% da média nacional em uma década. A ampliação do Bolsa Família e do Minha Casa Minha Vida e criação de outra “bolsa”: uma em que cada estudante do ensino médio receberá uma poupança de R$ 1 mil por ano, podendo sacá-la quando concluir o ciclo. Para algumas áreas, como a segurança, prevê investimentos acima da média nacional. Promete manter e ampliar o Prouni, o Fies e o Ciência Sem Fronteira, em todos priorizando o Nordeste. Ao todo, são 44 ações que, se efetivadas, representariam uma atenção superior ao que a região teve no governo Dilma.

O problema é que antes do “efetivadas” tem um “se”. De onde viria o dinheiro para tudo isso, ninguém sabe. E, como todo programa de candidato, este é antes de tudo uma “carta de intenções”. Promessas. Mas ver um candidato presidencial tucano aumentando o foco para projetos e ações no Nordeste já é um grande progresso.

O PSDB nacional nunca entendeu o Nordeste – o segundo colégio eleitoral, com cerca de 27% do eleitorado nacional (o primeiro é o Sudeste, com 43%). A política para a região nas duas gestões do presidente Fernando Henrique Cardoso foi contaminada pela relação que ele teve de manter com ACM – quando os tucanos nacionais pensavam no Nordeste, era sobretudo com ACM que tinham de lidar. Isso fica muito claro com a leitura do livro A arte da política: a história que vivi (Record, 2006), depoimento de FHC sobre seus anos no governo..

Uma das consequências disso é que o PSDB não conseguiu estabelecer conexão com os emergentes sociais – os milhões de pessoas que nos governos Lula e Dilma ascenderam socialmente, sobretudo no Nordeste. O resultado é que, eleição após eleição, o presidenciável tucano tem sido massacrado no Nordeste. Em 2006, Lula ficou com 77,14% e Alckmin, 22,80%. Em 2010, Dilma 70,58% e Serra, 29,42% (segundo turno, nos dois casos).

O senso comum interpreta esses números como sendo fruto da votação de “um eleitorado desinformado e refém do Bolsa Família”. É o tipo de raciocínio que desconsidera o principal: o sentimento de pessoas que se viram pela primeira vez alvos de políticas que lhes permitiram ascender socialmente, passar a alimentar-se, ganhar dignidade e poder sonhar com um futuro melhor para seus filhos.

Sem perceber isso, tucanos e seus aliados passam o período que antecede as eleições externando opiniões preconceituosas contra programas como o Bolsa Família – e quando chegam nas eleições, prometem ampliá-los.

Na eleição atual, um dos principais fatores que desde o início da corrida eleitoral tem puxado para baixo os índices de Aécio Neves é a votação no Nordeste. Mesmo agora, quando as duas últimas pesquisas (Ibope e Datafolha), mostram sua ascensão, ele patina exatamente no NE e no Norte. São as duas únicas regiões em que não avançou.

No Nordeste manteve-se com 8% e no Norte oscilou para baixo, de 10% para 9% (ele tem problemas também em MG e em SP, mas isso não o impede ficar na faixa dos 20% no Sudeste). A ascensão que ele teve nas últimas pesquisas, porém, já o retira da situação vexatória em que estava e o deixa mais forte para estabelecer acordos em uma eventual ida de Marina Silva para o 2º turno.

Enquanto isso, a pesquisa do Datafolha mostra que Dilma se mantém forte, abre vantagem sobre Marina e empata com ela no segundo turno. Na disputa entre as duas, minha impressão é que o Nordeste terá peso decisivo. Mas isso é outra história, para ser tratada em outro artigo.

* Autor: Vandeck Santiago: Artigo postado no Diário de Pernambuco. Coluna ENFOCO

Eleições 2014/Pernambuco: Candidato Paulo Câmara participa de imensa carreata em Salgueiro *

 

 

Salgueiro dá o ritmo

da arrancada final da

campanha de Paulo Câmara

 

 

 

Município promoveu uma mega carreata para receber o socialista e Fernando Bezerra Filho

 

 

 

 

A mensagem do povo pernambucano é bem clara e ganha cada vez mais volume: o modo de governar da Frente Popular foi aprovado e deve continuar conduzindo os avanços do Estado, a partir de 2015. Exemplo disso foi a grande carreata com a qual o município de Salgueiro recebeu o candidato ao Governo Paulo Câmara (PSB) e seu companheiro de chapa Fernando Bezerra Coelho (PSB/Senado). Mais de 600 veículos, entre motos e automóveis acompanharam os socialistas, neste sábado (20), em um trajeto de seis quilômetros, pelas ruas de sete bairros, e, de suas casas, os salgueirenses faziam questão declarar seu apoio com bandeiras, acenos e palavras de incentivo.

“A animação que temos encontrado mostra que, faltando 15 dias para a eleição, nossa campanha ganha um ritmo diferente, nesta arrancada final. O que vimos aqui nos dá a expectativa de uma vitória expressiva em Salgueiro, assim como em Pernambuco inteiro“, avaliou Paulo. A chapa majoritária foi acompanhada pelos prefeitos de Salgueiro, Marcones Libório, e de Araripina, Alexandre Arraes (ambos do PSB).

APOIO – Durante a carreata, o vereador Paulo Afonso (Solidariedade) fez questão de abordar Paulo, para declarar seu apoio à candidatura do socialista. O legislador, da bancada oposicionista municipal e que até pouco integrava o palanque do candidato do PTB, explicou a mudança de atitude. “Paulo mostrou, ao administrar a receita estadual, sua competência e o seu preparo. Além disso, ele tem o apoio de lideranças políticas que têm meu mais alto respeito, como todos os ex-governadores de Pernambuco ainda vivos, e do meu candidato a deputado federal, Fernando Monteiro (PP)”, pontuou Afonso, que disputa uma vaga na Assembleia Legislativa.

* Fonte: Assessoria de Imprensa do PSB

Brasil/Economia: Governo despreza o ETANOL e leva as Usinas à Falência *

 

 

 

Com pré-sal, governo

deixa etanol de lado

Setor enfrenta o pior dos cenários, que vai de demissões à falta de crédito; 34 usinas fecharam em 7 anos

Desde 2007, 58 usinas fecharam as portas na região centro-sul – 34 delas em São Paulo. Isso sem contar as empresas que deixaram de produzir etanol para se dedicar ao açúcar.

 

 

Os negócios ligados ao etanol já foram mais prósperos. O cenário, hoje, é de insatisfação, principalmente dos produtores, que reclamam da falta de incentivo do governo e culpam o subsídio à gasolina como um dos responsáveis pelo retrocesso do setor. Desde 2007, 58 usinas fecharam as portas na região centro-sul – 34 delas em São Paulo. Isso sem contar as empresas que deixaram de produzir etanol para se dedicar ao açúcar.

O derivado da cana foi alardeado pelo governo mundo afora como alternativa sustentável aos combustíveis fósseis. Surgia como esperança de mudança no cenário econômico brasileiro. Junto houve o incentivo ao aumento da frota flex e a perspectiva de exportação do etanol brasileiro.

Pré-sal. Veio então a euforia com os resultados do pré-sal – de 2010 a 2014, a média de produção cresceu dez vezes, chegando a 411 mil barris de petróleo por dia, que representa 20% de toda a produção nacional. O etanol foi para segundo plano.

“A crise do álcool começou em 2010, com a implantação da política de controle de preço de gasolina e diesel para segurar a inflação de energia”, diz Adriano Pires, presidente do Centro Brasileiro de Infraestrutura. “Ao segurar o preço da gasolina na bomba dos postos, a Petrobrás teve prejuízo.”

O consumidor preferiu a gasolina ao álcool depois que o derivado de petróleo ficou sem aumento do preço na bomba Em 2009, 80% dos veículos s flex usavam álcool. No fim de 2012, a adesão caiu para 27%. Para o motorista, só vale à pena usar o etanol se o preço for até 70% abaixo da gasolina, pois o combustível da cana rende menos.

“No ano passado, a crise ainda se agravou devido ao clima”, diz Elizabeth Farina, presidente do União Nacional das Indústrias de Cana-de-Açúcar (Unica). Em alguns lugares, choveu muito acima de média, em outros, muito abaixo, e ainda houve geada. O País ficou sem estoque para exportação.

No campo, a crise levou a demissões, problemas de salário e falta de crédito. Até as usinas que migraram para o açúcar se deram mal . “O preço da bolsa do açúcar em Nova York não cobre os custos da produção”, diz Gustavo Diniz Junqueira, presidente da Sociedade Rural Brasileira. “Não sabemos qual será a saída para essa crise”, diz Elizabeth. Mas o sonho do etanol virar commodity ainda está longe de se concretizar.

* Fonte: Estadão/Por Valéria França, Bárbara Bretanha, estadao.com.br

Movimento Cultural/Crônica: Pessoas – Érico & Jamilly – Por Zezé Freire *

PESSOAS

                                                                      ZEZÉ FREIRE

Se você vier pro que der e vier comigo
Eu lhe prometo o sol… se hoje o sol sair
ou a chuva… se a chuva cair
Se você vier até onde a gente chegar
Numa praça na beira do mar
Um pedaço de qualquer lugar
E neste dia branco se branco ele for
Esse tan…to, esse canto de amor
Se você quiser e vier pro que der e vier comigo
Autor: Geraldo Azevedo

 

 

 

A vida é bela! Tenho a certeza disso. Quando ciente das violências, corrupções e desmantelos em todos os setores do planeta terra presencio o sorriso de crianças, obras de artes da natureza e produzidas pelo homem, atos de solidariedade, comemorações de conquistas profissionais e, principalmente, celebrações do Amor: nascimentos, aniversários, casamentos e funerais.

A vida é bela! Quando somos convidados a participar da celebração de momentos felizes dos amigos e familiares. Foi isso que aconteceu no sábado, 16 de agosto de 2014 quando Érico Vasconcelos – administração no Grupo Torres ( pais: Fernando Calado e Frascinete) e Jamilly Meneses – advogada na empresa GM Advogada ( pais: Geneci Tomás e Lucineide) , reuniram parentes e amigos nos salões do Hotel Estação Cruzeiro para assistirem a bênção nupcial e compartilharem a festa de casamento, consolidações dos seus sonhos de amor.

A vida é bela! Quando escutamos depoimentos de gratidão a quem não poupou esforços para cuidar, educar e orientar para uma vida cidadã. Foi Isso que Erico e Jamilly fizeram nas palavras dirigidas aos seus pais.

A vida é bela! Quando felizes ficamos ao presenciar almas que se encontram- não só para os afagos e beijos, o que é muito bom e essencial para alimentar a vida – porém, para muito mais: darem continuidade à família vivenciando alegrias e tristezas, saúde e doença e, enfim, estarem juntos para o que der e vier. Foi isso que vislumbrei para a vida de Jamilly e Érico! Que sejam felizes com as bênçãos dos céus!

* Autora: Zezé Freire - MARIA JOSE CORDEIRO FREIRE, é assistente social, professora, colaboradora do OABELHUDO, cronista, poetisa e escritora. É autora/coordenadora  do livro – Na Janela do Tempo.