SANHARÓ – COMÉRCIO DE LATICÍNIOS CONQUISTA OS CONSUMIDORES.

S A N H A R Ó

 


SANHARÓ - A VACA E O TIRADOR DE LEITE. Símbolos da pecuária leiteira. Principal atividade econômica do município.

Queijo caseiro conquista o consumidor

 

NEGÓCIOS Às margens da BR-232, pequenos comerciantes de

Sanharó atraem cada vez mais clientes.

Pecuária também ganha.

 

SANHARÓ! Quem passa pela BR-232, no município de Sanharó, no Agreste, pode notar o crescimento do comércio que surgiu às margens da rodovia, nos últimos anos. Embalados principalmente pela venda de queijo, carne de sol e produtos regionais, como doces e linguiças, pelo menos dez estabelecimentos surgiram no local, que se tornou ponto de parada de quem viaja pela região. O aumento da demanda aqueceu também a produção de leite, movimentando a pecuária, principal atividade econômica da cidade.

Um dos primeiros a descobrir a potencialidade da área foi o comerciante Evanildo Manoel Valença Batista, 38 anos. Ele tinha uma pequena loja na entrada da cidade e, há cerca de oito anos, se mudou para as margens da BR-232. “Aqui, fomos aumentando a estrutura e a quantidade de mercadorias. Hoje nem sei dizer quantos produtos vendemos“, conta.

No local, também funciona uma lanchonete, dirigida pela esposa dele, Silvana Bezerra Calado Batista, 32 anos. Ela lembra que antes o casal trabalhava com apenas um funcionário. Atualmente são nove.No começo não vendíamos nem dez por cento dos produtos que vendemos hoje. A maioria dos compradores passa pela rodovia, tanto do Sertão para o Recife, como no sentido inverso“, diz.

O casal vende cerca de 2,5 mil quilos de queijo e, em média, mil quilos de carne de sol por semana. Entre os produtos comercializados estão linguiças de vários tipos, doces, manteiga de garrafa e farofa de queijo.

O sucesso dos pioneiros levou a abertura de novas lojas de produtos regionais. João da Silva Soares, 50 anos, deixou de ser caminhoneiro para se dedicar ao comércio. Há dois anos, ele aproveitou o quintal da casa para abrir um estabelecimento, onde vende até galinha de capoeira e doces feitos em casa. “Deixei de ser caminhoneiro e agora sirvo os amigos da estrada”, brinca.

A diversidade e a qualidade dos produtos tornaram a área ponto de parada para quem quer fazer lanches ou levar produtos para casa. Um dos que já se acostumaram com a parada foi o vendedor Airon de Souza Torres, 46 anos, que esta semana fazia compras com a família, quando viajava de Custódia, no Sertão, para o Recife. “Sempre paro aqui, o preço é quase o mesmo dos outros locais, mas gosto da qualidade dos produtos”, diz.

O comércio de queijo às margens da BR-232 no município, entretanto, não começou nessa área. O comerciante José Alves da Costa, 53 anos, conhecido como Zezinho do Queijo, já vende seus produtos há cerca de 20 anos, mas sua loja fica antes da entrada do município. Os estabelecimentos que estão aparecendo mais na frente, entre eles, uma casa de ordenhadeiras, surgiram nos últimos oito anos.

O aumento das vendas de queijo e de produtos derivados do leite estimulou o número de fabricas, beneficiando os pecuaristas da cidade, que agora têm mais opções para vender o leite. De acordo com a Secretaria de Agricultura de Sanharó, são pelo menos dez fábricas de queijo com boa capacidade de produção.

O queijo é produzido artesanalmente nas fazendas. Também temos pelo menos duas fábricas de doces na cidade e a venda de muitos doces caseiros, diz o secretário de Agricultura, Hermógenes Monteiro Galvão. Segundo ele, parte do queijo produzido é comercializada no município e outra parte segue para o mercado de cidades como Recife.

 

Fonte: JC/Economia-pág.8

Pedro Romero
promero@jc.com.br

Compartilhe esse texto com seus contatos:

31 Responses to SANHARÓ – COMÉRCIO DE LATICÍNIOS CONQUISTA OS CONSUMIDORES.

  1. Carlos alberto disse:

    gostaria de saber o preço do leite pago ao produtor rural em Sanharó pelas queijeiras

    • Dom Pablito disse:

      Prezado Carlos Alberto. O preço varia entra R$ 1,15 e R$ 1,20. Esse preço é apanhando o produto nas fazendas e o pagamento é semanal ou quinzenal.

  2. ERIKA DE SOUZA disse:

    GOSTARIA DE SABER SE É POSSÍVEL REVENDER O QUEIJO?QUAIS AS CONDIÇÕES QUANTO CUSTA.ESTOU AGUARDANDO A RESPOSTA.OBRIGADA

    • Dom Pablito disse:

      Olha Erika. O blog apenas dá a informação sobre o Polo do Queijo. Venha aqui e negocie diretamente com os produtores. Tem vários deles e uma gama de produtos de laticínios.

  3. Gilton Barbosa disse:

    Olá pessoal, boa noite! Gostaria de saber se vocês fornecem produtos para revenda com preços diferenciados, sou de Recife e gostaria muito de trabalhar vendendo os produtos daí dessa região, porque já provei e são muito saborosos. Caso sim, como entrarei em contato para saber dos preços dos queijos, das linguiças,carne de sol, manteiga de garrafa etc.,condições de pagamento e entrega.

    Fico no aguardo de uma possível resposta,
    Cordialmente
    Gilton Barbosa.

  4. Gilton Barbosa disse:

    Olá pessoal, boa noite! Gostaria de saber se vocês fornecem produtos para revenda com preços diferenciados, sou de Recife e gostaria muito de trabalhar vendendo os produtos daí dessa região, porque já provei e são muito saborosos. Caso sim, como entrarei em contato para saber dos preços dos queijos, das linguiças,carne de sol, manteiga de garrafa etc.,condições de pagamento e entrega.

    Fico no aguardo de uma possível resposta,
    Cordialmente
    Gilton Barbosa.

    • Dom Pablito disse:

      Olha Gilton. Existem diversos fornecedores aqui em Sanharó. Você teria que vir aqui para negociar as condições. Não sou desse ramo e assim sendo não posso responder o seu questionamento.

  5. Dom Pablito disse:

    Prezados Senhores.

    Vou contactar com alguns produtores aqui da nossa região e informar sobre os seus produtos. O blog agradece pela participação.

  6. suelivam disse:

    moro em maceio e gostaria de telefone de ma dessas fabricas de queijo e carne para fim de comercialização. atenciosamente,suelivam

  7. Lidinho Cintra disse:

    As indústrias do leite precisam se unir para adequação às Instruções Normativas do MAPA (Ministério da Agricultura...) o que além de obrigatório seria um diferencial para os seus produtos. Porque não temos o selo “produto de Sanharó”.
    A Cooplesa funcionará bem quando concordar com uma boa consultoria (disponível e gratuíta pelos Senar, Sesi e Sebrae) e uma administração executiva, afinal a existência da mesma é para garantir um bom preço ao leite. Estamos em forte desenvolvimento graças a força dos nossos produtores e empresários, o que nos dar sustentabilidade.

    • Dom Pablito disse:

      Caro Lidio Cintra. Bom! Muito bom o seu comentário. Não me surpreende dado o seu background e a excelência do seu trabalho no ramo da agropecuária, além de expert em avicultura. Chamo a atenção para um detalhe que está contido no comentário de Ducarmo Calado: a qualidade e mais ainda, A NOVIDADE em termos de produtos laticínios. Há uma empresa em Gravatá que hoje investe maciçamente em novos rótulos (marcas) e isso tem feito um grande diferencial. Pode-se pensar em sair da mesmice, sem deixar de produzir o trivial. Aqui nesse blog, fizemos uma postagem sobre mais de 30 qualidades de queijos. O mercado não somente é competitivo como é muito exigente. Quem não se atualizar pode ficar “chupando dedo”…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *