OBRAS DA TRANSPOSIÇÃO DAS ÁGUAS DO RIO SÃO FRANCISCO TEM AUMENTO BILIONÁRIO. (*)

Custo da transposição do rio S. Francisco

tem um aumento bilionário

 

 

 

Obra do S.Francisco. O trabalho não acompanha o ritmo dos custos orçamentários.

Governo diz que reajuste ocorreu devido à necessidade de adaptação no projeto base

 

Novo balanço do PAC 2 (segunda etapa do Programa de Aceleracao do Crescimento), divulgado na última quarta-feira, mostra que o custo da obra de transposição do rio São Francisco teve mais um aumento bilionário.

O projeto, que inicialmente era orçado em R$ 4,6 bilhões, agora custa 77,8% mais caro: R$ 8,18 bilhões, de acordo com o relatório do Ministério do Planejamento. Diante da estimativa anterior de R$ 6,85 bilhões, feita em 2011, o reajuste é de 19,4%.

Desde 2007, quando as obras começaram, o preço da transposição foi alterado uma vez durante o governo Lula (2003-2010) e duas durante a gestão de Dilma Rousseff.

O governo diz que as alterações são resultado do melhor detalhamento das obras pelos projetos executivos e de mudanças na metodologia de acompanhamento.

De acordo com o relatório, entre 2007 e 2010 foi empenhado (reservado para o gasto) R$ 1,8 bilhão só nos 287 quilômetros do eixo leste da obra, entre Paraíba e Pernambuco. Até 2014, o governo planeja empenhar R$ 1,1 bilhão.

Já no eixo norte, que se estende por 426 quilômetros em Pernambuco, Paraíba, Ceará e Rio Grande do Norte, o empenho foi de R$ 1,7 bilhão nos primeiros quatro anos.

Até o final do governo Dilma devem ser investidos outros R$ 3,2 bilhões, e mais R$ 386 milhões estão previstos para depois de 2014.

O eixo leste, que deveria ter sido inaugurado em 2010, tem 48% de execução. A última previsão de conclusão é dezembro de 2014.

O eixo norte deveria ficar pronto neste ano. Tem 19% de execução. Com três lotes parados (3, 4 e 7), aguardando rescisão contratual, a conclusão deve ficar somente para dezembro de 2015.

Acompanhamento

Alguns trechos tiveram quer ser novamente licitados porque o governo fez a concorrência prevendo um determinado valor, mas as obras tiveram de ser feitas de maneira diferente.

No mês passado, Dilma visitou trechos da obra em Pernambuco e no Ceará. Comprometeu-se a acompanhar o andamento do serviço e afirmou que sua presença na região era um “março” para a retomada das obras.

Segundo a Integração Nacional, o novo aumento de custo se deve a adaptações no projeto, a necessidade de atender moradores do entorno e a reajustes de preços no setor de construção civil.

“Há questões de reajustes de contratos existentes e serviços adicionais que surgiram do melhor detalhamento do projeto”, disse o secretário nacional de Recursos Hídricos, Francisco Teixeira.

A pasta também informou ter alterado a metodologia de monitoramento de execução das obras, o que levou a uma redução dos percentuais de andamento dos serviços.

(*) FolhaSãoPaulo/Daniel Carvalho

Compartilhe esse texto com seus contatos:

8 Responses to OBRAS DA TRANSPOSIÇÃO DAS ÁGUAS DO RIO SÃO FRANCISCO TEM AUMENTO BILIONÁRIO. (*)

  1. MARCO SOARES disse:

    CURIOSIDADE:

    A Proclamação da República, todos sabem, foi em 15 de novembro de 1889.Estamos no seu 122º ano, portanto.Pelo comentário do Sr. Ricardo Valença, que tem o bom hábito de muito ler (deixou implícito no seu comentário), em média, tivemos uma versão de projeto da Transposição/Integração do Rio São Francisco por ano na história republicana brasileira.Pela complexidade da obra eu só tenho é que dar vivas à Engenharia do Brasil. Ou não?

  2. MARCO SOARES disse:

    Esclarecimento:

    Em ENGENHARIA você pode formatar diversas CONCEPÇÕES para a realização de uma obra. A primeira pode ter sido no início da história do mundo e a última, que gerou um PROJETO BÁSICO, ter sido concluída ontem (recomendo ler a história da construção de Brasília, por exemplo).

    Com o PROJETO BÁSICO, legalmente você pode iniciar uma obra. Mas, é o PROJETO EXECUTIVO que consubstancia a obra como um todo, que a detalha, que é considerado o projeto final. Por isso, poderão haver algumas distorções em maior ou menor magnitude em relação ao PROJETO BÁSICO.

    Quanto à seriedade da condução da obra da Transposição (Integração) do Rio São Francisco, não tenho qualquer prova material que possa incriminá-la: por prudência, que dizem ser a mãe da sabedoria – a qual perseguirei até o fim dos meus dias – não entrei no mérito desta questão.
    Quanto ao incremento de valor da obra, igualmente.

    É o que eu tinha a considerar.

  3. Ricardo Valença disse:

    Concordo, plenamente, com o que comenta este nobilíssimo brasileiro que é o Sr. Fernando Valença, abnegado defensor do Projeto de transposição de águas do Rio São Francisco, exceto pela crença de que a atual presidente tem, ou terá algum interesse em mandar apurar tamanho descalabro e majoração criminosa no custo desta relevante obra para boa parte do povo do Nordeste.

    Na verdade, parafraseando o Sr. Luís Inácio da Silva, que atende pela alcunha de “Lula”, nunca na história deste país, se viu tamanha volúpia e sede desvairada em se METER A MÃO no dinheiro público, para assegurar a perpetuação no PODER e mais ainda, para beneficiar-se a si mesmo. Chega do “Rouba mais faz”, ou pior do Rouba e mal faz, que é o caso… adiando-se, constantemente a conclusão desta e de outras obras, para que, sob o manto obscuro da pseudo urgência possa se incrementar de maneira criminosa os gastos previamente orçados em um projeto por demais discutido e aprofundado.
    É bem diferente do exemplo metafórico do Sr. Marco Soares, pois esta 122ª edição do projeto, desde a primeira solicitação de estudo feita pelo Imperador D. Pedro II, previa tudo, gastos, tempo, desapropriações, impactos ambientais, tudo. Não há como comparar com a difícil e limitada possibilidade do cidadão comum que se aventura a erguer sua casa própria, sem prazo definido para concluir. O curioso é que as retomadas da obra coincidem com anos eleitorais, para que aqueles que pouco leem, possam ser, mais uma vez ludibriados por seus verdadeiros algozes!!! De fato, todo povo tem o governo que merece.

    Que Deus nos proteja do que está por vir.

    • Dom Pablito disse:

      Caro Ricardo. Muito substancioso o seu comentário. Vê-se que mesmo mantendo, ainda, alguma confiabilidade, você não se limita apenas a reclamar e sim a levantar dados reais e históricos que informam com bastante clareza o ardil dos que praticam preços e prazos no atual projeto. Fico na dúvida se acredito no que dizem e nas (in) justificativas apresentadas. Afora tudo isso e roubalheira explícita, adicione-se a má ou péssima qualidade do serviço apresentado.

      O blog agradece pela participação e mais ainda pela qualidade do comentário com que nos fomos distinguidos.

  4. MARCO SOARES disse:

    Façamos uma analogia. É comum se utilizar modelos simples para se chegar a conclusões grandiosas.
    Imaginemos que alguém irá construir uma grande casa,o projeto ainda não está finalizado totalmente, sabe que demandará um tempo longo e que não dispõe, de imediato, dos recursos suficientes para concluí-la em etapa única.
    Certamente, serão consideradas algumas prioridades: pelo menos um quarto, a cozinha, um banheiro;instalações de água e energia elétrica.
    O piso, o revestimento das paredes, a pintura e outros itens dos demais cômodos poderão ser feitos depois. Também assim, os jardins a garagem, etc. Este é um exemplo simples de PLANEJAMENTO.
    Iniciada a obra ela deve ter um ACOMPANHAMENTO sistemático para que seja executada o mais próximo possível daquilo que se planejou.
    Assim, poder-se-á fazer o CONTROLE dos desembolsos financeiros e da qualidade da obra.
    A observação do que já foi executado e efetivamente começou a ser operacionalizado poderá ser extremamente útil às etapas subsequentes, redirecionando procedimentos, caso necessário, evitando eventuais falhas detectadas ou desperdícios.
    Ademais, há que se considerar que já haverá uma vantagem financeira: não pagar aluguel.

    Agora, imagina que teus filhos batam o pé e digam que tem de fazer tudo de uma vez, que não aceitam que uns tenham privilégios sobre outros.
    Você levanta a casa e para. Faz a cobertura e para novamente.Coloca as portas, faz o contrapiso e… outra parada.
    Depois de algum tempo, os materiais de construção aumentaram, o preço da mão-de-obra já não é mais o mesmo e a obra não serve efetivamente para nada (a não ser ser para os vândalos levarem os materiais removíveis ou invadirem sua construção).Caso contrário, terá que contratar um vigia: mais despesa.
    Duplica-se o valor da obra.
    Seus filhos querem de todo jeito que a obra continue, porque trará benefícios para eles.
    E agora? O que foi feito não tem nenhuma utilidade prática.
    O que fazer? Continuar? Encontrar um parceiro que a viabilize (um banco, por exemplo, para fazer um empréstimo)?
    Ou simplesmente empurrar a situação com a barriga?

    Complicado, não é?

    “Dos filhos deste solo és mãe gentil, Pátria amada, Brasil!”

  5. Deveria cumprir o repouso de que careço; no entanto, por ter feito uma “breve passagem de olhos“, agora, -21:54 hs.-, pelo PC,bastou ver esta matéria e PUUUU…!É impossível repousar SEM vir aqui protestar, dizer que não aceito e que esta é mesmo uma Nação de ladrões, de gatunos, frouxos e mesquinhos, a partir do GOVERNO, de todos os níveis, conforme opinou recentemente uma deputada do Estado do Rio, gritando, durante uma Sessão Plenária da Camara, indignada pela iminência da nomeação de JUIZ patife,(chefe de quadrilha de ladrões, autor intelectual de homicídios, criminoso covarde que VENDE decisões judiciais dele próprio), para ser MINISTRO do Superior Tribunal de Justiça! Inconformado pelo vídeo que recebí, liguei para um companheiro que mora lá, que me confirmou: “Ela tem razão, ele acaba de ser nomeado MINISTRO do Tribunal Superior de Justiça”!Seria o caso de se fazer o mesmo com o que está sucedendo com o custo, que não pára de aumentar, das obras, “intermináveis”(?) do Projeto São Francisco! Não sou do governo, porém tenho certeza, absoluta, de que Sua Excelência a Presidente do Brasil, desmascarará todo o MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO e os demais órgãos do GOVERNO que são CONTRA a TRANSPOSIÇÃO!

    Não tenho condições, neste momento, tecer um longo argumentário que pode ser resumido no que que já escrevi, dirigindo-me a Sua Excelência, porém EM VÃO…-, e muito falei, assim: “…Sugiro que CONVOQUE, -solicite- ao ex-ministro Ciro Gomes, para uma audiência e que ele possa DEMONSTRAR a “esculhambação” que
    está sendo feita com a verdade da Transposição em geral e da PERENIZAÇÃO do Rio Paraíba, em particular”. Não sei por que tanto escrúpulo…
    Desde os tais elementos de TCU´s, do latifundiário geddel…. aos caça-níqueis de Juazeiro para cá….., a Presidente, se botar a faca nos dentes, vai mandar muita gente prá fora da sala… Não sei como será está noite mas, pouco importa; depois de ter visto o que os japoneses fizeram em menos de 1 ano, depois de quê tragédia, não posso suportar a masturbação sabotadora que o próprio governo do Brasil pratica, CONTRA todos nós que os parimos e sustentamos, inclusive ministros velhos, atuais e como esse ordinário que se tornou um deles, da JUSTIÇA, há pouco.
    O Brasil não deveria mais parir brasileiros; o ue estão fazendo com o Projeto São Francisco é pura falta de patriotismo. Que diabo é punição?
    Nosso povo não sabe… Só sabe meter a mão.


    Fernando Valença
    Defensor Incondicional do Projeto São Francisco,
    advogado,escritor,jornalista,treinador de pessoal,piloto,radialista,caririzeiro.

    • Dom Pablito disse:

      Esse o Fernando que eu conheço e nos acostumamos aos comentários que têm o sabor de um grande desabafo. Vamos atiçar em cima desse gerenciamento tão duvidoso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *