CORRIDA PRESIDENCIAL: Foi dada a largada. Quatro candidatos já despontam em Plena Campanha (*)

Com eventos e discursos, partidos dão

largada para eleição de 2014

Lula aparece entre a mulher, Marisa (esq.) e Dilma (dir.) em evento do PT na capital paulista na quarta.

Lula aparece entre a mulher, Marisa (esq.) e Dilma (dir.) em evento do PT na capital paulista na quarta.

“Eles podem se preparar, juntar quem quiserem, que, se eles têm dúvida, vamos dar como resposta a reeleição de Dilma em 2014“, disse o ex-presidente Lula.

Movimentações de quatro lideranças políticas são vistas como prévias de suas estratégias rumo ao Planalto.

Dilma, Aécio, Eduardo Campos e Marina Silva se destacam como futuros candidatos...

Dilma, Aécio, Eduardo Campos e Marina Silva se destacam como futuros candidatos…

A presidente Dilma Rousseff deu o tom do que se espera ser sua estratégia eleitoral para 2014 ao afirmar que os críticos de suas políticas sociais e econômicas sofrerão “prejuízos financeiros e políticos” e que o PT “não herdou nada” dos governos anteriores, pouco após ser lançada como candidata à reeleição pelo antecessor, Luiz Inácio Lula da Silva.

Dilma fez as declarações num evento em São Paulo na noite desta quarta-feira que marcou os 33 anos do Partido dos Trabalhadores e os dez anos da legenda à frente do governo federal, no mesmo dia em que o senador Aécio Neves (PSDB-MG), cotado para ser candidato em 2014, fez um discurso no Congresso, em Brasília, tecendo duras críticas ao PT, num sinal do que pode ser sua plataforma de campanha para tentar levar os tucanos de volta ao Planalto no ano que vem.

Marina Silva e Eduardo Campos

O gesto do tucano ocorre dias após outros dois políticos se movimentarem com vistas a 2014. No sábado, a ex-ministra do Meio Ambiente Marina Silva lançou seu novo partido, a Rede Sustentabilidade.

O partido precisa coletar 500 mil assinaturas em ao menos nove Estados para ser registrado no Tribunal Superior Eleitoral até setembro, prazo para que a legenda tenha condições de concorrer na próxima eleição. Ainda que sua candidatura em 2014 seja tida como certa caso o partido obtenha o registro, Marina tem dito que sua participação no pleito é uma “possibilidade”, que deverá ser debatida com aliados. Marina deixou o PT em 2009 e concorreu à Presidência pelo PV em 2010. Ela recebeu 20 milhões de votos e ficou na terceira posição. Após o pleito, deixou a sigla em meio a desentendimentos com sua cúpula. Nos últimos dias, o governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB) – também tem ensaiado passos para 2014. Campos planeja cruzar o Brasil nos próximos meses para uma série de debates batizados de “Diálogos para o Desenvolvimento”. Os encontros, segundo ele, terão como tema estratégias para que os brasileiros “saiam da dependência dos governos”. No entanto, o pernambucano, um dos governadores mais bem avaliados no país, também tem desconversado quando questionado sobre sua possível candidatura.

A postura de Campos em 2014 é alvo de grande especulação. Caso concorra à Presidência, acredita-se que ele possa enfraquecer o apoio a Dilma no Nordeste. No entanto, sua sigla integra a coalizão governista e, ainda que venha adotando tom mais crítico ao governo nos últimos meses, ainda não anunciou a intenção de romper com o Planalto – gesto tido como condição para que lance candidatura no próximo pleito presidencial.

LEIA A ÍNTEGRA:

Partidos dão largada para eleição de 2014

(*) Fonte BBCBrasil /

Compartilhe esse texto com seus contatos:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *