Daily Archives: 9 de novembro de 2014

Pesqueira: Ex-xerife da Receita aprofunda críticas à política do governo federal *

Everardo aprofunda críticas

 

CONJUNTURA Ao tomar posse na Academia Internacional de Direito e Economia, consultor diz que nossa realidade atual é trágica

 

“A realidade econômica brasileira de hoje é trágica, raras vezes tão perversa. Os parâmetros de avaliação da economia brasileira hoje demonstram falta de equilíbrio fiscal, dificuldade de comércio exterior, inflação e crescimento econômico baixo”,

O consultor e ex-secretário da Receita Federal nos governos de Fernando Henrique Cardoso, o pernambucano Everardo Maciel, tomou posse na Academia Internacional de Direito e Economia, ocupando a cadeira que pertencia ao economista e ex-prefeito de São Paulo Miguel Colasuonno, morto no ano passado. O convite para integrar a entidade partiu do acadêmico Hamilton Dias de Souza, pedido que foi acolhido pelo fundador da entidade, o jurista Ives Gandra e pelo presidente, o jurista Ney Prado.

Sobre a indicação, Maciel se disse honrado. “É uma honra participar de uma casa com pessoas tão qualificadas a exemplo dos ministros Gilmar Mendes, Carmen Lúcia, Carlos Veloso, Marco Aurélio e outros como Delfim Netto e Michel Temer.”

A academia é uma entidade que promove seminários e debates a respeito de temas em que o direito e a economia se cruzam. Os principais temas discutidos giram em torno dos limites em que a Federação deve atuar, sua eficiência na adoção de políticas nacionais, com objetivo de discutir reformas que possibilitem a abertura e competitividade da economia e o avanço das instituições jurídicas. A Academia foi criada em 87 e tem entre seus acadêmicos 60 notáveis.

Como a posse aconteceu durante o período de embate eleitoral, Everardo criticou em seu discurso as políticas em curso no Brasil. “A realidade econômica brasileira de hoje é trágica, raras vezes tão perversa. Os parâmetros de avaliação da economia brasileira hoje demonstram falta de equilíbrio fiscal, dificuldade de comércio exterior, inflação e crescimento econômico baixo”, comentou.

Na sua visão, a reforma no sistema tributário brasileiro é condição necessária para a retomada do crescimento, embora haja questões mais básicas em questão na atual conjuntura. “Há falta de crescimento por conta dos fundamentos da economia que estão sendo desconsiderados. Há excesso de intervencionismo, que gera situações de privilégios para determinadas empresas e empresários”, disse, referindo-se à política do governo de conceder desonerações a setores específicos e estímulos específicos à empresas campeãs nacionais, dando crédito subsidiado a grandes grupos tidos com potencial para serem líderes globais. Everardo também se mostra preocupado com o descuido em relação ao poder da moeda com a gestão fiscal, que ameaçam a credibilidade do Brasil perante investidores.

* Fonte: JC/Domingo – Economia