Pernambuco: Governador João Lyra conclama gestores – “Entregar o estado em ordem ao seu sucessor” *

 

 

João Lyra Neto reforça compromisso com

ações que consolidam a estabilidade

de Pernambuco

 

governador pe e gestores no CConv

joão lyra-neto-foto-josué-mata-SEI

Durante reunião com os gestores públicos estaduais, nesta quinta-feira, o governador João Lyra Neto declarou que não está apenas finalizando a gestão administrativa do seu antecessor, Eduardo Campos, e sim trabalhando para entregar o Estado em ordem ao seu sucessor.

A reunião ocorreu no Teatro Guararapes, do Centro de Convenções, e contou com a presença de gestores públicos de diversos órgãos estaduais.

Segundo João Lyra, todos os gestores que passaram pelo Palácio do Campo das Princesas fizeram o possível para deixar uma contribuição à história do Estado.

“Não estamos apenas finalizando um ciclo de gestão, mas sim trabalhando para consolidar e estabilizar Pernambuco para os próximos anos”. Foi o que garantiu o governador João Lyra Neto, na manhã desta quinta-feira (24/04), durante a reunião com os gestores estaduais, no Teatro Guararapes, no Centro de Convenções de Pernambuco. O governador salientou ainda que sua gestão, mesmo tendo incorporado novas metas, será a extensão do trabalho que teve início ainda em 2007. Além disso, o encontro pontuou a preocupação com os investimentos e consolidação das políticas públicas.

O nosso objetivo até o fim deste ano é ampliar e aperfeiçoar o trabalho que já começamos“, reforçou o governador, explicando que todos os gestores que passaram pelo Palácio Campo das Princesas, Sede do Governo de Pernambuco, fizeram o possível para deixar uma contribuição na história do Estado. De acordo com o governador, a atual gestão será marcada por ter “proporcionado uma revolução no serviço público”.

Antes das considerações de João Lyra Neto, o secretário de Planejamento e Gestão, Frederico Amâncio, apresentou um balanço das ações e destacou avanços em diversas áreas, salientando a importância dos servidores para o sucesso dos projetos estaduais. “É importante que todos saibam a relevância de cada servidor na composição das nossas ações”, lembrou o secretário, enfatizando que os próximos meses serão de reafirmação dos compromissos já firmados com a sociedade.

Leia a Íntegra:

João Lyra Neto reforça compromisso com ações que consolidam a estabilidade de Pernambuco

* Fonte: Portal PE

Garanhuns: “Viva Dominguinhos” Três de dias de Shows só de Forró *

 

Nando Cordel e Petrúcio Amorim,

Maciel Melo, Jorge de altino e

outros artista, se apresentam no

“Viva Dominguinhos”

 

 

Jorge de Altinho, Santana e Liv Moraes também farão shows no festival. Evento ocorre entre os dias 25 e 27 (sexta, sábado e domingo) e deve atrair público de 60 mil pessoas.

 

GARANHUNS RELÓGIO DE FLORES

dominguinhos  divulgacaoSantana o cantadorjorge de altinho ao violaopetrucio e maciel post

 

 

Programação
Festival Viva Dominguinhos
Acesso: gratuito

>>> Polo Praça Cultural Mestre Dominguinhos

Endereço: Bairro São José

- Sexta-feira (25), 21h -

Atrações: Mourinha do Forró, Liv Moraes, Maciel Melo e Santana

- Sábado (26), 21h -

Atrações: Nando Cordel, Petrúcio Amorim, Lucy Alves e Os Valvulados

- Domingo (27), 20h -

Atrações: Jorge de Altinho, Waldonys e Zezinho de Garanhuns

>>> Polo “Canta, Dominguinhos”

Local: Espaço Colunata
Endereço: Avenida Santo Antônio, no Centro
Horário: 10h às 18h

Atrações: Bill do Forró, Coroas do Forró, Grupo de Xaxado Cabras de Lampião, Juliano do Acordeon, Michelly dos Anjos, Nando Azevedo e Gena de Altinho.

 

 

A primeira edição do Festival Viva Dominguinhos começará nesta sexta-feira (25) em Garanhuns, no Agreste de Pernambuco. O evento irá reunir músicos em tributo ao cantor e compositor Dominguinhos, que morreu em 2013. Dois polos serão palcos das apresentações.

A estrutura do festival contará com praça de alimentação, área de artesanato e banheiros químicos. Um esquema de segurança também será montado. Oito agentes da Autarquia Municipal de Trânsito e Transporte (AMTT) de Garanhuns estarão fiscalizando o trânsito. A partir das 18h da sexta-feira (25), será interditada a Rua Afonso Pena, que fica localizada no Bairro São José, próxima ao Centro Cultural Alfredo Leite Cavalcanti. A interdição segue até o semáforo da Rua Nilo Peçanha e inclui a parte baixa da Praça Dom Moura. As vias serão liberadas após os shows e voltam a ser fechadas às 18h de cada dia do evento, de acordo com a assessoria de imprensa da prefeitura.

Ainda de acordo com o departamento, a comemoração será realizada anualmente na Praça Mestre Dominguinhos (antiga Guadalajara). A iniciativa será promovida no mês de abril porque é quando a temperatura na ‘Cidade das Flores’ começa a ficar bem mais amena. O evento compõe a grade de festivais do município. É esperado um público de 60 mil pessoas e a economia do comércio deve aumentar em 10%, segundo a assessoria.

 

Brasil: Campeão de atraso – Apenas 3% do nosso lixo é reciclado *

 

 

Sem vontade política,

Brasil recicla apenas 3%

do lixo urbano

 

Comissão de Meio-Ambiente: (E/D) Senador Cícero Lucena, Carlos Roberto Vieira Filho, Ronei Alves da Silva e Zilda Veloso

Comissão de Meio-Ambiente: (E/D) Senador Cícero Lucena, Carlos Roberto Vieira Filho, Ronei Alves da Silva e Zilda Veloso

 

 

Apenas 3% dos resíduos sólidos produzidos nas cidades brasileiras são reciclados, apesar de 1/3 de todo o lixo urbano ser potencialmente reciclável. E mesmo o reaproveitamento desse pequeno volume só é viabilizado pelo esforço de catadores, que enfrentam a falta de apoio do poder público e o desconhecimento da população quanto à separação do lixo.
A situação foi apresentada em debate nesta quarta-feira (23) na Subcomissão Temporária de Resíduos Sólidos, ligada à Comissão de Meio Ambiente, Defesa do Consumidor e Fiscalização e Controle (CMA).

Conforme Carlos Roberto Vieira Filho, diretor da Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais, o país produz 63 milhões de toneladas de resíduos sólidos por ano, sendo o quinto maior gerador de lixo urbano.
O diretor conta que o brasileiro produz 383 quilos de lixo per capta por ano, volume que cresceu 21% nos últimos dez anos, enquanto a população brasileira aumentou 9,6% no mesmo período. Carlos Roberto informou que 60% dos municípios brasileiros têm “alguma iniciativa” de coleta seletiva.

– No entanto, isso não significa que tenham coleta seletiva em todo o território ou que tenham programa formalizado porta a porta, mas apenas que o município está aberto ao tema – observou.
A distância entre a teoria e a prática foi exemplificada por Roney Alves da Silva, representante do Movimento Nacional dos Catadores de Materiais Recicláveis. Conforme afirmou, o material proveniente da coleta seletiva em Brasília é despejado em lixões e lá os catadores fazem a coleta do material a céu aberto e sem estrutura adequada.

– Coleta seletiva não é só pintar o caminhão de verde. É a população separar seus resíduos em casa e, em dias alternados, recolher os secos e os orgânicos, destinar os perigosos para pontos de coleta específicos e assim por diante. Infelizmente isso não aconteceu. Hoje a coleta seletiva vai para o Lixão da Estrutural, onde o material é separado pelos catadores, se houver chuva, na chuva, e se houver sol, é no sol – disse

Leia a Íntegra:

Sem vontade política, Brasil recicla apenas 3% do lixo urbano

* Fonte: Agência Senado

Recife/Vida: O Renascimento da Rua da Glória * – Colaboração de Jacques Ribemboim

 

Recife »

O renascimento da Rua da Glória

 

Imóveis do endereço estão sendo reformados e transformados em locais de confluência cultural e convivência

 

A rua que convida traz vida. Essa é a filosofia de um movimento, ainda tímido, que começou a despontar na Rua da Glória no final do ano passado

A rua que convida traz vida. Essa é a filosofia de um movimento, ainda tímido, que começou a despontar na Rua da Glória no final do ano passado

 

A rua que convida traz vida. Essa é a filosofia de um movimento, ainda tímido, que começou a despontar na Rua da Glória no final do ano passado. Formado por intelectuais e artistas, o grupo tem a proposta de resgatar a história da via – e de outras adjacentes a ela, como a Rua Velha e a Rua da Alegria – através da ocupação residencial e artística da área. Inicialmente, essas pessoas buscam devolver a dignidade da Rua da Glória a partir da recuperação dos seus espaços privados. As casas abandonadas, muitas delas de posse da Santa Casa da Misericórdia, começaram a ser alugadas e reformadas para serem transformadas em locais de convivência e confluência cultural, numa tentativa solidária e ainda solitária de resistir ao abandono e à depredação do patrimônio.

Quando o ator e designer de móveis antigos, Jorge Clésio, chegou à casa de número 300, em setembro do ano passado, o imóvel parecia um cenário de guerra. “Houve uma invasão e o morador que se instalou conseguiu destruir tudo.

O telhado estava quebrado, não existia quintal e tinha muito lixo e sujeira por toda parte”, lembra. De uma energia azul, segundo sua própria definição, a casa hoje tem vida. “Desde que vim morar aqui fiz várias reformas. Levantei uma parede, reestruturei o telhado, pintei. Agora estou recuperando os azulejos da fachada, boa parte deteriorados, e refazendo o mezzanino, que já nem existe mais. Quero devolver a essa casa a dignidade que ela teve outrora”, pontua Clésio.

Ele não chegou à Rua da Glória por acaso. Veio através de vivências na residência de número 310, de um casal de amigos: o artista plástico Rinaldo Silva e a jornalista Germana Accioly. Foram eles, aliás, os precursores desse “movimento” e os responsáveis por “apresentar” a Glória a outros artistas. No dia em que a reportagem apurava a matéria, um grafiteiro alemão trabalhava no ateliê de Rinaldo e um grupo capturava imagens para ilustrar um CD.

 

“Compramos essa casa para ser um ateliê há 14 anos..." - A jornalista Germana Accioly é a uma das precussoras do movimento que pretende mudar o cenário da rua. Foto: Paulo Paiva/DP/D.A Press

“Compramos essa casa para ser um ateliê há 14 anos…” – A jornalista Germana Accioly é a uma das precussoras do movimento que pretende mudar o cenário da rua. Foto: Paulo Paiva/DP/D.A Press

 

 

 

“Compramos essa casa para ser um ateliê há 14 anos. Após avaliarmos se valeria a pena morar aqui, decidimos habitar um imóvel que era nosso, apesar de todos os problemas existentes na rua, e também para encontrar o nosso modo de viver. No começo, percebíamos que os outros moradores estranhavam. Mas hoje, quando toco piano, vizinhos param na janela para ouvir”, conta Germana. Outras cinco casas foram ocupadas por artistas e algumas transformadas em ateliê. “Numa militância cidadã, queremos humanizar essa rua aos poucos, restaurá-la, convidar as pessoas a visitá-la e a conhecer sua história. A Glória tem muita coisa a nos dizer”, ressalta Germana.

Foi inspirado no saudosismo e na arquitetura das muitas casas abandonadas e invadidas, que o artista plástico Giuliano Calife montou seu ateliê na Rua da Glória. A sua relação com o lugar, aliás, vai bem mais além de uma simples admiração: lá também abriga a história de sua família. “A casa onde hoje funciona o ateliê foi um dia a casa do meu avô e tem um apelo emocional”, confessa. Calife, no entanto, ainda não se apoderou do local enquanto moradia, apesar de desejar isso. “Ao lado da minha casa tem uma caindo. A minha também estava quando cheguei lá. Tinha sido invadida e estava com o telhado no chão. Quando meu avô morava aqui, essa rua era linda. Hoje só tem lixo e esgoto estourado. E nós queremos mudar essa realidade.”

* Fonte: Rosália Vasconcelos/Diário de PE

 

Brasil: Câmara APROVA Regulamentação das Guardas Municipais *

 

Câmara aprova projeto que

regulamenta as guardas municipais

 

Projeto que trata do funcionamento das guardas municipais foi aprovado pelo Plenário da Câmara.

Projeto que trata do funcionamento das guardas municipais foi aprovado pelo Plenário da Câmara.

 

O Plenário da Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira o Projeto de Lei 1332/03, do deputado Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP), que regulamenta a criação e o funcionamento das guardas municipais, permitindo o uso de arma de fogo nos casos previstos no Estatuto do Desarmamento (Lei 10.826/03).

O texto aprovado é o de uma subemenda do relator pela Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado, deputado Fernando Francischini (SDD-PR), que incorporou negociações com os partidos e o governo. A matéria será enviada ao Senado.

Nos termos do Estatuto do Desarmamento, o porte de arma aos guardas municipais será permitido nas capitais dos estados e nos municípios com mais de 500 mil habitantes; e em cidades com mais de 50 mil e menos de 500 mil habitantes, quando em serviço.

O direito ao porte de arma poderá ser suspenso em razão de restrição médica, decisão judicial ou por decisão do dirigente com justificativa.

Efetivo total

Segundo o texto, a guarda municipal não poderá ter efetivo maior que 0,4% da população do município com até 50 mil habitantes. Nas cidades com população maior que 50 mil pessoas e menor que 500 mil, o efetivo mínimo será de 200 guardas; e o máximo, de 0,3% da população. Para municípios com mais de 500 mil habitantes, o índice máximo será de 0,2% da população.

Competências

Segundo o texto aprovado, a competência geral das guardas municipais é a proteção dos bens, serviços, ruas públicas e instalações do município.

Entre as competências específicas, destacam-se: cooperar com os órgãos de defesa civil em suas atividades; colaborar com os órgãos de segurança pública, inclusive em ações preventivas integradas; e atuar com ações preventivas na segurança escolar. Entretanto, as guardas municipais não podem ser sujeitas a regulamentos disciplinares de natureza militar.

Requisitos

A criação de guarda municipal deverá ocorrer por lei, e os servidores deverão ingressar por meio de concurso público. Para ingressar na guarda, o candidato deve ter nacionalidade brasileira; nível médio completo; e idade mínima de 18 anos.

Corregedoria

Em municípios nos quais a guarda tenha mais de 50 servidores e naqueles em que se use arma de fogo, o texto determina a criação de uma corregedoria para apurar as infrações disciplinares.

Todas as guardas deverão possuir ouvidoria independente para receber, examinar e encaminhar reclamações, sugestões e denúncias.

Íntegra da Matéria:

Câmara aprova projeto que regulamenta as guardas municipais

Íntegra da proposta:

* Fonte: Agência Câmara Notícias

Canetadas/Pesqueira: Uma Cena Cultural Permanente – Por Jurandir Carmelo *

Canetadas

 

Editado e lançado em abril de 1980 em homenagem ao Centenário de Pesqueira

Editado e lançado em abril de 1980 em homenagem ao Centenário de Pesqueira

Na minha página do Facebook vejo um comentário do amigo Ciro de Brito Miranda, em cima de uma postagem na qual destaco uma nota do saudoso amigo Dr. Luiz Wilson de Sá Ferraz.

Eis a nota: PESQUEIRA/PE, 20/04/2014 > NOTAS SOLTAS, EM HOMENAGEM AOS 134 ANOS DE PESQUEIRA. VELHAS IGREJAS DE PESQUEIRA > (Luiz Wilson – Livro Pesqueira Secular, página 99).

(…) O primeiro templo de Pesqueira, de tantas reminiscências de minha Meninice, foi a Igrejinha de Nossa Senhora Mãe dos Homens. Mandou-a construir em 1802 (v. Zeferino Galvão, ANTOLOGIA, obra citada em outro local destas notas), o Capitão – Comandante e depois Sargento-Mor e Capitão-Mor de Ararobá, Manuel José de Siqueira, em sua Fazenda Poço da Pesqueira. Ficava vizinha a dois antigos sobrados, ainda do tempo daquela velha fazenda, transformados em 1919 ou em 1920 por D. José, em seu Palácio Episcopal. É o mais histórico dos templos da “cidadezinha” e diz-se que ali foi sepultado o Capitão-Mor, Manuel de Siqueira (…).

O comentário bem articulado do Dr. Ciro Miranda remete-me a dar algumas explicações em relação à autoria do livro Pesqueira Secular, bem assim, relacionado ao local do evento.

Eis o comentário: Ciro Brito Miranda O médico e escritor Luiz Wilson, ao qual assisti o lançamento de seu livro Pesqueira Secular, no Gabinete Português de Leitura, na Rua do Imperador, em Recife, quando eu tinha 17 anos, foi o maior historiador de Pesqueira. Esse e outros livros fazem parte do grande momento intelectual vivenciado por Pesqueira em seu Centenário, cujo legado permanece até hoje.

Eis as explicações: O livro “Pesqueira Secular – Crônicas da Velha Cidade”, não é de autoria do Dr. Luiz Wilson da Sá Ferraz (médico-escritor, então pertencente à Academia de Médicos Escritores de Pernambuco). Pesqueira Secular reúne em suas 273 páginas, mais alguns encartes sem numeração de fotos sobre Pesqueira e seus eventos, uma coletânea de crônicas de pessoas da nossa comunidade, tendo sido coordenado pelos pesqueirenses Pedro Santa Cruz, Potiguar Matos, Aloísio Falcão, Nivaldo Burgos e Silvio Lins.

Na realidade o livro foi lançado, em primeira mão, em 1980, com edição comemorativa do 1º Centenário de Pesqueira, em encontro da Colônia pesqueirense no Gabinete Português de Leitura, que fica na Rua do Imperador, no Centro da Capital pernambucana. O Dr. Luiz Wilson teve a sua colaboração assentada às folhas 106/108, com o título “VELHAS IGREJAS DE PESQUEIRA”.

Abaixo, para maiores e melhores esclarecimento segue a relação dos que participaram, na sequência de suas páginas e temas, a saber:

Pesqueira Secular (Crônicas da Velha Cidade) > Edição Gráfica Santa Cruz – Recife/PE – 1980, Edição comemorativa do 1º Centenário de Pesqueira 1880/1980, apresentação feita pelo saudoso professor e homem de letras, o pesqueirense Potiguar Matos.

Eis a coletânea de crônicas e artigos sobre Pesqueira:

“O COMEÇO” (Nelson Barbalho – páginas 29/32) > Nelson Barbalho retrata na sua crônica “O COMEÇO”, o período de quando os Holandeses passaram pelo sertão do Ararobá atrás das minas de salitre, mas dizendo que a mesma já conhecida dos portugueses, inclusive de João Fernandes Vieira, chefe único de guerra contra os batavos depois do retorno de Maurício de Nassau à Holanda em 1644. (…).

Faz referências ao Padre João Duarte do Sacramento, de sua viagem a cavalo, pelo vale do Capibaribe, atingindo as suas cabeceiras, a descida pelo vale do Ipanema até a chegada ao São Francisco. (…)

Mais adiante ensina Barbalho que incentivado pelo governador Brito Freire, o padre João Duarte do Sacramento volta a subir o vale do Capibaribe e o Ararobá, onde funda algumas aldeias indígenas, entre as quais destaca-se a de Nossa Senhora das Montanhas ou Aldeia de Ararobá, nas cabeceiras do rio Capibaribe, fundada em 1669, que se tornou vila em 1762, Vila de Cimbres e deu origem à atual cidade de Pesqueira, em Pernambuco. (…)

Nota: Muito boa leitura da crônica de Nelson Barbalho, e faz sentido quando a intitulou de “O COMEÇO”.

“POÇO DO PESQUEIRO, PESQUEIRA” > (Silvio Lins – páginas 33/41) > Silvio Lins, pesqueirense e economista, faz “breve relato da formação histórica e econômica do Município de Pesqueira, com uma descrição de suas potencialidade e algumas proposições em face de suas perspectivas futura” (…).

Nota de Canetadas: O trabalho do economista Silvio Lins oferece um conjunto de sugestões, cujas ações se houvesse sido observadas teria elevado Pesqueira a outra situação, com retomada do seu desenvolvimento.

E ASSIM SEGUE PESQUEIRA SECULAR (Daqui por diante sem comentários):

“SOLOS DO MUNICÍPIO DE PESQUEIRA: UM POUCO DE HISTÓRIA E UM DESAFIO DE GERAÇÃO A GERAÇÃO” > (Nivaldo Burgos – páginas 42/45);

“PESQUEIRA: O MEIO E A CIVILIZAÇÃO” > (Moacyr Britto de Freitas – páginas 47/54);

“PESQUEIRA: EVOLUÇÃO HISTÓRIA DO SETOR EDUCACIONAL” > (Nair Falcão de Carvalho – páginas 55/64);

“A IMPRENSA NA HISTÓRIA DE PESQUEIRA” > (Padre José Maria da Silva – páginas 65/98);

“VELHAS IGREJAS DE PESQUEIRA” > (Luiz Wilson de Sá Ferraz – páginas 99/108);

O CRISTO REI E PESQUEIRA” > (Givanildo Paes Galindo – páginas 109/118);

“SEMINÁRIO: TEMPO E ILUSÃO” > (José Carlos Cordeiro Freire – páginas 119/ 122);

“O SANTA DOROTEIA” > (Zuleide Siqueira – páginas 123/128);

CONVENTO DOS FRANCISCANOS” > (Frei Luciano Maciel Pinheiro – páginas 127/128);

“A DIOCESE DE PESQUEIRA NO PRIMEIRO SÉCULO” > (Padre José Maria da Silva – páginas 129/144);

“AQUI FALA … O S.A.P” (Laurene Martins – páginas 145/148);

“TEATRO E MÚSICA” > (Nelson Valença – páginas 149/154);

PESQUEIRA ERA ASSIM” > (Eugênio Maciel Chacon – páginas 155/172);

“A CIDADE AMADA, CRÔNICA EM TRÊS TEMPOS” > (Potiguar Matos – páginas 173/178);

“PESQUEIRENSES DE OUTRORA” > (Aloísio Falcão – páginas 179/192);

“A RONDA DA SAUDADE” > (José Figueiredo Matos – páginas 193/198);

“DOIS EPISÓDIOS DA VIDA PESQUEIRENSE” > (Genésio Rosas – páginas 199/208);

“EVOCAÇÕES NUM CENTENÁRIO” > (Jarival Cordeiro – páginas 209/210);

“PESQUEIRA” > (Oton Augusto de Almeida – páginas 211/216);

“INFLUÊNCIA DO DR. LÍDIO NA SOCIEDADE DE PESQUEIRA” > (páginas 217/222);

“ÁLBUM SENTIMENTAL” > (Otacílio Gomes Cavalcanti – páginas 223/226);

“ASPECTOS PESQUEIRENSES” > (Rinaldo Jatobá – páginas 227/230);

“COPIRRAITE” (Aos 100 anos da minha jovem Pesqueira de Sant’Águeda – EVOCAÇÃO ANO 100”) > (Luiz Neves – páginas 231/248);

“REMINISCÊNCIA DE UMA CIDADE CENTENÁRIA” > (Eronides L. Galindo – páginas 249/254);

“POEMAS PARA PESQUEIRA” > (Antonio Xavier de Carvalho – páginas 255/260);

“CIDADE SERRANA” > (Anísio Galvão > Transcrito do seu livro VIDA QUE CORRE – 1925, páginas 261/262);

“SERRA DO ORORUBÁ” > (N. V. de Carvalho – “transcrito DE A VOZ DE PESQUEIRA – Edição de 21.08.1955”, páginas 263/266);

“POEMA DA CIDADE” > (Elyseu Araújo, páginas 267/268);

“PESQUEIRA CENTENÁRIA” > (Lauro Cysneiros, páginas 269/273).

Nota de Canetadas: O livro do Dr. Luís Wilson é intitulado de “ARAROBÁ LENDÁRIA E ETERNA > (Notas Para A História De Pesqueira)”, lançado em comemoração, também, ao 1º Centenário de Pesqueira, com Edição da Prefeitura Municipal de Pesqueira, sendo prefeito do centenário, o saudoso Eutrópio Monteiro Leite. Contém o livro 451 páginas e vários encartes com fotografias. (O livro foi impresso na Companhia Editora de Pernambuco – CEPE – Recife, 1980).

Outra nota: Pesqueira teve no passado um trabalho muito bom de jornais, revistas, livros, teses, monografias, fotografias, mapas cartográficos, vídeos, etc.

Aqui há de se perguntar: Para onde vai esse rico acervo cultural? É preciso que seja criado o ARQUIVO PÚBLICO DO MUNICÍPIO DE PESQUEIRA. É preciso cuidar da história da nossa terra e da nossa gente. Pesqueira tem uma história fantástica que deve ser preservada, resgatada, através da republicação de livros. Livros importantes como os de Zeferino Galvão, José de Almeida Maciel, Luís Wilson, entre outros.

ÚLTIMA NOTA DE CANETADAS:

Padre José Maria da Silva, com a crônica “A IMPRENSA NA HISTÓRIA DE PESQUEIRA, em notas e pesquisa bem articuladas, tendo por base o trabalho do saudoso médico-escritor, Dr. Luiz Wilson, que por sua vez utilizou o trabalho do jornalista Luiz do Nascimento, gravataense de nascimento, amigo do velho Paulo de Oliveira (meu saudoso Pai), os quais, juntamente com outros jornalistas pernambucanos, participaram da fundação da Associação de Imprensa de Pernambuco – AIP. O trabalho de Luiz do Nascimento intitulado HISTÓRIA DA IMPRENSA DE PERNAMBUCO, faz o mais autêntico relato sobre a imprensa pesqueirense. O saudoso padre José Maria, para a elaboração de suas notas retratou bem essa importância, inclusive citando diversos jornais entre outros jornais GAZETA DE PESQUEIRA (Zeferino Galvão); CORREIO DE PESQUEIRA (Propriedade dos irmãos Cândido e Joaquim de Britto, sendo Redator Chefe Peixoto Sobrinho e Adjunto o jornalista Paulo de Oliveira, meu saudoso pai); A VOZ DE PESQUEIRA, do jornalista Eugênio Chacon; A FOLHA DE PESQUEIRA, do jornalista Paulo de Oliveira); os jornais ERA NOVA e NOVA ERA, da Diocese de Pesqueira, entre outros.

Gazeta de pesqueira 1904 - cabeçalho

jurandir carmelo foto recente

* Autor: (Por Jurandir Carmelo – Pesqueira/PE, 22/04/2014). Jurandir é pesqueirense, advogado, jornalista, colaborador do OABELHUDO, cronista e militante ah doc das causas e coisas pesqueirense,

Judiciário/STF: Ministra Rosa Weber determina: CPI EXCLUSIVA PARA APURAR CASO DA PETROBRÁS *

 

Rosa Weber determina

instalação de CPI exclusiva

da Petrobrás

 

A ministra Rosa Weber, que decidiu sobre os pedidos de CPI apresentados por governo e oposição

A ministra Rosa Weber, que decidiu sobre os pedidos de CPI apresentados por governo e oposição

 

 

 

Rosa Weber atendeu a pedido formulado por senadores da oposição. Governistas queriam ampliar abrangência da CPI; cabe recurso ao plenário.

Como a decisão sobre a instalação da CPI foi tomada individualmente pelaministra Rosa Weber, a direção do Senado poderá apresentar um recurso pedindo que o caso seja analisado pelo plenário do STF.

No entanto, não há prazo para que o eventual recurso entre em pauta, o que na prática deve obrigar o Senado a instalar a CPI exclusiva da Petrobras. 

 

A ministra do Supremo Tribunal Federal (STF) Rosa Weber determinou na noite desta quarta-feira (23) que o Senado instale uma CPI exclusiva para investigar supostas irregularidades na Petrobras.

Rosa Weber atendeu a pedido de parlamentares da oposição, que queriam ter garantido o direito de uma comissão específica para investigar denúncias sobre a estatal, que incluem a compra de uma refinaria no Texas (EUA), suspeita de superfaturamento, e pagamento de propina a funcionários.

A decisão da ministra é liminar (provisória) e valerá até que o plenário do Supremo decida sobre o tema. “Defiro em parte a liminar, sem prejuízo, por óbvio, da definição, no momento oportuno, pelo Plenário desta Suprema Corte”, disse a ministra na decisão.

Recursos

Os governistas ainda podem recorrer ao plenário do Supremo. O senador Humberto Costa (PE), líder do PT no Senado, afirmou ao G1 que pelo menos dois recursos devem ser impetrados – um, pela senadora Ana Rita (PT-ES) e outro pelo presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), que também é contrário a uma CPI exclusiva da Petrobras.

* Fonte: G1/FSP

Eleição 2014/Arcoverde: Prefeita Madalena (PTB) diz que apoiará o Candidato Paulo Câmara do PSB *

 

CONFIRMADO:

Madalena vai apoiar Paulo Câmara

 

Deu palpite simples: prefeita Madalena Freire apoiará o candidato de Eduardo Campos,  Paulo Câmara

Deu palpite simples: prefeita Madalena Freire PTB apoiará o candidato de Eduardo Campos, Paulo Câmara PSB

 

 

Depois de cerca de 2hs de reunião à portas fechadas em seu gabinete, a Prefeita Madalena Brito (PTB) comunicou oficialmente na tarde desta quarta-feira (23), aos vereadores de sua bancada: Luciano Pacheco, Warley Amaral, Luiza Margarida, Paulinho, Everaldo Lira, Siqueira e Joel Filho que irá apoiar a chapa completa do PSB, Paulo Câmara para governador, Fernando Bezerra Coelho para o Senado e Eduardo Campos para Presidente.

Aos vereadores a prefeita justificou sua posição dizendo que Arcoverde foi beneficiada com muitas obras durante o governo de Eduardo Campos: (Escola Técnica, UPAE, Adutora de Arcoverde, 100% saneamento do município, estrada de Ipojuca, Bolsas do Proupe, 4 escolas de referência, construção da unidade do Corpo de Bombeiros, nova unidade da Funase, construção da sede da UPE e o FEM com 3 milhões e 600 mil).

Paulo Câmara terá ainda em Arcoverde o apoio dos ex-prefeitos Julião Guerra, Rui de Barros e Rosa Barros, além da vereadora Célia Cardoso e Eduíno Brito que fazem parte da oposição ao governo Madalena Brito. ” Não vou me juntar a oposição, Paulo Câmara fará eventos políticos separados quando estiver no município”, disse a prefeita na reunião.

Madalena Brito é a principal liderança política do PTB em Arcoverde e governa o município com altos índices de popularidade.

Madalena se junta ao prefeito de Gravatá, Bruno Martiniano, e ao prefeito de Jucati, Gerson Henrique, como gestores municipais petebistas que não vão apoiar o próprio partido, para dar suporte à candidatura do PSB. Além deles, outras cinco lideranças municipais do PT, que fará parte da chapa petebista, também já anunciaram o apoio à Paulo Câmara.

* Fonte: Arcoverde News (Dárcio Rabêlo)

Artigo/Opinião: Ser e Tempo – “O permanente do pensamento é o caminho…” Por Ivonaldo Leite *

tempo relogio

SER NO TEMPO:

DISTÂNCIA DO PRESENTE

 

 

 

O alemão bradou alles nahe werde fern - “Tudo que é próximo se afasta”. Ao dizer assim, Goethe referia-se ao crepúsculo do cair da tarde, mas, como bem notou Jorge Luís Borges, o axioma gotheano pode ter como endereço a própria vida, às perdas que ela impõe a todos ao longo dos tempos. Privado da visão, na escuridão da cegueira, Borges foi emblemático: “Ao entardecer, as coisas mais próximas já se afastam de nossos olhos. (…) Todas as coisas vão-nos deixando. A velhice deve ser a suprema solidão, salvo que a suprema solidão é a morte”.

Por certo, é melancólico que o mundo visível se tenha afastado dos olhos de Borges quando da manifestação crepuscular de uma existência que, pela sua produção espiritual, negava o perecer e o sagrava pela consagração da sua obra. Ser e tempo. Neste particular, ponto para Heidegger. Todos nós estamos, de fato, na possibilidade de recorrer à vontade e à inteligência para conduzir as emoções; isso prova uma certa primazia do querer e do saber sobre o sentir. Contudo, esse recurso à inteligência e à vontade não nos deve levar ao erro de negar que estamos primeiro no sentimento. A existência-no-mundo é uma grande emoção: é o sentimento de estar atirado numa situação que nos parece desviada de nossa verdade e tremendamente perigosa. Ao que se nos apresenta a trilha a seguir.

O permanente do pensamento é o caminho. Nos caminhos do pensamento, escondem-se as possibilidades misteriosas de nele podermos avançar retrocedendo, de o próprio caminho de retorno nos conduzir para adiante. Na penumbra da sua luz, o pensamento vê a realidade iluminada. E nós, habitantes de sua iluminação. Mas a sua pouca luz, em vez de sossegar, inquieta a nossa ignorância, afinal é próprio do pensamento estar em dúvidas e cheio de enigmas. O presente do que estava próximo, do que foi, passou, e agora, distantes, olhamos o ser no tempo pretérito indagando-nos a respeito do que ocorreu, sob o impulso dos raios de luz emanados do ato de pensar.

A sobrevivência de uma realidade finita, que para trás ficou, atormenta o pensamento por ainda revelar o sentido do ocorrido. Nostálgica angústia. Mas este é um estado que, antes de qualquer coisa, abre-nos o mundo enquanto mundo, a experiência da existência. Assim, o termo existir torna-se sinônimo de ser-no-mundo, não constituindo, no fundo, senão outro nome para exprimir o que Husserl entende pela intencionalidade da consciência, ao defini-la como vida que experimento o mundo (Weltfahrends Leben). A existência não se esgota na compreensão do viver necessariamente na circunstância mundo, nem na compreensão do risco do ganhar ou perder. Ela ainda se compreende como ser-para-o-fim, que se abre para outro porvir, transcendendo o seu em si. Busca de conhecimento.

Conhecer é então um modo do ser-no-mundo. É pelo conhecimento que o ser bruto ascende ao plano da existência, estando a nossa consciência pressuposta na da existência no mundo. Esta, portanto, não é um lugar, um espaço onde somos colocados, onde nos movemos de lá para cá, onde subimos e descemos. A existência no mundo é, primordialmente, uma forma de inerência com as coisas que vêem ao nosso encontro.

Em boa verdade, o mundo é uma espécie de grande tabuleiro do jogo da vida. Nele as coisas veem à luz, revelam-se, e cada ente é um lance diferente. O ser-no-mundo, no dizer de Kant, é o que sabe das relações com os outros e com o que está acontecendo na vida humana. Assim, estar bem no mundo, significa ter um comportamento de alcance universal.

Fundamentalmente, enfim, existir no mundo, como modo de inerência com as coisas, é uma forma de saber, de visão, uma clareira envolvente, que nos aproxima e nos distancia do contexto onde estamos situados. O distanciamento permanente da realidade do momento, do presente. Tudo que é próximo se afasta…

Ivonaldo Leite blog SAM_2804

* Autor: * Ivonaldo Leite - IVONALDO NERES LEITE é pesqueirense, residente em João Pessoa, historiador e sociólogo, tendo obtido o Ph.D na Universidade do Porto/Portugal.  É colaborador do OABELHUDO, Professor da Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Tem sido Professor Convidado em universidades latino-americanas e europeias. Como Pesquisador, tem desenvolvido projetos sobre educação, desenvolvimento e meio ambiente, no âmbito institucional do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

Comportamento/Saúde Pública: Conselho de Veterinária desencadeia campanha “Segurança de Alimentos” * – Colaboração de Lidinho Cintra

CONSELHO REGIONAL DE

MEDICINA VETERINÁRIA

 

crmv-rs

CRMV-RS lança campanha

“Segurança de Alimentos”

Ação busca informar à população sobre a atividade do médico veterinário nas etapas de produção do alimento de origem animal

 

 

alimentos-funcionais-21-300x300

 

 

 

Importante fonte de proteínas para os seres humanos, os produtos de origem animal – carne, ovos, leite, mel e pescado – devem receber cuidados indispensáveis antes de serem consumidos.

Um dos únicos profissionais presentes em todas as etapas de produção do alimento oriundo de animais é o médico veterinário. Ele atua no cuidado com os rebanhos – manejo, alimentação e genética, na inspeção dos animais – em matadouros e frigoríficos, no processamento do alimento – na indústria e, por fim, no controle do produto – nos pontos de venda.
Com o propósito orientar a população sobre o envolvimento do médico veterinário no processo de fabricação do alimento de origem animal é que o Conselho Regional de Medicina Veterinária do RS (CRMV-RS) lançou a campanha “Segurança dos Alimentos”.

Com o slogan “Médico Veterinário = Alimento + Qualidade + Saúde” a ação busca informar o longo processo que produto de origem animal passa até chegar diariamente à mesa da população. Além disso, a campanha alerta a sociedade para que fique vigilante e não consuma produtos que não apresentarem condições necessárias para a ingestão.

O consumo de alimentos contaminados por bactérias ou toxinas pode acarretar em toxinfeccções alimentares — enfermidades ocasionadas por infecção ou intoxicação alimentar. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 30% da população dos países industrializados sofrem com doenças de origem alimentar. Segundo estimativas da OMS, mais de 2 milhões de pessoas morrem por doenças diarreicas todos os anos. Em sua maioria são provindas de alimentos contaminados.

De acordo com o presidente do CRMV-RS, Rodrigo Lorenzoni, antes de o alimento de origem animal chegar à mesa, ele passa por um longo processo. “Para garantir a qualidade da carne, leite, ovos, mel e pescado, é imprescindível a presença e o acompanhamento de todas as etapas por um médico veterinário”, completa.

* Fonte: (CRMV – RS ) (Assessoria de imprensa)

História/Curiosidades: As Origens Judaicas da Família Almeida * – Colaboração de Leonor Medeiros

 

Origens judaicas da família Almeida

 

Família que emigrou para o Brasil. Futuros Almeidas

Família que emigrou para o Brasil. Futuros Almeidas

 

 

Almeida é sobrenome de comprovada origem judaica sefaradim e anussim. foi adotado pelos judeus que viviam na região denominada de Espanha Muçulmana, que compreendia os territórios da península Ibérica que ficaram em poder dos árabes e mouros do século VII ao século XV, sendo por este motivo que tal sobrenome apresenta sua origem na língua árabe.

Eles adquiriram tal forma e foi adotado por uma antiga família judaica sefaradita,como um tipo de disfarce a fim de seus membros escaparem das perseguições da futura inquisição da igreja católica

Eles adquiriram tal forma e foi adotado por uma antiga família judaica sefaradita,como um tipo de disfarce a fim de seus membros escaparem das perseguições da futura inquisição da igreja católica

Eles adquiriram tal forma e foi adotado por uma antiga família judaica sefaradita,como um tipo de disfarce a fim de seus membros escaparem das perseguições da futura inquisição da igreja católica; e por conta diste , de fato, poucos membros da família Almeida caíram nas garras da diabólica inquisição.
O disfarce adotado consistiu no fato dessa família transliterara seu sobrenome árabe Al Beytar, aproveitando do fato de que tanto em árabe como em hebraico e aramaico, línguas de amplo conhecimento dos judeus, ocorrerem o mesmo fenômeno que acontece nas línguas portuguesa e espanhola em se trocar M por B, bem como B por V. Por isso eles associaram o seu sobrenome árabe Al Beytar a localidade portuguesa de Almeida,dando a entender as autoridades inquisitórias que sua família era de origem cristã velha, e não moura nem judaica, quando de fato, seus membro eram secretamente judeus sefaradim. 
A origem da formação desse sobrenome do ponto de vista linguístico esta associado ao fato de que ela e formada pela junção da partícula árabe‘ AL”, que corresponde aos artigos ” A,O,AS, OS”, na língua portuguesa, mais a palavra árabe ”BEYTAR”, que dependendo da origem da pessoa que o pronúncia também admite as variantes BEYDA e MEYDA. Na língua árabe , essas palavras significam BRANCO, no sentido de cor da pele.

Leia também:

* Fonte:Coisas Judaícas

Crônica/Homenagem: 23 de Abril – Dia Nacional do Choro. Salve Pixinguinha! – Por Walter Jorge de Freitas *

O CHORO

Pixinguinha foto antiga

 

 

Salve, salve ALFREDO DA ROCHA VIANNA JÚNIOR  - Pixinguinha

A chegada da Família Real Portuguesa ao Brasil em 1808, provocou mudanças sociais, econômicas, políticas e culturais. Com a Corte, vieram funcionários e familiares que trouxeram para cá instrumentos e hábitos musicais diferentes daqueles que já eram executados aqui.

A música instrumental já existia no nosso território, pois os indígenas muito antes, já usavam flautas, cornetas, taquaras, trompas, cabaças e outros instrumentos feitos de madeiras ocas e outros materiais.

Aos poucos, notava-se a presença do sotaque brasileiro na maneira de tocar os instrumentos e os ritmos trazidos pelos europeus, até que em 1845, no Teatro Imperial de S. Pedro (atual Pedro Caetano), aconteceu a primeira apresentação musical da polca como dança.
Foi assim que provavelmente surgiu o CHORO, com influências mais diretas da polca e do lundu. A polca virou moda. Era só que se dançava e se tocava nos encontros e rodas musicais realizados na cidade do Rio de Janeiro.

Atribui-se a JOAQUIM ANTÔNIO DA SILVA CALLADO JÚNIOR (1848-1880) a façanha de ter introduzido o CHORO no cenário musical brasileiro a partir de 1870, mais ou menos. Foi CALLADO, flautista e compositor, o fundador do primeiro grupo musical do gênero, ao qual se deu a denominação de “O Choro Carioca”. Por ter pertencido à primeira geração de chorões e ter atuado bastante tocando e ensinando essa maneira plangente de executar o choro, recebeu o título de “Pai dos Chorões”.

(Choro de Pixinguinha. Letra de Hermínio Bello de Carvalho, com a divina Elizeth Cardoso)

O DIA DO CHORO é comemorado no dia 23 de abril, em homenagem a PIXINGUINHA (1897-1973) maior expoente da música popular brasileira. Filho de músico, o iluminado instrumentista e compositor deixou verdadeiras joias para enriquecer o nosso cancioneiro. Lamentos, Ingênuo, 1×0, Rosa,Vou Vivendo, Naquele Tempo e Carinhoso são algumas delas.

O CHORO apesar de ter passado uma época meio esquecido, aos poucos, retomou o seu lugar, graças à luta de grandes nomes da música instrumental, seja interpretando ou compondo.

Em Pernambuco o choro é produto de primeira qualidade. Isto tem motivado comentários elogiosos de Ícones como Paulinho da Viola, Pedro Amorim, Maurício Carrilho, Hamilton de Holanda, Henrique Cazes, Guinga, Reco do Bandolim e Luciana Rabello. Marco César, Adalberto Cavalcante, Henrique Annes, Bozó, Dalva Torres, Inaldo Moreira, Carlos Dantas, José Arimatéa e Luiz Guimarães trabalham diuturnamente na divulgação desse gênero que teve João Pernambuco, Rossini Ferreira e Luperce Miranda como precursores.

(Paulo Moura e os Batutas numa sequencia inesquecível: Ingênuo, Lamentos e Carinhoso)

Não devemos esquecer a importância dos clubes do choro em algumas cidades brasileiras e a existência de escolas como a Portátil de Música do Rio de Janeiro e a que funciona na sede da Cruzada Feminina de Pesqueira, de onde estão surgindo verdadeiras promessas, justificando, assim, a fama de “berço” de grandes “chorões”.

BIBLIOGRAFIA:

(Dicionário Cravo Albin da MPB).
Encartes de CDs (inúmeros)
Agenda do Samba & Choro.

 

Pesqueira, 23 de abril de 2014

 

walter-J-Freitas II

 

 

* Autor: Walter Jorge de Freitas – Walter é pesqueirense, comerciante, professor, colaborador do OABELHUDO, cronista, poeta e pesquisador musical. (Vídeos Youtube)

Senado Federal: APROVADO o Marco Civil da Internet *

 

Aprovado no Senado,

marco civil da internet

segue à sanção

 

Com críticas da oposição à pressa para votar a matéria, o Senado aprovou o PLC 21/2014, que estabelece princípios, garantias, direitos e deveres para internautas e provedores da internet

Com críticas da oposição à pressa para votar a matéria, o Senado aprovou o PLC 21/2014, que estabelece princípios, garantias, direitos e deveres para internautas e provedores da internet

Para oposição, marco civil da internet foi aprovado em tempo recorde para agradar Dilma

 

O Senado aprovou sem alterações o marco civil da internet (PLC 21/2014). Embora a oposição tenha firmado a necessidade de mais tempo para discussão sobre o tema, uma manobra regimental do governo possibilitou a inversão de pauta e colocou o projeto como primeiro item da Ordem do Dia desta terça-feira (22). O interesse da base foi a aprovação rápida e sem emendas para que o projeto vire lei durante o seminário Netmundial, que ocorrerá em São Paulo a partir desta quarta-feira (23).

Assim que for publicado, o projeto irá para sanção da presidente da República, Dilma Rousseff. Ele estabelece princípios, garantias, direitos e deveres para internautas e provedores na rede mundial de computadores no Brasil.

Mais cedo, o líder do governo no Senado, Eduardo Braga (PMDB-AM), garantiu que haverá oportunidade de ajustes do texto no futuro, por meio de medida provisória. De manhã, duas comissões permanentes haviam aprovado o projeto – a de Constituição e Justiça (CCJ) e a de Ciência e Tecnologia (CCT). A terceira comissão de mérito pela qual o projeto deveria passar foi a Comissão de Meio Ambiente, Defesa do Consumidor e Fiscalização e Controle (CMA), que deu seu parecer já no Plenário.

O relator ad hoc, Ricardo Ferraço (PMDB-ES), destacou que o projeto é fruto de um amplo ciclo de debates e consultas feitos, inclusive, pela rede de computadores. De acordo com ele, o marco civil foi construído pelos usuários num processo inovador, inclusivo e democrático.

– O resultado foi um texto maduro, equilibrado e inteligente, que balanceia os direitos e obrigações dos usuários – disse Ferraço.

Ele lembrou que hoje os administradores de sites de hospedagem podem retirar conteúdos mediante notificações. A partir da nova lei, isso terá de ser feito apenas por determinação judicial. Na opinião dele, o Brasil está dificultando a ação de hackers e serviços de espionagem de dados e comunicações.

Leia a Íntegra:

Senado aprova marco civil da internet

Projeto de marco civil é exemplo para o mundo, diz o ‘Le Monde’

* Fonte: Agência Senado

Artigo/Opinião: Pesquisas servem para construir estratégias eleitorais. Pesquisas servem para iluminar caminhos *

 

Saudades e eleição

 

 

Pesquisas servem para construir estratégias eleitorais. Pesquisas servem para iluminar caminhos.

 

 

 Pesquisas servem para construir estratégias eleitorais. Pesquisas servem para iluminar caminhos

Pesquisas servem para construir estratégias eleitorais. Pesquisas servem para iluminar caminhos

 

 

 

Três variáveis tradicionais contidas na pesquisa eleitoral orientam as interpretações de diversos atores políticos: 1) Intenção de voto; 2) Avaliação da administração; 3) Nível de conhecimento.

No momento, uma variável encanta tais atores: desejo de mudança. As três variáveis tradicionais são importantes quando consideradas conjuntamente. A variável “desejo de mudança” não consegue, até o instante, revelar o estado de ânimo dos eleitores. Considero-a ilustrativa.

Consta na primeira pesquisa do Instituto de Pesquisa Mauricio de Nassau (IPMN) realizada em abril deste ano uma variável importante para antever o comportamento do eleitorado pernambucano, qual seja: a Saudade. Esta variável foi incluída no questionário por influência da “Antropologia das Emoções” e de Roberto Da Matta.

Indivíduos sentem saudades daquilo com que já conviveram. Saudades de alguma coisa sugerem que os indivíduos têm memória positiva de algo. Neste caso, eleitores têm boas lembranças, e, portanto, sentem saudades do passado e estão atentos ou preocupados com o que virá no futuro.

A hipótese que tenho é que eleitores sentem saudades de governos e por isto tendem a votar na reeleição do atual governante ou no candidato apoiado por ele.

Eduardo Campos não poderá mais ser candidato ao Governo de Pernambuco. Ele deixará saudades ou nenhuma saudade? 42% dos eleitores afirmaram que ele deixará saudades. 26% responderam que ele não deixará nenhuma saudade – IPMN, 04/2014. Tais dados sugerem que o candidato Paulo Câmara, o qual é apoiado pelo ex-governador Eduardo Campos, tende a crescer eleitoralmente.

A possibilidade apresentada surge em razão da seguinte hipótese: as ações do governo Eduardo Campos deixarão saudades, já que 57% dos eleitores aprovaram (ótimo/bom) a sua gestão.

Dois pontos importantes: na capital pernambucana, 41% dos eleitores afirmaram que Eduardo Campos deixará saudades. Em Recife, Paulo Câmara obtém 23% de intenções de voto. Na região do Sertão, 51% dos eleitores afirmaram que desejam votar em Armando Monteiro. Nesta região, 28% dos eleitores frisaram que o governador Eduardo Campos deixará saudades. Portanto, neste instante, a variável “saudade” contribui para explicar o desempenho dos candidatos ao governo de Pernambuco.

Ressalto que a saudade do eleitor para com alguém pode ser desconstruída ou consolidada. Ao considerar o todo da pesquisa do IPMN, constato que parte do eleitorado pernambucano deseja a continuidade. Mas isto não significa, neste instante, que os eleitores tendem a votar majoritariamente no candidato da situação.

Pesquisas servem para construir estratégias eleitorais. Pesquisas servem para iluminar caminhos.

 

 

 

adriano_oliveira_2 c gravata divulgacao

* Autor: Adriano Oliveira é professor e cientista político, Doutor em Ciência Política. Professor da UFPE – Departamento de Ciência Política. Coordenador do Núcleo de Estudos de Estratégias e Política Eleitoral da UFPE. Colaborador do Instituto de Pesquisa Maurício de Nassau. Sócio da Contexto Estratégia

Artigo/Saúde & Bem Estar: Reabilitação Oral – Implante ou Dentadura? – Por Ciro Miranda *

IMPLANTE DENTÁRIO

OU PRÓTESE FIXA

implante dentário duas opçoesimplante-dentario 2    1 opçao

 

 

 

É muito comum as pessoas confundirem prótese fixa com implante dentário. Apesar destes dois tratamentos odontológicos terem por objetivo substituir dentes ausentes, implante dentário e prótese fixa têm algumas diferenças.

O termo prótese significa peça ou aparelho artificial usado para substituir órgão ou parte do corpo e o termo implante significa órgão ou material inserido no organismo humano para exercer uma função.

A prótese fixa utiliza os dentes como suporte para o tratamento protético e a prótese sobre implante, como o nome já diz, utiliza os implantes instalados nos ossos maxilares como suporte para o tratamento protético. Ambos os tratamentos conferem benefícios estéticos e funcionais aos pacientes quando da reposição de dentes danificados ou perdidos, porém a indicação do tratamento fica a cargo do profissional habilitado que escolherá a melhor opção para o paciente, observando aspectos relativos a saúde, hábitos alimentares e condição financeira, entre outros.

Esses dois tratamentos fazem parte da área da odontologia conhecida como Reabilitação Oral, e tem como função a recuperação do aparelho mastigatório humano, devolvendo sua forma e função.

ciro brito miranda

* Autor: Ciro Brito Miranda – Ciro é pesqueirense, cirurgião-dentista, colaborador do OABELHUDO, cronista, político e presidente do diretório municipal do PDT.

Evento/Homenagem: Leonides Caraciolo – 80 Anos *

80 Anos

Leonides de Oliveira Caraciolo

 

Apreciador de festas.Uma das característica desse sanharoense - Leonides Caraciolo

Apreciador de festas.Uma das característica desse sanharoense – Leonides Caraciolo

Leonides Caraciolo de fardãoLeonides e presidentes da APLAS WP_000929Leonides na cavalgada das amazonas de 2007 sanharoLeonides Laurinete WP_000661

Aniversário sem festa. 22 de abril, data do aniversário do Descobrimento do Brasil e do nosso estimado amigo Leonides de Oliveira Caraciolo. Faria hoje, 80 anos. Nasceu num dia domingo e faleceu numa quarta-feira de agosto de 2013.

Integrado à cena cultural de Sanharó, deixou uma marca indelével como historiador e escrevinhador dos nossos acontecimentos. Foi o mentor e o grande baluarte da transformação do acervo deixado pela Rede Ferroviária. Pediu, lutou e conseguiu mudar um cenário degradado em algo relevante, bonito  e útil.

Os prédios estavam abandonados pelo poder público. Havia que dissesse que tudo aquilo era de propósito para que os imóveis caíssem em mãos estranhas ao interesse público. Conseguiu através de emenda do então deputado federal Ricardo Fiuza, verba para fazer a restauração dos dois prédios principais – a estação e o armazém. Se mais não fez é que lhe foi negada oportunidade para isso. Importou, mas não importa mais. partiu sem essa mágoa.

Tinha muitos objetivos e mais projetos de livros. Dentre esses, cito o livro que trata das Famílias Sanharoenses. Um apanhado cuidadoso de A a Z de tudo que ele pode colher, em pesquisa pessoal ou de amigos colaboradores. Leonides não deixou saudade apenas como parceiro de mesa de bar ou do bate-papo no banquinho da pracinha em frente a sua residência. Leonides deixou um vazio que dificilmente será preenchido como divulgador da cultura, da história  dos que fizeram como e porque Sanharó existir.

Levou também o nome da nossa cidade nas suas diversas atividades com engenheiro e como escritor e acadêmico. Tinha especial apreço pela APLA – Academia Pesqueirense de Letras e Artes, onde foi presidente e um carinho bem especial pela Academia Belojardinense de Letras e Artes, que também integrava junto com outros conterrâneos.

Presença obrigatória nas nossas festas. Baile Municipal de Sanharó

Presença obrigatória nas nossas festas. Baile Municipal de Sanharó

Nos nossos encontros etílicos das sextas-feiras, juntamo-nos, eu, Zé Nilson, João Pessoa, o grupo permanente, afora àqueles que eventualmente se juntam a nós, no bar de Lúcia (ex-bar de Célia). Quase que como regra, foi não foi, falamos em seu nome. “João Pessoa; vou sair. tome conta de Paulinho”. Isso me irritava profundamente, mais teimava e repetia toda semana. Hoje faz falta…

Aos que não leram ou que desejam rever, o blog disponibiliza o link de uma crônica que fizemos em outubro, também em sua homenagem.

Crônica / Homenagem : Leonides Caraciolo. Um Boêmio a menos. Uma Saudade a Mais…

 

Paulinho Muniz

Editor do Blog

Eleição 2014/por dentro das Pesquisas: Análises Comparativas e Intuitivas. (Evidências de 104 casos…) *

 

APROVAÇÃO DA GESTÃO E

CHANCES DE REELEIÇÃO

 

 

aprovaçao de gestao mauricio romao

 

 

 

Tornou-se praxe fazer avaliações de governo mediante os indicadores de ótimo e bom extraídos das pesquisas eleitorais. Embora tecnicamente tenha suas impropriedades (basta dizer que deixa de fora as manifestações de “regular” e “ruim e “péssimo”), o fato é que tal mensuração, simples e intuitiva, se consagrou na área político-eleitoral e caiu nas graças do público.

Independente da medida, os especialistas consideram a avaliação de governo, também considerada sinônimo de popularidade do governante, como um dos principais fatores determinantes do voto: incumbentes bem avaliados tendem a ser reeleitos ou a fazer seus sucessores.

Com efeito, há uma correspondência lógica entre avaliação de governo e voto: grande parte das manifestações positivas de ótimo e bom que os eleitores conferem ao executivo transforma-se em votos. Daí, quanto mais elevada a avaliação da gestão, maior é a quantidade de votos recebida pelo governante candidato ou pelo seu indicado.

O inverso também prevalece: baixas avaliações positivas derrubam as intenções de voto e, depois, as decisões de voto. O desejo de mudança se sobrepõe ao de continuidade.

Na pré-campanha eleitoral deste ano a presidente Dilma Rousseff, sob esse indicador popular de ótimo e bom, está tendo problemas junto aos eleitores, quando sua administração é submetida a julgamento, desde as manifestações de junho do ano passado .

De fato, depois de uma queda abrupta na sua popularidade, de 63% para 31%, de março para julho, a mandatária nacional iniciou promissora trajetória de recuperação já no mês de agosto e chegou a atingir 43% em dezembro.

Daí em diante, entretanto, a aprovação positiva do governo vem em queda livre. O percentual de ótimo e bom detectado nesta última pesquisa do Ibope de abril foi de 34% (32% pela pesquisa contemporânea do Vox Populi), apenas três pontos acima do pior índice da série, registrado logo após os protestos de junho.

A julgar pelos dados coletados pelo cientista político Alberto Carlos Almeida, do Instituto Análise, em 104 eleições para governador no Brasil, entre 1994 e 2010, o percentual de 35% de ótimo e bom de Dilma estaria perigosamente situado na faixa circunscrita à incumbentes que perderam a eleição.

Ciente de que a evidência empírica apresentada assenta-se apenas em eleições de governadores e não de presidentes, Almeida adiciona aos seus achados os dois casos das reeleições presidenciais recentes de Fernando Henrique Cardoso e Lula, cujos resultados se encaixariam nos limites mostrados na tabela. Assim, com as devidas ressalvas sobre o “tamanho da amostra”, os exemplos presidenciais se assemelhariam aos governamentais.

Note-se, contudo, que os percentuais de ótimo e bom da tabela foram coletados na última pesquisa antes do pleito. No caso de Dilma Rousseff, portanto, ela ainda teria seis meses para reverter os atuais índices, considerados ruins pelos especialistas.

Com o foco da mídia apenas na soma das manifestações de ótimo e bom, o conjunto das declarações de ruim e péssimo, o lado negativo da avaliação de governo, passa meio despercebido do público. Pela trajetória da linha vermelha do gráfico nota-se que o brasileiro está crescentemente insatisfeito com a gestão presidencial, atribuindo-lhe notas negativas cada vez maiores.

aprovaçao de gesao 2 MR tabela11

Em termos tendenciais, o gráfico sugere que as duas linhas devem cruzar-se nas próximas aferições, dadas as trajetórias delineadas a partir dos últimos três levantamentos sucessivos do Ibope. Na pesquisa de abril, aliás, já há empate técnico entre as duas avaliações (nos limites da margem de erro).

As insatisfações derivadas das manifestações de junho parecem continuar latentes, a julgar pelos altos índices de brasileiros que querem mudanças nas ações do governo (68% no Ibope e 72% no Datafolha).

E aí reside o mais sério obstáculo às pretensões da presidente Dilma: como alterar o mood da população, daqui até o pleito, de forma a reconquistar adeptos, se as demandas dos insurgentes (simplificadamente: combate à corrupção, novas práticas políticas, e serviços públicos de qualidade) não podem ser razoavelmente atendidas neste curto prazo?

 

Maurício Romão

* Autor: Maurício Romão - Maurício Costa Romão,é cientista político, professor, Ph.D. em economia, é consultor da Contexto Estratégias Política e Institucional, e do Instituto de Pesquisa Maurício de Nassau.

História/Curiosidades : 10 Invenções da 1ª Guerra Mundial que perduram até hoje *

 

O zíper e outras invenções

popularizadas graças à

Primeira Guerra Mundial

Zíper, absorvente íntimo e salsichas de soja ajudaram a vencer desafios da guerra.

Zíper, absorvente íntimo e salsichas de soja ajudaram a vencer desafios da guerra.

Zíper, absorvente íntimo e salsichas de soja ajudaram a vencer desafios da guerra.

 

 

O sofrimento e os desafios gerados pela Primeira Guerra Mundial levaram a população a criar soluções que, mais tarde, viriam a beneficiar a humanidade. Cem anos após o início da guerra, conheça algumas das invenções que resultaram de um conflito em que, estima-se, 16 milhões perderam suas vidas e outros 21 milhões ficaram feridos.

Absorventes Íntimos

Antes de estourar a Primeira Guerra, uma pequena empresa americana registrou sob sua marca um material conhecido como Cellucotton. A substância, composta pela polpa da celulose da madeira (usada na fabricação de papel), era cinco vezes mais absorvente do que o algodão e custava a metade do preço.

Em 1917, quando os Estados Unidos entraram na guerra, a empresa - Kimberly-Clark – passou a empregar o material na fabricação, em grande escala, de enchimento para curativos cirúrgicos.

Enfermeiras da Cruz Vermelha trabalhando nos campos de batalha logo se deram conta da utilidade do produto na higiene íntima. Esse uso adicional do produto acabaria, anos mais tarde, alterando o destino da pequena firma americana.

Em 1920, menos de dois anos após o final da guerra, chegou às lojas americanas o primeiro absorvente íntimo da história, batizado de Kotex (junção das palavras inglesas cotton, algodão, e texture, textura).

Lenços de Papel

Vender absorventes íntimos não era fácil, porque as mulheres ficavam constrangidas em comprar o produto de vendedores homens. As vendas aumentavam aos poucos, mas a empresa continuava a buscar outras utilidades para o material.

O relógio de pulso deixava as mão mais livres para a batalha

O relógio de pulso deixava as mão mais livres para a batalha

 

 

Relógio de Pulso

O relógio de pulso não foi inventado especificamente para a Primeira Guerra Mundial, mas seu uso, especialmente por homens, se alastrou dramaticamente durante o conflito. E depois da guerra, o relógio de pulso havia se tornado o meio mais comum para se saber a hora.

 aço inoxidável tornou-se indispensável na cozinha

aço inoxidável tornou-se indispensável na cozinha

Aço Inoxidável

Aço que não enferruja nem sofre corrosão chegou ao mundo cortesia de Harry Brearley, da cidade inglesa de Sheffield. Criado em 1913, o produto revolucionou a indústria metalúrgica e tornou-se um componente indispensável do mundo moderno.

Os militares britânicos estavam tentando encontrar um metal mais adequado para armas. O problema era que o calor e a fricção produzidos pela passagem das balas enferrujavam os canos das armas. Brearley, um metalúrgico de uma empresa de Sheffield, foi encarregado de procurar uma outra liga, mais resistente.

Ele experimentou adicionar cromo ao aço e, diz a lenda, jogou fora algumas das amostras que tinha testado, achando que não tinham dado certo.

 

Leia a Íntegra:

10 invenções da 1ª Guerra

 

* Fonte: BBCBrasil/Stephen Evans  -  BBC News, em Berlim

Eleição 2014/Presidencial: Dados de Pesquisa identifica EMPATE entre os eleitores que conhecem os candidatos a presidente *

PESQUISA ELEITORAL (O Miolo)

Rivais empatam em cenário

só com eleitores que os conhecem

 

Segundo a mais recente pesquisa Datafolha, realizada nos dias 2 e 3 deste mês, apenas 17% dos eleitores afirmam conhecer "bem" ou "um pouco" os três principais pré-candidatos a presidente: Dilma Rousseff (PT), Aécio Neves (PSDB) e Eduardo Campos (PSB).

Segundo a mais recente pesquisa Datafolha, realizada nos dias 2 e 3 deste mês, apenas 17% dos eleitores afirmam conhecer “bem” ou “um pouco” os três principais pré-candidatos a presidente: Dilma Rousseff (PT), Aécio Neves (PSDB) e Eduardo Campos (PSB).

 

Os candidatos a cargos públicos costumam repetir que agora ainda é cedo para analisar o cenário eleitoral, pois a maioria dos brasileiros ainda não está conectada à disputa de outubro e poucos eleitores conhecem neste momento todos os principais nomes na corrida pelo Palácio do Planalto.

É tudo verdade. Segundo a mais recente pesquisa Datafolha, realizada nos dias 2 e 3 deste mês, apenas 17% dos eleitores afirmam conhecer “bem” ou “um pouco” os três principais pré-candidatos a presidente: Dilma Rousseff (PT), Aécio Neves (PSDB) e Eduardo Campos (PSB).

Nesse universo, embora a margem de erro do levantamento se torne bem maior por causa do número pequeno de entrevistados, o resultado final é muito diferente daquele apurado quando é considerado o total da amostra do instituto.

No cenário testado apenas com eleitores que conhecem os três principais candidatos, Campos fica com 28%. É seguido por Dilma, com 26%. Aécio pontua 24%.

Os três estão tecnicamente empatados. É que a margem de erro sobe para cinco pontos percentuais, para mais ou para menos. No âmbito geral da pesquisa, essa margem chega a apenas dois pontos percentuais.

 

14110272 grafico de empate datafolha presidentes

 

 

* Fonte: FSP/Fernando Rodrigues-Blog

Brasil/Petrobrás : Engenheiro que se opôs a obra superfaturada foi “colocado na geladeira” *

 

Petrobras puniu gerente que

se opôs a fraude, afirma viúva

 

 

 

O engenheiro Gesio Rangel de Andrade foi “colocado na geladeira” na Petrobras por se opor ao superfaturamento da obra do gasoduto Urucu-Manaus, na Amazônia. A afirmação é de Rosane França, viúva de Gesio, que morreu há dois anos, vítima de ataque cardíaco.

Segundo ela, pessoas da estatal tentaram constranger seu marido a aprovar aditivos para a obra. Ele não concordou e foi exonerado do cargo, permanecendo por dois anos sem qualquer função.

Os gastos com o gasoduto Urucu-Manaus estouraram todas as previsões. A área técnica estimou a obra em R$ 1,2 bilhão, mas o contrato foi fechado por R$ 2,4 bilhão, após pressão das construtoras.

 

Gesio Rangel de Andrade, engenheiro da Petrobras, acreditava que obra estava superfaturada

Gesio Rangel de Andrade, engenheiro da Petrobras, acreditava que obra estava superfaturada

 

 

O gasoduto demorou três anos para ficar pronto e o custo chegou a R$ 4,48 bilhões. A estatal aprovou um aditivo de R$ 563 milhões para um dos trechos, praticamente o valor daquele contrato.

Com 663 quilômetros, o gasoduto transporta gás natural produzido pela Petrobras em Urucu até as termelétricas da Amazônia. O gás substitui parte do óleo diesel queimado pelas usinas, reduzindo o custo da energia.

raiox da obra da petrobras

 

 

Leia a Íntegra c/entrevista da viúva:

Petrobras puniu gerente que se opôs a fraude, afirma viúva; o engenheiro Gesio de Andrade acreditava que obra estava superfaturada

* Fonte: FSP/Poder Política - RAQUEL LANDIM - ENVIADA ESPECIAL AO RIO

 

 

Eleição 2014/Pernambuco: Adesão ao PSB de prefeito do PTB causa intensa polêmica *

 

Armando Monteiro Neto critica prefeito de Gravatá, por apoio a Paulo Câmara (foto JC)

Armando Monteiro Neto critica prefeito de Gravatá, por apoio a Paulo Câmara (foto JC)

PREFEITO DE GRAVATÁ FILIADO AO

PTB ADERE AO CANDIDATO DO PSB 

 

 

 

Foi utilizando o discurso da nova política adotado pelo PSB que o senador e pré-candidato Armando Monteiro Neto (PTB) reagiu à adesão do prefeito Bruno Martiniano (PTB) ao palanque socialista. Em tom irônico, o petebista insinuou que a aliança, selada no último sábado, em Gravatá, é fruto de uma manobra feita para atrair os seus correligionários. “No ambiente da nova política, pressão mais coação versus fraqueza mais insegurança, é igual a adesismo. É a população quem vai julgar (as atitudes dos candidatos)”, afirmou o petebista, por meio da assessoria de imprensa.

O discurso contra o adesismo é uma das principais defesas do PSB, sobretudo do ex-governador Eduardo Campos. Com a declaração, Armando Monteiro tenta desconstruir a imagem de que o palanque socialista é adepto aos gestos da nova política.

Na última quinta-feira, o senador também conseguiu atrair para o seu palanque nomes do grupo adversário. Dois vereadores do PSB, Geovane da Saúde e Luquinhas da Saúde, ambos de Taquaritinga do Norte, anunciaram apoio ao senador. Também do PSB, o vice-prefeito do município de Salgueiro, Luiz Carlos Souza, e os vereadores Eugênio e André Cacau decidiram apoiar a candidatura de Armando.

Na semana passada, antes do anúncio oficial de Bruno Martiniano, Armando Monteiro demonstrou incômodo com as especulações de que o correligionário iria anunciar apoio a Paulo Câmara. O petebista disse que só iria se pronunciar depois que o fato fosse concretizado. Ontem, até o fechamento desta edição, o senador passou o dia numa reunião “a portas fechadas”. O secretário-geral do PTB, o ex-deputado estadual José Humberto Cavalcanti, preferiu não se pronunciar sobre o caso. Disse apenas que o assunto ainda não foi discutido internamente.

Nos bastidores, a saída de Bruno Martiniano das hostes do PTB já é dada como certa. Segundo interlocutores do senador, a decisão do prefeito não causou surpresas aos petebistas porque o prefeito já teria um “histórico de fraquezas”. Apesar disso, aliados de Armando Monteiro garantem que Bruno já tinha sinalizado que estaria engajado no projeto do petebista. Procurado, o prefeito não atendeu às ligações do JC.

Mesmo com a mudança de postura do petebista, a possibilidade de o partido questionar o prefeito juridicamente é praticamente descartada nas hostes do PTB, já que o mandato é de um cargo majoritário. No caso dos proporcionais, a possível perda do mandato garantiria que a legenda continuasse dona de uma vaga no legislativo, diferente do caso de prefeitos.

Leia Mais:

Eleito pelo PTB, Bruno Martiniano declara apoio a Paulo Câmara e Raul Henry

* Fonte: JC/Política

Movimento Cultural: O Amor Impossível na Poesia de Núbia Cavalcanti *

amor rasgado ao meio

Amor impossível

 

 

Quando se vive um amor impossível
A alma grita em silêncio
Tentando sufocar a dor lancinante
Incrustada dentro de peito
Como um espinho encravado
Que machuca e faz sangrar.

 

E nem mesmo o tempo que passa
Apaga esse amor impossível
Ou diminui o padecer
Do coração de quem ama
Mesmo sendo esse amor
Tão somente uma ilusão.

 

E quando a noite chega
Traz com ela a solidão
Que mais parece um acalanto
Para um coração desolado
Que sofre amargamente
As dores de uma paixão.

 

 

P.S. – Poema publicado na Antologia de Poetas Brasileiros Contemporâneos – Volume 112.

 

 

 

Nubia Cavalcante dos Santos foto 3

* Autora: Núbia Cavalcanti – Núbia Cavalcanti dos Santos é sanharoense professora, poetisa, cronista, colaboradora do OABELHUDO. Tem diversos trabalhos poéticos publicados em livros e revistas especializados.

Caso Petrobrás/Pasadena: Ex-presidente da empresa divide responsabilidade com a presidente Dilma *

“Dilma não pode fugir à responsabilidade”,

diz ex-presidente da Petrobrás

Parao ex-presidente da Petrobrás Sergio Gabrielli, presidente Dilma tem de assumir sua parcela de ônus no caso Pasadena

Parao ex-presidente da Petrobrás Sergio Gabrielli, presidente Dilma tem de assumir sua parcela de ônus no caso Pasadena

 

 

 

Para Gabrielli, presidente tem de assumir sua parcela de ônus no caso Pasadena

Presidente da Petrobrás à época da compra da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos, em 2006, José Sergio Gabrielli admitiu em entrevista ao Estado sua parcela de responsabilidade no polêmico negócio, mas dividiu o ônus com a presidente Dilma Rousseff.

Segundo ele, o relatório entregue ao Conselho de Administração da estatal foi “omisso” ao esconder duas cláusulas que constavam do contrato, mas Dilma, que era ministra da Casa Civil e presidia o conselho, “não pode fugir da responsabilidade dela”.

Gabrielli defende a compra da refinaria conforme as circunstâncias da época e alfineta sua sucessora, Graça Foster, ao afirmar que a Petrobrás não foi construída nos dois anos de gestão da atual presidente da estatal. De acordo com ele, a queda do preço das ações da estatal não se deve a Pasadena, mas à conjuntura externa, afetada pela crise financeira global de 2008, e à política do governo de manutenção artificial dos preços da gasolina no Brasil abaixo do mercado internacional. Política que, segundo Gabrielli, está contaminada pela disputa eleitoral.

p – O senhor se considera responsável pelo relatório entregue ao conselho administrativo da Petrobrás antes da compra da refinaria de Pasadena?

Eu sou responsável. Eu era o presidente da empresa. Não posso fugir da minha responsabilidade, do mesmo jeito que a presidente Dilma não pode fugir da responsabilidade dela, que era presidente do conselho. Nós somos responsáveis pelas nossas decisões. Mas é legítimo que ela tenha dúvidas.

p – O relatório é falho e omisso como disse a presidente Dilma?

Acho que não (foi falho). Ele foi omisso. Sem dúvida nenhuma foi omisso porque as duas cláusulas mencionadas (Put Option, que obrigou a Petrobrás a comprar a outra metade da refinaria, e Marlim, que compensaria a então sócia Astra por possíveis prejuízos) não constavam da apresentação feita aos conselheiros.

p – O conselho teve acesso à totalidade dos documentos antes de aprovar a compra da refinaria?

Não teve acesso a essas cláusulas. Mas isso não é relevante, a meu ver, para a decisão do conselho. O que é relevante é se o projeto é aderente tecnologicamente e estrategicamente ao que você faz e ter dado rentabilidade com os pressupostos daquele momento. Essas três condições fariam a decisão do negócio.

p – Se o Conselho de Administração da estatal soubesse dessas cláusulas no primeiro momento teria aprovado a compra da refinaria?

Eu acho que teria aprovado porque o objetivo naquele primeiro momento era a possibilidade de ter um negócio nos Estados Unidos em uma refinaria que tinha preços adequados ao mercado. E poderia ser uma entrada forte nossa nos Estados Unidos, o mercado que mais crescia no mundo na época. Continuo achando que foi um bom negócio para a conjuntura de 2006, um mau negócio para a conjuntura de 2008 a 2011 e voltou a ser bom em 2013 e 2014.

p – O que mudou na Petrobrás de Lula para Dilma?

Não acho que houve mudança. É bom lembrar que saí em fevereiro de 2012 e o acordo de Pasadena é de junho de 2012. Enquanto estive lá, a partir de 2008, só fiz disputar judicialmente com a Astra. Não fiz nenhum acordo com a Astra.

p - Então a mudança foi de Gabrielli para Graça Foster?

Eu não disse isso. A gestão da presidente Graça deu continuidade aos planos estratégicos desenvolvidos pela diretoria anterior. Não vejo ruptura entre mim e Graça. É uma presidência de continuidade.

p – Pelo menos em um ponto importante vocês divergem. Graça diz que a compra de Pasadena foi um negócio ruim e o senhor diz que foi bom.

Nós não divergimos. Graça disse de forma explícita que hoje ela não faria o negócio mas que na época foi um bom negócio. Portanto nós não temos divergência. Na época eu faria a mesma coisa. O negócio depois ficou ruim e hoje está melhor outra vez.

p - Existe uma tentativa de responsabilizar a sua gestão por um negócio que não deu o resultado esperado?

Cheguei na Petrobrás e a empresa valia US$ 15 bilhões. Comigo a Petrobrás foi a US$ 350 bilhões e quando eu saí ela estava valendo US$ 180 bilhões. Essa é a realidade no mercado. A empresa vinha num processo de esvaziamento, de quebra da unidade operacional, sendo fatiada. Havia várias iniciativas para vender as refinarias em pedaços. Saímos da situação de uma empresa acuada na área de gás e energia para nos transformarmos no principal ator produzindo hoje um volume superior talvez à energia de Itaipu. Isso não se fez nos últimos dois anos.

p – As dúvidas sobre negócio de Pasadena são uma mácula à sua gestão?

Não posso aceitar isso. Posso falar da minha gestão em termos de resultados. Posso falar de uma empresa que saiu de ter duas sondas de perfuração para ter 69, que saiu de 33 mil pessoas trabalhando para 85 mil, que foi nesse período que se descobriu o pré-sal e se atingiu a autossuficiência. Na minha gestão a companhia teve os maiores lucros da história e realizou a maior capitalização da história do mundo em termos de venda de ações no mercado. Não posso dizer que foi uma gestão equivocada. Desafio quem quiser discutir sem xingamento a dizer que foi uma má gestão.

p - Qual sua opinião sobre a declaração da presidente Dilma de que estariam tentando atingir a Petrobrás?

A oposição faz uma campanha irresponsável contra a Petrobrás. A Petrobrás é um patrimônio nacional extremamente bem gerido, com uma competência instalada extraordinária. O ataque só pode ser entendido por interesses eleitoreiros combinados com alguns interesses muito mais complicados.

Leia a Íntegra:

No centro da crise, Gabrielli agiu para defender sua gestão

Procuradoria investiga licitação da Transpetro

* Fonte: MSN/Estadão

Crônica/Aniversário de Pesqueira: 134 Anos de Elevação à Categoria de Cidade – Por Walter Jorge de Freitas *

PESQUEIRA 

MAIS UM ANIVERSÁRIO

 

Pesqueira- A Atenas do Sertão - A Terra das Chaminés...

Pesqueira- A Atenas do Sertão – A Terra das Chaminés…

Prefeitura-de-Pesqueira (1)WPGEDSC DIGITAL CAMERApesqueira traços de cimbrescarnaval dos caiporas de Pesqueira

Neste dia 20 de abril, Pesqueira completa mais um aniversário. São cento e trinta e quatro anos de elevação à categoria de cidade. É, portanto, um dia apropriado para reflexão, já que não há tantos motivos para festejar.

Para ofuscar mais ainda a data, este ano, além de cair em um domingo, fica imprensada entre a Sexta-Feira Santa e o feriado da Inconfidência Mineira.

Infelizmente, ainda existe muita gente desinformada falando em emancipação política e isto não aconteceu com Pesqueira.
Em 1762, a aldeia Arorubá foi elevada a vila e sede do Município que passou a se chamar Cimbres.

No dia 13 de maio de 1836, segundo os historiadores, devido à sua evolução econômica, pela facilidade de acesso e por oferecer melhores condições de hospedagem, a povoação de Santa Águeda, situada ao sopé da Serra do Ororubá, foi transformada em sede do Município de Cimbres.

Em 20 de abril de 1880, com nome de Santa Águeda de Pesqueira, ocorreu a sua elevação a cidade, sendo oficialmente declarada sede do município, conforme a Lei 1484.

Por decisão do Conselho Municipal, em 1913 o nome de Pesqueira foi adotado em razão da existência da Fazenda Poço do Pesqueiro (ou de Pesqueira), fundada pelo capitão-mor Manoel José de Siqueira.
A partir do final do século XIX, Pesqueira começou a se firmar como polo industrial, graças à instalação de fábricas de doces e de derivados do tomate.

Em meados da década de sessenta as nossas indústrias foram atingidas por forte crise financeira e encerraram suas atividades em pouco tempo. Os grupos Rosa e Peixe por serem mais sólidos, resistiram até os anos noventa, mas mesmo assim, mudaram de donos várias vezes.

Atualmente, vivemos momentos de transição econômica. Para surpresa de muitos, o comércio e a indústria moveleira estão em pleno desenvolvimento. Contamos, também, com o artesanato baseado na renascença e com o setor hoteleiro.

O turismo religioso, por sua vez, não prosperou, por falta de ações mais eficazes do setor público. Temos ainda como fatos negativos, a falta de cuidado dos últimos prefeitos no que tange à fiscalização das obras. A população também clama por melhorias nos diversos serviços que lhe são prestados.

Observa-se que a cidade está crescendo, mas isto acontece de forma desordenada, sem planejamento e o que é mais grave, sem contar com um departamento de limpeza pública eficiente. Realmente, não estamos bem na foto.

 

Pesqueira, 20 de abril de 2014.

 

walter-J-Freitas II

 

 

* Autor: Walter Jorge de Freitas – Walter é pesqueirense, comerciante, professor, colaborador do OABELHUDO, cronista, contista, poeta e pesquisador musical.

Crônica/Homenagem: 20 de Abril – Canta Pesqueira Amada – Por Francisco Aquino *

CANTA PESQUEIRA AMADA

 

Pesqueira completa 134 anos. Seus cantam suas glórias...

Pesqueira completa 134 anos. Seus cantam suas glórias…

Pesqueira esculturas da entrada na BR 232Pesqueira O Cruzeiro  e o mirante  305038_135320893298057_486875071_nPesqueira hasteamento das banderiasDSC_0113Pesqueira vista do Cruzeiro

Canta alegre e feliz os anos passados dourados ou não.Pois tens tanta história vivida de coração com pura emoção.

Canta com alegria os anos vividos entre altos e baixos de uma linda cidade.

Canta os tempos áureos e nostálgicos dos grandes espetáculos com artistas afinados mostrando a essência da cultura local da lendária Atenas do Sertão.

Canta lamentos e dores de perdas ilustres de filhos amados que passaram deixando marcado na memória sua história.

Canta as perdas e os ganhos que foram tantos até fazendo a cidade perder status mais nunca o amor dos seus municípes.

Canta apaixonados os filhos que nutri por ti amor de puro coração desejando ver-te linda e maravilhosa.

Canta as lindas festas cheia de alegria mostrando o quanto és hospitaleira que sabe acolher todos com respeito e amor.

Canta a religiosidade das santas padroeiras rendendo graças por benção que fazem todos mergulharem em oração com honra, louvou e glória.

Canta e aplaude os esportes e esportistas com os seus feitos heróicos nos trazendo alegria ao povo sofrido, lutador mais feliz.

Canta com gratidão aqueles que construíram tua história com seu suor e trabalho terra grandiosa.

Cantem todos a terra que nasceste e lembrem sempre de sua trajetória com honra e glória.

Canta o que tens para os filhos ilustres e amados;os seus casario e lindas serras, avenidas,ruas e praças mas a aparição e o seu mirante, seus museus, renda e cultura que fazem a cidade maravilhosa.

Canta aos quatro cantos o teu carnaval belíssimo, o S.João tradicional, o Circuito do Frio que não se chama mais assim e deixou saudade e as tuas belezas e potencialidades mas as grandes manifestações culturais que ficaram na memória da cidade.

Cantem e alto o amor por sua terra fazendo eternizar sua história e que devemos nos comprometer com o seu desenvolvimento e bem-estar.

Cantem e aplaudam trajetória de anos passados mostrando a todos o quanto temos que fazer em pró da terra querida e amada.

Parabéns terra querida que me encanta pela sua história de vida feita por gente humilde, batalhadora e feliz que canta com orgulho tuas conquistas e vitórias.

Parabéns PESQUEIRA por seus anos de vida que apesar dos pesares nos deixam orgulhosos de pesqueirenses que somos sem jamais esquecer-te um só momento. Desejando que viva daqui pra frente muito feliz e próspera mostrando porque és uma cidade importante por isso tão amada.

Em homenagem aos 134 anos de Pesqueira terra querida e amada.

 

20/04/2014

 

Francisco Chico Aquino sozinho de azul

 

 

* Autor: Francisco Aquino - Francisco de Assis Maciel Aquino é pesqueirense, professor, poeta, colaborador do OABELHUDO, cronista, teatrólogo e comentarista

 

Brasil/Esportes: Infarto durante voo Mata o Narrador Luciano do Valle *

 

 

Voz da Indy no Brasil,

narrador Luciano do Valle

morre aos 66 anos durante

voo para Minas Gerais

Jornalista responsável pela divulgação ampla de todos os esportes além do futebol, principalmente a Indy, Luciano do Valle morreu neste sábado (19) em virtude de um infarto

 

 

O narrador Luciano do Valle um especialista da Fórmula Indy

O narrador Luciano do Valle um especialista da Fórmula Indy

 

A voz oficial da Indy — e de todos os esportes possíveis — no Brasil foi-se neste sábado (19). O jornalista e narrador Luciano do Valle morreu na tarde de hoje quando voava para Minas Gerais, onde faria no domingo a primeira transmissão do Campeonato Brasileiro de futebol de 2014 pela TV Bandeirantes entre Atlético-MG e Corinthians.

Ainda não se sabe oficialmente a causa do falecimento, mas as primeiras informações dão conta de que Luciano teve uma morte súbita no voo que ia para Uberlândia. O esclarecimento da causa será feito com a necrópsia. O jornalista tinha 66 anos.

Luciano foi o maior propagador dos esportes além do futebol no Brasil. Ainda nos anos 80, turbinou o boxe e fez de Adilson Maguila Rodrigues um fenômeno no país, a ponto de pô-lo para lutar contra Evander Holyfield e George Foreman. Foi o pioneiro na exibição dos esportes americanos, trazendo a Indy, a NBA e a NFL, além dos campeonatos europeus de futebol, como o Italiano e o Espanhol. E, sobretudo, transformou o vôlei brasileiro — muitas das vezes era chamado de ‘Luciano do Vôlei’. Todas estas atrações eram exibidas no ‘Show do Esporte’, um programa que atravessava o domingo.

Na Indy, Luciano trouxe ao Brasil as narrações das vitórias dos brasileiros nas 500 Milhas de Indianápolis — Emerson Fittipaldi em 1989, Helio Castroneves em 2001, 2002 e 2009, e Tony Kanaan no ano passado. Do Valle completou no ano passado 50 anos de carreira como jornalista.

 

Luciano estava num voo de SP para MG onde iria narrar o jogo do Corinthians

Luciano estava num voo de SP para MG onde iria narrar o jogo do Atlético MG e Corinthians

 

Como narrador de F1, na época na TV Globo, Luciano foi o responsável por trazer o primeiro título de Nelson Piquet em 1981.

Em entrevista à TV Bandeirantes, o repórter Fernando Fernandes contou que Luciano queixou-se de dores nas costas antes de entrar no avião. “Ele estava sentado na primeira ou segunda fileira e percebi que ele não estava legal. Um cardiologista percebeu também e se ofereceu para prestar o primeiro atendimento. Ele estava branco e transpirando muito. Quando descemos do avião, ele teve dificuldades para se deslocar e não estava se sentindo bem. O doutor já havia solicitado uma ambulância, que chegou e veio até a pista. Durante o trajeto, acho que ele teve um problema cardíaco, e a situação estava piorando a cada momento. Chegou no hospital e veio até a UTI e começaram a tentar reanimá-lo”, explicou.

Ainda de acordo com o repórter, Luciano deu entrada no hospital Santa Genoveva por volta de 15h15 e teve sua morte declarada uma hora depois.

Nos últimos tempos, Luciano já vinha apresentando problemas de saúde, às vezes notáveis durante as transmissões. Teve um acidente vascular cerebral há dois anos e ficou afastado de seu trabalho na Bandeirantes. Do Valle se preparava para a Copa do Mundo, que começa daqui menos de dois meses.

Leia também:

  Castroneves e Kanaan prestam tributo a Luciano do Valle
icon_video   A narração das 500 Milhas de Indianápolis de 2013 por Luciano do Valle

* Fonte: MSN/Esportes

Canetadas/Homenagem: Luiz de Oliveira Neves: “Luiz foi rei, foi rei…” – Por Jurandir Carmelo *

CANETADAS

Luiz de Oliveira Neves. Prefeito, deputado estadual. Um ídolo dos pesqueirenses

Luiz de Oliveira Neves. Prefeito, deputado estadual. Um ídolo dos pesqueirenses

capa do livro Cacua de lembrnças

Hoje recebi a visita do amigo-irmão de infância, Walter Luiz de Araújo Neves, ou simplesmente como é conhecido, ainda hoje, Walter de Luiz Neves. Nossa amizade, juntamente com os meus irmãos Paulo e Lídio foi construída a partir de nossos saudosos pais, Paulo de Oliveira e Luiz Neves…

Foi um recordar da nossa infância e adolescência. Em casa ouvimos o CD do amigo Zé Luiz, que será pré-lançado no próximo sábado no “Bar e Restaurante Mistura Pernambucana”, do nosso amigo Iron Bispo e da minha prima Paula, no Shopping Rosa, antiga Fábrica Rosa, pelo meio-dia.

Folheamos algumas páginas de livros de autores pesqueirenses, e Walter se emocionou quando recitei para ele o poema intitulado “LUIZ NEVES” (Luiz foi Rei, foi rei…), de autoria do poeta mais poeta de Pesqueira, o amigo, conterrâneo e contemporâneo Laurene Almeida, autor de diversos livros, um de conto: “A MORTE DE ANTONIO PACHECO E O GANGARRO MIRABEAU (Editora Ororubá – 1998); um de poesia: “PESQUEIRA VERSOS UNIVERSOS”, Editora Bagaço – 2002); e o mais recente: CULINÁRIA DA FOME (A necessidade tem cara de herege ( Editora Lucigraf – Recife/2012).

Leiam a baixo o poema, extraído do seu Livro “PESQUEIRA VERSOS UNIVERSOS” > (Laurene Almeida, páginas 146/147. Edições Bagaço / Recife 2002).

luiz nves miniatura

LUIZ NEVES

Luiz foi rei, foi rei…

Quem sabe, por timidez,

Disfarçava de plebeu,

Nas foi rei, foi rei…

Luiz, agora

Que silencioso e enigmático,

Entre pétalas e nuvens,

Te encantaste,

Eu te proclamo

Primogênito do povo.

Dom Luiz de Oliveira Neves,

Imperador da fantasia e da vida,

Do sonho e da maravilha.

Rei-de-ouros nas lides políticas,

Valete-de-copas, coração vermelho,

Que do meio do povo se despetala

Em festa e fúria, fé e indignação.

Dom Luiz,

Elevaste à tua côrte de sonhos,

Os pretos e os pobres,

Os desdentados e os famintos,

Com eles dividiste o Trono e a Realeza,

As lágrimas e o suor, o barro e o sopro.

E assim desvendaste

Humanos e divinos.

Tu os reconheceste, Dom Luiz,

Poeira estrelada

E os nomeaste membros irrecusáveis

Da tua humana dinastia.

Luiz foi rei, foi rei…

Essas notas terminaram virando as presentes Canetadas, cuja publicação é uma homenagem à nossa querida Amiga-RAINHA, Dona Terezinha Araújo de Oliveira Neves, simplesmente dona TECA, viúva do saudoso rei, Dom Luiz Neves.

A minha homenagem, igualmente, aos meus amigos-irmãos Walter, Didi, Neném, Tody, Maninha e Lelêu (Zé Wênio, de tabela), bem assim aos mais novos filhos e filhas, netos e netas, bisnetos e bisnetas desse pesqueirense arretado, que foi Luiz Neves.

LUIZ NEVES era filho de José Nepomuceno das Neves e dona Blandina, a quem carinhosamente chama de “BLANDA”, sendo seus irmãos e irmãs, José, Antonio (falecido, ex-BNB); Francisco (Pesqueira Notícias), Júlio, Lia, Nevinha, Carminha (saudosa amiga, grande pé de valsa), Conceição (Guilva, casada com Gabinho) e Lourdes.

Luiz Neves teve uma extensa e movimentada vida política na nossa terra Pesqueira, tendo assumido diversos cargos públicos, eletivos ou não. Foi Secretário Municipal na gestão do prefeito Ésio Araújo, vereador, vice-prefeito, prefeito por dois mandatos e deputado estadual.

Luiz foi o responsável maior pela elaboração do CÓDIGO DE POSTURAS MUNICIPAL - (Lei 141, de 27 de Março de 1951), ainda vigente, lamentavelmente, não utilizada.

Como prefeito, uma de suas mais importantes obras foi o canal de São Sebastião, que cortou a cidade pela Baixa do mesmo nome, acabando de forma definitiva com o foco de várias moléstias, entre elas a Febre Tifoide, doença infectocontagiosa causada pela ingestão da bactéria Salmonella typfi em alimentos ou água contaminada (Fonte: Febre tifoide – Wikipédia, a enciclopédia livre).

Mas não se pode esquecer outra obra importante que foi a Maternidade da Vila de Cimbres, que em razão de sua localização e difícil acesso, principalmente, em épocas chuvosas, registrava um preocupante índice de mortes com parturientes sem a devida assistência médico-hospitalar.

Porém, a obra de maior valia para Pesqueira, construída por Luiz Neves, sem dúvida alguma, foi Colégio Comercial Municipal de Pesqueira, portanto com cursos ginasial e Contabilidade (segundo grau), abrindo assim as portas do futuro para tantos estudantes pobres de Pesqueira, que ao terminarem o curso primário paravam os estudos, porque os pais não tinham condições de pagar os estudos, uma vez que Pesqueira só era servida por escolas particulares, a exemplo do Cristo Rei, Santa Dorotéia e o Seminário São José.

Luiz recebeu uma resistência muito grande dos setores conservadores da Cidade e da Diocese de Pesqueira, porque foi além de criar um Colégio, o fez misto, dando oportunidade aos moços e moças da nossa Terra, com o agravante de ser noturno. É que se esperava o pior numa relação entre rapaz e moças, estudando numa mesma escola, principalmente à noite. Essa a razão da resistência. Luiz Neves para enfrentar esse problema foi buscar o professor Paulo Melo para dirigir o CCMP, que convidou uma mulher para o cargo de vice-diretora, o que amenizou a questão. Talvez o principal motivo não tenha sido esse encontro de rapazes a moças estudando em um mesmo colégio, até porque há muitos anos que existia esse encontro na área de trabalho, nas escolas entre professores e professoras, nas fábricas e no comércio, entre operários e operárias.

Ao deixar o exitoso mandato de prefeito, para candidatar-se ao cargo de deputado estadual (tendo sido eleito, com expressiva votação), havia dado início ao Matadouro Modelo de Pesqueira, competindo ao seu vice-prefeito, o saudoso amigo Dr. Petronilo de Freitas, dar continuidade a obra, o que aconteceu, pois em apenas nove meses, tempo de uma gestação, nascia o novo matadouro público, esse mesmo que está aí servindo à Pesqueira, mas, hoje, em condições precárias, por falta de suporte físico, técnico e de higiene.

Luiz Neves era, também, jornalista. Na lide do jornalismo interiorano, escreveu para os jornais “A VOZ DE PESQUEIRA” (do jornalista Eugênio Chacon), “FOLHA DE PESQUEIRA” (do meu saudoso pai, jornalista Paulo de Oliveira), tendo mais tarde, adquirido do filho de Zeferino Galvão (Alípio Galvão), juntamente com Rinaldo Jatobá e outros, o direito de editar “A GAZETA DE PESQUEIRA”, que fez por alguns anos. Foi correspondente de jornais da capital.

Luiz participou como membro da Associação de Imprensa de Pernambuco (AIP) e da Associação Pesqueirense de Imprensa (API), do 8º Congresso de Jornalistas do Interior, realizado em 1953, em Pesqueira, tendo como organizador e presidente o velho Paulo de Oliveira, já aquela época considerado o decano da imprensa matuta.

Mais tarde, em 1957, Luiz Neves a pedido do meu saudoso pai, seguiu para o Rio de Janeiro, a fim de representá-lo no 1º CONGRESSO NACIONAL DE JORNALISTAS, promovido pela Associação Brasileira de Imprensa – ABI. Lá fez o seu furo de reportagem para o Diário da Noite, levando o jornalista Mário Melo até p Estádio do Maracanã, que odiava futebol, em bonita reportagem que nos deixou contada em seu livro “CAÇUA DE LEMBRANÇAS”, às fls. 81/84.

Luiz deixou dois livros publicados “PESQUEIRA – EVOCAÇÃO ANO 100 – (Tipos Populares)” – Edição do autor – CEPE 1980 e “CAÇUA DE LEMBRANÇAS”, edição do Autor – CEP – Recife – 1981, tendo participado, também, do livro PESQUEIRA SECULAR (Crônicas da velha Cidade), com a crônica “COPIRRAITE (Aos 100 anos da minha jovem Pesqueira de Sant’Águeda” (páginas 231 a 243), edição comemorativa ao 1º Centenário da Cidade de Pesqueira, publicado em 1980, uma coletânea de matérias escritas por pesqueirenses, coordenado pelos pesqueirenses Pedro Santa Cruz, Aloísio Falcão, Potiguar Matos, Nivaldo Burgos e Silvio Lins.

Luiz, ainda deixou em preparo (não publicado) as seguintes obras: “FRUTO VERMELHO” (Romance); bulício de um instante (poesias – livro concluído); “SAGA DO CABO ZEFERINO” (novela); e “QUITERIANAS” (crônicas).

Era assim o nosso Luiz Neves, uma vida cheia de valores, de luta, de dedicação à sua terra Pesqueira. Assiste razão ao nosso poeta Laurene Almeida: (LUIZ FOI REI, FOI REI…).

jurandir carmelo foto recente

* Autor: Jurandir Carmelo – Jurandir é pesqueirense, advogado, colaborador do OABELHUDO, jornalista,escritor, cronista e combatente permanente dos maiores interesses da sua Pesqueira.

Movimento Cultural: Assim é o Amor na Poesia de SanGer *

Amor supera tudo banner

Assim é o amor

 

 

O amor, ah! o amor!
Embriaga, eleva e se faz sonho
Rejuvenesce, provoca lágrimas e faz sorrir
Chega, rasga o peito e ali faz morada
Assim é o amor!

 

Vulcânico e arrebatador, tal qual paixão
Tranqüilo e perene tal qual brisa de verão
Improvável e misterioso, como a romã
Esperançoso e imprevisível como o amanhã
Assim é o amor!

 

Fomos a esperança do ontem
Somos a realidade do hoje
Formamos o sonho que está por vir
Complexo do todo, elo do verbo sentir
Assim é o amor!

 

Acredito no sentimento que tudo supera
Para simplesmente ser.
Acredito no amor que não tem medos
E sim, luta para envelhecer juntos.
Assim é o amor!

Gera Santana pesqueira

* Autor: SanGer – Geraldo Santana – Gera é pesqueirense, cronista, colaborador do OABELHUDO, poeta, radialista e cerimonialista.

Movimento Cultural: Um Ser Poetisa – Por Núbia Cavalcanti *

A imagem da poetisa voando entre as nuvens...

A imagem da poetisa voando entre as nuvens…

Um ser poetisa

 

Uma poesia… é a forma de traduzir
Meus sentimentos por ti.

Sabes tu o quanto te quero
Embora com palavras, não sei dizer…
Reconheço a minha timidez!

Poesia… é o que me alimenta a alma
Onde cada verso que rabisco
Emerge de dentro do meu ser
Traduzindo esse sentimento
Inviolável e sublime
Singular em meu coração
Apaixonadamente feliz.

Nubia Cavalcante dos Santos foto 3

* Autora: Núbia Cavalcanti dos Santos – Núbia é sanharoense, professora, poetisa, cronista, colaboradora do OABELHUDO. Tem diversos trabalhos poéticos publicados em livros e revistas especializados.

Comportamento/Preservação: Recife e os seus Contrastes. O Modernismo e o Tradicional *

 

História e paisagens do Recife

roubadas pela “modernidade”

espelhada e a cegueira do

poder público

 

 

Torres gêmeas em contrates com a arquitetura antiga (Ricardo Fernandes/DP/D.A Press)

Torres gêmeas em contrates com a arquitetura antiga (Ricardo Fernandes/DP/D.A Press)

A preservação da história de um centro urbano passa pela manutenção de edificações, paisagens e peculiaridades que documentam o passado e dão fisionomia à localidade.

Infelizmente, a cara do Recife, cidade nascida sobre ilhas, braços de rios e canais cortados por pontes, tem desaparecido aos poucos.

Áreas que reuniam cenários naturais e construções antigas de valor arquitetônico inquestionável vem sumindo gradativamente.

Rio Mar ocupa a cena onde existia mangue e divide a paisagem com igrejas do bairro de São José

Rio Mar ocupa a cena onde existia mangue e divide a paisagem com igrejas do bairro de São José

Impossível reconhecer o Cabanga olhado a partir de São José e do Recife Antigo, por exemplo.

O shopping Rio Mar e empresarias substituíram um trecho grande do estuário que compõe a Bacia do Pina – um dos últimos indícios de que vivemos sobre o mangue.

Do mesmo modo, é estranho olhar para o centro a partir das pontes que ligam Cabanga e Pina.

O casario secular e igrejas históricas são engolidos pelas “torres gêmeas” levantadas no cais vizinho à antiga ponte giratória.

O cenário vai ficar ainda mais estranho com o tal do projeto do Novo Recife entre o Cais José Estelita e a Av Sul.

Nada contra a ocupação de zonas esquecidas que devem e merecem ser revitalizadas, abrigando gente, comércio e “povoando” a cidade.

Torres com Brasília Teimosa e Pina ao fundo

Torres com Brasília Teimosa e Pina ao fundo

Mas, tudo contra a especulação imobiliária que toma mangues, viola paisagens e fazem brotar espigões de concreto onde a história da cidade é contada (por que não limitar o número de pisos?).

A falta de limites na altura dos edifícios, associada à cultura do exclusivismo (prédios e condomínios fechados em si, erguidos como se estivessem em territórios independentes da urbe), rouba a feição e a alma da cidade.

As fotos do post atestam um pouco do escrito aqui. As duas primeiras, postadas na página de uma amigo, me estimulara a escrever este post.

O tema pode não estar na ordem do dia, mas segue carente de debate e de atitude (e comprometimento com a história) por parte do poder público.

É triste ver a cidade perder DNA diariamente e ser convertida em mais uma entre tantas, com prédios espelhados – tidos como atestado de luxo e “desenvolvimento” – e  desconectados com a realidade cirdudante.

* Fonte: blogdepolítica/Josué Nogueira

Movimento Cultural/Homenagem: Luiz Gonzaga – da orquídea ao mandacaru, na poesia de Margarida Maciel *

Luiz (lua) Gonzaga - O rei da baião Cantou da orquídea ao mandacaru...

Luiz (lua) Gonzaga – O rei da baião Cantou da orquídea ao mandacaru…

A flor e o cacto. Gonzagão cantou a seca e a chuva. A fauna e flora...

A flor e o cacto. Gonzagão cantou a seca e a chuva. A fauna e flora…

 

 

ORQUÍDEA E MANDACARU:

A MISTURA DE LUIZ

 

 

 

VOU JOGAR NUM CALDEIRÃO
E FAZER UM BOM COZIDO
NUMA MISTURA BEM FEITA
NÃO QUERO FAZER DESFEITA
A QUEM VIVE DO CANTAR
MAS ME PERMITAM VOCÊS
GONZAGA HOMENAGEAR

 

FOI ELE QUEM CONSEGUIU
FAZER BONITO E VISTOSO
NOS CAMINHOS ONDE ANDOU
A TODA GENTE ENCANTOU
TRANSFORMOU SIMPLICIDADE
EM GLÓRIA E MUITA FAMA
MOSTRANDO NOSSA IGUALDADE

 

DO SERTÃO ELE LEVOU
QUANDO PARTIU PARA O SUL
DENTRO DA SUA BAGAGEM
MUITA ESPERANÇA E CORAGEM
A SUA SANFONA AMIGA
E COM AS BENÇÃOS DIVINAS
A SEU DESTINO DEU PARTIDA

 

O SEU CANTO CRIOU ASAS
VOANDO MAIS QUE A ASA BRANCA
ASSIM ELE TRANSFORMOU
O SERTANEJO EM DOUTOR
MOSTRANDO A SABEDORIA
DESTA CIÊNCIA EMPÍRICA
QUE FAZ, INVENTA E RECRIA

 

O RESPEITO AO NORDESTINO
E A SUA CAPACIDADE
FOI LUIZ QUE ENCAMINHOU
NOS RUMOS QUE ELE TOMOU
SEM ORGULHO OU VAIDADE
LEVANDO A CIDADE PRO CAMPO
E O CAMPO PRÁ CIDADE

 

E O MUNDO INTEIRO OUVIU
NO ECO DA SUA VOZ
O VAQUEIRO E O ABOIADOR
OS VERSOS DO CANTADOR
AS BELEZAS DO SERTÃO
QUE COM AS BELEZAS DA CIDADE
FORMOU-SE UM SÓ CORAÇÃO

 

NAS CASAS SOFISTICADAS
A SUA CANÇÃO ENTROU
E ENTROU MATUTO E CABOCLO
ENTROU SALA DE REBOCO
E O SOM ERUDITO E REQUINTADO
ABRAÇOU O NORDESTINO
DO XOTE ,BAIÃO E XAXADO

 

TAMBORETE E POLTRONA FOFA
PROS SULISTAS E PROS NORTISTAS
SENTAR AS SUAS TRAEIRAS
JUNTO A LAREIRA E A FOGUEIRA
GONZAGÃO ARTICULOU
ENTRE O POVÃO E A ELITE
E O MUNDO INTEIRO APROVOU

 

A PARTIR DESSA EMPREITADA
PANELA DE BARRO E INOX
FOGÃO DE LENHA E A GÁS
A TODOS JÁ SATISFAZ
VESTIDO DE SEDA OU DE CHITA
SOM DE GUITARRA E VIOLA
QUASE NINGUÉM ACREDITA

 

GONZAGA ASSIM PROSSEGUIU
SEM ANDAR NA CONTRA MÃO
CANTAR AVE E AVIÃO
CARRO DE BOI E VOYAGE
FAZENDO A MESMA VIAGEM
OVO DE GRANJA E CAPOEIRA
É TUDO A MESMA BESTEIRA

 

A ORQUIDEA E O MANDACARU
A REDE E O EDREDON
O REFRIGERADOR E O POTE
TUDO NO MESMO PACOTE
SE FIZERAM CONHECER
NOS SÍTIOS E NAS METRÓPOLES PELAS RÁDIOS E TV

 

O CENTEIO E A MANDIOCA
O BACALHAU E A PIABA
O CHEDAR E O QUEIJO COALHO
JUNTOS NO MESMO BALAIO
A DESCRENÇA VIU A FÉ
A FOME E A FARTURA
ANDANDO DE CARRO OU A PÉ

 

OS MENINO OS MOÇO E OS VELHO
JÁ PODEM LER E ESCREVER
MANDAR MENSAGEM NO E-MAIL
SEM TER O MENOR RECEIO
NAS TROCA ENTRE O NORTE E O SUL
BATEM BOLA NAS PELADA
E TORCEM PRO FLA E FLU

 

É AMÊNDOA E RAPADURA
WEIFFER E BEIRA SECA
SE COME SEM DISTINGUIR
É BANANA COM CAQUI
PIZZA COM CALDO DE CANA
QUE NA DIGESTÃO DO “ESTAMBO”
DÁ UMA MISTURA BACANA

 

E QUANTO MAIS LUIZ CANTAVA
MAIS AS COISA MISTURAVA
NUMA CULTURA GOSTOSA
UMA SAFRA BOA E DITOSA
A GRACE KELLY E A ZEFINHA
ONÁSSIS E JANUÁRIO
JuNTANDO WHISKY E FARINHA

 

AR CONDICIONADO E ABANO
A BARBIE E A BRUXA DE PANO
A LAZANHA E A BUCHADA
OS “DIETES” E A COCADA
O SEU LUA MISTUROU
O NORDESTINO DISSE: DANOU-SE
E O BRASIL APROVOU

 

FUMO DE ROLO E CHARUTO
CHAPÉU DE COURO E CARTOLA
O “SMOKING” E O GIBÃO
NÃO TIVERAM DISTINÇÃO
TAMANCO, SALTO ALTO E CHINELA
VÃO TUDO PRO MESMO PÉ
NAS RUA E NOS PÉ DE SERRA

 

PRÁ BRINDÁ LA NOS FORRÓ
E NOS BAILE DA CAPITÁ
TOMO CHAMPAGNE DE CANECO
COM PINGA NA TAÇA EU REFRESCO
A SECA DA ALMA E DO SERTÃO
NA FEIRA OU NO SHOPPING CENTER
DO LULA OUVINDO A CANÇÃO

 

COMER PF OU A LA CART
SE FIZERAM CONHECIDOS
COM AS CUMADRE E AS MADAME
QUE DÃO O MESMO VEXAME
É ESPINHO E É FULÔ
É CARINHO E É ESFREGÃO
NAS CONQUISTA DOS AMOR

 

JÁ POSSO OLHÁ OS CARDÁPIO
NOS BOTECO OU CINCO ESTRELA
PEDIR MINHA FAROFINHA
COM UM BOM MOLHO DE SARDINHA
PANETONE E CAVIAR
COMER COM A KATE XANDINHA
SEM NINGUÉM PRÁ ATRAPALHAR

 

DAS REGIÕES OS SOTAQUES
SUAS CRENÇAS, SEUS VALORES
SE FIZERAM ADMIRADOS
CADA UM COM SUA BELEZA
VENDO DO RICO A POBREZA
E A RIQUEZA DO POBRE
BRASIL DE TANTA GRANDEZA

 

SEU BRADO LUIZ GONZAGA
AO MUNDO CANTANDO A HISTÓRIA
MOSTRANDO O NOSSO NORDESTE
FILHO BOM “CABRA DA PESTE”
VOCÊ NOS FAZ VIAJAR
JUNTOS NO MESMO VAGÃO
NA CANÇÃO QUE FAZ SONHAR.

 

 

MARGARIDA MACIEL RAMALHO nova foto

 

 

 

* Autora: Margarida Maciel  -  Margarida Maciel Ramalho é pesqueirense, professora, poetisa, colaboradora do OABELHUDO, compositora, cantora e violonista.

CANAL DA TRANSPOSIÇÃO: Governo Federal entrega 1ª Etapa da Adutora de Pajeú *

Governo federal entrega primeira

etapa da Adutora do Pajeú

 

Canal que fornece água para adutora do pajeú

Canal que fornece água para adutora do pajeú

 

 

Mais de 177 mil pessoas serão beneficiadas em Pernambuco com a conclusão dessa primeira fase. Será lançada ainda, nesta segunda-feira, a ordem de serviço para a 2ª parte da obra e o edital de licitação do Ramal do Agreste

O ministro da Integração Nacional, Francisco Teixeira, participa hoje à tarde da cerimônia de inauguração da 1ª etapa e da ordem de serviço da 2ª fase da Adutora Pajeú, além do lançamento do edital do Ramal do Agreste Antiga Estação Ferroviária. O evento ocorre, às 15h, em Serra Talhada (PE). Mais de 177 mil pessoas serão beneficiadas em Pernambuco com a conclusão desta primeira etapa.

Com 198 quilômetros de extensão, a primeira etapa da Adutora do Pajeú já beneficia mais de 177 mil habitantes de sete municípios pernambucanos: Afogados da Ingazeira, Calumbi, Carnaíba, Flores, Floresta, Serra Talhada e o distrito de Canaã, em Triunfo. O investimento foi de cerca de R$ 200 milhões. Essa adutora já evitou o colapso do abastecimento em Serra Talhada, no início do ano 2013. Em março de 2013, o Governo Federal inaugurou os primeiros 118 km da Adutora do Pajeú, em Serra Talhada.

2ª etapa

Com 400 quilômetros de extensão vai levar água de qualidade para moradores dos municípios de Pernambuco (Betânia, Brejinho, Carnaubeira da Penha, Iguaraci, Ingazeira, Itapetim, Quixaba, Santa Cruz da Baixa Verde, Santa Terezinha, São José do Egito, Solidão, Tabira, Triunfo, Tuparetama, e distrito de Tupanaci, em Mirandiba). Na Paraíba, serão beneficiadas as populações das cidades de Princesa Isabel, Imaculada, Desterro, Livramento, São José dos Cordeiros, Taperoá, Teixeira e Cacimbas.

A ordem de serviço emitida, nesta segunda-feira (14), trata-se da primeira fase da segunda etapa da Adutora do Pajeú. O investimento nesta primeira fase, que tem extensão de 195 quilômetros, é de R$ 163 milhões. Entre os beneficiados estão nove municípios de Pernambuco e cinco da Paraíba. Mais de 112 mil pessoas serão atendidas com água de qualidade até setembro de 2015, período previsto para a conclusão.

Extensão total

Com 598 quilômetros de extensão, a Adutora do Pajeú, após conclusão de todas as etapas, vai beneficiar cerca de 400 mil pessoas de 21 municípios de Pernambuco e oito da Paraíba. O empreendimento vai captar água do Rio São Francisco, no Lago de Itaparica, no município de Floresta (PE). O investimento total será de R$ 547 milhões.

Ramal do Agreste

Esta obra vai garantir segurança hídrica para cerca de dois milhões de pessoas em 72 municípios. Localizado nos municípios de Sertânia (PE) e Arcoverde (PE), com investimento do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) de R$ 1,3 bilhão, o empreendimento terá 69 quilômetros de extensão e atenderá o Vale do Ipojuca, região do agreste pernambucano. O canal é uma obra associada ao Projeto de Integração do rio São Francisco e deriva de seu Eixo Leste.

* Fonte: Portal MI

Brasil: CCJ Aprova outro Projeto para Criação de Novos Municípios *

Após veto de Dilma, Senado

aprova versão mais rígida para

criar cidades

 

CCJ do senado aprovou o projeto do senador Mozarildo, relatado pelo senador Valdir Raupp

CCJ do senado aprovou o projeto do senador Mozarildo, relatado pelo senador Valdir Raupp

 

 

 

Depois do veto da presidente Dilma Rousseff ao projeto que abre caminho para a criação de mais 269 novos municípios do país, a CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) do Senado aprovou nesta quarta-feira (16) outra versão da proposta com regras mais rígidas para que as novas cidades sejam criadas ou incorporadas por outras.

O projeto determina que os municípios sejam criados preferencialmente nas regiões Norte e Nordeste –que têm menor densidade demográfica. O texto aumenta o tamanho da população mínima do município para que ele seja criado, desmembrado ou incorporado por outro em relação ao projeto do Congresso: 20 mil habitantes nas regiões Sudeste e Sul.

Em contrapartida, abaixou para 6.000 habitantes no Norte e Centro-Oeste. No Nordeste, a exigência mínima é de 12 mil habitantes. No projeto inicial, os números não beneficiavam as regiões menos populosas do país.

Apesar do discurso dos senadores de que o projeto limita a proliferação de novas cidades, o texto estimula fusões e incorporações ao permitir que cidades que se aglutinarem recebam o FPM (Fundo de Participação dos Municípios) até 12 anos depois de serem criadas. Pelas regras do fundo, a aglutinação de dois municípios de, por exemplo, cinco mil habitantes cada um, faria com que o novo município de dez mil habitantes recebesse menos do que a soma recebida pelos dois de cinco mil habitantes.

valdir-raupp-foto-moreira-mariz-agência-senado

Preservar por 12 anos uma receita maior dá tempo suficiente para que as unidades fundidas possam ajustar suas administrações a ponto de, no futuro, terem uma participação menor no FPM“, disse o relator do projeto, senador Valdir Raupp (PMDB-RO).

O relator também sugeriu uma “regra de transição” para que, a partir do 13º ano, os novos municípios tenham 10 anos para começarem a receber gradativamente a nova cota do FPM. Pela nova proposta, a formação de novas cidades só será permitida após a realização de estudo de viabilidade municipal e de consulta prévia, mediante plebiscito, às populações envolvidas.

IMPASSE

O Congresso aprovou o projeto vetado pela presidente no ano passado. A versão inicial abria caminho para a criação de 269 novos municípios no país. Com a nova versão, as entidades municipalistas ainda não calculam quantas novas cidades poderão surgir no país.

Presidente da Confederação Nacional do Municípios, Paulo Zilkoski defendeu a criação de novas cidades ao afirmar que a principal discussão não está sendo realizada pelo Congresso: o impacto político das novas cidades, com a criação de prefeituras e câmaras de vereadores.

No ano passado, a presidente Dilma vetou a proposta original integralmente porque o Planalto teme os impactos fiscais da criação dos novos municípios, estimados em R$ 9 bilhões.

Pelos cálculos da Folha de São Paulo, o projeto aprovado em 2013 abria caminho para a criação de 188 novos municípios.

Já o novo texto que acaba de ser aprovado na CCJ prevê a criação de, no máximo, 130 novas cidades.

Seguindo orientações do governo, o relator Valdir Raupp (PMDB-RO) estabeleceu que a população mínima exigida para a criação de um novo município passasse de 12 mil para 20 mil habitantes nas regiões Sul e Sudeste.

No Nordeste, esse número que no texto vetado por Dilma era de 8,4 mil, agora será de 12 mil.

As regiões Centro-Oeste e Norte tiveram mantidas a exigência de 6 mil moradores para a criação da cidade.

O novo projeto também reduz de 10% para 3% da população dos municípios envolvidos o número de assinaturas necessárias para dar início ao processo de fusão ou incorporação.

 

 

Leia a Íntegra:

CRIAÇÃO DE NOVOS MUNICÍPIOS

 

* Fonte: FolhaSP/Poder/Agência Senado

Brasil/Nova Lei Seca: Lei endureceu multa e aumentou prisões, mas ainda libera embriagados *

 

Com nova lei seca, juízes

absolvem motoristas

flagrados no bafômetro

 

Lei endureceu multa e aumentou prisões, mas ainda libera embriagados.Associação critica entendimento e pede tolerância zero a álcool no volante.

 

 

 

embriaguez-v3 nas estradas

 

Motoristas pegos no teste do bafômetro, mas que não demonstram estar embriagados, estão sendo absolvidos na Justiça graças a uma interpretação mais branda da nova lei seca.

O Código Brasileiro de Trânsito foi endurecido em dezembro de 2012 pela Lei 12.760, criada para punir motoristas que tentavam escapar da pena negando-se a soprar o bafômetro.

O G1 levantou decisões de diferentes tribunais, incluindo de segunda instância, que mostram que o resultado positivo no bafômetro não significa que o condutor flagrado responderá penalmente. Os casos apenas começaram a chegar ao Judiciário.
Antes, os motoristas não faziam o teste, eram multados (pena administrativa), perdiam a carteira de habilitação e tinham o veículo apreendido, mas não respondiam a processo criminal.

Com a nova lei, já não adianta fugir do teste. A norma incluiu novos tipos de provas contra os condutores, como testemunhas, vídeos e fotos, que já resultaram em condenações.

O valor da multa também aumentou, de R$ 957,70 para R$ 1.915,40 (que é dobrado se o motorista for reincidente em um ano). A medida já é considerada um fator de diminuição de acidentes no país.

Na nova interpretação dos juízes, no entanto, agora não basta ser flagrado com nível de álcool no sangue acima do permitido, é preciso também ter perdido os reflexos, ou seja, a “capacidade motora” para dirigir.

O entendimento se baseia na alteração da parte principal do artigo 306 do Código de Trânsito Brasileiro, que retirou a expressão “concentração de álcool” (veja ao lado).
Sob esse argumento, foram rejeitadas denúncias do Ministério Público (MP) contra motoristas flagrados com quantidade proibida de álcool no sangue, e outros foram absolvidos.
A interpretação divide especialistas sobre o tema. Parte considera que a lei se tornou mais justa, punindo apenas com multa, e não detenção, o condutor que bebeu pouco, mas não causou perigo a outras pessoas.

Liberados

No Maranhão, o juiz Paulo Afonso Vieira Gomes rejeitou denúncia do MP contra um homem flagrado por policiais pilotando uma motocicleta e cujo teste de alcoolemia apontou 0,595 mg de álcool por litro de sangue, índice superior ao permitido por lei.

Pela clareza lunar do dispositivo em comento, claramente se extrai não bastar, para configuração do crime, esteja o condutor com concentração de álcool no sangue superior ao limite previsto legalmente, mas, sim, que também esteja com sua capacidade psicomotora alterada em razão da influência de substância psicoativa”, escreveu o juiz na decisão.

No Rio Grande do Norte, o juiz Guilherme Newton do Monte Pinto também absolveu um réu “abordado por policiais militares no momento em que dirigia o seu veículo em zig-zag (sic)”. Sem o teste do bafômetro, foi feito um termo de constatação de embriaguez (uma série de perguntas respondidas pelo motorista), com resultado positivo, e ele foi liberado após pagar fiança.

Condenações

O novo entendimento sobre a lei seca, no entanto, não é sempre usado para livrar todos os motoristas que se recusarem a soprar o bafômetro. Além de não haver escapatória da punição administrativa, as decisões judiciais mostram que os outros meios de prova se tornaram eficazes para punir quem dirige embriagado.

saiba mais

* Fonte: G1/Autoesporte

Comportamento: Confiança! Brasileiro Confia mesmo na Família. Diz Pesquisa *

 

62% dos brasileiros dizem ter

pouca confiança nas pessoas

 

nas cidades no interior, 83% dizem que as pessoas só querem tirar vantagem e apenas 15% agem de maneira correta.

nas cidades no interior, 83% dizem que as pessoas só querem tirar vantagem e apenas 15% agem de maneira correta.

O brasileiro só confia muito na própria família. É o que mostra a pesquisa da Confederação Nacional da Indústria (CNI), feita em parceria com o Ibope com 2.002 pessoas em 143 municípios. De acordo com o levantamento, 73% dos brasileiros têm muita confiança na família.

Quando indagados sobre as outras pessoas com quem convivem, a desconfiança só aumenta: só 18% dizem confiar muito nos amigos, 11% nos vizinhos e 9% nos colegas de trabalho ou da escola. Apenas 6% têm muita confiança nas outras pessoas. Outros 31% dizem ter alguma confiança nas outras pessoas em geral. E 62% dizem ter pouca ou nenhuma.

A justificativa para a baixa confiança está na impressão de que as pessoas agem de maneira errada. Para 82% dos entrevistados, a maioria das pessoas só quer tirar vantagem. A sensação é maior na região Nordeste – 89% da população têm essa percepção – e menor nas regiões Norte e Centro-Oeste, onde o percentual cai para 71%.

A pesquisa Retratos da Sociedade Brasileira: Padrão de Vida foi feita pela CNI com o objetivo de conhecer melhor o consumidor. Os resultados mostram que os jovens e os moradores de cidades do interior confiam menos no outro. “É importante para a CNI conhecer o consumidor. Quando ele está desconfiado, isso afeta sua decisão de consumo”, afirma o gerente-executivo de Pesquisa e Competitividade da CNI, Renato da Fonseca.

Quais são os grupos mais desconfiados?

Moradores do interior confiam menos - A parcela dos que dizem confiar quase nada ou não confiar é maior entre os moradores do interior do país (64%) do que entre os das capitais (60%). Dos que estão nas cidades no interior, 83% dizem que as pessoas só querem tirar vantagem e apenas 15% agem de maneira correta. Nas capitais, enquanto 80% acreditam que o outro quer tirar vantagem, 19% diz que as pessoas agem de maneira correta.

Jovens desconfiados – Entre os que têm entre 16 e 24 anos, 67% dizem ter quase nenhuma ou nenhuma confiança. O percentual cai para 57% quando se analisa a parcela que tem 50 anos ou mais. Enquanto 85% dos mais jovens acreditam que as pessoas só querem tirar vantagem, 79% dos mais velhos dizem o mesmo.

Nordeste e sudeste desconfiam mais – No Nordeste e no Sudeste o percentual dos que têm quase nenhuma ou nenhuma confiança é superior à média nacional, de 62%. Nas duas regiões sobe para 66% e 65%, respectivamente. Na região Sul cai para 53%. Nas regiões Norte e Centro-Oeste é de 57%.

Homens x mulheres – O nível de desconfiança independe do sexo. Para homens e mulheres o percentual dos que tem quase nenhuma ou nenhuma confiança nas outras pessoas em geral é o mesmo, de 62%. Para 83% das mulheres, a maioria das pessoas só quer tirar vantagem. O percentual dos homens que dizem o mesmo é de 82%.

* Fonte: MSN Empregos

Jogos Olímpicos 2016: Custo total (hoje) – 36,7 bilhões. Veja quem paga *

RIO 2016

 

 

O orçamento das Olimpíadas Rio 2016 está previsto, atualmente, em R$ 36,7 bilhões, sendo cerca de 60% recursos da iniciativa privada

O orçamento das Olimpíadas Rio 2016 está previsto, atualmente, em R$ 36,7 bilhões, sendo cerca de 60% recursos da iniciativa privada

 

 

Olimpíadas do Rio vão custar R$ 36,7 bilhões

 

O orçamento das Olimpíadas Rio 2016 está previsto, atualmente, em R$ 36,7 bilhões, sendo cerca de 60% recursos da iniciativa privada. Os números foram apresentados hoje (16) pelos governos municipal, estadual do Rio e federal no Forte de Copacabana.

A Matriz de Responsabilidades, que envolve projetos que não seriam feitos se não fosse as Olimpíadas, como os equipamentos esportivos, chegam a R$ 5,6 bilhões, sendo R$ 4,18 bilhões da iniciativa privada. Já os R$ 7 bilhões do custo operacional das Olimpíadas vem todo dos patrocinadores, para cobrir custos como hospedagem e alimentação dos atletas.

Somente de legado para a cidade, estão previstos investimentos de R$ 24,1 bilhões. No plano apresentado hoje, foram excluídos projetos já entregues, como os BRTs Transoeste, em funcionamento desde junho de 2012, e a Transcarioca, que fica pronto em 30 dias.

O  ministro do Esporte, Aldo Rebelo, disse que algumas das obras para as Olimpíadas foram antecipadas do PAC Tomaz Silva/Agência Brasil

O ministro do Esporte, Aldo Rebelo, disse que algumas das obras para as Olimpíadas foram antecipadas do PAC Tomaz Silva/Agência Brasil

“Legado para a gente não é um estádio bonito que vai ser desmontado depois. Legado para a gente é o que fica para a população. Você tem equipamentos esportivos que ficam para depois, como o centros de treinamento, que terão uma função esportiva. O bom da história é que naquilo que é mobilidade, infraestrutura urbana, você não tem uma reclamação do COI [Comitê Olímpico Internacional], o legado vai muito bem”, disse o prefeito Eduardo Paes.

A prefeitura é responsável por 14 projetos, em um total de R$ 14,3 bilhões, sendo 64% (R$ 9,2 bilhões) dos recursos privados, 28% (R$3,9 bilhões) municipais e 8% (R$1,2 bilhão) federais. Há dinheiro do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e também de parcerias público privadas (PPPs).

Leia a Íntegra:

Olimpíadas do Rio vão custar R$ 36,7 bilhões

*Fonte: Agência Brasil/Akemi Nitahara – Repórter da Agência Brasil

Crônica/Opinião: Desperta Brasil! – Por SanGer *

É hora de despertar

 

Brasil - alegria, ginga, molejo, injustiça social, discriminação, desemprego...Corrupção

Brasil – alegria, ginga, molejo, injustiça social, discriminação, desemprego…Corrupção

 

 

 

Eu não tenho o direito de calar e ficar vendo a banda passar enquanto o povo brasileiro é relegado a planos inferiores e os nossos mandatários cometem os maiores desatinos contra quem os elegeu, seus representantes.

Pois bem, o nosso país tem carências crônicas que há muito deveriam ter sido sanadas e não são porque não querem deixar o poder de mando em manejar a massa a seu bel prazer.

Vejamos, pois algumas cruciais carências;

1. O Brasil tem milhares de crianças morando nas ruas e sujeito a tudo negativo.

2. O Brasil tem milhares de crianças sem Educação Básica.

3. O Brasil é o país que trata pior o seu professorado, inclusive enganando a todos inclusive, os professores, dizendo que paga o piso nacional de salarial, quando na verdade cometeu o crime de suprimir os direitos adquiridos como quinquênios, decênios etc.

4. Milhares de brasileiros vivem na informalidade.

5. Milhares de brasileiros estão morando nas ruas.

6. Milhares de brasileiros estão desempregados, inclusive profissionais competentes ao completar 50 anos são dispensados e dificilmente conseguem outro emprego.

7. Milhares de brasileiros estão vivendo em situação de miséria absoluta, não têm trabalho, não têm comida, não têm teto.

8. Milhares de aposentados vivem fazendo bicos para comprarem os seus remédios e assim suportarem as dores que a idade impõe.

9. A população presidiária aumenta a cada dia. Presos amontoados sendo transformados em verdadeiros monstros.

10. A criminalidade tomou conta de toas as cidades. A nossa polícia ainda é despreparada e a justiça é muito lenta.

11. Os políticos perderam a credibilidade, pois todos os meses a sociedade toma conhecimento de escândalos, os mais diversos.

12. O nosso povo está perdendo o respeito próprio e isso é sério, pois o povo está vivendo por viver.

13. Enfim, nosso país tem uma Educação deficiente, uma Saúde carente inclusive com cidades sem hospitais, um crescimento assustador da violência, a maior desigualdade social da América do Sul e a maior carga tributária do mundo, parecendo até os tempos coloniais onde o trabalhador tinha que alimentar a farra dos governantes.

Ainda assim o nosso Brasil oferta Milhões e Milhões de ajuda humanitária a alguns países da África, América Central e principalmente Cuba. Nada contra os citados, mas o nosso país está sofrendo com tantas carências e os nossos governantes não perceberam os grandes problemas que estamos enfrentando? E o pior é que gastam milhões na mídia, inclusive internacional para dizer ao mundo que o Brasil está ofertando dinheiro. E por baixo do tapete o povo em agonia.

Apesar de tudo somos o país mais amado do mundo, queremos que a ajuda humanitária chegue aos brasileiros carentes e não precisaria gastar na mídia, pois nossa gente sabe ser agradecida, muitas vezes até subserviente, pois não vê que é obrigação dos governantes cuidar do seu povo. E ganham muito bem para isso.

Por favor, deem ao povo brasileiro o que é seu por direito. Não rasguem a Constituição!”

2014 é um bom ano para despertar.

DESPERTA BRASIL!

 

Gera Santana pesqueira

 

 

* Autor: SanGer – Geraldo Santana – Gera é pesqueirense, professor, cronista, colaborador do OABELHUDO, poeta, radialista  e cerimonialista.

Eleição 2014/Pesquisa Eleitoral(16/04): Vox Populi Indica Percentuais Estáveis *

 

Pesquisa Vox Populi indica

estabilidade de Dilma Aécio e Campos

Pré-candidatos tiveram oscilação de apenas um ponto percentual em relação a pesquisa de fevereiro; com 40% das intenções, Dilma venceria no primeiro turno

 

Dima mantém boa margem de diferença para Aécio Neves e Eduardo Campos

Dima mantém boa margem de diferença para Aécio Neves e Eduardo Campos

 

 

 

A presidente Dilma Rousseff (PT), pré-candidata à reeleição, se manteve estável e, com a oscilação de apenas um ponto percentual tem 40% das intenções de votos. As informações são da pesquisa Vox Populil divulgada na noite desta quarta-feira, 16 pela Carta Capital. O levantamento mostra que, juntos, os rivais Aécio Neves (PSDB), Eduardo Campos (PSB) e Pastor Everaldo Pereira (PSC) totalizam 26% das intenções de voto.

Em segundo lugar, está Aécio, que também oscilou um ponto para baixo – de 17% para 16%. Eduardo Campos tem 8% – ante 6% em fevereiro. Pastor Everaldo tem 2% das intenções de voto. As oscilações apresentadas na pesquisa, em relação ao levantamento anterior, estão dentro da margem de erro de 2,1 pontos percentuais.

O levantamento foi realizado entre os dias 6 e 8 de abril, antes de Eduardo Campos oficializar o nome de Marina como pré-candidata a vice em sua chapa. Levy Fidelix (PRTB), Randolfe Rodrigues (PSOL), Eymael (PSDC) e Mauro Iasi (PCB) não pontuaram. Na pesquisa anterior, todos os candidatos considerados “nanicos” não somavam mais de 1% nas intenções de voto.

Votos em branco ou nulos se mantiveram em 15% na pesquisa divulgada nesta quarta. O número dos que não sabem em quem votar ou que não responderam à pesquisa é de 18% – ante 20% no levantamento anterior.

Foram ouvidos 2.200 eleitores em 161 municípios de todos os Estados, menos Roraima, e no Distrito Federal. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral no último dia 11, sob o número BR-00075/2014.

* Fonte: Carta Capital/Vox Populi

Eleição 2014/Pesquisa Vox Populi em Pernambuco – Armando e João Paulo bem na frente *

 

Consulta:

“recall” garante vantagem

 

 

Pesquisa Vox Populi dá uma grande diferença a favor de Armando Neto contra Paulo Câmara

Pesquisa Vox Populi dá uma grande diferença a favor de Armando Neto contra Paulo Câmara

Cenário adverso para o senado. Fernando Bezerra Coelho para enfrentar o deputado João Paulo

Cenário adverso para o senado. Fernando Bezerra Coelho para enfrentar o deputado João Paulo

 

 

Pesquisa Vox Populi foi encomendada por grupo do PT pernambucano. No cenário da estimulada para governador do Estado, foram apresentados os nomes do senador Armando Monteiro Neto e do ex-secretário da Fazenda, Paulo Câmara. O petebista pontuou 55%, enquanto o socialista, 7%. O senador conta com um recall, do qual o ex-auxiliar de Eduardo Campos não desfruta. A consulta, a qual a coluna teve acesso, é interna e, portanto, não será publicada. O cenário do Senado também aponta vantagem da chapa encabeçada por Armando: João Paulo marca 48% e Fernando Bezerra Coelho – que já reconheceu, em entrevista à Rádio Folha, a desvantagem sofrida em relação ao recall dos adversários – aparece com 14%. Os números animaram os petistas, sobretudo porque eles consideram que o guia na TV só terá início em julho e, até lá, Câmara não terá a presença física constante do presidenciável socialista para ajudar a empiná-lo. Foram entrevistados 1200 eleitores entre 29 de março e 02 de abril.

Os números animaram os petistas, sobretudo porque eles consideram que o guia na TV só terá início em julho e, até lá, Câmara não terá a presença física constante de Campos para empiná-lo

Na prática, até onde vai… 

A consulta Vox Populi inclui pergunta que reflete o incômodo dos petistas, segundo os quais, Eduardo Campos não dá os devidos créditos ao Governo Federal. A questão introduz: “Pessoas acham que Eduardo Campos foi bom governador devido ao apoio de Lula. Outras acham que foi bom por mérito próprio, ou seja independe do apoio de Lula. E outras não tem opinião sobre esse assunto”.

…poder de Campos - Ao fim, indaga: “Qual das três mais se parece com a sua?”. O resultado foi de 52% para a primeira opção e 30% para a segunda. O resultado atende às expectativas do PT, que aposta no poder de Lula e Dilma de influenciar a eleição no Estado.

Leia a Íntegra:

http://www.folhape.com.br/edicaodigital/2014/abril/16/index.html#4/z

* Fonte: FolhaPE/folha Política-Renata Bezerra de Mello

Direitos Humanos/Ditadura: Adolfo Perez Esquivel: “Dom Paulo me salvou duas vezes da prisão” *

 

 

Nobel da Paz:

Dom Paulo Arns me salvou

duas vezes da ditadura brasileira

 

 

O ativista de direitos humanos argentino Adolfo Perez Esquivel, de 82 anos, ganhador do Prêmio Nobel da Paz em 1980, disse que foi “salvo duas vezes” por dom Paulo Evaristo Arns durante a ditadura no Brasil.

 

Adolfo Esquivel, Ativista argentino esteve duas vezes preso no Brasil

Adolfo Esquivel, Ativista argentino esteve duas vezes preso no Brasil

Em entrevista à BBC Brasil em Buenos Aires, Esquivel disse que foi preso na primeira vez por militares em São Paulo em 1975, e na segunda vez em 1981.

Em 1975, foi muito difícil, porque eles colocaram um capuz na minha cabeça, uma gravação de gritos de pessoas sendo torturadas e levantavam um pouco o capuz somente para que eu pudesse identificar latino-americanos que eles perseguiam.”

Segundo ele, os militares queriam que ele “denunciasse” outros opositores ao regime no Brasil. “Eu disse que não conhecia ninguém”.

Perez Esquivel afirmou ainda que três militares o interrogaram e não pode ver seus rostos. “Eram três interrogadores – um muito duro que dizia que iam me matar, que iam me torturar, outro que dizia que era conveniente que eu falasse e outro que queria se fazer de meu amigo, que estava ali para me ajudar”, afirmou.

No dia seguinte à prisão, o então arcebispo de São Paulo dom Paulo Evaristo Arns, conseguiu tirá-lo do local. “O cardeal me salvou duas vezes”, disse o Prêmio Nobel durante a entrevista realizada na sede da ONG Serviço Paz e Justiça (Serjap) que dirige na Argentina.

Segundo Esquivel, Arns reuniu outros religiosos e defensores de direitos humanos e organizou uma manifestação na porta da delegacia, que não recordou onde ficava, assim que soube da sua detenção.

“Dom Paulo, certamente, falou com autoridades do Brasil para que eu fosse liberado. Mas não sei as gestões exatas que ele fez. O que sei é que ele não perdeu tempo em organizar uma manifestação na porta da delegacia para me salvar. E me salvou“, disse.

Dom Paulo Evaristo Arns, Cardeal brasileiro lutou pelo direito de presos políticos durante o regime militar

Dom Paulo Evaristo Arns, Cardeal brasileiro lutou pelo direito de presos políticos durante o regime militar

Medo

Quando perguntado se tinha sentido medo de morrer na prisão durante a ditadura no Brasil, ele respondeu: “Daquela vez sim, foi mesmo preocupante”.

Ele contou que foi preso no aeroporto em São Paulo, e que estava com o advogado Mario Carvalho de Jesus, da Frente Nacional do Trabalho, e com a austríaca Hildegard Goss-Mayr, atual presidente honorária do Movimento Internacional de Reconciliação e integrante do Serpaj, que mora em Viena.

Leia a Íntegra:

Esquivel: ‘Dom Paulo me salvou da ditadura’

 

* Fonte: BBCBrasil/Marcia Carmo

Para a BBC Brasil, em Buenos Aires

Brasil: Marco Polo Del Nero é o Novo Mandatário da CBF. Eleito por unanimidade *

 

Sem oposição, Del Nero

é aclamado presidente da CBF

Cartola assume a entidade após comandar Federação Paulista por 10 anos

 

Marco Polo Del Nero foi eleito o novo presidente da CBF (Gazeta press)

Marco Polo Del Nero foi eleito o novo presidente da CBF (Gazeta press)

Agora é oficial: Marco Polo Del Nero é o novo presidente da Confederação Brasileira de Futebol. No início da tarde desta quarta-feira, eleição na sede da entidade, no Rio de Janeiro, formalizou a escolha do candidato único ao cargo, com 44 votos a favor e apenas dois em branco.

Teriam direito a voto no pleito os 27 presidentes de federações estaduais e os 20 clubes da Série A do Campeonato Brasileiro. O Figueirense, que subiu à elite em 2013, contudo, sequer compareceu à eleição, em virtude da liminar obtida pelo Icasa, diminuindo o número de votantes.

Francisco Paes de Lira, presidente do clube cearense, que hoje teria direito de disputar à Série A através de liminar da Justiça Comum, foi ao Rio, mas também não participou da eleição, ficando em uma sala separada. A CBF não quis correr o risco de o pleito ser impugnado com o imbróglio entre os clubes.

As únicas federações que não votaram em Del Nero foram as do Paraná, presidida por Hélio Pereira Cury, e do Rio Grande do Sul, de Francisco Novelletto, homem que encabeçaria a chapa de oposição à presidência.A Federação Carioca, que também era vista como ‘oposicionista’, votou com a situação.

Com a eleição de Del Nero, ficam definidos os novos vices da entidade – José Maria Marin, Fernando José Sarney, Gustavo Dantas Feijó, Delfim Pádua Peixoto e Marcos Antônio Vicente – e os membros do Conselho Fiscal – Antônio Carlos Oliveira Coelho, Arthur Conde Junior e Marcos Moraes.

Além da eleição para a presidência da CBF, em mandato de 2015 até 2018, a Assembleia desta terça também serviu para aprovar as contas da gestão de José Maria Marín em 2013. Números ratificados Por aclamação dos 27 presidentes de federações presentes.

* Fonte: ESPN

Brasil: Estudo do HSBC diz que Pais Consideram que Gastos com Educação é Prioridade *

 

Pais brasileiros são os que dão

mais valor à educação

Estudo do banco HSBC mostra que 79% dos entrevistados no País acreditam que pagar pela educação é o melhor investimento

 

 

 

Pais identificam que gastar com educação dos filhos é um grande investimento

Pais identificam que gastar com educação dos filhos é um grande investimento

 

Os pais brasileiros são os que mais apostam no gasto em ensino para garantir o sucesso dos filhos. Um estudo global elaborado pelo banco HSBC mostra que 79% dos entrevistados no Brasil acreditam que pagar pela educação é o melhor investimento que podem fazer para a próxima geração.

Depois do Brasil, a importância é maior na China (77%), Turquia e Indonésia (cada um com 75%), sendo a média mundial de 58%. A pesquisa foi realizada com 4.592 pessoas de 15 países entre dezembro de 2013 e janeiro deste ano (ver mais ao lado).

No recorte com dados apenas dos brasileiros, os entrevistados apontaram a educação como destino ideal de recursos alocados para o suporte financeiro dos filhos. No Brasil, 44% aportariam preferencialmente o dinheiro para os estudos – resultado também acima da média mundial (42%). A segunda opção é o fundo de investimento (15%), seguida pela ajuda para iniciar um negócio (10%).

A relevância do Brasil na pesquisa pode ser explicada por dois grandes motivos. Primeiro, educação de qualidade no País se tornou sinônimo de ensino privado – segundo o levantamento, 66% dos entrevistados brasileiros acreditam que a escola particular é melhor do que a pública. Em segundo lugar, é inegável que há uma mudança comportamental, com aumento da importância dada para a educação.

Os dados do estudo do HSBC mostram que 97% dos pais desejam que os filhos frequentem a universidade, 84% que frequentem uma pós-graduação e 77% esperam que os filhos tenham um nível de educação melhor do que a deles.

“Cada vez mais o brasileiro quer se destacar no mercado. Talvez o brasileiro nunca tenha se preocupado com educação como antes”, afirma Augusto Miranda, diretor de gestão de patrimônio do HSBC.

Os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) – compilado pelo Centro de Políticas Públicas do Insper – revelam parte dessa mudança cultural. De 1992 a 2012, o porcentual de brasileiros com mais de 22 anos com 0 a 4 anos de estudo caiu pela metade: de 60% para 33,1% da população. Na outra ponta, a parcela dos que têm 12 anos ou mais de estudo subiu de 7,6% para 15,9%.

“Foram vários os fatores que levaram a esse aumentou do tempo de escolaridade. Tudo começou com a Constituição de 1988. Ela descentralizou o cuidado com a educação para os municípios com a transferências de recursos”, afirma Naercio Menezes Filho, coordenador do Centro de Políticas Públicas do Insper.

O aumento da escolaridade média também foi impulsionado pela criação do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério (Fundef)- depois transformado no Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) – e pelos programas de transferência de renda e de facilidade ao crédito.

Anos de estudo. No Brasil, há uma relação elevada entre valores de salários e os níveis de ensino. Na média, há um aumento de 10% no salário para cada ano adicional de estudo. “Antigamente, o ensino médio dava um diferencial muito grande, depois começou a ser o ensino superior, sinalizando para a sociedade a importância de frequentar a escola e entrar no mercado de trabalho com uma escolaridade maior”, afirma Naércio.

Em São Paulo, por exemplo, com base nos dados da Pnad de 2012, o salário médio de quem estudou de 0 a 7 anos era de R$ 1 mil. O valor subia para R$ 1,5 mil para aqueles que completaram 11 anos de estudo. Ao término do ensino superior, a remuneração média ia para 3,5 mil, e para pós-graduados chegava a R$ 8 mil.

Veja também:

* Fonte: Estadão

Pernambuco: Presídios – Uma chaga Aberta. “…Fábrica de Monstros” *

 

 

OAB:

“Presídios de Pernambuco são fábricas de monstros”

Presidente da Ordem ainda comparou unidades com navios negreiros

 

“Lembrei do navio negreiro, quando entrei, vi em que situação os presos são tratados”,

disse presidente da OAB-PE

 

Celas abarrotadas de presos em situação absolutamente DESUMANA.

Celas abarrotadas de presos em situação absolutamente DESUMANA.

Nesta terça-feira (15), a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-PE) debateu o relatório feito durante as visitas aos presídios do Estado de Pernambuco, no mês de fevereiro. Na ocasião foram apresentados os problemas do sistema carcerário do Estado, entre eles: superlotação, falta de higiene e número bastante reduzidos de agentes penitenciários.

O presidente da OAB de Pernambuco, Pedro Henrique Alves, contou que o atual método não ressocializa. “O cenário que vimos já era esperado, superlotações,ambientes muitos sujos com cheiro insuportável. Isso tudo só traz problemas de saúde e segurança para os detentos”.

Nesta terça-feira (15), a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-PE) debateu o relatório feito durante as visitas aos presídios do Estado de Pernambuco, no mês de fevereiro. Na ocasião foram apresentados os problemas do sistema carcerário do Estado, entre eles: superlotação, falta de higiene e número bastante reduzidos de agentes penitenciários.

O presidente da OAB de Pernambuco, Pedro Henrique Alves, contou que o atual método não ressocializa. “O cenário que vimos já era esperado, superlotações,ambientes muitos sujos com cheiro insuportável. Isso tudo só traz problemas de saúde e segurança para os detentos”.

Leia a Íntegra:

OAB: “Presídios de Pernambuco são fábricas de monstros”

* Fonte: LeiaJá/por Bruno Andrade |

Pesqueira: Prefeitura Homenageia – Projeto Nova Chance *

 

Prefeitura de Pesqueira está integrada

no Programa Estadual de Ressocialização

de Reeducandos

O projeto é destinado à reeducandos para trabalharem nas áreas de capinação, jardinagem, varrição e pintura

25 reeducandos estão engajados no Programa de Ressolialização da Prefeitura de Pesqueira

NOVA CHANCE – 25 reeducandos estão engajados no Programa de Ressocialização da Prefeitura de Pesqueira

Pesqueira homenageia o projeto Nova Chance

o secretário executivo de Ressocialização, Romero Ribeiro, recebeu um quadro das mãos do prefeito Evandro Chacon, e do presidente da Câmara, Tito França, a homenagem.

o secretário executivo de Ressocialização, Romero Ribeiro, recebeu um quadro das mãos do prefeito Evandro Chacon, e do presidente da Câmara, Tito França, a homenagem.

A Câmara de Vereadores e a Prefeitura de Pesqueira homenagearam com voto de aplauso o Governo de Pernambuco, por meio da Secretaria Executiva de Ressocialização – Seres, órgão vinculado à Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos, pela execução do Projeto Nova Chance no município. Na ocasião, o secretário executivo de Ressocialização, Romero Ribeiro, recebeu um quadro das mãos do prefeito Evandro Chacon, e do presidente da Câmara, Tito França, simbolizando a homenagem. Estiveram presentes ao evento, a Juíza da 3ª Vara de Execução Penal, Orleida Rosélia, vereadores, secretários municipais, servidores e representantes da sociedade civil.

O município é um dos parceiros do projeto, que utiliza a mão de obra carcerária na manutenção de vias e equipamentos públicos. Em Pesqueira, 25 reeducandos trabalham em diversas atividades, como capinação, jardinagem, varrição e pintura. No total, são 500 detentos beneficiados em todo estado. Recife, Paulista, Jaboatão dos Guararapes e Petrolina são cidades que também utilizam o trabalho dos reclusos.

Romero Ribeiro agradeceu o reconhecimento em nome do Governo do Estado e de toda a equipe Seres. Sobre a iniciativa, ele destacou que, “a verdadeira ressocialização é obtida através da educação, do trabalho e da qualificação profissional. Com esse projeto todos ganham, sobretudo, os reeducandos, seus familiares e a sociedade”, ressaltou o secretário.

De acordo com Evandro Chacon, a população aprovou a ideia. “Recebo muitos elogios dos moradores que estão satisfeitos com o trabalho dos reeducandos. Vários prefeitos já me procuraram e disseram que vão aderir ao projeto”, explicou o gestor. “Aqui, eles são chamados de ‘Os Universitários’”, completou Chacon.

Em Pesqueira, uma estrutura com alojamento, refeitório, sala de aula, dentre outros equipamentos, foi montada especialmente para Nova Chance. “É importante saber aproveitar a chance que está sendo dada. Eu soube aproveitar a minha”, disse Daniel S., um dos contemplados pelo projeto.

* Fonte: Portal Sec Ressocialização PE/por Marcelo Aragão – Responsável Jô Lima/ Ass. de Imprensa da SEDSDH

Eleição 2014: Pesquisa IPMN Identifica que Saúde é o Maior Problema do Pernambucano *

 

 

 

Os pernambucanos não estão muito

preocupados com corrupção.

grafico IPMN de saude

O Instituto de Pesquisa Maurício de Nassau perguntou aos eleitores pernambucanos qual seria o principal problema de Pernambuco e constatou que a saúde como o tema mais relevante, para os entrevistados. Com 36,2% das respostas.

Na sequência, aparece a questão da segurança pública, com 23%, em segundo lugar, mesmo depois do Pacto pela Vida.

Educação e infraestrutura ficam empatados, com 8%, cada.

Na mesma ordem, os três problemas (excluindo infra) são apontados como as mudanças principais a serem feitas pelo próximo governador.

O desemprego vem logo depois, com 6%.

O curioso é que o governador Eduardo Campos elegeu-se justamente prometendo implantar novos hospitais e descentralizar o atendimento com as unidades de pronto atendimento.

* Fonte: IPMN/JC

Efemérides/História: Posse do primeiro prefeito eleito de Rio Branco (hoje Arcoverde) – Colaboração de Pedro Salviano *

Posse do primeiro prefeito

eleito de Rio Branco

 

 

 

«Chegada do coronel Japyassu ao novo município de Rio Branco, depois de eleito prefeito municipal». Fotos da Revista da Cidade n. 125 de 13-10-1928, pág. 22 http://goo.gl/e2rm75  (mais revistas:  http://goo.gl/HnZdoh ).

«Chegada do coronel Japyassu ao novo município de Rio Branco, depois de eleito prefeito municipal». Fotos da Revista da Cidade n. 125 de 13-10-1928, pág. 22 http://goo.gl/e2rm75 (mais revistas: http://goo.gl/HnZdoh ).

 

chegada 2 cel Japyassu Rio Branco - 1928-B

Vários temas abordados por esta coluna já mostraram a influência do Cel. Antônio Japiassu na história de Arcoverde (por ex. http://goo.gl/X6TAJB , http://goo.gl/pQEBLC ).

Após a vitória do movimento em prol da emancipação de Pesqueira, o novo município de Rio Branco (hoje Arcoverde) teve sua primeira eleição. Como ela aconteceu? O que podemos acrescentar aos conhecimentos daquele importante fato histórico? Foi feita uma compilação dos principais registros dos pesquisadores (http://goo.gl/xUDAZk )  e mais alguns dados são acrescentados.
                Hoje carecendo de mais atenção, a estação da antiga Great Western foi palco para importantes acontecimentos da história do município, como é corroborado por fotos aqui mostradas.
                Outro marco histórico é o cine Rio Branco (ver http://goo.gl/irNlDe ). No livro O Município de Arcoverde (Prima Editora, Arcoverde, 1961, pág. 4), Teofanes Chaves Ribeiro registrou (escrita da época) http://goo.gl/Txohl2 :
              «Assim, a começar do ano de 1919, uma plêiade de homens de boa vontade, se movimenta, no sentido de emancipar o distrito, desligando-o e tornando-o independente. No Cine local houve uma sessão muito agitada, tendo todos os presentes, que eram na sua maioria elementos do comércio, se comprometido a não mais pagar impostos ao supra citado município. Jornais da Capital do país publicaram notícias dêsse movimento emancipacionista, enviadas pelo então correspondente dos orgãos A NOITE e O JORNAL — Sr. Antonio Napoleão Arcoverde. Entretanto, a política de alguns senhores, ligada a interêsses diversos, contribui sobremodo para o retardamento dêsse justo desejo. Finalmente, em 11 de Setembro de 1928, por fôrça da Lêi n. 1.931 do Sr. Governador cio Estado, Dr. Estácio Coimbra, era transformada em realidade a feliz aspiração do povo de Rio Branco, sendo êste, como outros distritos, elevado a município, respirando, dai em diante, o salutar clima da independência. Nêsse mesmo ano é eleito seu primeiro prefeito municipal, sob a legenda do Partido Republicano — Sr. Antonio Japiassú. É, apenas, de quase 2 anos a duração dessa edilidade. Em 1930, com a vitória da revolução levada a efeito no país, foi nomeado prefeito, pelo govêrno revolucionário o Sr. Ernesto Lima Rodrigues da Silva, que mal chegou a tomar posse viu-se obrigado pela fôrça das circunstâncias a se dirigir à Capital do Estado, onde o esperava importante missão do govêrno. Resolveu demitir-se sendo nomeado o dr. Luis Coêlho Alves da Silva, cuja administração legou a Rio Branco importantes melhoramentos.»
           Sempre objetivando estimular a pesquisa pelos assuntos da nossa história, links são disponibilizados, remetendo os leitores interessados para novas pesquisas. Assim, retomamos a cronologia para mostrar a grande mudança administrativa que nos atingia (http://goo.gl/Yc3TUV )  e que no dia 13 de setembro de 1928 o jornal A Provincia N. 212 mostrava na página 2: “A nova divisão administrativa de Pernambuco. O território do estado ficou organisado em 85 municípios” :http://goo.gl/OxSmhs .
                Na sequência,  A Provincia n. 220, do dia 22 de setembro de 1928, apresentava na sua capa (ver http://goo.gl/GlR620 ) a inscrição da chapa do município Barão do Rio Branco (nome que também constava na fachada da estação; e, como sabemos, adotou-se apenas o Rio Branco…). Mantendo a escrita da época, vemos:
                «Eleições Municipaes – As chapas já organisadas do 3. Districto – Barão do Rio Branco
Prefeito: Antonio Japyassu. Sub-prefeito: José Cordeiro de Albuquerque. Concelheiros: Isaias Gonçalves de Lima. Florismundo de Oliveira. Leonardo José Guimarães. Manoel Ramiro da Fonseca. Antonio de Padua Ferreira. Manoel Cavalcanti de Araujo. Acacio Gomes de Albuquerque. José Severo Filho. Julio Pacheco Freire.»
Convite para o banquete da posse do primeiro prefeito, anunciado para o dia 15 de outubro de 1928, às 12 horas.

Convite para o banquete da posse do primeiro prefeito, anunciado para o dia 15 de outubro de 1928, às 12 horas.

Cel. Antônio Japiassu, o primeiro prefeito eleito de Rio Branco (hoje Arcoverde).

Coronel Antônio Japyassú, o primeiro prefeito eleito de Rio Branco (hoje Arcoverde).

Mas, como foram as solenidades da posse? No mesmo A Provincia, edição 270 do dia 21 de novembro de 1928, na página 2 http://goo.gl/ORD5rX aparece a cobertura jornalística do evento (com ortografia da época):
« Rio Branco, 17 de novembro de 1928
                Tiveram muito brilho as festas realizadas, nesta cidade, não só para commemorar a data da proclamação da Republica como para solennisar a posse da sua primeira administração.
                A posse foi solenne no edificio do Paço Municipal perante selecta assistencia.
                Presidio o acto o juiz municipal de Pesqueira que empossou o prefeito e conselheiros.
                Às 17 horas effectuou-se a passeata escolar.
                Às 20 horas teve logar o banquete de 70 talheres, no hotel “Rio Branco”, offerecido ao prefeito cel. Antonio Japyassú, pela commissão executiva das festas do Rio Branco.
                Offereceu o banquete o padre Luis de Góes que salientou as qualidades do homenageado e o seu prestigio no municipio, do que era prova a presente homenagem que reuniu todos os elementos do real prestigio em Rio Branco. Em nome do coronel Antonio Japyassú agradeceu o dr. Francisco de Crasto.
                Por fim, fez o brinde de honra ao sr. governador do Estado o deputado Fraga Rocha que, especialmente convidado, honrou com a sua presença as festas deste municipio. De passagem por esta cidade tomou parte igualmente, no banquete o dr. A. Carneiro Leão.»
                Alguns dados registrados pelo pesquisador Luís Wilson em seus livros sobre Antônio Japiassu e família (material compilado http://goo.gl/xUDAZk ):
                «“Seu” Tonho era, na realidade, Tenente-Coronel da Guarda Nacional, instituição da qual muitas patentes, em Rio Branco, eram conferidas pelo próprio povo, de acordo com o prestigio daqueles a quem eram atribuídas, porque quase todo fazendeiro era Coronel…Antônio Japyassu nasceu em Leopoldina,  no alto sertão do Estado. Foi, depois, para Alagoa do Monteiro, Paraíba, mais tarde para o Recife, onde casou, indo, então, para Branquinha, em Alagoas, para um engenho do sogro. Ali nasceu-lhe o primeiro filho, Dedé. Voltou para o Recife e tornou-se comerciante na rua Tobias Barreto, mudando-se, no princípio do século, exatamente no ano de 1906, para a Pedra. Mais ou menos em 1924, “seu” Tonho foi residir em Rio Branco…Ele foi embora para fazenda Tatu, Ou Santa Isabel, em cima da Serra, no Salobro, depois da Revolução de Outubro de 1930…  Desta sua fazenda, 13 ou 15 anos depois de 1930, o Cel. Antônio Japyassu foi embora, residir em São Paulo, para onde havia ido logo depois da Revolução o seu velho e grande amigo Major Cândido de Brito (o Major Candinho das “Grandes Fábricas Peixe”, em Pesqueira). Voltou algum tempo depois para o Recife e, por motivos particulares foi residir em Garanhuns. Ali adoeceu cerca de um ou dois anos mais tarde, vindo para o Recife. Operado de vesícula, morreu no Hospital Barão de Lucena (Hospital dos Usineiros), a 29 de outubro de 1957. … O Cel. Antônio Japyassu era um homem bom, simpático e alegre. No Bar Nabuco, na praça Joaquim Nabuco, ele me dizia sempre: “Vá para o Sul, meu filho, assim que você se formar vá para o Sul”. Eu me formaria no ano seguinte[1940].»
Mais artigos desta coluna: http://goo.gl/lWA4Hv
Pedro Salviano Filho
* Fonte/Autor: Por: Pedro Salviano Filho – Salviano é arcoverdense, ex-alunos do Colégio Cardeal Arcoverde, médico-cirurgião, residente em Ivaiporã-PR.
(Coluna Histórias da Região – Edição de Março/Abril 2014 – Jornal de Arcoverde)

Crônica/Opinião: Re-Análise do Momento Político… – Por Gustavo Krause *

Expectativa dos números podem estar identificando a hora de mudar

Expectativa dos números podem identificam que a hora é de mudar

 

Não vá o sapateiro além do sapato

…Vai mudar e pode ser com Dilma ou o Padrinho: sob a euforia do hexacampeonato mundial de uma Copa onde tudo vai funcionar. Neste glorioso momento, ela ou ele escreve um ”Bilhete aos brasileiros” prometendo o inverso de 2002, ou seja, 2015 o ano de grandes mudanças. O eleitor brasileiro vai adorar. De estelionato eleitoral, a gente entende. Lembrem-se do Cruzado II nas eleições de 1986.”

Milenar provérbio romano. De força indiscutível como conselho aos que se aventuram falar sobre o que não sabem ou fazer o que está além de suas habilidades. O jovem contemporâneo reproduziria o antigo lema com um descolado “te manca, velho. Fica na tua”.

Depois de ler os artigos de Adriano Oliveira e Maurício Romão, autoridades sobre ciência política e leitores privilegiados de pesquisas de opinião, eu me arrisco a desobedecer o velho dito. Não para contraditar ou para desdizer, apenas meter o bedelho onde não fui chamado, mas que trata de assunto estimulante para qualquer cidadão.

Uma preliminar antes de entrar no mérito do assunto: meu respeito profissional pelos articulistas é de tal ordem que não hesitaria em tê-los como conselheiros se poder tivesse para tanto. Eles sabem disso.

O tema é a interpretação das recentes pesquisas do Datafolha e a questão magna é a majoritária tendência de mudança revelada pelos entrevistados e a quem esta tendência beneficia.

Afirmo com convicção: a maioria quer mudança. Ora conselheiro Acácio, qual é a novidade? Os números estão aí dizendo. Então para não ser confundido com a ridicularia solene do personagem eciano, vou expor minhas razões.

1. Em todas as eleições, somente existem dois caminhos ou, digamos, duas propostas dialeticamente opostas: continuidade ou mudança;

2. De um modo geral, a experiência do jogo democrático das competições eleitorais demonstra que as mudanças se operam, entre 8 e 12 anos, alternando forças política e ideologicamente opostas seja por fadiga de material, seja por desgaste das políticas públicas praticadas;

3. Na história da novel democracia brasileira tem sido assim: FHC 8 anos (governo de quatro continuado por mais quatro anos); Lula 8 anos (governo de mudança em 4 e de continuidade em mais 4 anos). Aqui há um dado curioso: a “Carta aos Brasileiros” do então candidato Lula, abjurando tudo o que disse ele, disseram os documentos oficiais, os economistas do PT, e, em particular, largando de mão toda a maluquice da heterodoxia econômica. Tradução: cambiar, pero no mucho;

4. Com Dilma, Lula prorrogou a lógica da mudança e aproveitando os bons ventos da economia, creditou-se integralmente das melhorias da elevação da renda do brasileiro; deu um porre de consumo generalizado à base social; assumiu a condição de novo “pai dos pobres” (o autêntico é vô Getúlio), e verdadeira mãe dos muito ricos; metamorfoseou-se em Dilma, a “mãezona (fake) do PAC” e logrou alargar o ciclo de poder para doze anos;

5. Com Dilma, sem Dilma, apesar de Dilma, a mudança é inexorável por uma simples razão: pior não pode ficar. O governo derrete e joga na população o óleo fervente da Petrobrás; a gerentona distribui esporro em quarenta ministros e adjacentes; a gestão política é comandada pelos notórios de sempre; a política econômica e seus antigos pilares ruíram e austeridade não rima com eleição, mas sua falta rima com inflação e com a intoxicação dos juros altos. Reformas estruturais, nem pensar.

6. Vai mudar. E nos primeiros dias de janeiro de 2015, serão ministrados remédios amargos ao povo brasileiro que se imaginava a salvo da reprise de filmes de terror: tarifaço, arrocho salarial, arrocho orçamentário, juros em ascensão, contas externas desequilibradas, câmbio (quem sabe?). Vai mudar e pode ser com Dilma ou o Padrinho: sob a euforia do hexacampeonato mundial de uma Copa onde tudo vai funcionar. Neste glorioso momento, ela ou ele escreve um “Bilhete aos brasileiros” prometendo o inverso de 2002, ou seja, 2015 o ano de grandes mudanças. O eleitor brasileiro vai adorar. De estelionato eleitoral, a gente entende. Lembrem-se do Cruzado II nas eleições de 1986.

Gustavo Krause foto-colunista-62608

* Fonte/Autor: LeiaJá – Gustavo Krause  -  Professor Titular da Cadeira de Legislação Tributaria, é ex-ministro de Estado do Meio Ambiente, dos Recursos Hídricos e da Amazônia Legal, no Governo Fernando Henrique, e da fazenda no Governo Itamar Franco, além de já ter ocupado diversos cargos públicos em Pernambuco, onde já foi prefeito da Capital e Governador do Estado

Crônica/Opinião: Qual a Petrobrás que Aprendemos a Admirar? Será essa de Hoje? – Por Sebastião Gomes Fernandes *

A PETROBRÁS DE HOJE,

NÃO É A QUE QUERÍAMOS!

 

A maior empresa estatal do Brasil, envolvida em ações não justificadas...

A maior empresa estatal do Brasil, envolvida em ações não justificadas…

 

 

 

Não, não é a Petrobras de hoje que queremos, nem é o Brasil que queremos! Queremos sim uma Petrobras dos brasileiros e para os brasileiros! Um Brasil forte e independente econômica, política e socialmente. Ficamos a nos questionar o porquê de todo esse desequilíbrio econômico-financeiro porque passa uma das mais sólidas, dinâmicas e produtiva empresa brasileira, a Petrobras! E com isto afetando o desenvolvimento do nosso querido Brasil! Será a má gestão? Será que o quadro hoje apresentado tem a haver com a ingerência do governo do PT. Tudo leva a crer que sim. “Há onze anos essa complexa e bilionária estrutura funciona sob o comando do PT, partido do governo, que detém o controle executivo e gerencial da empresa”. Revista Veja (9 de abril de 2014).

Pelo que constatamos através das várias fontes de informações, a empresa foi usada, transformada em um braço do partido, como instrumento de política voltada para os interesses do próprio grupo, com objetivos de permanecerem no poder a todo custo, e, por isto não levando em conta a preocupação com os princípios da ética e da moral. O que temos visto e ouvido é que uma empresa que sempre fora o orgulho de todos os brasileiros encontra-se em situação difícil financeira e economicamente sem precedente. Tal quadro nos mostra que esta situação decorre de ingerências de toda ordem – corrupção, desfalques, desvios de dinheiro para pagamento de propinas, percentagem exorbitantes pagos face a contratos fraudulentos e perniciosos, os quais levaram a empresa a um prejuízo da ordem de bilhões de dólares. É preciso que se note e se leve em consideração que há onze anos a administração e o gerenciamento da empresa está nas mãos do PT. Para que possamos entender o porquê de todo esse estrago, temos que nos atermos aos escândalos e na corrupção que campeia, não só na Petrobras, mas sim das varias instituições do Estado, tanto quanto do setor privado! Podemos classificar estes desmandos como uma praga que a sola a nação brasileira, o Estado brasileiro. Dentre tantos escândalos desponta como uma bomba, a compra da refinaria de Pasadena, nos EUA, em um valor que se aproxima a 1,3 bilhões de dólares, quando o valor venal na época correspondia a aproximadamente 30% do valor efetivamente pago. Ainda segundo a Revista Veja, registra-se a venda de outra refinaria, na Argentina, a um amigo da presidente Cristina Kirschner, em 2010, por US$ 100 milhões, e a negociação de propina do deputado André Vargas, do PT do Paraná, com o doleiro preso pela Polícia Federal. Diante de todos estes fatos ficamos cada dia entristecidos porque não vemos atitudes mais dinâmicas e rígidas contra estes maus feitores!

Partindo desta constatação o povo, a sociedade, está perdendo a confiança nos nossos administradores, políticos e empresários, e com isto aceitando como que enfeitiçados tudo o que estes pregadores do mal, predadores da saúde financeira e econômica do País estão praticando. Estão ainda fazendo com que o povo brasileiro, seus irmãos, paguem com o suor dos seus rostos, tais desmandos e prejuízos! Só nos resta com certeza mudar o que aí está. Há onze anos o povo elegeu um governo saído do âmago do povo, prometendo melhorias e bem-estar da população e o progresso do Estado. O que temos então? Um Brasil sem esperanças e cheio de agentes corruptos, de mau caráter e ambiciosos.

Estes políticos estão no poder e por razões “óbvias”, não pretendem deixa-lo tão cedo, agiram e montaram um programa de governo voltado para atende seus interesses e não o do Estado e da nação brasileira. Fazem de tudo para não deixarem o poder. Não têm escrúpulos quando o que mais importa é arrumar suas economias, seus patrimônios. Para que se confirme isto, basta fazer uma inspeção no patrimônio destes comandantes que administram e criam leis neste País. Eles vão muito bem. O País mau…

Será este o Brasil que queremos?! Com certeza que não. Esta chegando a hora, o momento de promovermos uma mudança radical. Precisamos olhar com bons olhos e com critérios, para nossos legisladores – Deputados Federais e Estaduais, e administradores – Governadores e Presidente. Olhar cuidadosamente para àqueles que podem ser reeleitos. Estes representantes do povo que aí estão, somos nós que os elegemos. Será que na verdade estamos sendo bem representados? Outubro esta chegado. Temos a grande oportunidade de elegermos pessoas que tenham princípios morais e éticos, comprometidos com o crescimento e o progresso do nosso Brasil. Homens e Mulheres que não tirem nosso dinheiro para financiar obra faraônica em Cuba, por exemplo. “O que o PT está fazendo com o Brasil é, de fato, assustador. O que o PT está fazendo com a Petrobras é apenas uma pontinha do iceberg. Vêm muito mais coisas por aí”... Antonio G. Silva – Paulo Afonso, BA (Revista Veja 16 de abril de 2014).

Sebastião Gomes sorrindo  academia-320x2002

Pesqueira, 14 de abril de 2014.

- *Autor: Sebastião Gomes Fernandes, Sociólogo, Escritor, Poeta e Cronista. Membro efetivo e Presidente da Academia Pesqueirense de Letras e Artes – APLA.

Movimento Cultural/Homenagem: Cantores de voz aveludada XII – Orlando Corrêa – Por Walter Jorge de Freitas *

CANTORES DA VOZ AVELUDADA – XII

(ORLANDO CORREIA)

 

ORLANDO CORREA WJF

 

 

 

Nas crônicas que temos escrito sob o título acima, nunca foi nossa pretensão prestar homenagem apenas a cantores de grande cartaz. A nossa intenção é procurar destacar aqueles que marcaram a sua presença no nosso cancioneiro cantando com voz afinada e interpretação segura, independentemente de terem, ou não, figurado nas paradas de sucesso.

ORLANDO José CORREIA, nasceu em Niterói em 05 de dezembro de 1928. Aos 13 anos de idade, com a perda do pai, sendo o mais velho dos cinco irmãos, começou a trabalhar em oficinas mecânicas, conseguindo, com o passar do tempo, um diploma de mecânico expedido pela General Motors.

A partir dos 19 anos, dedicou-se exclusivamente à música, cantando em circos, festas de rua e clubes de dança. Numa noite, teve a sorte de ser ouvido por Ciro Monteiro e este o levou para cantar na Rádio Mayrink Veiga. De pronto, assinou contrato por um ano e sua estréia se deu no Programa Casé.

Depois de rápidas passagens pelas Rádios Mayrink Veiga, Guanabara e Clube do Brasil, em novembro de 1951 foi para a Tupi, onde permaneceu por quase 29 anos.

A gravação do seu primeiro disco ocorreu em 1949 na Star, graças à ajuda de Ataulfo Alves, mas não fez sucesso. O segundo, feito na gravadora Todamérica, com músicas carnavalescas, também foi um fiasco.
Finalmente, conseguiu agradar ao público e à crítica, quando gravou o Samba-Canção Meu Sonho É Você, de Altamiro Carrilho e Átila Nunes.

Empreendeu juntamente com Elizeth Cardoso e Ataulfo Alves, uma série de apresentações pelo Nordeste. A expansão da Rede Tupi de Rádio proporcionou-lhe várias idas aos Estados onde existiam emissoras do Grupo de Assis Chateaubriand.
Em 1954, realizou importante excursão ao Uruguai e Argentina. Fizeram parte da comitiva o maestro Carioca e sua Orquestra, além de Araci Costa e Ernani Filho.
Ao longo de sua carreira, gravou composições de importantes autores como Claudionor Cruz, Pedro Caetano, Wilson Batista, Jorge de Castro, Altamiro Carrilho, Capiba, Luiz Bandeira, João de Barro, Antônio Almeida, Átila Nunes, Alberto Ribeiro, José Maria de Abreu, entre outros.

Apresentou durante 10 anos (1965/1975) o programa “Audições Orlando Correia-Sala de Visitas Gebara”, ao microfone da Rádio Tupi.
Em 1972, foi escolhido como o melhor entre todos os cantores das Emissoras Associadas. Lançou 37 discos 78 RPM pelos selos Star, Todamérica e RCA Victor.

O LP “Grandes Sucessos da década de 50”, lançado pela Phonodisc em 1990, incluiu seus dois maiores destaques: Meu Sonho É Você e Sistema Nervoso.

Finalmente, em 2002, a gravadora Revivendo Músicas lançou o CD intitulado Meu Sonho é Você, com 23 interpretações do cantor.

Ao abandonar a vida artística, dedicou-se aos ramos de hotelaria e de oficinas mecânicas para automóveis. Em 2002, faleceu na cidade do Rio de Janeiro.

BIBLIOGRAFIA:
DICIONÁRIO CRAVO ALBIN DA MPB.
TEXTO DE ABEL CARDOSO JÚNIOR (CAPA DO CD MEU SONHO É VOCÊ DA REVIVENDO MÚSICAS).

walter-J-Freitas II

* Autor: Walter Jorge de Freitas – Walter é pesqueirense, professor, comerciante, colaborador do OABELHUDO, cronista, poeta e pesquisador musical.

Brasilia/Eleição 2014: Eduardo/Marina a Chapa do PSB foi Lançada em Pré-Campanha (*) (**)

Pré-Lançados

Eduardo Campos/Marina Silva

Disse Marina:""Vocês sabem que sou uma mulher de fé, mas nunca fiz dos palanques, púlpito",

Disse Marina:”"Vocês sabem que sou uma mulher de fé, mas nunca fiz dos palanques, púlpito”,

Marina anuncia candidatura

a vice de Eduardo Campos

Anúncio foi feito nesta segunda em Brasília, seis meses após formação da aliança PSB/Rede

Seis meses após anunciar a formação da chapa PSB/Rede, a ex-senadora Marina Silva (PSB) anunciou nesta segunda-feira, 14, que será candidata a vice-presidente na chapa de Eduardo Campos (PSB). O anúncio ocorreu em evento realizado em Brasília, que serve de palco para o lançamento da pré-campanha da chapa presidencial do PSB.

Nós estamos aqui para anunciar nossas pré-candidaturas à Presidência da República e eu a sua vice”, afirmou Marina, que defendeu um realinhamento político no País. Em um segundo momento, Marina se virou para Eduardo Campos e disse que fazia parte da aliança para unir. “Estou aqui para me colocar lado a lado, vamos andar pelo Brasil inteiro, afirmar o Brasil que queremos”, afirmou.

“Não é para dividir, é para unir. Não é para separar, é para encontrar. Não é para embate, mas para o debate”, acrescentou. Segundo ela, o quinto partido da aliança será o “povo”. “Se ganharmos, a vitória será do quinto partido”, emendou. Além do PSB, Rede (ainda informal), constam na aliança o PPS e PPL, apoios que ela agradeceu. Marina afirmou que a Rede é um “partido de fato”. “Nesses seis meses, nós fomos nos encontrando“, afirmou, sobre a aliança com o PSB. Marina disse que foi negado à Rede o direito de se formalizar. Ela citou também a própria origem no PT e disse que direito de existir não foi negado ao antigo partido.

Leia Mais:

(*) Fonte: Estadão

_______________________________________________________________________________________________________

Ex-governador Eduardo Campos, oficializa hoje pré-candidatura do PSB à Presidência com Marina como vice

Ex-governador Eduardo Campos, oficializa hoje pré-candidatura do PSB à Presidência com Marina como vice

Em evento, Marina confirma

que será vice de Campos

 

A ex-ministra e ex-senadora Marina Silva (PSB) confirmou nesta segunda-feira (14) sua pré-candidatura à vice-presidência na chapa do ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos (PSB), em evento organizado pelo partido em Brasília para oficializar o anúncio, e disse que irá caminhar “ao lado” dele pelo país.

“Aqueles que apostavam que a aliança não ia dar certo e a cada dia, a cada semana a gente ouvia algo que seria o tiro de misericórdia, a bala de prata na nossa aliança. Graças a Deus e à confiança que estamos criando entre nós, nós estamos aqui hoje para anunciar as nossas pré-candidaturas. Você, a presidente da República Federativa do Brasil, se Deus quiser, e eu, a sua vice”, discursou Marina.

Marina levou à cerimônia seus filhos e seu pai, a quem agradeceu pelo apoio, e terminou o discurso com um abraço em Campos.

Entre os presentes, além dos principais políticos do PSB, estavam dissidentes do PDT e do PMDB que apoiam Eduardo, como os senadores Cristovam Buarque (PDT-DF) e Pedro Taques (PDT-MT) e o senador Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE). Também compareceram representantes do PPS, que integra a aliança com o PSB, e do PPL

Leia Mais:

Em evento, Marina confirma que será vice de Campos

Leia Também:

 

(**)Fonte: FolhaSP

Eleição 2014: Eduardo & Marina Silva, Lançam a Pré-Campanha Nessa Segunda-feira, 14 *

 

Eduardo Campos lança

pré-candidatura nesta

segunda (14)

 

O desejo de governar o país vai ser anunciado pelo socialista dez dias após sair da gestão

O desejo de governar o país vai ser anunciado pelo socialista dez dias após sair da gestão

A partir de agora, o socialista iniciará suas andanças pelo país afora

 

O ex-governador de Pernambuco e presidente nacional do PSB, Eduardo Campos, dará o pontapé inicial de sua pré-candidatura à presidência da República e da sua vice, a ex-senadora Marina Silva (PSB), nesta segunda-feira (14), durante ato político-cultural intitulado de “Eduardo Campos e Marina – Encontro pelo Brasil”. O anúncio será feito em Brasília às 14h, dez dias após a renúncia do gestor da administração estadual.

Desde as eleições municipais para prefeito do Recife em 2012, Campos deu os primeiros indícios de ruptura com o PT da presidente Dilma Rousseff, quando lançou o candidato e atual gestor da capital pernambucana, Geraldo Julio (PSB), como concorrente da chapa petista formada pelo senador Humberto Costa e o deputado federal João Paulo.

De lá para os dias atuais, os diálogos, as alianças e a postura do ex-governador foram modificadas. O socialista começou a agir de forma independente ao governo federal até desembarcar de vez da base aliada quando colocou os cargos do PSB à disposição.

 

Depois, vieram a aliança com a organizadora do Rede Sustentabilidade e rival ferrenha de Dilma, Marina Silva, a forte aproximação com o PSDB do tucano e também adversário da presidente, senador Aécio Neves, além de um discurso afiado recheado de críticas ao governo e promessas de uma “nova política”.

Com a saída do governo de Pernambuco no último dia 4 de abril, penúltimo prazo permitido pela Justiça Eleitoral para quem pretendia candidatar-se nas eleições deste ano, Campos cravou de vez o desejo da disputa eleitoral e silenciou os que poderiam ter esperança de sua não candidatura.

A partir de agora, o socialista percorrerá os Estados brasileiros a fim de tornar-se conhecido nas cinco regiões do Brasil. No entanto, conforme confirmou em entrevista dias antes de sair do governo estadual, focará, principalmente, em São Paulo – onde há o maior colégio eleitoral do país – e em Brasília, cidade sede de seu partido.

* Fonte: LeiaJá/por Élida Maria

Eleição 2014/Perspectivas: Eduardo Campos tem Maior Potencial de Crescimento *

 

Datafolha diz que Eduardo

Campos tem maior potencial

de crescimento

 

Lançamento da pré-campanha, nesta segunda, 14 em Brasilia-DF

Lançamento da pré-campanha, nesta segunda, 14 em Brasilia-DF

 

 

 

 

Problema de Dilma é o grupo “causa perdida”

Estudo Datafolha mostra que petista tem grandes chances de fracassar ao tentar persuadir classe média tradicional

GRAFICO DATAFOLHA DOMINGO 13

Há grande probabilidade de fracasso numa eventual tentativa dos marqueteiros de Dilma Rousseff em persuadir a classe média tradicional das grandes cidades, especialmente as do Sudeste.

Isso porque a maioria dos eleitores escolarizados e de renda acima da média integra o grupo dos “causa perdida” quando o assunto é apoio à reeleição dela.

Mais chances de obter novos adeptos teriam se dirigissem a comunicação aos menos escolarizados e aos que residem em municípios de até 200 mil habitantes, perfil com participação acima da média no estrato de “potencial” para ascensão da petista.

Isso, sem esquecer de manter em seu eleitorado os mais jovens e as mulheres, segmentos que integram de forma expressiva o subconjunto “volúvel” do eleitorado da presidente, simpáticos a Eduardo Campos (PSB), especialmente no caso dos mais jovens, e a Aécio Neves (PSDB) no das mulheres.

Isso porque dentre os 38% de intenções de voto que a presidente apresenta no cenário mais completo, apesar de 31% se mostrarem convictos sobre a escolha, 8% não assumem tanta fidelidade.

Estas são algumas conclusões de estudo elaborado pelo Datafolha, com base em pesquisa realizada em todo o país no início deste mês.

O objetivo é mapear o grau de afinidade e adesão dos eleitores brasileiros a cada um dos principais nomes cogitados para a corrida presidencial e monitorá-los.

Por meio de análise combinatória de algumas variáveis, chega-se a quatro grupos distintos, classificados de acordo com a relação que os entrevistados demonstram ter com os candidatos –os eleitores convictos de cada um, os eleitores volúveis, os potenciais (que ainda não votam no candidato, mas cogitam a possibilidade de fazê-lo) e os “causa perdida”, isto é, aqueles que demonstram forte rejeição ao nome correspondente e que dificilmente seriam convencidos a mudar de ideia. O grupo dos eleitores em potencial pode ser dividido em três subconjuntos de acordo com a alta, média ou baixa receptividade dos eleitores à hipótese de escolher determinado nome.

As variáveis utilizadas no cálculo são: o cenário mais completo da intenção de voto para presidente da República, as taxas de rejeição, o grau de certeza do voto e o índice de conhecimento dos candidatos. A inspiração vem de metodologias do micro-marketing utilizadas nas eleições americanas para a identificação de nichos em potencial, motivadores de estratégias e recursos, nos chamados swing-states, Estados sem tendência ideológica definida, que ora elegem democratas, ora republicanos.

Sobre os resultados, de um modo geral, percebe-se que Dilma apresenta as maiores taxas nos extremos, isto é, tanto de apoiadores convictos (31%) quanto de contingente perdido (42%), reflexo provável da percepção que a população mantém sobre sua gestão. Prova disso é o alto índice de potenciais eleitores da petista entre os que acham sua administração regular.

Na oposição, o candidato que mais apresenta potencial de crescimento é Eduardo Campos (63%). O fato de ser pouco conhecido e de ter baixa rejeição entre os que o conhecem favorece o ex-governador de Pernambuco. Mas é importante frisar que a maior parte desse potencial dependerá de muito esforço para se concretizar –dentre os 63%, 38% é de baixo potencial.

Ao se focalizar apenas os estratos de alto e médio potencial, não há grandes contrastes entre os candidatos de oposição –Marina alcança 29% nesse aspecto, Campos 25% e Aécio 24%.

Mas, a partir de agora, mais do que identificar esses grupos, será interessante monitorá-los ao longo do processo eleitoral e acompanhar a eficiência das campanhas no desafio de atingir eleitores em potencial, sem perder volúveis e aumentando os convictos. Quanto menor o segmento de “causa perdida” de cada candidato, mais emocionante será esta eleição.

Leia a Íntegra e Mais:

 Análise: Campos tem maior potencial de crescimento

 Marina assumirá posto de vice para ‘empurrar’ Campos

* Fonte: FolhaSP

Mauro Paulino
Diretor geral do Datafolha

E alessandro Janoni
Diretor de pesquisas

Movimento Cultural: Homenagem a Mulher – Por Laurene Almeida *

HOMENAGEM A  MULHER

 

Em nome de uma fé inaceitável milhares de mulheres sofreram com a inquisição

Em nome de uma fé inaceitável milhares de mulheres sofreram com a inquisição

 

 

 

“…NA IDADE MÉDIA, ACUSADA DE BRUXARIA, FOI QUEIMADA NAS FOGUEIRAS DA INQUISIÇÃO CATÓLICA, EM NOME DO DEUS BÁRBARO DE TORQUEMADA E SUA HORDA DE PURPURADOS”…

 

“…A REPRESSÃO SISTEMÁTICA AO SEXO FEMININOQUATRO SÉCULOS DE CAÇA ÀS BRUXAS. A ESTIMATIVA É DE QUE 85% DA PESSOAS EXECUTADAS POR BRUXARIA ERAM MULHERES”…

 

NO BARRO,DEUS MOLDOU O HOMEM,SOPROU COM AS MÃOS EM CONCHA E ELE SUSPIROU CHEIO DE VIDA.E DEUS DISSE: ‘’ISSO É BOM!’’

MAS,COM O TEMPO, DEUS OBSERVOU O TÉDIO DO HOMEM E DISSE:’’ESSE DONZELÃO ESTÁ TRISTE, SOZINHO,ISSO É MAL.’’
E FEZ A MULHER!NÃO COM O MESMO MATERIAL ORDINÁRIO COM QUE FIZERA O HOMEM, MAS COM A MATÉRIA DO SEU SOPRO MILAGROSO,A ESSÊNCIA MESMA, DIVINA.

QUANDO ACORDOU DO SONO A QUE HAVIA SIDO INDUZIDO PARA A DOAÇÃO DA COSTELA, ADÃO QUEDOU DE QUEIXO CAÍDO,A BABA DESCENDO PELO CANTO DA BOCA,A MULHER QUE O SENHOR LHE DERA,TENTAÇÃO DE VIDA,ERA MESMO PERFEITA.
E QUAL NÃO FOI SUA ALEGRIA QUANDO O CRIADOR LHES DETERMINOU:’’CRESCEI E MULTIPLICAI-VOS’’

E O PARAÍSO SE TORNOU UMA FESTA!MAS O QUE É BOM DURA POUCO,JÁ DIZIAM OS MAIS VELHOS.INCLUSIVE DOSTOIÉVSKI DIZIA:’’DEEM AO HOMEM LEITE,FRUTAS E MEL E ELE FARÁ UMA SACANAGEM SÓ PARA PROVAR QUE É HOMEM.’’

E FOI ADÃO E NÃO EVA,O CULPADO DA EXPULSÃO DO PARAÍSO.EM UM ENTARDECER ROMÂNTICO,EVA LHE DISSE:’’OLHA,A SERPENTE ANDA ME TENTANDO A PROVAR D O FRUTO DA ÁRVORE PROIBIDA.DIZ QUE SE EU O FIZER ME APODERAREI DE TODA SABEDORIA DO MUNDO.EU ME NEGUEI!NÃO VOU DESOBEDECER A MEU PAI.’’

ADÃO APENAS OUVIA,COÇANDO A CABEÇA.UM TEMPO MATUTANDO, FALOU COM AQUELA VOZ COM QUE MALANDO FALA QUANDO QUER ENGANAR A MULHER:’’SABE NEGUINHA,ISSO É COISA PRA SE PENSAR.SABER TUDO DE TUDO,SERIA A GLORIA.E DEPOIS DE SABER,O QUE DEUS PODE FAZER CONTRA NÓS? SABEMOS! VAI LÁ, PEGA ESSA BENDITA FRUTA E TRÁS PRA MIM,AMORZINHO.’’
ESSA PALAVRA, AMORZINHO! FOI ESSA PALAVRA QUE LEVOU EVA ATÉ À ÁRVORE DA SABEDORIA E MOVEU SUA MÃO PARA COLHER O FRUTO QUE LEVOU AO HOMEM. ESSE, SAFADO SEMPRE, ORDENOU QUE MORDESSE PRIMEIRO, SE TIVESSE VENENO,QUEM MORRIA ERA ELA. EVA APENAS MORDISCOU A FRUTA, ELE QUE COMEU O RESTO, COM GULA E MAU JEITO, DEIXANDO O SUMO ESCAPAR PELO CANTO DA BOCA. DEPOIS, DIANTE DE DEUS APONTOU A MULHER COM SEU DEDO SUJO: “A CULPADA FOI ESSA MULHER QUE TU ME DESTE!’’

“ALÉM DE SAFADO,COVARDE!” DEUS O AVALIOU,ANTES DE EXPULSÁ-LO DO PARAÍSO.

SAIU ROGANDO PRAGAS, LEVANDO ATRÁS DE SI, A MULHER, SUA COMPANHEIRA DE TRANSGRESSÃO.
E NUNCA SE RECONHECEU PECADOR, A MULHER É QUE ERA IMPURA. E DURANTE TODA HISTÓRIA DA HUMANIDADE, A MULHER CARREGA EM SEUS OMBROS FRÁGEIS, O PECADO DO MUNDO. CONDENADA A CAMINHAR CINCO PASSOS ATRÁS DO HOMEM, SEU SENHOR E SEU TIRANO. PAGOU DURANTE SÉCULOS E AINDA PAGA, A ACUSAÇÃO FEITA PELO DEDO SUJO DE ADÃO.

NA IDADE MÉDIA, ACUSADA DE BRUXARIA, FOI QUEIMADA NAS FOGUEIRAS DA INQUISIÇÃO CATÓLICA, EM NOME DO DEUS BÁRBARO DE TORQUEMADA E SUA HORDA DE PURPURADOS.

NO PERÍODO QUE VAI DO SÉCULO XIV A MEADOS DO SÉCULO XVIII, ACONTECEU O FENÔMENO GENERALIZADO EM TODA EUROPA: A REPRESSÃO SISTEMÁTICA AO SEXO FEMININO. QUATRO SÉCULOS DE CAÇA ÀS BRUXAS. A ESTIMATIVA É DE QUE 85% DA PESSOAS EXECUTADAS POR BRUXARIA ERAM MULHERES.

MARILYN FREND APRESENTA ALGUNS NÚMEROS PARA QUE SE TENHA A DIMENSÃO DESSE VERDADEIRO HOLOCAUSTO CONTRA AS MULHERES.

O EPICENTRO DAS EXECUÇÕES DAS BRUXAS FOI O SANTO IMPÉRIO E TIVERAM INÍCIO NA ÁUSTRIA. O SUDESTE DA ALEMANHA E A BAVIERA FORAM RESPONSÁVEIS POR MAIS DE TRÊS MIL E QUINHENTAS EXECUÇÕES CADA. NA POLÔNIA, A SEGUNDA ÁREA MAIS AFLIGIDA POR ESTE FLAGELO, GRANDE NÚMERO DE FEITICEIRAS FOI QUEIMADA ENTRE 1675 E 1720, MUITO DEPOIS DA CAÇA ÀS BRUXAS TER TERMINADO NO RESTO DA EUROPA.

EM ALGUMAS CIDADES ALEMÃS, 600 BRUXAS ERAM EXECUTADAS EM APENAS UM ANO. NA CIDADE DE COMO, NA ITÁLIA, MIL NUM ÚNICO ANO; EM TOULOUSE, FRANÇA, 400 APENAS NUM DIA.

NA DIOCESE DE TRIER, 1585, DUAS ALDEIAS FORAM DEIXADAS APENAS COM UMA MORADORA MULHER, CADA UMA. 

EM LONDRES,UM ESCOCÊS CONFESSOU QUE SOZINHO EXECUTOU 229 MULHERES AO PREÇO DE VINTE E UM CHILLINGS CADA.

A FOGUEIRA DA SANHA ASSASSINA DA INQUISIÇÃO CATÓLICA FOI RESPONSÁVEL POR 100 MIL A NOVE MILHÕES DE EXECUÇÕES EM TODO O MUNDO,85% DELAS DE MULHERES. NO ENTANTO, HÁ DOIS MIL ANOS, DEUS RESGATOU A MULHER AO ESCOLHER MARIA PARA SER A MÃE DO SEU FILHO BEM AMADO, JESUS DE NAZARÉ. COM ESSE GESTO, ELE RESGATOU E FEZ TODAS AS MULHERES,TAMBÉM UM POUCO SAGRADAS.

E A TRAGÉDIA DA HUMANIDADE É A MULHER TER SIDO RELEGADA A SEGUNDO OU TERCEIRO PLANO, NA CAMINHADA HUMANA RUMO A FELICIDADE E A SALVAÇÃO.

VIVEREMOS UMA HUMANIDADE CAPENGA, ALEIJADA,ENQUANTO A MULHER, EM TODOS OS CONTINENTES,NÃO FOR CHAMADA A INCORPORAR A EVA UNIVERSAL, RETOMAR SEU LUGAR COMO CO-PARTICIPANTE DO PLANO DE DEUS PARA A VIDA, no coração DO HOMEM.

NÓS, VEMOS COM ALEGRIA,ESSA AURORA HUMANA SE APROXIMAR, ESSE IMPÉRIO DO AMOR QUE SE FEZ CARNE E TRANSGREDIU E HUMILDEMENTE PEDE PERDÃO E NÃO DESISTE DO AMOR QUE JUSTIFICA E SALVA HOMENS E MULHERES,PERANTE DEUS.

MINHAS AMIGAS, NESTA DATA QUE CELEBRA O DIA INTERNACIONAL DA MULHER,QUERO PARABENIZÁ-LAS, PEDIR QUE NÃO ESMOREÇAM A LUTA PELA DIGNIDADE USURPADA E, SOBRETUDO, PERDOEM O HOMEM PELAS ALEIVOSIAS E MALDADES COMETIDAS CONTRA VOCÊS: ELES NÃO SABEM O QUE FAZEM!

SOU CASADO PELA SEGUNDA VEZ; TENHO SETE FILHOS. DOIS HOMENS, CINCO MULHERES. OS HOMENS SÃO DESATENTOS, MAS NO CARINHO, NA TERNURA POR MINHAS FILHAS EU AMO TODAS AS MULHERES DO MUNDO!

P.S. – Texto da palestra proferida pelo autor, na APLA,  quando da homenagem às mulheres, pelo 8 de março, Dia Internacional da Mulher.

 

Laurene Almeida

* Autor: Laurene Almeida – Laurene é pesqueirense, escritor, cronista, poeta, membro da APLA – Academia Pesqueirense de Letras e Artes.

Feriadão da Páscoa: Justiça Federal Para na Terça e só Retorna na outra Terça-feira *

 

Feriadão será de seis dias

para o Judiciário e o

Ministério Público

 

feriadao na praia

 

 

 

Lei de 1966, combinada com proximidade entre os feriados da Páscoa e de Tiradentes, faz Justiça Federal e MPF suspenderem atividades por quase uma semana. No Legislativo, semana de trabalho vai até quarta; no Executivo, até quinta

 

Uma lei da época da ditadura e a proximidade entre os feriados da Páscoa e de Tiradentes deste ano vão fazer todos os órgãos do Judiciário e do Ministério Público federais suspenderem suas atividades por seis dias. Magistrados, procuradores e servidores vão trabalhar só até a próxima terça-feira (15) e retornam ao trabalho apenas na terça seguinte (22). Deputados, senadores e servidores da Câmara e do Senado trabalham até quarta. Na quinta-feira (17), será ponto facultativo na Casa – só comparecerá ao serviço quem quiser.

Para a maioria dos brasileiros, porém, a regra é trabalhar até quinta-feira. Por lei, o feriado da Páscoa começa na sexta-feira (18), quando a data religiosa relembra o sofrimento de Jesus Cristo. Na segunda (21), o Brasil para em homenagem ao mártir da Inconfidência Mineira, Joaquim da Silva Xavier, o Tiradentes.

Mas a Lei 5.060, assinada em 30 de maio de 1966 pelo presidente militar Castelo Branco, determina que o feriado de Páscoa já começa na quarta-feira para os órgãos da Justiça Federal. Segundo a assessoria do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), os órgãos da Justiça Estadual têm regras próprias e não é possível saber se todos prolongarão o período de descanso. A assessoria da Procuradoria-Geral da República informou que o órgãos do MPF seguem o calendário de feriados do Judiciário.

No Poder Executivo, porém, o batente é exatamente o mesmo dos demais brasileiros. Segundo a assessoria do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, o calendário só prevê descanso na sexta-feira e na segunda.

* Fonte: Congressoemfoco

Brasil/Educação: Municípios têm 20 dias para informar Quanto Gastaram em 2013 *

Municípios devem mostrar

quanto gastaram com educação

 

Municípios atendem a maioria das crianças brasileira

Municípios atendem a maioria das crianças brasileiras

Prefeituras que não cumprirem a ordem poderão deixar de receber recursos

Os municípios brasileiros têm pouco menos de 20 dias para deixar claro à União as informações sobre a aplicação de recursos financeiros na área de educação, em relação ao ano passado. Os dados devem ser passados por meio do Sistema de Informações sobre Orçamentos Públicos em Educação (Siope).

De acordo com o diretor da Consultoria em Administração Municipal, Walter Penninck Caetano, as cidades que não repassarem os dados poderão deixar de receber recursos. “Os municípios que deixarem de declarar seus gastos até o prazo estipulado, 30 de abril, ficarão impossibilitados de receber repasses da União, celebrar convênios e também termos de cooperação com órgãos do Governo Federal durante o ano de 2014. Um auxílio importantíssimo para a pasta”, explica o diretor, conforme informações da assessoria de imprensa.

* Fonte: LeiaJá

Eleição 2014/Pernambuco: Sai Pesquisa do IMN – Armando Monteiro parte na Frente *

Armando Monteiro Neto parte na frente

 

grafico gov MN abril 14

Gráfico incluindo a pre-candidata Michele Collins

 

grafico gov michele INM abril 14

O Instituto de Pesquisa Maurício de Nassau acaba de concluir a primeira pesquisa de intenções de voto sobre as eleições estaduais de 2014.

O levantamento mostra que o senador Armando Monteiro Neto, do PTB, saiu na frente na corrida eleitoral deste ano em Pernambuco. O petebista tem 39% das intenções de voto, nas pesquisas estimuladas.

A pole position do senador do PTB, eleito em 2010 na chapa majoritária do socialista Eduardo Campos, já era esperada.

A pesquisa da Nassau também mostra uma grande indiferença popular, neste momento, com o tema eleições 2014.

Como as eleições são em outubro, e até lá ainda há uma copa do mundo no meio, ainda mais no Brasil, é como se o eleitor não estivesse dando a mínima para o tema.

Gráfico repercute o grau de conhecimento sobre esses prováveis candidatos.

grafico  indiferente MN abril 14

Para o senado o deputado federal João Paulo aparece na dianteira

 

grafico senado PE INM abril 14

 

A primeira pesquisa do Instituto de Pesquisa Maurício de Nassau também buscou saber a opinião dos pernambucanos sobre a corrida ao Senado. Neste ano, há apenas uma vaga em disputa, uma vez que o senador Jarbas Vasconcelos (PMDB) desistiu de tentar a renovação do mandato.

Leia a Íntegra da Pesquisa clicando nesses links:

Avaliação positiva do governo Eduardo chega a 84% e pode ajudar Paulo Câmara

Na corrida pelo Senado, João Paulo tem 29%. Fernando Bezerra Coelho aparece com 17%

* Fonte: IMN/blogdojamildo

 

Educação: Alunos sem Fluência em Inglês, são Desligados do Ciência sem Fronteiras *

 

 

logo-ciencias sem fronteiras vetorizada_portugues

Capes exclui alunos sem

fluência em inglês do

Ciência sem Fronteiras

 

 

Estudantes do Ciência sem Fronteiras (CsF) terão que retornar ao Brasil, porque não conseguiram a nota miníma exigida no teste de proficiência (fluência) em inglês nas universidades em que estudariam. Segundo a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), ao todo 110 alunos foram excluídos do programa. Todos alunos de graduação, que tinham escolhido Portugal para o intercâmbio, e depois da suspensão de bolsas no país, puderam selecionar outro destino.

Também segundo a autarquia, esses estudantes não poderão mais participar do programa na modalidade de graduação-sanduíche, da qual foram excluídos. As bolsas estavam distribuídas entre o Canadá (80) e a Austrália (30).

Na época da suspensão das bolsas portuguesas, 9.691 candidatos estavam aptos a escolher outros destinos: Estados Unidos, Reino Unido, Austrália, Canadá, França, Alemanha, Itália e Irlanda. A intenção era estimular o aprendizado de outras línguas e evitar a facilidade do idioma português.

Como os estudantes não tinham fluência nos idiomas, o governo ofereceu curso de seis meses. Após esse período, teriam que fazer uma prova de proficiência e atingir a nota exigida pela instituições em que estudariam, o que varia. Caso não conseguissem, deveriam voltar ao Brasil. De acordo com a Capes, 3.445 bolsistas permanecem no exterior para prosseguir as atividades acadêmicas.

Além da prova, os estudantes que já estavam no exterior teriam que apresentar às instituições os documentos necessários para serem aceitos como alunos. Normalmente isso acontece enquanto ainda estão no Brasil, mas como não tinham fluência, precisariam consegui-la antes de tentar ingressar nas instituições. “Esses requisitos não são homogêneos, e variam de acordo com a área do curso, o histórico escolar do aluno e a proficiência no idioma”, informa a Capes. Alguns dos 110 estudantes tiveram problemas também em outros quesitos.

Os estudantes retornam sem realizar as atividades acadêmicas, ou seja, sem o reconhecimento do intercâmbio. Nas redes sociais o assunto gerou polêmica. Alguns criticam a alta exigência: “O nosso modelo de educação ensina o verbo to be do sexto ano ao final do ensino médio, e agora o governo cobra fluência? Já sabemos agora que os próximos a irem para o CsF serão as pessoas que teriam condições de ir por conta própria”, diz usuário do Facebook.

Outros acreditam que faltou estudo por parte dos participantes: “Estes são os estudantes que não tinham fluência no idioma e receberam um curso de inglês in loco, com imersão total na cultura da língua em que estão aprendendo… O governo, neste caso, não está cobrando fluência, e sim o aproveitamento mínimo exigido do curso de inglês caríssimo que eles receberam”, diz outra usuária.

* Fonte: Agência Brasil

Artigo/Análise de Estratégias: Mudar? A Frágil Tese da Mudança *

 

A frágil tese da mudança

 

 parte dos eleitores pode temer a perda das conquistas que obtiveram na era PT e temerem o futuro caso Eduardo ou Aécio vença a eleição.

parte dos eleitores pode temer a perda das conquistas que obtiveram na era PT e temerem o futuro caso Eduardo ou Aécio vença a eleição.

 

 

A inocência por vezes está presente na mente dos candidatos. Geralmente o dado estatístico serve apenas como instrumento de informação. A interpretação dele não é realizada. Mudança e continuidade são costumeiramente evocados por diversos analistas para sugerir o comportamento dos eleitores no futuro. Oferta de candidatos versus demandas da população são utilizados para fornecer as razões do desempenho dos presidenciáveis nas pesquisas.

O antropólogo Clifford Geertz afirma: “Se quiséssemos verdades caseiras, deveríamos ter ficado em casa”. Pois bem, se desejo interpretar o comportamento atual do eleitorado brasileiro preciso estar inquieto e não me deter a afirmações triviais. Preciso sair da frente do computador e analisar com criatividade especulativa os dados ofertados por diversas pesquisas.

A última pesquisa do Datafolha (06/04/2014) revela queda na intenção de votos da presidente Dilma Rousseff e estabilidade dos porcentuais dos principais candidatos da oposição. Este dado é relevante, pois 72% dos eleitores desejam que as ações do próximo presidente sejam diferentes do atual. Neste caso, indago: se o desejo de mudança existe, por que os candidatos da oposição não crescem? A tese explicativa é econômica: os candidatos oposicionistas são pouco conhecidos (oferta). Quando ficarem, crescerão.

Tal tese deve ser considerada. Mas se os candidatos da oposição tivessem crescido na última pesquisa do Datafolha, o argumento oferecido à opinião pública seria: Eduardo e Aécio cresceram porque os eleitores desejam mudança. Portanto, a tese da mudança serve para tudo. Ressalto que: 32% dos votantes consideram Lula como mais preparado para realizar as mudanças. E Lula apoia Dilma. E foi Lula, como bem evidenciam vários artigos acadêmicos, quem contribuiu para o sucesso eleitoral da atual presidente na eleição de 2010.

A recente pesquisa do Datafolha revelou que 36% aprovam a administração da presidente Dilma. Isto significa, portanto, desejo de mudança? Aparentemente sim. Mas quem deseja mudança? 51% dos eleitores aprovam o governo Dilma no Nordeste. No Sudeste, a aprovação é de 28%. Portanto, os eleitores do Sudeste estão mais propensos à mudança. Os do Nordeste, mais propensos à continuidade. Clivagem geográfica presente.

Dado importante: 42% dos eleitores que ganham até dois salários mínimos aprovam a gestão de Dilma. Com o aumento da renda, observa-se a queda da aprovação do governo petista. Clivagem econômica presente. Então, a eleição presidencial deste ano pode vir a ser caracterizada por claras clivagens geográficas e sociais. Tais clivagens garantem o sucesso eleitoral de Dilma?

Não se pode desprezar a seguinte hipótese, a qual advém da análise do comportamento dos eleitores nas disputas presidenciais de 1998 e 2006. No primeiro governo de FHC, eleitores obtiveram conquistas. E em março de 1998, a taxa de aprovação do governo FHC era de 39% – Ibope. Em março de 2006, após o escândalo do mensalão, o qual ocorreu em 2005, a aprovação de Lula era de 38% – Ibope. Em março deste ano, o Ibope revelou que a aprovação de Dilma era de 36%.

Certamente, em março de 1998, a tese da mudança sugeriu que FHC não seria reeleito. Ocorre o mesmo com Lula em 2006. Tal tese sugere, neste instante, que Dilma tende a não ser reeleita. Devemos ampliar nosso olhar analítico. FHC e Lula recuperaram popularidade e foram reeleitos em virtude de que os eleitores consideraram o passado, ou seja, as conquistas obtidas nos respectivos governos.

Neste momento, com o objetivo de construir previsões, deve-se considerar que as clivagens econômica e geográfica podem beneficiar o sucesso eleitoral de Dilma. Além do receio do futuro. Ou seja: parte dos eleitores pode temer a perda das conquistas que obtiveram na era PT e temerem o futuro caso Eduardo ou Aécio vença a eleição.

adriano_oliveira_2 c gravata divulgacao

* Fonte & Autor: LeiaJá – Adriano Oliveira - Doutor em Ciência Política. Professor da UFPE – Departamento de Ciência Política. Coordenador do Núcleo de Estudos de Estratégias e Política Eleitoral da UFPE. Colaborador do Instituto de Pesquisa Maurício de Nassau. Sócio da Contexto Estratégia

Ciências & Tecnologia: Mosquito Transgênico Pode Ser Solução Contra a Dengue *

Mosquito transgênico é liberado

para combater a dengue no Brasil

 

Mosquito "fabricado" contra a dengue é APROVADO

Mosquito “fabricado” contra a dengue é APROVADO

Inseto é geneticamente modificado para não deixar descendentes

A Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio) aprovou nesta quinta o pedido de liberação comercial de mosquitos transgênicos contra a dengue, desenvolvidos por uma empresa britânica, chamada Oxitec. Os mosquitos são geneticamente modificados para serem estéreis, de modo que, ao copularem com as fêmeas de Aedes aegypti na natureza, bloqueiam a reprodução da espécie. Testes realizados em dois bairros da cidade de Juazeiro, na Bahia, resultaram em uma redução de até 90% do número de insetos transmissores da dengue nessas localidades.

A decisão da CTNBio, por 16 votos a 1, atesta que os mosquitos transgênicos são seguros, tanto para a saúde humana quanto para o meio ambiente, autorizando a empresa a buscar o registro comercial para colocá-los no mercado — o que deverá ocorrer nos próximos meses. A Oxitec já tem uma fábrica pronta para entrar em operação em Campinas, com capacidade para produzir 2 milhões de mosquitos transgênicos por semana, além de uma parceria com a empresa brasileira Moscamed, com sede em Juazeiro, que produziu os mosquitos para os testes de campo na Bahia.

“Estamos muito satisfeitos com a aprovação”, disse ao Estado o diretor global de desenvolvimento de negócios da Oxitec, Glen Slade. “Vencemos uma etapa fundamental, mas é só o início de um trabalho muito grande”, completou ele, ressaltando que ainda não está claro em qual ministério a empresa deverá solicitar o registro de comercialização. Por ser o primeiro produto desse tipo aprovado no País — e no mundo –, não há um trâmite já estabelecido para isso. O mais provável é que o processo passe pela Anvisa.

“Seja como for, a aprovação pela CTNBio significa que devemos continuar a investir no Brasil”, observa Slade. O objetivo da empresa é ter várias fábricas de mosquitos espalhadas pelo País, para atender a demandas localizadas com mais eficiência. Os mosquitos são frágeis e não podem viajar longas distâncias, por isso é importante que as fábricas estejam próximas das cidades que eventualmente serão atendidas pelo serviço.

Como funciona. Os mosquitos transgênicos da Oxitec têm um gene a mais em seu DNA que faz com que seus descendentes morram antes de chegar à fase adulta, ainda no estágio de larva. Apenas mosquitos machos são produzidos, pois são apenas as fêmeas que picam as pessoas e transmitem a dengue (dessa forma, evita-se acrescentar mais mosquitos com potencial para transmitir a doença no ambiente).

A estratégia, basicamente, é liberar grandes quantidades desses mosquitos transgênicos na “natureza” (mais especificamente, nas áreas urbanas onde a dengue é um problema), em número muito maior do que o de machos selvagens, de forma que os transgênicos estéreis tenham uma probabilidade muito maior de copular com as fêmeas daquela população e, assim, a reprodução da espécie seja suprimida.

Os mosquitos transgênicos sobrevivem apenas de 2 a 4 dias na natureza, de modo que a população de mosquitos é aumentada apenas temporariamente após a liberação. Os mosquitos machos não picam pessoas, e a modificação genética não é transmitida para as fêmeas na cópula.

Os testes de campo em Juazeiro foram realizados nos bairros de Itaberaba e Mandacaru. No primeiro, a população de mosquitos transmissores foi reduzida em 81%; e no segundo, em 93%. Um terceiro ensaio, conduzido pela Moscamed, está em andamento na cidade de Jacobina, com patrocínio do governo do Estado da Bahia. Seis meses após as primeiras liberações de machos transgênicos, a população de mosquitos no bairro de Pedra Branca foi reduzida em 79%, segundo resultados preliminares divulgados hoje pela Oxitec.

Os resultados são muito promissores e mostram que a tecnologia funciona para reduzir a população de mosquitos”, diz a pesquisadora Margareth Capurro, do Instituto de Ciências Biomédicas da USP, que coordenou os estudos de campo em Juazeiro e está redigindo um trabalho científico sobre eles para publicação. Ela não tem vínculo com a Oxitec. O próximo passo, que será dado em Jacobina, é medir o impacto dessa redução populacional de mosquitos na transmissão local da dengue. “É algo que só poderemos medir aplicando a tecnologia na cidade toda”, explica. O projeto começou em meados de 2013 e deve durar mais dois anos. “É muito provável que a transmissão também caia, mas precisamos fazer o experimento para poder dizer isso com certeza.”

* Fonte: MSN / Estadão

Artigo/Dissecando a Pesquisa: Analista diz o que tem por dentro da Pesquisa do Datafolha *

63% disseram que queriam mudanças no governo, com outro presidente no lugar de Dilma e 27% afirmaram querer mudanças, mas com Dilma na presidência.

63% disseram que queriam mudanças no governo, com outro presidente no lugar de Dilma e 27% afirmaram querer mudanças, mas com Dilma na presidência.

ILAÇÕES INDEVIDAS

Desde os movimentos insurgentes de junho passado os institutos de pesquisa vêm detectando que os brasileiros querem mudanças na condução político-administrativo do País.

Capturados os percentuais dos que querem mudanças os instituto, ato contínuo, inquirem os entrevistados sobre quem está mais preparado para fazer mudanças no Brasil.

Há um problema, contudo, no caso do Datafolha. A forma pela qual o instituto está relacionando a pergunta sobre se o eleitor prefere mudanças, e a pergunta subsequente, sobre quem estaria mais preparado para fazer mudanças, está induzindo a mídia a erros de análise.

Com efeito, veja-se o exemplo do próprio jornal Folha de S.Paulo (23 de fevereiro de 2014), em matéria assinada pelo jornalista Fernando Rodrigues, sob o título “Brasileiro quer mudança, mas com petistas”:

“… Agora, 67% dizem desejar que o próximo presidente adote ações diferentes da atual administração. Desta vez, o Datafolha foi além no levantamento dos dias 19 e 20 e indagou aos entrevistados qual dos pré-candidatos a presidente estaria mais preparado para adotar as tais mudanças no jeito de governar o país” (grifo nosso, MCR).

Segue-se uma relação de nomes na matéria com as percentagens respectivas de respostas à dita indagação, onde Lula (28%) e Dilma (19%) aparecem nas duas primeiras colocações.

Como o texto do jornalista afirmava que o Datafolha indagou quem desses nomes era mais preparado para “adotar tais mudanças”, supunha-se, por óbvio, que os percentuais associados aos nomes listados fossem derivados do universo dos 67% que queriam mudanças.

Indo diretamente ao questionário da pesquisa, observa-se, todavia, que não foi o caso: a indagação consequente (“quem desses nomes…”) não está ligada à pergunta antecedente (“você prefere que a maior parte das ações…”). Na verdade, o questionário revela que se trata de duas questões completamente independentes.

Quer dizer, os percentuais correspondentes aos nomes “mais preparados para realizar mudanças” não decorrem apenas do segmento do eleitorado que quer mudanças, mas de toda a população, incluindo o contingente que não quer mudanças.

Assim, já de saída, o título da matéria (“Brasileiro quer mudança, mas com petistas”), faz uma ilação indevida: junta dois universos distintos, tratando-os como se um derivasse do outro. É um raciocínio falacioso, que permeia todo o corpo da matéria.

O instituto voltou a incidir no mesmo equívoco nesta pesquisa de agora dos dias 3 e 4 de abril. A maioria absoluta da mídia, mais uma vez, foi induzida a erro. Dois exemplos típicos, apenas à guisa de ilustração:

“Há um desejo de mudança, de melhora, de iniciativas corajosas. Mas aí vem o detalhe: entre os que querem novos ares, a maioria considera que o mais apto a fazer isso é Lula, seguida de Marina e, depois, por…Dilma!” Ricardo Melo, FSP, 7/04/2014. Ênfase no original e grifo nosso (MCR).

“…o levantamento do Datafolha aponta que a maioria dos eleitores quer mudanças na condução do País – 72%. No entanto, Aécio e Campos são os últimos nomes apontados como aptos a conduzirem essa mudança, com 13% e 7%, respectivamente. A própria Dilma tem 16% da preferência para conduzir essas mudanças, metade dos 32% obtidos por Lula e em empate técnico com os 17% de Marina”. Portal do Estadão, 6/04/2014, grifo nosso (MCR).

Dessa pesquisa não dá para extrair tais conclusões diretamente, pela simples razão de que a pergunta que dá origem às respostas não foi formulada. É oportuno repisar: os percentuais publicados não são derivados do conjunto dos 72% que querem mudanças, mas de todo o universo dos entrevistados, inclusive dos 24% que não querem mudanças.

O Ibope, ao contrário, na pesquisa de 13 a 17 de março, fez a seguinte pergunta, mas só para quem desejava mudanças:

E ainda falando sobre mudanças no governo, o(a) sr(a) deseja mudanças no Governo, mas com Dilma na Presidência ou mudanças no governo com outro Presidente no lugar de Dilma?

63% disseram que queriam mudanças no governo, com outro presidente no lugar de Dilma e 27% afirmaram querer mudanças, mas com Dilma na presidência.

Enfim, a preferência do eleitorado pelos nomes desfilados no Datafolha para levar à frente as tais mudanças reclamadas pode ser até aquela mesma que foi publicada, mas isso só pode ser confirmado mediante pergunta apropriada aos que declaram querer mudanças.

 

Maurício Romão

* Autor:  Maurício Costa Romão - Ph.D. em economia, é consultor da Contexto Estratégias Política e Institucional, e do Instituto de Pesquisa Maurício de Nassau. mauricio-romao@uol.com.br

Movimento Cultural/Crônica : És Feliz? – Por Francisco Aquino *

campeao vencedor deus da asas

És Feliz?

Por tudo que viveste com sublime emoção.

És feliz?

Com todos que te cercam te rodeando de carinho e mimos de todos os lados.

És feliz?

Pelos os amigos que fizestes e os caminhos que trilhastes mas as conquistas que tivestes.

És feliz?

Que avaliação faz do tempo?

Ele foi benevolente contigo te deixando bem consigo e com os outros no cumprimento do ciclo da vida.

Por isso és feliz?

Neste mundo às vezes cruel que tens de viver e orar partilhando alegrias e tristezas.

És feliz?

Praticastes bem a humildade sem prejudicar ninguém. Sendo simples e generoso.

És feliz?

Buscaste a harmonia e tentaste viver dignamente a felicidade contribuindo com o bem estar do outro e tendo boa vida com tranquilidade financeira para viver.

És feliz por assim.

Diante de perdas mais que ganhos e ausências de entes queridos. Tendo combatido o bom combate.

És feliz?

Portanto, são tantos percalços e obstáculos a serem transpostos.

És feliz?

Por tudo que viveste marcando a todos com tua linda história que ficará na memória vendo a verdadeira face do ser humano que foste e és.

És feliz?

Por tudo que já viveste tendo ou não ajuda de alguém nesta vida. Superando as amarguras e traumas da vivência.

És feliz?

Pelas as conquistas e por estar com saúde e logicamente não querer mal a ninguém e combater com repúdio a violência e o vicio entre os seres.

És feliz?

Por ter uma família linda e maravilhosa quando muitos não as tem.

És feliz?

Então viva a felicidade nem que seja por alguns momentos vividos que te fará feliz e não voltaram jamais.

Viva a felicidade e a vida feliz porque vieste ao Mundo pra viver isto.

Francisco Chico Aquino sozinho de azul

* Autor: Francisco Aquino  -  FRANCISCO DE ASSIS MACIEL AQUINO é pesqueirense, professor, colaborador do OABELHUDO, cronista, poeta e comentarista esportivo.

Violência/Comportamento: América latina Lidera o Número de Homicídios no Mundo *

ONU:

Países da América Latina

lideram índice de homicídios

no mundo

O Brasil possui um indíce de 25,2 homicídios por 100 mil habitantes

O Brasil possui um indíce de 25,2 homicídios por 100 mil habitantes

Brasil tem o maior número isolado de homicídios, com 50 mil vítimas, e uma taxa de 25,2 mortos por cada 100 mil habitantes, segundo ONU.

A América Latina se manteve como a região que concentra os países com o maior índice de mortes violentas por homicídio e armas de fogo do mundo, segundo relatório da Organização das Nações Unidas divulgado nesta quinta-feira.
Embora não esteja no topo da lista, que compara o índice de homicídios em relação ao conjunto da população, o Brasil concentra isoladamente o maior número de casos. Em 2012, 50.108 pessoas foram vítimas de homicídio no país, ou uma taxa de 25,2 mortos para cada 100 mil habitantes.

O estudo, elaborado pelo Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime e baseado em dados oficiais disponíveis até 2012, aponta que 157 mil homicídios ocorreram nas Américas, ou 36% do total mundial, com países latino-americanos na liderança da lista.
No mundo, a taxa média de homicídios é de 6,2 para cada 100 mil pessoas, mas o sul da África e a América Central têm taxas quatro vezes maiores.

Honduras foi o país com a maior taxa de homicídios do mundo, com um índice de 90,4 mortes para cada 100 mil habitantes. O país centro-americano é seguido pela Venezuela, com taxa de homicídios de 53,7.

No outro lado da lista, os principados de Mônaco e Liechtenstein tiveram taxa zero de homicídio. Já Cingapura teve uma taxa de 0,2 morto por 100 mil habitantes e o Japão, 0,3.

Homicídios na América Latina*

1. Honduras 90,4

2. Venezuela 53,7

3. El Salvador 41,2

4. Guatemala 39,9

5. Colômbia 30,8

6. Porto Rico 26,5

7. Brasil 25,2

9. México 21,5

15. Paraguai 9,7

18. Uruguai 7,9

19. Argentina (2010) 5,5

21. Chile 3,1

* Taxa de mortes por 100 mil habitantes

Leia a Íntegra:

Países latino-americanos lideram homicídios no mundo

* Fonte: BBCBrasil

Bolívia: Do Negativo para O Positivo. Elogios por Expansão e Estabilidade *

 

Criticada no passado por

estatizações, Bolívia arranca

elogios por expansão e

estabilidade

Políticas sociais adotadas no governo de Evo Morales triplicaram renda e reduziram desigualdade

Políticas sociais adotadas no governo de Evo Morales triplicaram renda e reduziram desigualdade

“Sem o FMI, estamos melhor”. A declaração do presidente boliviano, Evo Morales, durante a abertura de uma conferência internacional sobre os direitos indígenas na última segunda-feira, em Santa Cruz de la Sierra, foi apenas sua mais recente crítica ao Fundo Monetário Internacional.

Em fevereiro, ele disse que a instituição deveria ressarcir os danos que causou ao longo de 20 anos de políticas neoliberais na América Latina.

As constantes críticas contrastam com o tom elogioso do último relatório do fundo sobre o país, que parabeniza a Bolívia por sua boa gestão econômica e pelo rápido crescimento do PIB (Produto Interno Bruto).

Os números preliminares indicam que a nação mais pobre da América do Sul cresceu 6,5% no ano passado, o melhor resultado em três décadas. Mas não se trata de um dado positivo isolado. De 2007 a 2012, a expansão anual média do PIB no país foi de 4,8%. E, para este ano, o FMI projeta um crescimento acima de 5%.

Política prudente

Analistas de mercado atribuem os bons números a uma política econômica prudente que soube aproveitar o cenário favorável de alta do preço do gás – principal produto boliviano.

“Há vários anos, o desempenho macroeconômico da Bolívia tem sido muito bom. Essa performance, ativamente apoiada em políticas sociais, ajudou a aumentar em quase três vezes a renda média da população e reduziu a pobreza e a desigualdade“, afirmou recentemente Ana Corbacho, economista que chefiou a última missão de monitoramento do FMI ao país, em conferência com jornalistas.

Estatização de petrolíferas gerou mais receita ao governo

Estatização de petrolíferas gerou mais receita ao governo

Arrecadação crescente

O último relatório anual da instituição sobre o país diz que, apesar de estatizações em geral terem impactos negativos “no clima de negócios” e “enfraquecerem” a produção no setor de energia, “no caso da Bolívia, a nacionalização do setor de hidrocarbonetos (petróleo e gás) claramente fortaleceu as receitas do governo”.

Revertendo privatizações

O governo de Morales diz que nacionaliza apenas setores estratégicos que eram do Estado antes da leva de privatizações dos anos 90, recomendada pelo FMI. São empresas de petróleo, gás, eletricidade, telecomunicação, transporte aéreo e ferroviário e de alguns metais – quase todas já estatizadas, em geral após o pagamento de alguma compensação.

Vulnerabilidades

 

Apesar dos avanços, país ainda é pobre e precisa diversificar sua economia

Apesar dos avanços, país ainda é pobre e precisa diversificar sua economia

Mas, apesar de todos os avanços, a Bolívia ainda permanece um país pobre e com uma economia pouco diversificada. A renda per capita é de cerca de US$ 2.700 por ano (no Brasil tem sido acima de US$ 10 mil nos últimos anos), e o setor de petróleo e gás responde por metade das exportações e um terço das receitas do governo. Quase todo o combustível é vendido para apenas dois países – Brasil e Argentina.

Leia a Íntegra:

Criticada no passado por estatizações, Bolívia arranca elogios por expansão

* Fonte: Mariana Schreiber - Da BBC Brasil em Londres

Crônica/Opinião: Celulite – O Tormento das Mulheres *

 

 

Adoro Celulite

 

...Vem no DNA. É mole e atormenta quem não merece: as mulheres. E atende por um nome assustador: celulite. Um terror que se localiza nas redondezas da região glútea e, dependendo do caso, se espalha pela parte posterior das coxas…

 

Mulher e celulite= DNA + gordura,+ sacrifício e mais aceitação.

Mulher e celulite= DNA + gordura,+ sacrifício e mais aceitação.

 

 

 

A vida é dureza. Sempre foi. Cada vez mais. Hoje em dia, invade a casa da gente. Rádio, televisão e a hipnose da família eletrônica dos “I”, “Face”, “WattsApp” nos levam a prestar menos atenção ao próximo mais próximo. Em matéria de informação o que nos chega é a violência nas mais variadas e requintadas formas; a corrupção organizada pelos homens do colarinho branco, amarelado pelo suor fétido dos seus usuários rechonchudos; tome imposto de verdade e engula a mentira dos serviços públicos.

O jeito é falar de moleza. Moleza inocente. Natural. Na maioria das vezes, herdadas. Vem no DNA. É mole e atormenta quem não merece: as mulheres. E atende por um nome assustador: celulite. Um terror que se localiza nas redondezas da região glútea e, dependendo do caso, se espalha pela parte posterior das coxas. As magrinhas não estão imunes às ondulações do tecido fibroso que nem casca de laranja.

No começo da década de noventa, em parceria com o famoso J. Michiles, nasceu a marchinha cujo refrão é o seguinte: “Gordinha, linda Afrodite/parei no seu it de anjo barroco/você me deixa louco com seu apetite/acredite/adoro celulite!”. Criamos o bloco. Disputa acirrada para escolher a porta-bandeira (quem ganhou? Segredo de confissão). Quase sai tapa. O bloco era curtição e somente uma vez foi às ruas. A preguiça era muito grande. A gente anunciava todo ano a presença de celebridades (Jô Soares, Wilza Carla) e, no clima de carnaval,…tudo era fantasia. Mas as portadoras de celulite estavam de alma e tecido adiposo lavados: o frevo-canção era uma resposta ao Bloco da Malhação da academia da saudosa Jandira Airam, letra de minha autoria, musicada, adivinhem por quem? O doce amigo e notável compositor Luiz Bandeira. Refrão: “Malha, menina!/menina, malha!/fica durinha senão encalha!” Quase linchado, fui perdoado com a apologia à celulite.

Bem, a celulite é a saúva do século XXI: ou se acaba com ela ou ela põe em risco o sexo feminino. Tem receita de todo tipo: fórmulas caras, “cientifícas”, naturais, soluções caseiras (manteiga de cacau com açúcar e pó de café, eca!, banho de algas, três copos ao dia de suco de limão e pimenta caiena, a couve milagrosa e por aí vai).

E haja maluquice. As loucademias de ginásticas são verdadeiros sanatórios que fabricam a neurose da “mulher perfeita” (para ela e o espelho, espelho meu), o ideal da Vênus calipígia (com todo respeito) de bunda dura e pacientes de ortopedistas e fisioterapeutas.
Aliás, “A bunda dura” é um artigo atribuído (?) a Arnaldo Jabor e leitura recomendável para auxiliar o tratamento psicanalítico no mundo que glorifica os “máximos”; canoniza a aparência; subestima a essência; e, para mergulhar na inconsciência, consome, adoidado, pílulas para dormir, para acordar, para sorrir, para sentir prazeres em escala negada pela natureza. Somos vítimas da civilização do medo generalizado em fuga permanente do real que dói, maltrata, mas que precisa ser enfrentado.

Ora, a mulher não precisa ser dura, nem mole; não precisa ser uma estátua de charme; não precisa se redesenhar a cada década passada; basta ser mulher no corpo cuidado, adequado a cada idade e sem perder o viço interior do senso de humor e do amor; manter acesa a luz de uma sabedoria que emana dos sentimentos da maternidade; mulher que ria, faça rir e que tenha idéias mais longas do que os cabelos. Esta escultura da alma feminina jamais perderá a graça e a capacidade de sedução.
E nós homens, fracotes, como precisamos delas. Precisamos daquela metade que na narrativa da obra platônica, o “Banquete”, é separada do ser original completo e, a partir de então, vaga pelo mundo em busca da outra metade.

Encontrando, amigas, é prudente relevar o desleixo do toalha molhada em cima da cama; de mijar no assento do vaso sanitário; de jogar a pelada regada a cerveja, conversando leseira. Encontrando, amigos, vale sentir no corpo da mulher, o suave aconchego, revestido pela gordurinha localizada e pela indesejada celulite. E todo dia, repetir, em tom de prece, o que diz o cancioneiro “Meu amigo, se ajeite comigo e dê graças a Deus”.

Gustavo Krause foto-colunista-62608

* Fonte & Autor: LeiaJá – Gustavo Krause  -  Professor Titular da Cadeira de Legislação Tributaria, é ex-ministro de Estado do Meio Ambiente, dos Recursos Hídricos e da Amazônia Legal, no Governo Fernando Henrique, e da fazenda no Governo Itamar Franco, além de já ter ocupado diversos cargos públicos em Pernambuco, onde já foi prefeito da Capital e Governador do Estado

Canal da Transposição: Ministros Vistoriam Andamento das Obras *

 CANAL DA TRANSPOSIÇÃO

Essas infraestruturas fazem parte do trecho final do Eixo Norte, entre os Estados do Ceará e Paraíba.

Essas infraestruturas fazem parte do trecho final do Eixo Norte, entre os Estados do Ceará e Paraíba.

Projeto São Francisco:

ministros da Integração Nacional

e do Planejamento vistoriam trechos

da maior obra hídrica em construção no País

 

 

Francisco Teixeira e Mirian Belchior realizaram, nesta manhã, sobrevoo sobre os túneis Cuncas I e Cuncas II, além dos canteiros das barragens de Porcos, de Canabrava, do Cipó e de Jati

 

Ministros vistoriaram andamento das obras

Ministros vistoriaram andamento das obras

 

 

 

O ministro da Integração Nacional, Francisco Teixeira, e a ministra do Planejamento, Orçamento e Gestão, Mirian Belchior, realizam vistoria técnica no Projeto de Integração do São Francisco, nesta quinta e sexta-feira (10 e 11 de abril), com passagens pelos principais trechos dos Eixos Norte e Leste. Além de visitar os canteiros de obras, os ministros também farão reuniões de trabalho com os engenheiros responsáveis pela maior obra hídrica em construção no País.

A visita técnica foi iniciada nesta quinta-feira pela manhã, no canteiro do lote 7, em São José de Piranhas (PB). Os ministros vistoriaram as obras das barragens de Boa Vista e de Caiçara, e realizaram sobrevoo sobre os túneis Cuncas I e Cuncas II, além dos canteiros das barragens de Porcos, de Canabrava, do Cipó e de Jati. Essas infraestruturas fazem parte do trecho final do Eixo Norte, entre os Estados do Ceará e Paraíba.

A barragem de Caiçara vai derivar água do Rio São Francisco para a Barragem de Engenheiro Ávidos, na Paraíba, e para a Bacia do Piranhas-Açu. A barragem também deriva água para a bacia do Rio do Apodi (RN). Para a agenda da tarde, os ministros Francisco Teixeira e Mirian Belchior visitarão a Estação de Bombeamento III e a barragem de Negreiros, em Salgueiro (PE).

Confira aqui imagens das obras

* Fonte: Portal MI

Brasil/Consumidor: Ministério da Justiça vai Agir contra Práticas Abusivas de Vendas Casadas no Comércio *

 

MJ instaura processos contra

redes varejistas por venda

abusiva de seguros

 

logo magazine-luizalogo ricardo_eletrologo  Casas_Bahialogo ponto frio

 

 

DEFESA DO CONSUMIDOR 

 

O Ministério da Justiça abriu processos contra redes varejistas acusadas de práticas abusivas na venda casada de produtos e seguros, disfarçados de garantia estendida. Há também seguro de vida e planos odontológicos sem solicitação dos consumidores.

Amaury Oliva vê abusos em vendas das redes varejistasElza Fiuza/Agência Brasil

Amaury Oliva vê abusos em vendas das redes varejistasElza Fiuza/Agência Brasil

“Os varejistas parecem estar se transformando em grandes vendedores de seguros. Temos notícias de uma empresa que comercializou mais de R$ 9 milhões de apólices de seguro em 2013”, disse Amaury Oliva, diretor do Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor, vinculado à Secretaria Nacional do Consumidor.

Foram instaurados processos administrativos contra as redes Magazine Luiza, Ricardo Eletro, Casas Bahia e Ponto Frio. A rede Insinuante foi notificada para prestar esclarecimentos sobre a venda de seguros, serviços adicionados e suas regras de venda.

Segundo o Ministério da Justiça, entre 2005 e 2012, a Casas Bahia receberam 13.057 reclamações de consumidores com relação à garantia, o Ponto Frio, 14.031; Magazine Luiza, 9.068 e Ricardo Eletro, 33.367.

A instauração dos processos foi publicada nesta quarta-feira (9) no Diário Oficial da União. As empresas têm dez dias, a partir de hoje, para apresentar defesa. Se condenadas, podem ser multadas em até R$ 7 milhões.

As investigações começaram em 2012 com denúncia do Procon de Ubá (MG) contra a Casas Bahia. Após consulta aos registros do Sistema Nacional de Informações de Defesa do Consumidor e aos Procons, o departamento ampliou a investigação para outras redes varejistas.

“O problema é a prática abusiva de empurrar o seguro para quem não solicitou. O consumidor vai a uma loja comprar um liquidificador, uma geladeira, e sai, sem querer, com vários seguros embutidos no valor do produto. Isso é inadmissível pelas regras do Código de Defesa do Consumidor. É um padrão comercial que não me parece leal com os consumidores”, disse Amaury Oliva.

Não podemos admitir que empresas se aproveitem da vulnerabilidade dos consumidores. O consumidor precisa ficar atento. Se ele não solicitou o produto, retorne à loja, exija seu dinheiro de volta. Se houver algum problema, pode recorrer aos Procons”, disse o diretor.

Amaury Oliva revelou um caso de abuso. “Uma moça de baixa renda foi comprar um jogo de cozinha. A vendedora disse que ela tinha que assinar vários documentos senão ela perderia a promoção. A consumidora, quando chegou em casa, viu que comprou seguro de vida e garantia estendida. O jogo de cozinha, que era R$ 820, saiu por R$ 1.019”.

Em nota, a Ricardo Eletro informou que não foi notificada sobre o processo administrativo, e que a empresa irá se manifestar após receber o documento. “A Ricardo Eletro esclarece que tem realizado investimentos constantes para atender cada vez melhor o consumidor. Tais medidas permitiram, inclusive, uma redução significativa no número de reclamações de clientes”, disse o comunicado.

A Via Varejo, que administra Casas Bahia e Ponto Frio, argumenta que “pauta suas ações de acordo com a lei e na excelência do atendimento ao consumidor em todos os seus negócios”. A empresa responderá ao departamento no prazo determinado.

O Magazine Luiza disse que, até o momento, a empresa não foi notificada. “A empresa informa que atua em conformidade com a legislação vigente e reitera o seu compromisso de sempre prezar pela transparência e excelência no atendimento, visando à satisfação de seus clientes”, afirmou a nota.

Em nota, rede Insinuante diz que “a empresa repudia práticas comerciais abusivas na venda de produtos com serviços adicionais embutidos”. A empresa garante que seus funcionários são orientados a terem conduta ética e transparente com os clientes.

* Fonte: Agência Brasil

Pernambuco: Obras Inacabadas Comprometem o Prazo para a Copa do Mundo *

 

PE tem seis obras de mobilidade

inacabadas a dois meses da Copa

 

Governo promete entregar construções até maio, a um mês dos jogos. Conclusão do Corredor Leste-Oeste, que leva à Arena PE, é prioridade.

 

Túnel da Abolição, no bairro da Torre, Recife, vai integrar o Corredor Leste-Oeste (Foto: Katherine Coutinho / G1)

Túnel da Abolição, no bairro da Torre, Recife, vai integrar o Corredor Leste-Oeste (Foto: Katherine Coutinho / G1)

 

 

 

Seis das 19 obras de mobilidade para a Copa do Mundo em Pernambuco só devem entrar em operação no mês de maio, possivelmente, menos de um mês antes do início dos jogos. O balanço sobre o andamento das construções foi divulgado, nesta quarta (9), durante reunião para alinhamento de metas e planos entre os governos federal, estadual e municipal, além de parceiros envolvidos na operação do mundial. O encontro ocorre em um hotel na Zona Sul do Recife.

A 64 dias do início do mundial, a expectativa é grande em torno das obras ainda não concluídas: os corredores de ônibus Norte-Sul e Leste-Oeste, o Terminal Integrado Cosme e Damião, a Via Mangue, a passarela de ligação do metrô ao Aeroporto do Recife e o ramal externo da Cidade da Copa. A lista de obras de mobilidade para Copa conta com ainda com 13 itens já entregues e em operação
“A questão da mobilidade, que é a nossa principal preocupação, nosso principal sinal de alerta, na verdade, vem sendo monitorada desde a época da Copa das Confederações. Como nós prevíamos, algumas obras estão entrando em operação agora no mês de maio, a exemplo do BRT (corredores para ônibus)”, afirmou o secretário-executivo da Copa em Pernambuco, Gilberto Pimentel.

Na PE-15, estações para o BRT do Corredor Norte-Sul ainda estão em construção (Foto: Katherine Coutinho / G1)

Na PE-15, estações para o BRT do Corredor Norte-Sul
ainda estão em construção (Foto: Katherine Coutinho / G1)

G1 circulou por parte das obras nesta quarta (9). Operários trabalhavam na passarela de acesso do Aeroporto do Recife ao metrô. Um grupo retirava entulhos da passarela na altura do terminal aéreo. Nas obras da Via Mangue, técnicos atuavam na ponte do corredor viário que, quando estiver pronto, promete dar mais fluidez ao trânsito da Zona Sul.

No final da Avenida Caxangá, Zona Oeste da capital, é possível ver uma das estações do BRT já pronta, mas ainda não há sinalização para a faixa que separa os coletivos dos demais veículos, uma das premissas para que os ônibus possam seguir mais rapidamente pela via. O Túnel da Abolição, que integra as obras do Corredor Leste-Oeste, já teve parte da estrutura coberta. Era possível ver escavadeiras trabalhando no local, na manhã desta quarta.

O Corredor Norte-Sul ainda espera a construção de estações e pistas exclusivas para coletivos. “O grande objetivo é que dia 22 de maio todas as obras de mobilidade entrem em fase operacional. Algumas já começaram a ser testadas, outras ainda vão entrar em teste. O foco nessa reta final é maior naquelas vias que convergem para os polos oficiais, como a Arena Pernambuco. Então nosso foco é basicamente nesses pontos, como o Corredor Leste-Oeste”, apontou Pimentel. O primeiro jogo da Copa no Recife está previsto para 14 de junho. Japão e Costa do Marfim se enfrentam na Arena Pernambuco.

Passarela em construção vai ligar o Aeroporto do Recife ao metrô (Foto: Katherine Coutinho / G1)

Passarela em construção vai ligar o Aeroporto do Recife ao metrô (Foto: Katherine Coutinho / G1)

Leia a Íntegra:

PE tem seis obras de mobilidade inacabadas a dois meses da Copa

* Fonte: G1/

Educação: Livros Escolares com Graves Erros são Ofertados a alunos *

 

Livro didático tem erros de

grafia de Estados brasileiros

 

livro de jundiai -geografia-distribuido-para-a-rede-municipal-de-jundiai-acre-espirito-santo-e-minas-gerais-aparecem-com-o-nome-grafado-errado-1397057232086_615x300

 

Localização de Rio Grande do Norte, Paraíba, Alagoas e Sergipe, além do Distrito Federal, também está errada no mapa

 

 

Ácre”, “Minas Gertais” e “Espíritu Santo” estão entre os Estados brasileiros, segundo um livro didático distribuído a estudantes da rede municipal de ensino de Jundiaí, no interior paulista. Na obra, o mapa do Brasil também não mostra onde está o Distrito Federal e não nomeia os Estados do Rio Grande do Norte, Paraíba, Alagoas e Sergipe.

Os erros do livro didático da coleção Projeto Ciranda, do Grupo Mathema, foram descobertos nesta semana por um menino de 7 anos, filho da auxiliar administrativa Vanessa Marques. O mapa faz parte de um capítulo sobre povos indígenas e o mapa do Brasil mostraria todos os Estados e a localização de algumas tribos.

“Ele notou e me disse que os nomes estavam escritos de forma errada. Folheei o livro para ver se não se tratava de alguma brincadeira do tipo ‘pegadinha’ ou outra forma utilizada para despertar a atenção das crianças, mas não se tratava disso: era erro mesmo“, conta a auxiliar administrativa. “Como é possível haver erros crassos assim em um material elaborado para ensinar as crianças em uma fase crucial de seu processo de alfabetização?“, questiona Vanessa.

Recolhimento. A Secretaria Municipal de Educação informou que já notificou a editora responsável pela publicação. Segundo a administração municipal, o Grumo Mathema assumiu a responsabilidade pela falha e se comprometeu a corrigir os erros e fazer nova impressão para que as páginas sejam substituídas nos próximos dias.

Ainda de acordo com a secretaria, os professores da rede municipal estão sendo orientados para que façam a substituição do material.

Segundo Kátia Stocco Smole, coordenadora da Mathema e doutora em Educação com área de concentração em ensino de Ciências e Matemática, as correções no mapa já foram feitas e a substituição das páginas com erros em todo o material distribuído na rede de ensino de Jundiaí deve ocorrer até amanhã.

Uniformes. A mãe do garoto comenta também que, além do erro no livro, os uniformes que a prefeitura deveria ter distribuído aos alunos da rede municipal no início das aulas ainda não chegaram.

Em relação a isso, a Secretaria Municipal de Educação esclarece que os kits estão previstos para chegar às escolas da rede a partir do dia 22 deste mês.

* Fonte: MSN/Estadão

Futebol: SPORT CLUB DO RECIFE é Tricampeão da Copa do Nordeste *

 

O Sport é tricampeão

da Copa do Nordeste

 

Com mais esse título rubronegro agora e tricampeão da Copa do Nordeste

Com mais esse título rubronegro agora e tricampeão da Copa do Nordeste

O Leão empatou por 1×1 com o Ceará, na Arena Castelão, em Fortaleza

 

O recado havia sido dado na semana passada, na Ilha do Retiro, pelos rubro-negros: o campeão voltou! Da mínima chance de classificação, ainda na fase de grupos, ao título no final. Assim foi o Sport, que com o empate por 1×1, nesta quarta-feira (9), diante do Ceará, no Castelão, e uma campanha crescente na competição, tornou-se tricampeão da Copa do Nordeste. Para voltar a vestir a região de vermelho e preto após 14 anos.

A emoção fez parte do capítulo final. Principalmente após o gol do Ceará, marcado por Magno Alves, aos 44 minutos da etapa inicial. Porém, para evitar maiores sofrimentos, Neto Baiano, de pênalti, marcou o tento de empate, aos cinco minutos do segundo tempo para garantir o título do Nordestão e o Sport na Copa Sul-Americana.

Com esse gol de penâlti marcado por Neco Baiano o Sport, empatou e ganhou o título

Com esse gol de penâlti marcado por Neto Baiano o Sport, empatou e ganhou o título

Leia a Íntegra:

O Sport é tricampeão da Copa do Nordeste

* Fonte: LeiaJá/por Clauber Santana

Movimento Cultural: Caminhos é a Poesia de Margarida Maciel *

 

 

caminhos-da-vida multiplos

…SEM PRESSA NENHUMA DE CHEGAR
NINAMOS O TEMPO EM DEVANEIOS…

CAMINHOS

 

 

CAMINHOS… CAMINHOS…
POR VEZES EM VALES VERDEJANTES
SOB A SOMBRA DE FRONDOSAS COPAS
DE CASCATAS E AROMAS ENVOLVENTES
A BRISA A BEIJAR, O VENTO A ACARICIAR
ENTRE DOCES E MELODIOSOS GORJEIOS
SEM PRESSA NENHUMA DE CHEGAR
NINAMOS O TEMPO EM DEVANEIOS

 

MAS NO VENDAVAL DA VIDA
QUANDO VEM A TRÉPIDA NÉVOA FRIA
PROCURAMOS ATALHOS, BUSCANDO DESVIOS
DRIBLAMOS INFORTÚNIOS, ENGANAMOS A AGONIA
FUGIMOS DOS CICLONES
PULAMOS TRINCHEIRAS
ABREVIAMOS ÍNGREMES CURVAS
ULTRAPASSAMOS FRONTEIRAS

 

AH, CAMINHOS…CAMINHOS…
CAMINHAMOS A ESMO
TRILHANDO SEUS PROFUNDOS SEGREDOS
ESCRAVOS DO IMPREVISÍVEL
ALGEMADOS AO INDESVENDÁVEL ENREDO
OS ESPINHOS, AS PEDRAS OS TROPEÇOS
AS FONTES OS CAMPOS,O MAR
DESERTOS, OÁSIS, LÁGRIMAS, SORRISOS
ENTREGAMOS TUDO AO PAI CRIADOR
O MEL E O FEL
O PRESENTE E O AUSENTE
O ABISMO E O VALE
O NASCENTE, O POENTE
O QUE NÃO SEI NEM ADIVINHO
O CAMINHO, O CAMINHO…
O CAMINHO.

 

 

MARGARIDA MACIEL RAMALHO nova foto

 

 

* Autora: Margarida Maciel  -  Margarida Maciel Ramalho é pesqueirense, professora, colaborador do OABELHUDO, cronista, contista, poetisa e musicista.

Senado Federal: CE Aprova Residência Pedagógica para Professores de Educação Básica *

 

 

Vai para a Câmara projeto

que cria residência pedagógica

 

Comissão de educação, cultural e esportes aprovou a Residência para os professores

Comissão de educação, cultural e esportes aprovou a Residência Pedagógica para os professores

- Não adianta o professor ir para a sala de aula e não ter condições de formar bem os alunos – argumentou o senador Cyro Miranda

A Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE) aprovou nesta terça-feira (8) projeto que cria a residência pedagógica para professores da educação básica, nos moldes da residência para a capacitação prática dos estudantes de Medicina. Os estudantes deverão cumprir pelo menos 1.600 horas após a formação inicial e terão direito a bolsa de estudo.

Apresentada pelo senador licenciado Blairo Maggi (PR-MT), a proposta (PLS 284/2012) foi aprovada em decisão terminativa. Por isso, deverá seguir agora diretamente para exame na Câmara dos Deputados, a menos que haja recurso para decisão final no Plenário do Senado.

Uma emenda do relator, senador Cyro Miranda (PSDB-GO), que preside a comissão, estendeu a obrigatoriedade da residência a todo o conjunto de cursos de formação de professores da educação básica, da creche ao ensino médio. A emenda também estabeleceu o mínimo de 1.600 horas para a residência, que exigirá dedicação integral (8 horas diárias) pelo período de um ano, com 200 dias letivos.

O projeto original incluía na Lei de Diretrizes e Bases da Educação a previsão da residência pedagógica apenas para professores habilitados para ensinar na educação infantil e nos anos iniciais do ensino fundamental, com duração mínima de 800 horas. O texto inicial já previa a concessão da bolsa de estudo, cujo valor deverá ser estipulado pelas esferas de governo responsáveis pelos cursos, como explicou o relator.

Para Cyro, a proposta de Blairo foi “muito oportuna”, diante das preocupações motivadas pela deficiente formação dos professores, inclusive a de cunho prático. Segundo ele, grande parte dos estudantes de Pedagogia termina seus cursos sem o necessário preparo para enfrentar uma sala de aula. A seu ver, as 1.600 horas de residência vão assegurar ao estudante uma “experiência essencial”, com a vantagem de já contar com uma renda durante essa nova fase de aprendizagem.

- Não adianta o professor ir para a sala de aula e não ter condições de formar bem os alunos – argumentou.

Na avaliação do relator, o projeto oferece resposta a uma parte dos problemas da educação no país. Entre as medidas ainda necessárias, ele cita a formação continuada e a melhoria dos ganhos dos professores.

* Fonte: Agência Senado

Movimento Cultural: As Reminiscências na Poesia de Edmilton Torres *

reminiscencias MEMÓRIAS - 1

Reminiscências de

uma despedida

 

 

 

Quando o brilho do sol vai declinando
Logo vão escurecendo os caminhos
Os pássaros vão retornando aos ninhos
É mais um dia que vai terminando

 

A tarde pouco a pouco silencia
Vai sumindo o gorjeio dos pardais
Findando a sinfonia dos beirais
Deixando no meu peito a nostalgia

 

A saudade que ainda é dolorida
Faz jorrar uma lágrima tardia
Reminiscências de uma despedida

 

De um alguém que para sempre partia
Marcando para sempre a minha vida
Cenário repetido a cada dia

 

 

Edmilton Torres-poeta-pesqueira-DSC_0441-150x150

 

 

* Autor: Edmilton Torres –  Edmilton Bezerra Torres é pesqueirense, cronista, poeta, colaborador do OABELHUDO, graduado em Administração de Empresas pela UFPE, funcionário aposentado da Caixa Econômica Federal. Acaba de ser eleito como membro da APLA – Academia Pesqueirense de Letras e Artes.

Aleluia! Finalmente o STJ decidiu: O Campeão Brasileiro de 1987 é o SPORT CLUB DO RECIFE *

.

Escudo do Sport Recife

STJ anula resolução da CBF e dá

Sport como campeão Brasileiro de 1987

 

O que parece uma novela sem fim teve mais um capítulo nesta terça-feira…

 

Taça de Campeão Brasileiro de 1987, agora do Sport, segundo o STJ

Taça de Campeão Brasileiro de 1987, agora do Sport, segundo o STJ

 

 

 

O que parece uma novela sem fim teve mais um capítulo nesta terça-feira. Em uma audiência realizada no Superior Tribunal de Justiça, em Brasília, o Sport conseguiu a maioria dos votos (4 a 1) favoráveis a uma decisão judicial tomada em 1994, que dava ao clube pernambucano o título do Campeonato Brasileiro de 1987.

PM faz ‘jogo duro’ e pode provocar perda de R$ 500 mil ao Flamengo; entenda

Dessa forma, a CBF não consegue declarar o Flamengo como campeão daquela edição do Nacional como havia feito por meio de uma resolução de 2011. Isso também resulta, de acordo com a essa decisão, que o São Paulo é o detentor da famosa Taça das Bolinhas, concedida ao time que conquistasse o Brasileiro por cinco vezes primeiro.

A única relatora que votou a favor do Flamengo foi Nancy Andrighi. Os ministros Sidnei Beneti, João Otávio de Noronha, Paulo de Tarso Sanseverino e Villas Bôas Cueva divergiram e excluíram a decisão da Confederação Brasileira de Futebol.

O Flamengo ainda pode acionar o Superior Tribunal Federal para tentar reverter a situação.

Entenda o caso

Em 2011, a CBF reconheceu o Flamengo também como campeão de 1987, por meio de resolução. O Sport então buscou a Justiça, pedindo o cumprimento da sentença de 1994. Notificada, a CBF editou nova resolução, revogando a anterior e declarando o Sport único campeão daquele ano.

Informada da alteração, a Justiça local extinguiu o processo, declarando cumprida a obrigação imposta pela sentença de 1994. O Flamengo então recorreu, afirmando ter sido prejudicado pela decisão.

O Tribunal Regional Federal da 5ª Região (TRF5) negou o recurso do Flamengo, afirmando expressamente que a sentença havia declarado o Sport “o” campeão de 1987 e não “um” dos campeões.

Inconformado, o time carioca buscou o STJ, onde se discutiu principalmente o que foi decidido em 1994, se há coisa julgada impedindo o reconhecimento do Flamengo como campeão de 1987 e o meio processual usado para obter a revogação da resolução da CBF.

* Fonte: ESPN.com

Crônica/Opinião: Os Desígnios de Deus – Por Marco Soares *

mao_de_deus

OS DESÍGNIOS DE DEUS

 

Pedimos aos nossos pais; pedimos aos nossos parentes; pedimos aos nossos amigos; pedimos até às pessoas que não conhecemos.

Pedimos tudo a todos, do mais simples pedido ao mais complexo.

Mas, aqueles pedidos mais importantes, aqueles quase impossíveis… Ah, sempre recorremos a Deus, quer creiamos devotadamente Nele, quer apenas O elejamos num momento de aflição, desespero, angústia, como último recurso.

Às vezes nossas súplicas são atendidas; outras vezes, não. Vem, então, o questionamento: quem é merecedor da piedade divina? Ora, todos nós somos, é claro!

Ocorre que a negação divina (a humana também, em alguns casos) é mais dadivosa que o atendimento.

Por vezes não compreendemos isso de imediato e somos tentados a disparar uma série de impropérios, mas depois, não raro, nos surpreendemos com assertivas tais como: “ainda bem que Deus não ouviu minhas preces” ou “tenho que me conformar, afinal foi isso que eu pedi a Deus”.

Deus sempre nos ouve, nos guia, nos protege, porém seus desígnios estão muito além da nossa vã compreensão.

Portanto, tenhamos fé em Deus, tenhamos fé na vida.

 

marco soares

 

 

 

* Autor: Por Marco Soares - Marco Aurélio Ferreira Soares é sanharoense, engenheiro civil, professor, colaborador PIONEIRO do OABELHUDO, cronista, poeta e escritor.

Rio de Janeiro: Ausência do estado – degradação e indignação levou o Complexo da Maré ao Caos *

 

 

Comunidade da Maré pede

moradia digna e condições

de trabalho

 

Moradores do Complexo da Maré, ocupado pelas Forças Armadas, vivem a expectativa de mudanças sociais Fernando Frazão/Agência Brasil

Moradores do Complexo da Maré, ocupado pelas Forças Armadas, vivem a expectativa de mudanças sociais Fernando Frazão/Agência Brasil

 

 

 

A ocupação por 2.700 homens das Forças Armadas e da Polícia Militar não muda a rotina dos 130 mil moradores do Complexo da Maré, na zona norte do Rio. A não ser pela presença ostensiva de militares e das constantes revistas em veículos, a vida segue como sempre, em meio à pobreza extrema, valas de esgoto e moradias improvisadas.

“A gente quer é que nos tirem daqui, moço. A situação está precária. Quando chove, a água sobe e o esgoto invade tudo. A gente quer um lar, para podermos viver com os nossos filhos”, pede Welington Barbosa de Oliveira, que trabalha como pescador e mora às margens de um valão na localidade conhecida como McLaren, na Vila do Pinheiro. Aos 25 anos de idade e pai de cinco filhos, ele quer ajuda do Estado para sair da casa de compensado.

A Companhia Municipal de Limpeza Urbana (Comlurb) instalou um ponto de apoio para agilizar a limpeza da áreaFernando Frazão/Agência Brasil

A Companhia Municipal de Limpeza Urbana (Comlurb) instalou um ponto de apoio para agilizar a limpeza da área. Fernando Frazão/Agência Brasil

A vizinha Andreia Oliveira da Costa, que mora há 12 anos no local, não se conforma com as condições de moradia. “É horrível. Aqui tem rato, barata, lacraia. Queremos ganhar uma casa. É o meu sonho”, pediu ela, que tem quatro filhos e trabalha como camelô vendendo balas na zona sul.

Próximo dali o pescador Gabriel José da Silva, de 58 anos, construía um novo espaço de trabalho embaixo da ponte da Linha Vermelha, ao lado do mesmo valão que leva ao Canal do Cunha, na Baía de Guanabara. O barraco que ele usava para arrumar e construir pequenos barcos de pesca terá de ser removido, segundo lhe informou um representante da associação de moradores, como parte das mudanças urbanas trazidas com o processo de pacificação.

Leia a Íntegra:

Comunidade da Maré pede moradia digna e condições de trabalho

* Fonte: Vladimir Platonow – Repórter da Agência Brasil

Eleição 2014/Pernambuco: Jarbas Vasconcelos consolida parceria política com Eduardo *

Jarbas e Eduardo,

ex-governador, dividem

a mesa e passam a limpo

16 anos de poder em Pernambuco

Eduardo, Jarbas, Mendonça e Raul em papo de política

Eduardo, Jarbas, Mendonça e Raul em papo de política

Jarbas Vasconcelos e Eduardo Campos, já ex-governador, foram convidados ilustres do casamento da jornalista Cecília Ramos com o secretário de Imprensa da Prefeitura do Recife, realizado no sábado, 05.04.

Após a cerimônia, não fizeram cerimônia e dividiram a mesma mesa por um longo tempo na recepção.

JV e EC num cochicho...

JV e EC num cochicho…

Falaram muito ao pé do ouvido ao lado dos deputados federais Mendonça Filho e Raul Henry.

Mendonça, presidente estadual do DEM, e também ex-governador (sucedeu Jarbas quando este deixou o governo para disputar o senado em 2006).

Henry é o pré-candidato a vice-governador na chapa da situação.

Na mesa, estavam 16 anos de governo em Pernambuco – de 1999 a 2014.

A cena, impensada até o fim de 2011, uma vez que Jarbas e Eduardo eram adversários virulentos, chamou a atenção pela intimidade demonstrada entre eles.

A política e suas reviravoltas e guinadas que comprovam que o inimigo de ontem pode tornar-se o amigo confidente de amanhã.

* Fonte: Blog Político/ Josué Nogueira

Brasil Saúde: O Caos do SUS Fere a Dignidade do Cidadão *

 

Problemas no SUS ferem

dignidade dos cidadãos,

indica relatório

 

sus-logo

 

 

Casos de pacientes em macas espalhadas pelos corredores ou em colchões sobre o chão, falta de água em chuveiros e sanitários e cenários que se assemelham aos de uma enfermaria de guerra integram relatório divulgado ontem (7) pelo Conselho Federal de Medicina (CFM). O órgão, em parceria com a Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados, visitou oito hospitais de urgência da rede pública. A conclusão: problemas estruturais no Sistema Único de Saúde (SUS) ferem a dignidade e os direitos da população.

De acordo com o relatório, os serviços de urgência e emergência enfrentam um duplo gargalo. O primeiro trata do atendimento congestionado provocado, segundo o documento, pela centralização do atendimento em poucos serviços. O segundo problema envolve a dificuldade em dar solução a casos de usuários que conseguem ser atendidos. A situação, segundo os médicos, gera uma fila também para sair do serviço, agravando a situação de carência e impossibilitando a admissão de novos usuários.

O subfinanciamento na saúde foi indicado como expressão maior da falta de prioridade dada ao setor. O deputado federal Arnaldo Jordy (PPS-PA), relator da comissão, lembrou que o Ministério da Saúde deixou de aplicar mais de R$ 100 bilhões no SUS ao longo dos últimos 13 anos e que, no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2), apenas 11% das ações previstas para a área foram concluídas desde 2011.

“Não é um problema de agora. Vem se agravando, se acumulando. Não vai haver solução imediata e repentina, ainda que desejada”, disse. “A ideia é fazer com que isso tenha alguma repercussão. Vamos procurar o ministro da Saúde e o presidente do Supremo Tribunal Federal, porque há medidas judiciais que precisam ser tomadas”, completou.

A situação de subfinanciamento do sistema, segundo o relatório, tem sido agravada pelo baixo nível de ressarcimento de planos de saúde ao SUS em razão dos atendimentos que deveriam oferecer, mas que são feitos pela rede pública. A estimativa é que 25% dos atendimentos nas urgências envolvem usuários de planos de saúde.

O presidente do CFM, Roberto d’Ávila, cobrou do governo federal soluções definitivas e programas de Estado no lugar de programas de governo que, segundo ele, têm prazo de validade. “O Ministério da Saúde é o quinto em gastos para investimentos. Obras em cidades, estádios, tudo isso é maior. E, mesmo pequeno, o orçamento é mal executado e acaba voltando para o Tesouro para abater a dívida. Não é prioridade”, avaliou.

A previsão é que a comissão recomende ao Executivo, estados e municípios que adotem a Política Nacional de Atenção às Urgências, ampliando a participação no financiamento do SUS; ampliem a abrangência do programa SOS Emergência, para incluir todos os serviços públicos; reduzam a carência de quase 200 mil leitos hospitalares e criem mais leitos de apoio e de retaguarda; revisem os valores da tabela SUS para remunerar a prestação de serviços, e evitem a contratação provisória de recursos humanos, privilegiando o concurso público e a contratação pelo regime estatutário.

As informações foram colhidas nas seguintes unidades de saúde: Arthur Ribeiro de Saboya, em São Paulo, Souza Aguiar, no Rio de Janeiro e Hospital Geral Roberto Santos, em Salvador; Pronto-Socorro João Paulo II, em Porto Velho, Pronto-Socorro Municipal Mario Pinotti, em Belém; Hospital de Base, em Brasília, Hospital Nossa Senhora da Conceição, em Porto Alegre e Pronto-Socorro Municipal de Várzea Grande (MT). As visitas contaram com o apoio de conselhos e sindicatos de profissionais da saúde, do Ministério Público e da Ordem dos Advogados do Brasil.

* Fonte: Agência Brasil/Paula Laboissière – Repórter da Agência Brasil

Planos de Saúde: Sem Opção, Médicos e Pacientes fazem acordos alternativos *

 

Insatisfeitos, médicos e

pacientes criam alternativas

a plano de saúde

 

Entidade de classe diz que planos 'enfiam a faca' no paciente e 'tiram sangue dos médicos'

Entidade de classe diz que planos ‘enfiam a faca’ no paciente e ‘tiram sangue dos médicos’

 

 

 

Para marcar o Dia Mundial da Saúde e o Dia Nacional de Protesto contra os Planos de Saúde, celebrados nesta segunda-feira, médicos de diversas partes do país promoveram diferentes tipos de protestos, inclusive suspendendo o atendimento de planos.

No topo da pauta das reivindicações está o valor pago pelas operadoras de saúde por consultas e procedimentos, considerado “incipiente” por organizações médicas e por profissionais ouvidos pela BBC Brasil.

Apesar de algumas pequenas vitórias, o problema vem se arrastando há anos. Tanto que o slogan usado neste protesto pela Associação Paulista de Medicina é inspirado em uma campanha de 15 anos atrás: “Tem plano de saúde que enfia a faca em você e tira o sangue dos médicos.”

Diante desse cenário, um número crescente de profissionais – de pediatras a oftalmologistas – vêm criando alternativas para driblar os valores pagos pelas operadoras de saúde e condições impostas por elas.
Uma das estratégias mais comuns é um médico que não atende um plano de saúde cobrar do paciente com plano não o valor da consulta particular, mas sim a quantia paga como reembolso pelo plano.

Mas como isso funciona na prática? O caso da publicitária Juliana Linhares (nome fictício) é um bom exemplo. Após descobrir um problema no joelho, conseguiu fazer seu tratamento com um ortopedista de confiança apenas porque ele aceitava esse tipo de pagamento. Como não atendia o plano de saúde dela, o médico cobrou o valor mínimo de sua consulta particular (R$ 300) e deu dois recibos, no valor de R$ 150 cada. Juliana pagou e usou as nota dadas pelo médico para pedir reembolso a sua operadora de saúde, que era de R$ 120 para consultas desse tipo.

“No total, recebi R$ 240 do plano. Arquei com a diferença de R$ 60. O ideal, claro, seria não gastar nada, visto que já pago a mensalidade do plano. Mas não encontrei um médico de confiança entre os conveniados. Então, essa foi uma boa alternativa“, disse Juliana.

Pelo prisma do médico, a proposta também é interessante, já que ele evitar perder pacientes, ganha mais do que receberia do plano e é pago na hora – ao invés de esperar até dois meses para receber os honorários pagos pelo plano.

Planos lideram ranking de reclamações

 Pelo segundo ano consecutivo, o setor de planos de saúde lidera o ranking de queixas recebidas pelo Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), de acordo com balanço divulgado no mês passado.

Os planos de saúde estão no topo da lista, com 26,6% das demandas feitas à entidade em 2013, com acréscimo de 6,26 pontos percentuais em relação a 2012. Em seguida, vêm serviços financeiros (16,73%), produtos (13,05%) e telecomunicações (12,53%).

Sobre planos de saúde, as queixas mais recorrentes são negativa de cobertura, reajustes abusivos. O setor de saúde privada abrange cerca de 50 milhões de brasileiros.

Leia a Íntegra:

Insatisfeitos, médicos e pacientes criam alternativas a planos

Leia também:

Brasil deveria focar menos em médicos e mais em enfermeiras, diz especialista

* Fonte: BBCBrasil - Mariana Della Barba - Da BBC Brasil em São Paulo

Crônica:Pesqueira. Lembranças que teimam… Eu nem me lembro mais… – Por Walter Jorge de Freitas *

EU NEM ME LEMBRO MAIS…

 

 

Radio Difusoura de Pesqueira 1951FÁBRICA PEIXE 3 chegando caminhaoTurma da Velha Guarda de Pesqueira anos 60barquinhos do parque de diversão

Catedral de Sant'Águeda em PesqueiraPraça dom José Lopes antiga em Pesqueira  66400_131410430355770_2019829469_nCinemas - Cine Moderno inaugurado em 1913Club dos 50 Pesqueira

Do ano em que a Festa de Sant ‘Águeda começava no dia 1º e terminava no dia 05 de fevereiro, com procissão, muita gente nas ruas e o SHOW da barraca tendo Jorge Goulart como principal atração. Quem arrematou o peru? Zé Fraga já desarmou o parque?

Do dia em que vi seu Neco Tenório de terno branco e chapéu, fiscalizando a construção do calçamento do prado.

Do tempo em que o carnaval era aberto com o desfile do bloco do Zé Pereira saindo da frente da Rádio, com orquestra no chão e o povo fazendo o passo e cantando: ”Viva Zé Pereira/ Viva Juvenal, Viva Zé Pereira, Que chegou o carnaval”. E de quebra, tocava os frevos Vassourinhas, Fogão e Mordido. Só parava na praça D. José Lopes.

De quando aconteceu o último carnaval de clube em que os foliões do Clube dos 50 e dos Radicais, na madrugada da terça para quarta-feira davam uma volta na praça ao som de “OH QUARTA-FEIRA INGRATA, CHEGA TÃO DEPRESSA SÓ PRA CONTRARIAR”.

Da época em que a Semana Santa, durava uma semana, havia respeito às tradições religiosas e ninguém falava em festas. Comer carne e doce, nem sonhando.

Das festas de São João no Clube dos Radicais, que começavam já em maio, com os ensaios comandados por Salvador Pereira e tinham a sua culminância no dia 23 de junho.

Da última quinta-feira que subi a ladeira do prado para assistir ao programa Divertimentos na Rádio Difusora, comandado quiterianicamente por Jarival Cordeiro e que tinha o cantor Carlos Augusto, como principal destaque, interpretando Vitrine e Abandono Cruel.

Da última audição do Programa Turma da Velha Guarda, apresentado por Laurene Martins, ao microfone da Rádio Difusora. João de Oliveira cantou Grande Mágoa, Roque Rodrigues, Minha Casa, Eurivinha solou Noite de Lua, Osvaldo Almeida, Raio de Sol, Henrique Wanderley, Branca, Chiquinho Amaral, Baião Caçula e Sebastião Cândido, Dominó.

Do Programa, Postais Sonoros e das músicas mais oferecidas: Índia, Nono Mandamento, Escultura, Cabecinha no Ombro, Molambo, Amigo Ciúme e Não Beba Mais Não.

Do Ônibus da Realeza que fazia a linha Pesqueira-Recife, cuja chegada entre nove e dez horas da noite, era uma das atrações da cidade.

Das celebrações do mês de maio na Catedral, que juntavam muita gente na praça todas as noites para paquerar depois da novena e do foguetório. A intensidade do espocar de fogos dependia do poder aquisitivo e da disposição para gastar, do “noiteiro”.

Da última retreta da banda municipal sob a regência do maestro Eduardo.

Das orquestras internacionais que tocavam no Clube dos 50, sempre no meio da semana. Geralmente, no “sereno” tinha mais gente de que no salão. Gregório Barrios arrasou!

Da programação do SAP (Serviço de Autofalante de Pesqueira) quando ouvíamos Canção de Amor, Sistema Nervoso, Cadeira Vazia, Fala por Mim Violão, E Daí, E Daí?, A Pérola e o Rubi, Conceição, outras.

(Elizeth Cardoso – A Divina, cantando Canção de Amor...)

Da chegada do trem de passageiros na estação, em época de férias escolares.

De quantos anéis João Catrevage usava em cada dedo e do nome da brilhantina que Luiz doido passava no cabelo e muito menos, das carreiras que Isaías dava atrás da meninada que se atrevia a mexer com ele.

De quantos tamborins de tarraxa Eraldo Maciel vendeu para os coretistas.

Dos sermões de Padre Noval condenando os assustados.

Das músicas que João Dias, Nelson Gonçalves, Adelaide Chiozzo e Osvaldo Nunes cantaram no show Vigorelli realizado na praça D. José Lopes.

E…como diz aquele samba gravado por Nelson Gonçalves:DA COR DOS OLHOS DELA/EU NEM ME LEMBRO MAIS”.

 

walter-J-Freitas II

 

 

* Autor: Walter Jorge de Freitas  -  Walter é pesqueirense, comerciante, professor, colaborador do OABELHUDO, cronista, poeta e pesquisador musical.

Eleição 2014: Sensação de Insegurança Eleva Frustração com o governo Dilma *

Análise:

Sensação de insegurança eleva

frustração com governo Dilma

 

Os reflexos desses fatores sobre a corrida eleitoral, porém, são incertos, apesar da queda de Dilma nas intenções de voto

Os reflexos desses fatores sobre a corrida eleitoral, porém, são incertos, apesar da queda de Dilma nas intenções de voto

Para 63% dos brasileiros, Dilma Rousseff fez, até aqui, menos do que o esperado. Há aproximadamente um ano, em março de 2013, o cenário era o inverso –essa taxa correspondia apenas a 34%.

Relacionando-se o conceito de satisfação ao cumprimento de expectativas, tal dado isolado representa uma síntese precisa do momento pelo qual passa a presidente.

A frustração nos últimos 12 meses subiu em todos os segmentos sociais, mas a intensidade é maior entre os mais jovens, os que têm o ensino médio e superior, os que residem nas regiões metropolitanas, no Sudeste e no Sul. Entre os mais ricos, a decepção cresceu 46 pontos. Entre os mais pobres, 25 pontos.

Patinadas na economia, os protestos de junho, idas e vindas no julgamento do mensalão, entre outros, minaram a imagem do governo, que suspirou numa leve retomada ao implantar o Mais Médicos.

Agora, com a polêmica sobre a Petrobras, que para parte da população se insinua como caso de corrupção, e com a maioria identificando alta de preços em algumas categorias de produtos, o quadro que emerge é de crescente insegurança. Principalmente econômica, mas não só.

Leia a Íntegra:

Análise: Sensação de insegurança eleva frustração com governo Dilma Rousseff

Com pessimismo econômico, Dilma perde seis pontos, aponta pesquisa Datafolha

* Fonte: FolhaSP

Caruaru: Provável Ataque de Vandalismo Destrói 12 ônibus Coletivos *

 

Doze ônibus destruídos após

incêndio em Caruaru

As linhas operadas pela empresa funcionam normalmente nesta segunda, com ônibus emprestados por outras empresas

 

 

Mais de 60 mil litros de água foram usados pelo Corpo de Bombeiros. 12 ônibus ficaram destruídos

Mais de 60 mil litros de água foram usados pelo Corpo de Bombeiros. 12 ônibus ficaram destruídos

 

 

Doze ônibus foram totalmente destruídos no incêndio que aconteceu na madrugada desta segunda-feira (7), na garagem da empresa Bahia, em Caruaru, no Agreste pernambucano. A confirmação aconteceu no início da tarde, após perícia. No estacionamento estavam 28 ônibus e dois caminhões, 25 coletivos chegaram a ser atingidos, sendo 12 danificados, além dos dois caminhões. A empresa ainda não sabe qual o montante do prejuízo.
As linhas operadas pela empresa funcionam normalmente nesta segunda, com ônibus emprestados por outras empresas, além de seis veículos de sua frota reserva. A Bahia alugou ônibus para substituir os queimados, enquanto espera por uma nova frota.

Dois ônibus da empresa Coletivo já estão atendendo as linhas dos bairros Boa Vista 1 e 2, dois ônibus da empresa Tabosa atendem a linha do bairro Maria Auxiliadora e dois ônibus Cidos Bus operam as linhas da zona rural (Lajedo do Cedro e Terra Vermelha).

Mais cedo, o Corpo de Bombeiro anunciou que 25 ônibus teriam sido incendiados, por volta da meia-noite e que foram necessário quase 60 mil litros de água foram necessários para conter as chamas. O incêndio foi controlado por volta das 3h30, com o trabalho de mais de 20 bombeiros militares, das equipes de Caruaru, Bezerros e Gravatá.

* Fonte: leiaJá/por Monicky Mel Araújo

Pernambuco: Novo Governador dá Posse aos Novos Secretários *

 

Novos secretários estaduais

de Pernambuco tomam posse 

 

Cerimônia apresentou os dez nomes, no Campo das Princesas. Em discurso, Lyra deu prazo de quatro meses para interiorizar Porto Digital.

 

Novo governador João Lyra Neto e a posse dos secretários, hoje, em Palácio do Campo das Princesas

Novo governador João Lyra Neto e a posse dos secretários, hoje, em Palácio do Campo das Princesas

 

 

Após a posse do governador João Lyra Neto, que fica no lugar do pré-candidato à presidência Eduardo Campos, foi a vez dos novos secretários do governo assumirem seus postos em solenidade na manhã desta segunda-feira (7), no salão nobre do Palácio do Campo das Princesas, no Centro do Recife. Dos novos secretários, nove são novatos e um trocou de secretaria. Eles foram nomeados para substituir os que vão disputar mandatos na próxima eleição ou pediram exoneração dos cargos.

A cerimônia encerrou por volta das 11h30 e contou com a presença de todos os secretários novos, incluindo Décio Padilha, que era da secretaria de Administração e passou para Fazenda, e Osiris Caldas, que comandará a Secretaria de Microempresas, caso a sua criação seja aprovada pela Assembleia. Em nome de todos os secretários, Luciano Vásques, da Casa Civil, falou sobre a missão de cada um dentro da gestão.

Os novos nomes, anunciados na última quinta-feira (3), são José Neto (Administração), Luciano Vásquez (Casa Civil), Evandro Avelar (Cidades), José Bertotti (Ciência e Tecnologia), Décio Padilha (Fazenda), Ivan Maurício (Imprensa), Carlos Cavalcante (Meio ambiente e Sustentabilidade), Ana Maria Albuquerque (Saúde), Romeu Baptista (Turismo) e Osiris Caldas (Microempresa).

Em seu discurso, o governador João Lyra reforçou que pretende interiorizar o Porto Digital no prazo de quatro meses. A cidade de Caruaru, no Agreste, será a beneficiada com a iniciativa. O governador também dará prioridade à conclusão de obras que têm relação com a saúde e com o Corredor Norte e Sul do sistema BRT (Bus Rapid Transport).

* Fonte: G1

Eleição 2014/Pernambuco: PT decide: João Paulo será o Candidato a Senador *

João Paulo é o nome do PT

de Pernambuco para o Senado

Atual dep federal João Paulo é a aposta do PT na chapa de Armando Neto

Atual dep federal João Paulo é a aposta do PT na chapa de Armando Neto

Nome foi referendado em reunião do diretório estadual, neste sábado (5). Chapa conta com Armando Monteiro como pré-candidato ao governo.

O PT referendou, neste sábado (5), o nome do deputado federal e ex-prefeito do Recife João Paulo como pré-candidato ao Senado por Pernambuco no pleito deste ano. A decisão é um desdobramento do Encontro Estadual de Tática Eleitoral, que decidiu, no último dia 23 de março, apoiar a pré-candidatura do senador Armando Monteiro Neto (PTB) ao governo estadual.

De acordo com o regimento interno do PT, João Paulo precisaria de pelo menos 10% do apoio dos eleitores que votaram no último processo de eleição direta do partido. Segundo a presidente estadual do partido, Teresa Leitão, houve uma mobilização de diversas correntes internas para reunir as assinaturas necessárias. A candidatura teve apoio de aproximadamente 5 mil petistas.

A presidente ressalta ainda que o nome de João Paulo foi o único apresentado dentro do partido para concorrer ao Senado. “[Essa decisão] representa uma unidade, um caminho. A gente ainda não está com tudo consolidado, porque a estrada é longa, mas representa um esforço conjunto de todas as forças, tanto na coleta das assinaturas, como para não provocar ruídos para que essa candidatura fosse homologada”, destaca.

Em entrevista ao G1, João Paulo destacou a questão da união do partido, após os problemas enfrentados nas eleições passadas. “Nós temos uma caminhada dificil, dura, mas vejo muitas perspectivas. O primeiro grande passo foi a unificação do partido. Se isso tivesse acontecido antes, acho que teríamos tido condições até mesmo de ter uma candidatura própria, mesmo tendo algumas resistências do nacional, mas essa união só veio depois da decisão de apoiar Armando”, avalia o deputado.

O anúncio oficial da pré-candidatura de João Paulo ao Senado, na mesma chapa que Armando Monteiro Neto, deve ser feito em coletiva na sede do PT, no Recife, nesta segunda-feira (7), às 11h.

* Fonte: G1

Artigo: O Direito de Opinar – Por Ciro Miranda *

O DIREITO DE OPINAR

 

A MINHA OPINIÃO

 

 

Temos percebido que alguns grupos da sociedade brasileira, geralmente minorias organizadas, têm tentado inibir a liberdade de pensamento, acusando os que pensam diferente deles de preconceituosos, racistas, elitistas e outras coisas mais. É uma atitude de pessoas antidemocráticas e que não aceitam a convivência com o pensamento em contrário.

A Constituição Federal, em seu Art. 5º (IV, VI, VIII e IX), assegura a liberdade de pensamento, de consciência, de crença, de convicção filosófica e política, e de expressão da atividade intelectual.

Temas que envolvem questão ambiental, liberação da maconha, política de cotas raciais, terras indígenas, casamento gay e outros assuntos polêmicos, são e serão assuntos de difícil consenso. Discordar, em menor ou maior grau, não significa preconceito, e sim direito de opinião.

O preconceito, na realidade, é fruto da ignorância e da intolerância; enquanto que opinião é direito de pensamento assegurado por lei.

ciro miranda

* Autor: Ciro de Brito Miranda – Pesqueirense, odontólogo, colaborador do OABELHUDO, cronista e presidente do Diretório Municipal do PDT.

Curiosidades/Turismo: Conheça o Rio mais Bonito do Mundo *

Conheça

“O Rio Mais Bonito do Mundo”

 

 Caño Cristales, um pequeno riacho localizado no coração do Parque Nacional Sierra de la Macarena, cerca de 150 quilômetros ao sul de Bogotá.

Caño Cristales, um pequeno riacho localizado no coração do Parque Nacional Sierra de la Macarena, cerca de 150 quilômetros ao sul de Bogotá.

Localizado no município colombiano de La Macarena, na província de Meta, o Caño Cristales se transforma em um belíssimo festival de cores durante alguns meses do ano; conheça esse lugar mágico

“O Rio das Cinco Cores”, “O Rio que Escapou do Paraíso” e, merecidamente, “O Rio Mais Bonito do Mundo” são algumas das denominações que os colombianos deram para o Caño Cristales, um pequeno riacho localizado no coração do Parque Nacional Sierra de la Macarena, cerca de 150 quilômetros ao sul de Bogotá.

Como se fosse uma pintura, esta paisagem natural única se estende por 100 quilômetros e impressiona os turistas pela beleza cênica multicolorida de suas águas cristalinas. Em seu curso, os tons de azul, verde, preto, amarelo e vermelho se formam pela presença de um tapete de algas que, com a incidência dos raios solares, solta uma pigmentação que muda de cor conforme a época do ano.

Rio 5 cores 2rio 5 cores 3rio 5 cores 4

O lugar foi reconhecido como Patrimônio Biológico da Humanidade pela Unesco e, por isso, a temporada para conhecer este lugar mágico dura apenas seis meses para fins de preservação. Começa na segunda quinzena de maio e segue até meados de dezembro. No entanto, é entre setembro e novembro que as cores se intensificam e a beleza do rio mais bonito do mundo atinge seu auge.

No restante do ano, entre janeiro e os primeiros 15 dias de maio, o lugar fica fechado à visitação pública. Nesse intervalo, as plantas aquáticas se reproduzem e o rio torna-se uma paisagem comum, sem o característico colorido que deixou o lugar tão famoso mundo afora.

Acesso difícil

Depois de vários anos de conflito armado na região, o Caño Cristales foi recuperado recentemente pelo governo e vem, desde então, ganhando destaque nas campanhas turísticas promocionais da Colômbia e se consolidando como um dos destinos naturais mais populares do país, com cerca de três mil visitantes ao ano.

Chegar no rio colorido não é uma das tarefas mais fáceis. O viajante que chega ao Aeroporto Internacional de Bogotá tem que ir de ônibus até a cidade de Villavicencio e, de lá, pegar um voo até La Macarena, na província de Meta. Entre as empresas que operam esse trecho, estão a Aerolíneas Llaneras e a AeroStar.

Depois, é preciso contratar um guia, pegar uma embarcação para atravessar o rio Guayabero e enfrentar uma trilha de três quilômetros até chegar ao local. Lá, as regras são bem definidas: é proibido o uso de repelentes e protetores solares (mesmo os biodegradáveis), não pode pisar nas algas e os turistas só estão autorizados a nadar em áreas indicadas pelo guia.

Há ainda a opção de adquirir um pacote turístico fechado, que sai das cidades de Bogotá, Medellín e Villavicencio. No site oficial (www.cano-cristales.com), há tours sendo vendidos a partir de 449 mil pesos colombianos, o equivalente a R$ 522, sem passagens áreas.

* Fonte: MSN/Viagens

Eleição 2014/Pesquisa Eleitoral: DATAFOLHA – Intenção de voto para presidente da República *

 

Intenção de voto para

presidente da República

 

 

Segundo Datafolha, intenções de voto na presidente Dilma caíram de 44% para 38%, mas ela venceria no 1º turno, em %

 

A presidente Dilma Rousseff perdeu seis pontos em relação à pesquisa anterior de 14 de fevereiro passado do Datafolha, segundo acaba de divulgar o jornal Folha de S.Paulo. Em intenção de voto Dilma tinha 44% e passou agora para 38%.

Segundo ainda o jornal paulista, Aécio estava com 16%, agora está com os mesmos 16%.  Eduardo Campos tinha 9% passou para 10%.  Mesmo assim permanece a perspectiva de Dilma ser reeleita no primeiro turno já que seus principais adversários Aécio Neves  e Eduardo Campos não cresceram e ela ganharia com 38% dos votos, contra os 16% de Aecio, e 10% de Eduardo.

 

grafico data folha abril 2014

 

 

* Fonte: Jornal Folha de São Paulo

Artigo/Opinião: Eduardo Campos. Um Predestinado ao Sucesso *

Eduardo Campos: "Soube aproveitar as chances, e fortalecer-se para o futuro". O autor.

Eduardo Campos: “Soube aproveitar as chances, e fortalecer-se para o futuro”. O autor.

“…criatura consolida a separação do criador…”

Eduardo Campos é o exemplo mais bem sucedido na política brasileira da criatura que soube distanciar-se do criador sem renegá-lo nem tornar-se uma cópia dele.

Com Arraes (seu criador) ainda em vida, Eduardo já conseguira trilhar um caminho próprio. Mérito dele – dezenas de outros herdeiros entraram na política e nunca conseguiram ter luz própria.

Após o falecimento de Arraes (2005), e sobretudo no exercício dos seus dois mandatos de governador (2007 até agora), o distanciamento de Eduardo aumentou a ponto de parecer que a criatura não surgira do criador – e não digo isso como crítica, e sim como a constatação de um fato histórico: em vez de ser um “arraesista”, Eduardo criou sua própria marca, “Eduardista”.

O que parece uma simples jogo de palavras, revela na verdade uma transformação: para o “Eduardismo”, o legado de Arraes continuou existindo, porém como uma referência histórica e não mais como inspiração.

Este é o momento em que a criatura consolida a separação do criador, e procura transformar-se numa criatura surgida dela mesma. Eduardo foi deputado estadual porque era neto de Arraes. Graças ao mesmo motivo foi candidato a prefeito do Recife, secretário da Fazenda, deputado federal e ministro do governo Lula. Mas não vamos tirar os méritos dele. Soube aproveitar as chances, e fortalecer-se para o futuro. Quando se elegeu governador, já o foi por méritos próprios. É candidato a presidente por méritos próprios.

O problema é que política é o terreno onde a história nunca é apenas um quadro na parede e os vivos muitas vezes precisam dialogar com os mortos.

Vejo agora, no início da campanha presidencial, que Eduardo Campos, em discurso, se disse herdeiro de Arraes na luta “contra o latifúndio e as elites” [link da matéria:Não sei vocês, mas eu arregalei os olhos quando li isso

A  julgar pelo que foi dito nos últimos sete anos, são palavras novas no discurso “eduardista”.
Significam que pelo menos por um momento Arraes deixa de ser – no “eduardismo” – apenas uma referência histórica e passa a ser, de novo, uma inspiração.

Claro, foi só um momento (nascido a partir da lembrança dos 50 anos do golpe de 64), mas suspeito que o velho Arraes voltará ao discurso “eduardista” em outras ocasiões, nesta eleição presidencial.
É que o PT e seus aliados tentarão jogar Eduardo para a direita e, curioso, o argumento mais forte que ele terá para resistir aos ataques é a sua vinculação com o avô.

Isso porque Arraes construiu algo que Eduardo nem de longe tem: a marca de que você sempre sabe de que lado do povo ele está. Uma característica que o distingue dos demais políticos (não quer dizer que seja melhor ou pior que os outros, mas dá-lhe distinção em um universo onde todos se parecem).

Algo que faz com que, quando se dá a conflagração dos diversos interesses da sociedade, você sabe os interesses de quem ele defenderá.

Algo que nos passa a imagem de que, aconteça o que acontecer, aquela pessoa não é cooptável.

Isso não tem nada a ver com ser do PT, do PSB, do PCdoB, do PTB, nada a ver com as legendas. [Permitam-me uma digressão. Sei que o texto está longo e dizem que no Facebook não se deve escrever textos longos porque as pessoas não leem – mas não acredito em tudo que dizem por aí, e se você chegou até aqui, é sinal de que também não… Mas vamos à digressão: lembro de um famoso sindicalista dos anos 80, de uma importante categoria de São Paulo, que era do PCB, fez cursos em Moscou, o escambau. Foi eleito deputado federal. Não resistiu um dia à cooptação: acabou apoiando o governo Collor e Maluf. Tenho a impressão que o grande dilema dos integrantes da esquerda é não ser cooptado pelos interesses da classe que antes ele combatiam. Fim da digressão).

Eu dizia que esta marca nada tem a ver com partidos ou discursos. É uma imagem construída por gestos, por ações, por decisões tomadas ao longo de anos, formadas no embate diário e duro da política – aconteça o que acontecer, faça as alianças que fizer, a imagem daquele que constrói esta marca faz com que a gente sempre saiba de que lado do povo ele estará.
Arraes tinha esta marca. Brizola tinha. Lula tem.

Eduardo, não (não estou dizendo que ele seja cooptável; estou dizendo que até agora ele não construiu a imagem de que não seja).. Dilma também não. Aécio, Serra, FHC – também não.

Nada a ver com competência administrativa – nos seus dois mandatos, o Santo Graal procurado por Eduardo foi “a gestão moderna e inovadora”. Em seu governo há ações que o “arraesismo” aplaudiria, como o investimento para que alunos pobres possam fazer intercâmbio no exterior (eu não sou arraesista, nem eduardista, nem lulista, nem brizolista, nem petista, mas também aplaudo). Mas nesta, como em outras ações, o caráter de classe da medida desaparece em meio ao discurso (desculpem) xaroposo de “gestão moderna e inovadora”.

O fato é que nesta eleição presidencial Eduardo vai precisar da marca que distinguia Arraes dos outros políticos. Se isso acontecer, será um daqueles momentos em que a criatura depois de tirar tanta fotos sozinho, refaz o caminho de volta para ser fotografado ao lado do criador.

Vandeck Santiago

* Autor:  Vandeck Santiago – Vandeck é pesqueirense, jornalista, colunista especial do DP, e cronista. Artigo postado originalmente na sua página do Facebook.

Movimento Cultural/Crônicas em Dobro: Mudanças e Queria Ver – Por Francisco Aquino *

MUDANÇA…

 

 

OLHAR_FEMININO_NO_HORIZONTE

Cada vez mais neste mundo consumista e competitivo. Devemos nutrir a cultura da paz e do bem plantando a ajuda mútua para vivermos.

Há necessidade latente dos pais e educadores e meios de comunicação deixar de lado a cultura da violência para resolvermos pendengas e abandonar a cultura da prisão por coisas às vezes banais e muitas vezes desnecessárias. Para acolher o outro e não excluir da sociedade com prisões e mais prisões.

Isto não resolve o problema da sociedade. O que resolve mesmo é;  o trabalho, a  educação com emprego e o estudo nutrindo valores éticos.

Devemos combater o preconceito e autossuficiência e superioridade que seja de caráter econômico ou posição social. Para tratar a todos com dignidade e sapiência através da pedagogia do acolhimento, que abrace e una as pessoas para viverem em paz consigo e com o mundo que o cerca. Vivendo feliz fazendo todos felizes.

Acordem seres pra mudar esta realidade triste, violenta e egoísta para vivermos uma cultura da paz e do amor como Ele nos mandou.

* Autor;Francisco Aquino

________________________________________________________________________________________________________

QUERIA VER!

Quero a vida partilhada e por isso feliz.

Quero a alegria do encontro e a satisfação do viver sendo útil a todos que me cerca.

Quero a natureza preservada para ter vida nos dando suporte para uma sobrevivência maravilhosa.

Quero ver um Mundo com seres dialogando com amor e união convivendo juntos como bons amigos e semelhantes.

Quero um Mundo sem violência e perdas desnecessárias por pestes, doenças, fome, guerra, assassinatos, roubalheira, egoísmo que só macula o ser sedento por bem estar na vida.

Quero o mundo mais humano em que impere o respeito e a generosidade entre os seres.

Quero ver o mundo sem carências para que o ser tenha a reais condições de viver.

Quero um mundo sem corrupção e falta de governabilidade para termos uma sociedade mais justa, cidadã realizada.

Quero um mundo pautado pela educação avançada nos domínios tecnológicos e progresso equilibrado para termos uma boa convivência social.

Quero a saúde de corpo, alma e mente com os seres praticando a religiosidade respeitando as individualidades humanas vendo o outro como um ser semelhante digno de vivencia feliz.

Quero ver os seres vivendo fraternalmente juntos na construção de uma sociedade mais justa e feliz.

Enfim quero tudo de bom nesta vida e na convivência humana para que possamos proporcionar felicidade por que estamos juntos nos fará de agora em diante feliz e realizado na condução de um Mundo melhor em que os seres respeitaram as particularidades de cada um.

É pedi muito acho que não. Só depende dos seres que sabem que precisam dos outros mais teimam em viver na solidão e mergulhados no egoísmo mesmo sabendo o quanto ganhará se viver irmanados. Pois não quero ver mais a sociedade degradada afastando de vez os pandemônios da vida.

Francisco Chico Aquino sozinho de azul

* Autor: Francisco Aquino – Francisco de Assis Maciel Aquino é pesqueirense, professor, colaborador do OABELHUDO, cronista, poeta e comentarista esportivo.

Crônica/Homenagem: Clávio, doeu demais! – Por Gustavo Krause *

 

 

Clávio, doeu demais!

 

Clávio Valença recebendo a Comenda dos 150 anos de São Bento do Una (sua terra)

Clávio Valença recebendo a Comenda dos 150 anos de São Bento do Una (sua terra)

 

Quarta, 02 de abril, cedinho, renovo o hábito: a leitura dos jornais. No Caderno C do Jornal do Comércio, a manchete – MORRE O ESCRITOR CLÁVIO VALENÇA – apunhala traiçoeiramente o cantinho onde guardo os bons sentimentos.

Sabia que sua saúde vinha abalada, fazia algum tempo, mas desconhecia o agravamento das últimas semanas; estou farto de saber que a morte é amiga da velhice e chega devagarzinho com os sinais de cansaço, a companhia das dores e as marcas das perdas; e mais, depois de certa idade, o caminho é um vale de lágrimas esculpidas em lápides até que chega a nossa vez.

A verdade é que não passa uma semana sem que saudades se inscrevam em nossos corações. Ainda bem que a saudade congela o tempo e conserva a lembrança. Clávio, a partir de hoje, o tempo parou, continuamos a nos ver e a querer bem um ao outro.

Em relação a Clávio, não vale a acrimônia de Machado de Assis: “Está morto: podemos elogiá-lo à vontade”. Dele, não era eu dos mais próximos; cada um no seu canto, mas em cada canto e mesa de bar compartilhada, em jornadas boêmias, projetavam-se luzes interiores que nos faziam fraternos. Virtude dele que tinha, sem querer e sem saber, visgo (de jaca? Podia ser desde que fosse de São Bento do Una). Era um visgo de outra natureza e que se revela na dimensão dos dotes espirituais: gentil, cavalheiro, leve e encharcado pelo bem da família Valença que se manifesta na imaginação poderosa, inteligência sensitiva, emocional, sempre pronta para a tirada de humor refinado e uma ironia, acreditem, inofensiva porque jamais dirigida às pessoas.

Sempre que o encontrava, ao lado da dedicada e amorosa Iana (esta eu conheço desde a adolescência, filha de “seu” Lauro, moça bonita e educada e que fazia parte de um prole numerosa, precocemente, órfãos de mãe), perguntava: “A saúde, como vai?” E vinha a resposta espirituosa: “O doutor liberou uma dose de de uísque, dia sim, dia não, e eu pedi para acumular créditos das doses não tomadas para o fim de semana” (risos). Ou então, porque sempre admirei o estilo da prosa fluente e dos textos saborosos, : “Clávio, escreva mais. Dê este prazer aos seus leitores”. Ele respondia com um riso encabulado, mas seguro de que só escreveria quando lhe desse na telha.

A propósito, foi a poderosa imaginação de Clávio que gerou uma obra surrealista – Dona lili do Grão-Pará – uma biografia desautorizada, amparada numa espécie de realismo mágico da vida boêmia, misturada com histórias anárquicas do universo mundano do Recife onde ele introduziu Lili, personagem inspirada na Lilly do bloco carnavalesco Nem sempre Lily toca flauta, de origem lituana, mas, de fato Lili era uma cidadã do mundo e que se adaptara às circunstâncias da vida profana da zona do meretrício e das aventuras/desventuras das casas da luz vermelha. O livro foi lançado no Pátio São Pedro no dia 25 de janeiro de 2001.

Clávio autografando seu livro - Interioranos

Clávio autografando seu livro – Interioranos

Em 2010, Clavio lançou o livro de contos Interioranos (Comunigraf Editora). São treze contos de quem sabe contar história fincada nas raízes culturais da vida simples das pequenas localidades, delas, porém, universalizando valores e a crítica social, atributo do grande autor.

Neste ponto, cedo a palavra aos mestres no assunto. Eis o que disse Garibaldi Otávio: “Ninguém precisa morar em São Bento do Una para entender o mundo. Mas compreenderá bem mais a complexidade da vida humana conhecendo pessoas como as que habitam as páginas deste livro”.
Do Professor Nelson Saldanha: “Sua prosa é fácil e fluente, sua narrativa espontânea e sem maiores complicações. Verossímil, embora não banal, descritiva mas não isenta de psicologia”.

Do grande Raimundo Carrero, vem o testemunho de que Clávio “Não é apenas um pessoa que escreve”. É, segundo ele, um escritor, o escritor não some. Marca. E explica: “Assim tem sido o trabalho deste escritor que se construiu pela reflexão e, para revelá-la, foi em busca da Beleza”.

Pois é, naquela mesa ele vai faltar e vai doer demais.

Gustavo Krause foto-colunista-62608

* Fonte e autor: LeiaJá- Gustavo Krause  -   Professor Titular da Cadeira de Legislação Tributaria, é ex-ministro de Estado do Meio Ambiente, dos Recursos Hídricos e da Amazônia Legal, no Governo Fernando Henrique, e da fazenda no Governo Itamar Franco, além de já ter ocupado diversos cargos públicos em Pernambuco, onde já foi prefeito da Capital e Governador do Estado

Educação Superior: Acaba Vestibular da UFPE. Agora Vale o SISU * – Colaboração de Mateus Siqueira **

 

ENSINO SUPERIOR

Acaba o vestibular da UFPE:

instituição vai aderir ao Sisu

Decisão foi tomada após a votação de 40 membros do conselho. Trinta e seis votaram a favor da adesão integral ao Sisu, enquanto dois foram contra e dois se abstiveram

 

Reunião hoje pela manhã decidiu a adesão ao Sisu e o fim do vestibular Foto: Igo Bione/JC Imagem

Reunião hoje pela manhã decidiu a adesão ao Sisu e o fim do vestibular
Foto: Igo Bione/JC Imagem

O Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) decidiu, durante reunião na manhã desta quinta-feira (3), aderir integralmente ao Sistema de Seleção Unificada (Sisu) do Ministério da Educação. Com isso, o tradicional vestibular da instituição, um dos mais concorridos do Estado e liderado pela Covest, deixa de existir já a partir deste ano. Para ingressar na UFPE, os feras terão apenas que fazer o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e depois se inscrever no Sisu. Não haverá mais, nesse caso, prova de disciplina específica.

A decisão foi tomada após a votação de 40 membros do conselho. Trinta e seis votaram a favor da adesão integral ao Sisu, enquanto dois foram contra e dois se abstiveram.

O único vestibular que deve ser mantido é o do meio do ano do Centro de Tecnologia e Geociências (CTG), que seleciona alunos para 12 cursos de engenharia.

No último vestibular, a UFPE ofereceu 6.607 vagas, distribuídas em 97 cursos no Recife, Vitória e Caruaru. Destas, somente 55 vagas de dois cursos, oceanografia e estatística, estão no sistema. Na última edição do sistema, em janeiro deste ano, foram oferecidas 171 mil vagas em 4.723 cursos de 115 instituições públicas de educação superior. Na região Nordeste, apenas a UFPE, entre as universidades federais, não aderiu ainda integralmente ao Sisu.

* Fonte: NE10/repórter Margarida Azevedo

mateus siqueira com o cachorro

** Colaborador: Mateus Valdevino Siqueira – é estudante de engenharia da UFPE.

Pernambuco: Entenda o que é o Arco Metropolitano e o “cheiro de maracutaia” *

Dnit vê preço excessivo no Arco

POLÊMICA Documento assinado pelo general Jorge Fraxe aponta diversas “não conformidades” no anteprojeto entregue pelo Estado

 

Anti-projeto do arco viário metropolitano de Pernambuco. Super-avaliado?

Anti-projeto do arco viário metropolitano de Pernambuco. Super-avaliado?

Um documento assinado pelo diretor-geral do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), general Jorge Fraxe, datado da última quarta-feira, atribui ao governo estadual falhas e excessos que teriam deixado o orçamento do Arco Metropolitano R$ 700 milhões acima do necessário. O JC tece acesso ao documento (arte). O projeto original do Arco foi produzido em 2008 pela Consulplan, contratada pelo Estado, e ano passado entregue ao Dnit, que lançou a licitação em dezembro. Mas o processo foi suspenso no último dia 21, o que gerou tensão entre os grupos da presidente Dilma Rousseff (PT) e do governador Eduardo Campos (PSB), adversários nas eleições deste ano.

“Merece destaque o fato de que o primeiro orçamento apresentado pelo governo de Pernambuco ao Dnit estava em torno de R$ 1,7 bilhão. O mesmo projeto, na atualidade, já está reduzido a cerca de R$ 1 bilhão, após duas análises do Dnit“, escreve o general.

O documento, intitulado de “nota informativa”, não indica a quem se destina, seu propósito ou quando o Dnit detectou as supostas falhas. Na véspera da data indicada no texto, o órgão divulgou nota em que atribuiu a suspensão a “observações” da área técnica do TCU – que, procurado, informou não haver pronto qualquer relatório ou deliberação da corte de contas.

O texto interno de Fraxe, este que o JC publica hoje, é mais enfático que a nota da véspera. Cita excesso de aterros e diz que o Estado orçou em R$ 83 milhões um gasto com replantio de vegetação em 44 quilômetros do Arco que “deveria estar em torno de R$ 5 milhões.” Além disso, fala que a terraplenagem no projeto do Estado chegaria a 52% do orçamento da obra, “quando deveria ser em torno de 30%.”

O Arco, crucial para destravar a BR-101 no Grande Recife, ao ligar Igarassu ao Cabo de Santo Agostinho por fora da capital, é cogitado desde 2008. De 2011 a 2013, a Odebrecht estudou a obra como parceria público-privada com o Estado, que bancaria parte de uma conta que, ao final, ficaria cara demais. Os estudos da Odebrecht não foram aproveitados por questões de direitos autorais. A presidente Dilma chamou o projeto para si e o Dnit recebeu o material da Consulplan para fazer seu anteprojeto.

“Oferecemos o estudo como contribuição. Nossa participação se encerra aí”, diz o secretário de Infraestrutura, João Bosco de Almeida. Sobre os custos, ele dá como exemplo a obra de uma mesma casa, que pode custar R$ 500 mil ou R$ 2 milhões. “Depende do que você quer. O Arco previa maior velocidade, o que exige menos inclinações e mais terraplenagem. É possível baratear, por exemplo, reduzindo a velocidade”, explica. Bosco teve reunião com o Ministério do Planejamento e o Dnit quinta-feira passada. “Só queremos colocar o Arco para rodar”, diz. Representantes do Dnit e da Consulplan não foram localizados pela reportagem.

* Fonte: JC/Giovanni Sandes

Constituição & Justiça: CCJ do Senado APROVA Fim de Doações das Empresas em Campanhas Eleitorais *

 

 

CCJ aprova fim de doações

de empresas a campanhas

eleitorais

 

Senador Roberto Requião: empresa não é eleitor, mas coloniza poder político...

Senador Roberto Requião: empresa não é eleitor, mas coloniza poder político…

 

CriticaUm dos críticos do projeto, o senador Aloysio Nunes (PSDB-SP) condenou mudança no financiamento de campanha desvinculada de alterações, que julgou necessárias, em todo o sistema eleitoral. O parlamentar paulista lembrou que a proibição de doações de pessoas jurídicas vigorou por toda a ditadura militar e permaneceu durante a democracia, até 1993.

A Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) aprovou, em decisão terminativa, nesta quarta-feira (2), substitutivo a projeto de lei (PLS 60/2012) da senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) proibindo doações de empresas em dinheiro, ou por meio de publicidade, a candidatos e partidos políticos. Se não houver recurso para votação pelo Plenário do Senado, a matéria será enviada à Câmara dos Deputados.

O substitutivo foi apresentado pelo relator, senador Roberto Requião (PMDB-PR), e altera dispositivos da Lei das Eleições (Lei nº 9.504/1997). Originalmente, o PLS 60/2012 pretendia proibir apenas a oferta de recursos por empresas com dirigentes condenados em instância final da Justiça por corrupção ativa.

A intenção de Vanessa era estender aos doadores de campanha, sejam pessoas físicas ou jurídicas, as limitações já impostas aos candidatos pela Lei da Ficha Limpa (Lei Complementar nº 135/2010). O PLS 60/2012 tratou, assim, de transpor os mesmos critérios de elegibilidade definidos na Lei da Ficha Limpa para classificação de cidadãos e empresas legalmente aptos a investir em campanhas eleitorais.

Poder econômico

Por entender que as eleições são processos com participação direta exclusiva dos eleitores, uma vez que as pessoas jurídicas não têm direito a voto, Requião decidiu pela proibição de toda e qualquer contribuição financeira de empresas a partidos e candidatos.

Supremo

Durante a discussão da matéria, vários senadores, como o próprio Requião, Pedro Simon (PMDB-RS), Gleisi Hoffmann (PT-PR), José Pimentel (PT-CE) e a autora do projeto, Vanessa Grazziotin, destacaram a coincidência da decisão da CCJ com a retomada, pelo Supremo Tribunal Federal (STF), do julgamento da ação que pede o fim do financiamento privado de campanhas eleitorais.

Leia a Íntegra:

CCJ aprova fim de doações de empresas a campanhas eleitorais

Requião: eleitos se tornam fiéis aos patrocinadores de campanha

* Fonte: Agência Senado

Trabalho/Previdência: Câmara dos Deputados APROVA jornada de 6 horas para os Garis *

 

 

Câmara aprova jornada de

seis horas para garis

 

 

a denominação do projeto original “coletor de lixo” para “gari”, com o intuito de garantir uma jornada de trabalho de seis horas diária

A denominação do projeto original “coletor de lixo” para “gari”, com o intuito de garantir uma jornada de trabalho de seis horas diária

 

 

A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) aprovou, em caráter conclusivo, proposta que estabelece carga de trabalho de seis horas diárias e 36 semanais para garis e motoristas de veículos coletores de lixo. A medida está prevista no Projeto de Lei 1590/11, do deputado Roberto Santiago (PSD-SP), que altera a Consolidação das Leis do Trabalho (Decreto-Lei 5.452/43).

A proposta segue para o Senado, caso não haja recurso para a votação em Plenário.

Atualmente, esses trabalhadores possuem jornada de até oito horas diárias. Segundo o autor, a jornada especial é necessária em razão das condições adversas de trabalho.

O parecer do relator, deputado Eduardo Sciarra (PSD-PR), foi favorável ao projeto e ao substitutivo da Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público. O substitutivo alterou a denominação do projeto original “coletor de lixo” para “gari”, com o intuito de garantir uma jornada de trabalho de seis horas diárias também a varredores, capinadores e roçadores, que também são responsáveis pela limpeza e manutenção das vias e espaços públicos das cidades.

Íntegra da proposta:

* Fonte: Agência Câmara

Crônica/Opinião: Notoriedade! Bom ou Ruim? – Por Sebastião Gomes Fernandes *

NOTORIEDADE

 

calçada da fama notoriedade

 

 

Hoje ao levantar-me como de costume pego do jornal para tomar conhecimento dos acontecimentos do dia a da noite que passou. De cara deparo-me com uma grande “notícia” por demais porreta! Cunha recua de CPI.

Mas o que tem haver a desistência do nosso “nobre” representante na câmara dos deputados, com Notoriedade?! As pessoas se preocupam, criam expectativas em busca de destaques, regalias, mordomias e fama na sociedade, no meio onde vivem. Assim vive a maioria dos nossos políticos!…

Como estes sentimentos fervem nas veias de todos, carecem serem conduzidos com muito cuidado. Se se fizer uso inadequado daqueles, homens e mulheres perdem o brio, o caráter e a responsabilidade quando investidos de certos cargos. Para a maioria o que importa é se manterem a qualquer custo no cargo e ou função que exercem. Por instinto, por egoísmo e orgulho fazem de tudo para se manter presente e notáveis!..

A aflição por notoriedade leva as pessoas a ambicionar, estar no auge! Não levando em consideração o próprio respeito e dignidade. Com o fim de consegui-la, se dispõem a percorrer por caminhos pedregosos e da promiscuidade moral, não importa! O fundamental é que esse quinhão venoso e lamentável sirva para desfrutar a meta desejada!

A notoriedade! Não que a notoriedade seja em si um mal. Pois esta poderá ser alcançada com trabalho honesto, tendo como base o altruísmo a sabedoria e a alegria de servir com amor e fraternidade, as pessoas, e a causa que defendemos em prol do bem-estar da humanidade e da preservação mundo.

As filosofias, as religiões, as artes as ciências e a ética, bem como todos os empreendimentos desenvolvidos pelo homem são relevantes, e elevam a notoriedade de homens e mulheres que viveram e deixaram suas marcas como símbolos probos de serem seguidos pelas demais criaturas, tanto quanto daqueles que hoje vivem voltados para servir com amor e segurança a paz social que os homens cobiçam.

Por outro lado se a notoriedade se faz presente na vida de pessoas que usaram de subterfúgios para sua conquista, estará fadada a contribuir com as mazelas e desgraças que assolam a vida da nação e a estrutura do Estado. É o que vem acontecendo com o Estado brasileiro!

Homens e mulheres que se apresentam ao público como destemidos (as), devotados (as), a causa da melhoria da nação, da família em particular e do Estado; candidatam-se a cargos executivos e legislativos fundamentando seus discursos na moralidade e na justiça. Na verdade uma farsa! Quando de posse destes cargos a maioria desses beneficiados, corroborados com nosso voto, esquecem os compromisso assumidos quando das campanhas. Mas jamais esquecem de suas benesses e de seus interesses particulares de seu bem-estar econômico e financeiro usufruídos pela natureza dos cargos que ocupam.

O povo que se “exploda”! Assim se expressava o saudoso humorista Chico Anísio. Em sua paródia do seu personagem “Justo Veríssimo” como deputado.

Hoje estamos sendo achincalhados pela atitude do deputado líder do PMDB e articulador do “blocão” que tentou emparedar o governo, o senhor Eduardo Cunha (RJ), quando pretende sair da linha de frente da CPI da Petrobras. Por quê! Simplesmente porque ambiciona ocupar o cargo de Presidente do Câmara dos Deputados e receber as benesses do governo. Não se pode elogiar! Quando pensamos que ainda existem homens de caráter e de posições coerentes com o cargo que ocupam e que lhes foram outorgados por nos eleitores, assumem atitudes nefastas e incoerentes com os anseios do povo brasileiro.

É evidente que existem poucas exceções! É lamentável, mas é necessário que nós eleitores fiquemos atentos para que tais elementos não cheguem, melhor, não voltem a ocupar jamais cargos dessa natureza. Que fiquem onde devem ficar no anonimato. Precisamos ficar atentos àqueles que negligenciam das suas responsabilidade parlamentares e que se utiliza deste mesmo parlamento para se enriquecerem ilicitamente com o dinheiro do povo! Nestes casos que paguem seus delitos na cadeia! Só assim a dignidade, a honra e a ética voltaria a ocupar seu devido lugar na sociedade brasileira.

Escândalos como esse da Petrobrás nos deixa de orelha em pé! A situação de abandono e de descalabro por que passa o Estado brasileiro que assistimos e vemos nos noticiários: desfalques acarretando prejuízos de bilhões e bilhões de reais aos cofres públicos. Escândalos estes envolvendo em sua maioria a cúpula do governo, e que se fazem manchete! É aonde a impunidade campeia.

A hora está chegando! Temos o destino do nosso querido Brasil em nossas mãos. Este ano temos eleições para os cargos de Presidente, Governadores, Deputado Federal e Deputados Estaduais. Está chegando à hora de alijarmos do mapa os maus representantes. Evitemos a reeleição da maioria desse cafajeste! Que estão a serviço de si mesmos e do mal.

A notoriedade, pelo que tem de belo e grandioso, também se expressa como grave e da alta responsabilidade. Favorece o orgulho e fomenta a presunção dos fracos, que derrapam na prosápia e no culto da personalidade, assim entorpecendo os sentimentos nobres e turbando a claridade da consciência do bem e do dever”. (Joanna de Ângelis – espírito)

Sebastião Gomes sorrindo  academia-320x2002

* Autor: Sebastião Gomes Fernandes, Sociólogo, Escritor, colaborador do OABELHUDO, Poeta e Cronista, Membro efetivo e Presidente da Academia Pesqueirense De Letras e Artes – APLA.

Brasil: Municípios em 2 Momentos: Verba Extra chega até o dia 10/04 e, IBGE adia para 2015 nova contagem Populacional *

 

FPM[4] imagem

 

 

Se compromisso for mantido,

Municípios recebem auxílio

financeiro até 10 de abril

 

 

Se for mantido o compromisso assumido pela presidente da República, Dilma Rousseff, em 2013, a segunda parcela do Auxílio Financeiro aos Municípios (AFM) será repassado até dia 10 de abril. Dilma fez o anúncio oficial do apoio de R$ 3 bilhões as prefeituras durante sua participação na Marcha a Brasília em Defesa dos Municípios do ano passado.

A ajuda por parte da União representa mais uma conquista da Confederação Nacional de Municípios (CNM) e do movimento municipalista nacional. A distribuição é feita pelos mesmos critérios do Fundo de Participação dos Municípios (FPM). No entanto, sobre ele não deduz a retenção do Fundo Nacional de desenvolvimento da Educação (Fundeb) e não há obrigatoriedade de cumprir a porcentagem de aplicação em Saúde.

“O Apoio Financeiro é uma medida que pode amenizar, em parte, a crise enfrentada pela grande maioria dos prefeitos”, destacou o presidente da CNM, Paulo Ziulkoski. Isso, se ele for realmente repassado. A primeira parcela foi depositada no dia 12 de setembro de 2013.

Veja quanto cada Município vai recebe por Estado abaixo

PE  

________________________________________________________________________________________________________

logo cnm

 

 

Contagem populacional pode

não ser feita pelo IBGE e

Municípios serão prejudicados

 

Servidores do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) alegam que o contingenciamento da pasta impedirá a realização do Censo intermediário que deveria ocorrer em 2015. Mas, oficialmente, o IBGE informou que não vai promover apenas a Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF). Por conta da falta de recursos humanos e financeiros, a amostragem que começaria em agosto de 2014 foi adiada para janeiro de 2015.

O Censo intermediário é usado para corrigir dados referentes à população de cada um dos 5.568 Municípios mais Fernando de Noronha e Brasília. E é com base nessas informações que recursos, como do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), são transferidos pela União. Portanto, caso não seja feita a contagem populacional no ano que vem, os entes municipais podem ser prejudicados.

O IBGE teve a estimativa de gastos de 2014 reduzida, em fevereiro, pelo governo federal. O Instituto explica que os servidores contratados temporariamente estão listados para trabalharem na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (Pnad) 2014, marcada para começar em outubro deste ano.

Leia a Íntegra:

Contagem populacional pode não ser feita pelo IBGE e Municípios serão prejudicados

* Fonte: Portal CNM

Crônica/Homenagem: Clávio Valença – Por Carlos Sinésio *

CLÁVIO VALENÇA

Clávio-Valença-Recebendo-Comenda-em-30-de-Abril-de-2010-São-Bento-do-Una-PEclavio autografando livro

(Clávio Valença em dois momentos importantes de sua vida: autografando o seu livros – Interioranos e recebendo a Comenda como Personalidade sãobentense, pelos 150 anos de São Bento do Una em 2010).

A cultura e a inteligência pernambucana ficaram mais pobres nessa terça-feira, com o falecimento do advogado, escritor, cronista, produtor cultural e boêmio nato Clávio Valença, pessoa de tantos e tão bons amigos.

O estimado Clávio era filho de São Bento do Una, no Agreste pernambucano, onde o seu corpo também foi sepultado ontem mesmo.

Guardo boas recordações dos nossos encontros no edifício Circulo Católico, onde trabalhamos (eu, na sucursal de O Globo; ele, no seu escritório de advocacia), bem como do Restaurante Dom Pedro, na Rua do Imperador, onde bebericamos tantas vezes na companhia de diversos amigos em comum e consumidores das comidas e bebidas do empresário português Julio Crucho.

Entre as centenas de clientes, Humberto Vieira de Melo, Cláudio Almeida, Nailton Santos, Byron Sarinho, Robson Sampaio, Ronildo Maia Leite, Lino Rocha, Marcílio Valença, Ivanildo Sampaio, Adalberto Ribeiro e tantos e tantos outros.

Clávio, que também trabalhou assessorando o primo cantor Alceu Valença por um bom tempo, deixa muita saudade e ótimos exemplos de como se viver em paz e se curtir os lados bons da vida. Além, claro, de suas divertidas crônicas, parte delas publicada no Jornal do Commercio.

Que Deus o tenha ao seu lado, no lugar que bem merece.

 

Carlos Sinésio foto nova em pé 28 10 018

 

 

* Autor: Carlos Sinésio - Carlos Sinésio de Araújo Cavalcanti é pesqueirense, jornalista, colaborador do OABELHUDO, cronista e poeta.

Movimento Cultural: Presença Divina (Genivaldo da carreta: Sortudo ou Predestinado?) – Por SanGer *

Presença DIVINA

 

Genivaldo e a sua carreta Scania. Uma luz o iluminou...

Genivaldo e a sua carreta Scania. Uma luz o iluminou…

 

 

Genivaldo, um motorista proprietário de uma carreta muito bem cuidada, está sempre pronto e disposto a fazer a viagem correta que surgir na sua vida profissional. Sempre precavido antes e depois de qualquer viagem faz revisão geral na sua carreta que é a sua empresa e a sua vida. Sempre atento exige as notas fiscais da carga e ganha a estrada.

Recentemente fez uma das tantas viagens ao Recife, só a que me refiro foi marcante em sua vida, pois bem; Estava o motorista a dirigir a sua carreta com destino Recife. Tudo transcorria maravilhosamente bem, passou no Posto da Policia Rodoviária Federal, acenou para os policiais e se preparou para descer a Serra das Russas, serra esta que para os motoristas é o divisor de águas e dizem até que descer a serra é chegar a Recife.

A carreta que foi dirigida de forma inusitada. Mesmo depois do desmaio de Genivaldo

A carreta KLI 1785 – que foi dirigida de forma inusitada. Mesmo depois do desmaio de Genivaldo.

Exatamente na placa educativa que manda verificar os freios para a perigosa descida, o carreteiro teve um desmaio no volante e como estava sozinho ficou desmaiado e a carreta seguiu o seu curso, realizou todas as curvas, passou pelos perigosos abismos e durante seis (6) KM a carreta seguiu na estrada sem bater em nenhum veículo e sem imprimir nenhum excesso de velocidade.

Finalmente no KM seis (6) da descida a carreta subiu um pouco a barreira e depois voltou em direção ao abismo oposto, repentinamente a direção foi alterada e a carreta foi parada a poucos metros do grande abismo.

Companheiros carreteiros passavam pelo local, vendo o perigo, ligaram para o posto da Policia Rodoviária Federal e rapidamente os policiais chegaram com o guincho e puxaram a carreta para a estrada, foi então que viram o motorista sem sentidos. Chamaram o SAMU que atendeu com toda presteza conduziram o acidentado para o Hospital da cidade de Pombos e posteriormente para o Hospital da Restauração em Recife.

Motorista profissional Genivaldo: "quem guiou a carreta FOI DEUS..."

Motorista profissional Genivaldo: “quem guiou a carreta FOI DEUS…”

Os médicos constaram que este não tinha nenhum aparente ferimento, tentaram o reanimar e este só falava que tinha que entregar com precisão, a carga de sua responsabilidade. Depois da bateria de exames foi constatado um coágulo na cabeça do nosso Genivaldo e fora exatamente essa a causa do desmaio.

Resumo: Genivaldo passou 40 dias no hospital, quando saiu constatou que a sua carreta não sofreu nenhum arranhão e quando perguntado quem guiou a sua carreta na descida da Serra das Russas ele diz convicto FOI DEUS quem a guiou, pois apenas lembra de ter passado no posto da Policia Rodoviária Federal e depois disso não lembra mais de nada.

Quem dirigiu tão bem a carreta?
• Como a parou tão encostada na algaroba?
• Como a algaroba suportou tantas toneladas?

Genivaldo diz que só DEUS naquelas circunstancia dirigiria a sua carreta.

Na verdade ali, na Serra das Russas, aconteceu mais uma presença DIVINA!

 - Genivaldo o carreteiro reside na Avenida D. Adalberto Sobral – Prado – Pesqueira.

Gera Santana pesqueira

* Autor: SanGer  -  Geraldo Santana – Gera é pesqueirense, professor, colaborador do OABELHUDO, radialista, cerimonialista, cronista e poeta. Acaba de ser eleito como sócio/membro da APLA – Academia Pesqueirense de Letras e Artes.

Pernambuco: Governo chega em 61 municípios com a Conexão Cidadã. *

Segunda etapa do Conexão

Cidadã chega a mais 46 comunidades

  (Sanharó está de fora)

 

 

Durante as inaugurações de hoje, foi informado que a VIVO conseguiu parceria com fabricante de celular 3G para ser vendido a preços entre R$ 130,00 e R$ 150,00.

Durante as inaugurações de hoje, foi informado que a VIVO conseguiu parceria com fabricante de celular 3G para ser vendido a preços entre R$ 130,00 e R$ 150,00.

O programa Conexão Cidadã chega em mais 46 comunidades do interior Pernambucano nessa segunda-feira (31/03). Para marcar a chegada do Programa, que leva serviço de telefonia móvel e internet 3G às vilas e povoados do interior de Pernambuco sem sinal de telefonia e conexão à internet, o governador Eduardo Campos saudará o povo reunido em cerca de dez distritos beneficiados, através de uma ligação que será reproduzida pelo sistema de som do evento local. (Veja lista completa dos beneficiados abaixo)

O Governo de Pernambuco está investindo mais de R$ 50 milhões em todo o Programa, que tem o serviço prestado pela operadora VIVO. Até o final de 2014, serão beneficiadas 176 comunidades.

Todas as vilas e povoados contemplados têm mais de 1.000 habitantes, não contam com sinal de operadora de celular e internet e estão em municípios com IDH inferior a 0,700. Ou seja, o Programa beneficia aqueles que mais precisam. O Conexão Cidadã é, portanto, um programa de inclusão social. Ele será capaz de conectar quase 400 mil pessoas que sempre viveram excluídas do acesso a esses serviços.

Durante as inaugurações de hoje, será informado que a VIVO conseguiu parceria com fabricante de celular 3G para ser vendido a preços entre R$ 130,00 e R$ 150,00.

A Secretaria de Ciência e Tecnologia (Sectec), que coordena o Programa, também irá inaugurar espaços Conexão Cidadã (ECC), com computadores conectados à internet pela telefonia 3G, nessas localidades. Esses espaços ficarão a disposição de toda a população.

Com esses 46 distritos e os outros 15 onde a internet e a telefonia móvel já estão funcionando, são 61 locais beneficiados. A partir de 30 de junho mais 65 localidades serão beneficiadas, totalizando 126 distritos. Nos 50 restantes, a implantação ocorrerá no segundo semestre.

Além do sinal de telefonia e internet móvel e do Espaço Conexão Cidadã, cada um dos povoados está recebendo uma torre de conexão.

O Conexão Cidadão já chegou em Frexeiras (Escada), Tupaoca (no município de Aliança), Bizarra (Bom Jardim), Umari (Bom Jardim), Carapotós (Caruaru), Gonçalves Ferreira (Caruaru), Fátima (Flores), Ponta de Pedras (Goiana), Tejucupapo (Goiana), Ibiranga (Itambém), Urucuba (Limoeiro), Umburetama (Orobó), Cimbres (Pesqueira), Maniçoba (São Caetano) e Pirituba (Vitória de Santo Antão).

Saiba mais

MUNICÍPIOS

DISTRITOS BENEFICIADOS

ÁGUA PRETA SANTA TEREZINHA
ÁGUAS BELAS CURRAL NOVO
ANGELIM QUATRO BOCAS
ARARIPINA MORAIS
LAGOA DO BARRO
BELÉM DE MARIA BATATEIRA
BELO JARDIM SERRA DO VENTO
BODOCO CLARANA
FEITORIA
BOM CONSELHO RAINHA ISABEL
BOM JARDIM ENCRUZILHADA
BONITO ALTO BONITO
BREJO DA MADRE DE DEUS SÃO DOMINGOS
FAZENDA NOVA
BUIQUE CARNEIRO
GUANUMBI
CARNAIBA IBITIRANGA
CATENDE LAJE GRANDE
CUMARU AMEIXAS
EXU TIMORANTE
FREI MIGUELINHO LAGOA DE JOÃO CARLOS
GARANHUNS SÃO PEDRO
IPUBI SERROLANDIA
ITAIBA JIRAU
NEGRAS
LAGOA GRANDE VERMELHOS
OURICURI BARRA DE SÃO PEDRO
PANELAS CRUZES
PANELAS SÃO JOSÉ
PARNAMIRIM MATIAS
QUIXABA
PASSIRA BENGALAS
PETROLINA CURRAL QUEIMADO
RIO FORMOSO CUCAU
SALOA IATECA
SÃO JOSÉ DO BELMONTE BOM NOME
SÃO VICENTE FERRER CHÃ DOS ESQUECIDOS
SERRITA ORI
SERTANIA RIO DA BARRA
SIRINHAEM BARRA DO SIRINHAEM
IBIRATINGA
STA. CRUZ DA BAIXA VERDE JATIUCA
TAMANDARÉ SAUE
TAQUARITINGA DO NORTE PÃO DE AÇUCAR
VICENCIA MURUPE

 

* Fonte: Portal Sectec

 

 

 

Movimento Cultural: O Sonho Materializado no Cordel de Edmilton Torres *

CORDEL

 

sonhar a cordado 2 olhinho

Prefiro regar meu sonho/
A recordar o passado

 

 

I

Muita gente que conheço
Vive de recordação
Desse mal eu não padeço
Tenho outra percepção
Às vezes até me exponho
A ser mal interpretado
Prefiro regar meu sonho
A recordar o passado

II

O presente é um desafio
Para irmos mais além
Normalmente eu só confio
Em quem pensa assim também
Eu tenho um pavor medonho
De ficar estagnado
Prefiro regar meu sonho
A recordar o passado

III

Remoer velhas lembranças
Faz-nos sofrer novamente
E sepulta as esperanças
De ser feliz no presente
É por isso que me oponho
A aceitar esse fado
Prefiro regar meu sonho
A recordar o passado

IV

Não digo para esquecer
O que nos foi importante
Digo pra não padecer
E sofrer a todo instante
Vejo um semblante tristonho
Em quem vive nesse estado
Prefiro regar meu sonho
A recordar o passado

V

Feliz foi quem desfrutou
O tempo que já viveu
Pois se foi bom já passou
Se não foi, também morreu
Mesmo um passado risonho
Devia ser sepultado
Prefiro regar meu sonho
A recordar o passado

VI

É salutar recordarmos
Dos nossos tempos de glória
Apenas para lembrarmos
De parte da nossa história
Pois o passado é bisonho
E o futuro apressado
Prefiro regar meu sonho
A recordar o passado

 

Nota: Este Cordel é a parte composta por Edmilton Torres para uma parceria com o poeta Ansilgus.

O mote foi uma adaptação feita por Ansilgus, da seguinte frase de Thomas Jefferson (1743-1826), ex-presidente dos Estados Unidos, sugerida por Edmilton:

Gosto mais dos sonhos do futuro do que da história do passado”.

 

Edmilton Torres-poeta-pesqueira-DSC_0441-150x150

* Autor: Edmilton Torres - Edmilton Bezerra Torres é pesqueirense, cronista, poeta, colaborador do OABELHUDO, graduado em Administração de Empresas pela UFPE, funcionário aposentado da Caixa Econômica Federal. Acaba de ser eleito como membro da APLA – Academia Pesqueirense de Letras e Artes.

Pernambuco: Dois Momentos – 1) Aumento do PIB tem grande influência da agropecuária e, 2) Mapeamento Digital de todo Território pernambucano *

PERNAMBUCO

 

A taxa de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de Pernambuco, no acumulado do ano de 2013, cresceu 3,5% e superou a registrada para o Brasil de 2,3%

A taxa de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de Pernambuco, no acumulado do ano de 2013, cresceu 3,5% e superou a registrada para o Brasil de 2,3%

 

 

Economia pernambucana

registra crescimento de 3,5%

 

A taxa de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de Pernambuco, no acumulado do ano de 2013, cresceu 3,5% e superou a registrada para o Brasil de 2,3%. Os dados divulgados nesta segunda-feira (31), pela Agência CONDEPE/FIDEM mostram que o PIB, a preços de mercado, foi estimado em R$ 125,7 bilhões. No quarto trimestre de 2013, a economia de Pernambuco cresceu 3,0%, em relação ao registrado no mesmo trimestre do ano anterior.

No 4º trimestre, a Agropecuária registrou variação negativa de 5,4%. O resultado foi proveniente das reduções de 7,4% na pecuária (influenciada pela produção leiteira e avicultura) e de 4,4% na agricultura. As maiores quedas ocorreram nas lavouras permanentes (7,0%), em virtude da baixa na produção de manga e banana. As lavouras temporárias diminuíram 3,9%, em razão do comportamento das culturas de mandioca, milho e arroz. Devido as condições climáticas, a agropecuária no acumulado de 2013 apresentou crescimento de 4,9%, em decorrência das safras do 1º semestre de 2013, principalmente das situadas no Sertão do Pajeú, Araripe e extremo norte da região de Petrolina.

Saiba mais

 

 O Governo do Estado investiu R$ 19 milhões no mapeamento digital, recursos obtidos via Banco Mundial.

O Governo do Estado investiu R$ 19 milhões no mapeamento digital, recursos obtidos via Banco Mundial.

Governo garante mapeamento

digital de todo o território

pernambucano

 

Pernambuco sai na frente e dá mais um passo no processo de digitalização da máquina pública. Dentro de 15 meses, será concluído o mapeamento digital do território pernambucano. O resultado deste projeto será disponibilizado na internet, de forme irrestrita acelerando procedimentos no campo da engenharia. “Os Estados Unidos, que são a nação mais avançada na utilização desse tipo de tecnologia, só têm 30% do seu território mapeado e nós vamos ter os 100% da topografia de Pernambuco, tudo isso em apenas 15 meses”, salientou o governador Eduardo Campos, nesta segunda-feira (31/03), durante a solenidade de lançamento do Programa Pernambuco Tridimensional, que aconteceu no Palácio do Campo das Princesas.

“Nós já utilizamos essa tecnologia, em 2010, na ocasião das enchentes que ocorreram na Mata Sul e no Agreste, para o projeto de construção das barragens. Agora, nós vamos estender essa tecnologia para todo o Estado. Esse levantamento vai agilizar os projetos de construção de novas estradas e obras ligadas ao abastecimento de água, ou seja, tudo que envolve projetos engenharia”, explicou o governador, lembrando que, em 2010, se o Governo não tivesse utilizado o recurso, teria levado dois anos para a finalização dos projetos de contenção de enchentes e tudo foi concluído em apenas seis meses.

* Fonte: Portal PE

Educação: Segundo a OCDE, entre 44 países o Brasil é o 38º (alunos de 15 anos) *

Brasil é um dos últimos em teste

que avalia capacidade de resolver problemas

País amarga 38.º entre 44 países, de acordo com levantamento da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE)

o Nordeste registrou apenas 393. O Norte teve o pior índice entre os brasileiros, com 383 pontos, abaixo no ranking global apenas de algumas regiões dos Emirados Árabes Unidos.

o Nordeste registrou apenas 393pontos. O Norte teve o pior índice entre os brasileiros, com 383 pontos, abaixo no ranking global apenas de algumas regiões dos Emirados Árabes Unidos.

O Brasil decepcionou mais uma vez no Pisa, avaliação internacional que mede competências de alunos em diferentes nações. A educação brasileira amargou o 38.º lugar em uma lista de 44 países, de acordo com o resultado divulgado nesta terça-feira, 1.º, pela Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE).

Tradicionalmente voltado para Leitura, Matemática e Ciências, pela primeira vez o Pisa mediu a capacidade de estudantes de 15 anos em resolver problemas mais complexos de lógica e raciocínio. No topo do ranking ficaram países asiáticos como Cingapura, Coreia do Sul e Japão. Já entre os últimos colocados, estão Uruguai, Bulgária e Colômbia.

O resultado do Brasil, de 428 pontos, ficou abaixo da média da OCDE, que era de 500 pontos. O Pisa também mediu distorções regionais nas habilidades dos estudantes. Enquanto a Região Sudeste do País teve 447 pontos, o Nordeste registrou apenas 393. O Norte teve o pior índice entre os brasileiros, com 383 pontos, abaixo no ranking global apenas de algumas regiões dos Emirados Árabes Unidos.

Apesar do resultado fraco, o desempenho dos alunos brasileiros foi superior ao que eles mesmo esperavam no teste. As maiores distorções entre a expectativa e o resultado aconteceram com os estudantes da Bulgária, Xangai (China) e Polônia, que foram bem abaixo do que imaginavam.

O teste, que avalia as chamadas habilidades não-cognitivas, mediu a capacidade de explorar e compreender as informações, pensar representações gráficas, planejar e executar metas, além de monitorar e refletir sobre o desempenho. O relatório da OCDE mostrou que o currículo das escolas e a formação dos professores são essenciais no desenvolvimento desse tipo de competência.

* Fonte: OCDE/Estadão

Saúde & Gastronomia: Carne de Frango – O Mito do Hormônio. Verdade ou Mentira? *

O mito do hormônio

na carne de frango

 

O frango de hoje tem ótimo ganho de peso e conversão alimentar, ou seja, come menos a cada ano para produzir a mesma quantidade de carne à mesma idade.

O frango de hoje tem ótimo ganho de peso e conversão alimentar, ou seja, come menos a cada ano para produzir a mesma quantidade de carne à mesma idade.

 

 

O frango consumido hoje pelos brasileiros é fruto de melhoramento animal com sofisticados programas de seleção genética

A exemplo do superado mito do colesterol do ovo, o mito do hormônio na carne de frango é mais uma inverdade nociva. A propagação de um dado tão alarmante pode mudar os hábitos alimentares da população, prejudicando sua saúde.

O suposto efeito anabolizante do hormônio na carne de frango, além de absurdo, é ilegal e impraticável. São quatro as principais evidências para que o mito caia por terra.

Em primeiro lugar, qualquer tipo de hormônio carece de um tempo de latência para sua atuação e resposta funcional em um organismo vivo. Geralmente, esse tempo varia entre 60 e 90 dias. Atualmente, as aves são abatidas e processadas com 42 a 50 dias de vida. Não há tempo hábil para que os tais hormônios de que tanto se fala produzam qualquer efeito ou reação no corpo do frango.

Outro aspecto importante é que o hormônio, por ser uma molécula de proteína, caso seja ingerido pelo animal, será quebrado em várias pequenas moléculas pelas enzimas de seu aparelho digestivo. Assim sendo, o hormônio se degradaria e perderia sua característica física, o que descarta qualquer possibilidade de administração por via oral (pela ração ou água de bebida).

Um terceiro ponto a se considerar é que a substância tampouco poderia ser administrada da forma mais comum, a injetável. Se considerarmos que a indústria trabalha com populações grandes, de 30 mil a 150 mil aves por lote, não há, por razões práticas e operacionais, a possibilidade de se injetar hormônios nos plantéis de frango.

A última razão é que não há disponível no mercado mundial qualquer produto comercial com função hormonal para uso em avicultura.

O frango consumido pelos brasileiros é fruto do importante trabalho de melhoramento animal com sofisticados programas de seleção genética para garantir progressos constantes em performance e rendimento do frango.

O frango de hoje tem ótimo ganho de peso e conversão alimentar, ou seja, come menos a cada ano para produzir a mesma quantidade de carne à mesma idade. O trabalho realizado com as aves pedigrees nos Estados Unidos e na Europa é continuado no Brasil, a fim de imprimir, todos os anos, ganhos progressivos e constantes.

A seleção de aves nesses termos gera um ganho médio de 50 gramas ao ano por ave, além da redução de 40 a 50 gramas no consumo de ração para cada frango. Para se ter uma ideia, em 1960 se processava um frango com 90 dias de idade com um peso médio de 1,5 kg. Atualmente, o frango é processado com os mesmos 1,5 kg, aos 30 dias de idade. Em resumo, a cada ano, a ave é abatida para o mesmo peso com um dia a menos, tendo consumido 50 gramas de ração a menos.

Por todas as razões técnicas, científicas, práticas e econômicas expostas, fica claro que o hormônio na carne de frango não passa de um mito que precisa ser derrubado. Por todas as suas propriedades organolépticas (sabor e textura), pela qualidade da proteína, a fácil digestibilidade e o baixo teor de gordura, a carne de frango, que hoje perde apenas para a suína no ranking das mais consumidas no mundo, deve alcançar o topo entre 2025 e 2030.

Maior exportador de frango no mundo, o Brasil é referência nesse mercado. Devemos continuar entregando produtos de qualidade, sem lendas, mitos e empirismos.

* Fonte: Folha de São Paulo

** Autor: JAIRO ARENAZIO, 49, é médico veterinário e diretor-executivo para a América do Sul da Cobb-Vantress, multinacional especializada em genética avícol

Crônica: Agora Vai! – Salve o 1º de Abril – Por Walter Jorge de Freitas *

AGORA VAI!

 

pinoquio 1 de abril

 

 

Um amigo de inteira confiança me telefonou hoje cedinho para dar algumas notícias. Confesso que vibrei tanto quanto em 1956, ano em que Eraldo Maciel conseguiu o que seria o meu primeiro emprego na Loja Sant’Águeda, onde trabalhei durante cinco anos.

Organizadíssimo, o interlocutor separou os fatos ligados ao nosso município, colocando-os em primeiro plano; em seguida, relatou as boas novas relacionadas com o Estado de Pernambuco; por fim, fazendo um pouco de suspense, o caboclo antecipou uma série de medidas que certamente deixarão os brasileiros bem otimistas.

Sem mais delongas, vamos às mais importantes: No âmbito municipal, tem-se como certo que os contratos com as empresas que fazem a coleta do lixo e a limpeza urbana serão rescindidos e esses serviços ficarão a cargo de outras (e até das mesmas), desde que se equipem adequadamente e sejam escolhidas mediante rigoroso processo de licitação. Medida idêntica será adotada em relação à empreiteira que cuida dos calçamentos.
Disse, ainda, o informante, que a prefeitura – como fazia nos velhos tempos – vai colocar fiscais a fim de verificar se as obras estão sendo realmente bem feitas.

A melhor de todas as informações é que a Câmara de Vereadores acaba de aprovar o novo Código de Posturas do Município e daqui por diante, as nossas ruas estarão rigorosamente limpas, sinalizadas, monitoradas por câmeras, as construções serão fiscalizadas, as calçadas ficarão livres dos tabuleiros das lojas, as vias públicas deixarão de ser depósitos de lixo, entulhos e materiais de construção e quem sujar, será multado. Que legal!

Lembrou também que nesta terça-feira, impreterivelmente, teremos a inauguração oficial da mine-academia situada bem ali na Praça Joaquim Mota Valença. Devemos comparecer para ajudar a retirar aquelas placas que estão lá há quatro anos sem nenhuma serventia.
O governador Eduardo Campos estará em Pesqueira antes de deixar o governo, com a finalidade de assinar a ordem de serviço que autoriza a obra prometida em 2009, pelo então presidente da COMPESA Sr. João Bosco de Almeida. Já esqueceram? Eu não.

Na esfera estadual, soubemos que a exemplo do que ocorre nos Estados Unidos, o governo de Pernambuco vai proibir que as repartições públicas, inclusive escolas, comprem água mineral embalada em garrafinhas e garrafões. Toda a água necessária para o consumo será fornecida pela eficiente estatal conhecida como COMPESA.

De Brasília, temos notícias excelentes: A presidente Dilma, apesar de abalada com a repercussão negativa causada pela compra da refinaria americana chamada Pasadena e sabendo que foi o ex-ministro de Ciências e Tecnologia – hoje o seu maior desafeto -, quem implantou o fracassado projeto das Usinas de Biodiesel em 2005, resolveu ressarcir o dobro do que o município de Pesqueira investiu naquele monstrengo erguido na margem da BR-232.

Fontes fidedignas do Planalto afirmaram que os rombos encontrados nas contas da PETROBRÁS, foram motivados por insignificantes erros nos computadores.

E por falar em contas, o Ministério dos Esportes garante que depois da Copa, “no máximo” dentro de uns vinte anos, os brasileiros ficarão sabendo quanto foi gasto pelos Estados e pela União nas arenas destinadas a esse torneio muito lucrativo para a dona FIFA, que apesar de receber tudo de mão-beijada, ainda bota gosto ruim.

Ainda sobre a Copa do Mundo, o Ministro do Turismo, baseado em dados das Secretariais Estaduais e Municipais da área, informa que todas as cidades dos Estados onde haverá jogos, estão prontas para receber os turistas e garante que ninguém será explorado.

Ficou assustado com tanta notícia positiva? Tem mais, só que o espaço acabou.

Acalme-se e dê uma olhadinha no calendário.

walter-J-Freitas II

 

Pesqueira, 1º de abril de 2014.

* Autor: Walter Jorge de Freitas – Walter é pesqueirense, comerciante, professor, colaborador do OABELHUDO, cronista, poeta e pesquisador musical.

Entrevista: Tadeu Alencar revela futuro político…(A estratégia é estar atento a esses sinais que a sociedade dar…) *

 

Entrevista:

Tadeu Alencar fala de

candidatura e táticas do PSB

 

Eu sou um militante político de longa data. Aos 15 anos lá em Juazeiro do Norte, da cidade de onde vim, nós organizamos a chegada do governador Miguel Arraes

Eu sou um militante político de longa data. Aos 15 anos lá em Juazeiro do Norte, da cidade de onde vim, nós organizamos a chegada do governador Miguel Arraes

 

O futuro postulante a uma vaga na Câmara Federal focou no diálogo como mote de campanha

 

A estratégia é estar atento a esses sinais que a sociedade dar. É apostar na democracia, é apostar na capacidade de diálogo muitas vezes divergindo, mas sempre com muito diálogo, com muito espírito de mediação porque na democracia é fundamental esta capacidade de diálogo. 

 

 

Um dos braços direito do governador Eduardo Campos (PSB), o secretário da Casa Civil e pré-candidato a deputado federal, Tadeu Alencar (PSB), teve uma conversa exclusiva com a equipe do Portal LeiaJá e participou do Programa Opinião Brasil. O socialista confirmou ter recebido convite de Campos para disputar uma vaga na Câmara Federal, mostrou-se confiante com a corrida eleitoral e pontuou alguns aspectos como sua trajetória pública, promessas para o país e as estratégias que serão usadas pelo PSB nas eleições deste ano. Confira trechos do diálogo:

 E o que me anima a participar da política partidária e da política agora, disputando um mandato a deputado, é precisamente me filiar a aqueles que fazem da política uma oportunidade de servir.

E o que me anima a participar da política partidária e da política agora, disputando um mandato a deputado, é precisamente me filiar a aqueles que fazem da política uma oportunidade de servir.

Trajetória – Eu sou um militante político de longa data. Aos 15 anos lá em Juazeiro do Norte, da cidade de onde vim, nós organizamos a chegada do governador Miguel Arraes no Aeroporto do Cariri, e a partir dali, nós tivemos a participação no movimento estudantil, tivemos uma forte militância no movimento sindical bancário, eu que fui durante dez anos do Banco do Brasil que foi uma grande história na minha vida profissional, depois tivemos uma militância à frente da Associação dos Servidores do Tribunal de Contas, onde fui presidente e depois como procurador da Fazenda Nacional fui delegado sindical na minha categoria. Disputei eleições internas com o meu nome colocado numa lista tríplice que foi colocada por consideração do ex-ministro Palocci para ser o procurador geral da Fazenda Nacional, militei em Brasília nos Tribunais Superiores e nunca me filiei a um partido político porque sempre gostei muito da minha liberdade de escolher os caminhos que eu gostaria de trilhar na militância política.

Inserção no PSB - Ao chegar ao governo (de Eduardo Campos) convidado que fui pelo governador para ser procurador geral do Estado, fui convidado a entrar no PSB e aceitei este desafio, me tornei vice-presidente do partido aqui em Pernambuco.

Nome colocado como sucessor - Agora tive o meu nome considerado como um dos possíveis pré-candidatos a governador que terminou derivando para uma tarefa importante que é disputar as eleições para o parlamento brasileiro.

O que é necessário mudar - Nós precisamos melhorar a política. Precisamos ter no Congresso Nacional pessoas que se valham da função pública de ter um cargo eletivo para servir a população, para servir os valores democráticos e republicanos para com o espírito público. Servir a tantos desafios de um país como o Brasil que tem muitas injustiças sociais e que precisa ter gente que tenha compromissos com esses valores.

Entusiasmo – (…). E o que me anima a participar da política partidária e da política agora, disputando um mandato a deputado, é precisamente me filiar a aqueles que fazem da política uma oportunidade de servir. Estou animado com isso. Acho que a gente só tem na vida oportunidade de fazer as coisas bem feitas, se fizermos com paixão. E tudo o que faço, faço com devoção, com envolvimento e estou animado em fazer a disputa de candidato. 

Espaços políticos - Acho que há nitidamente aí no Recife e Região Metropolitana, certo espaço que precisa ser ocupado daquele eleitorado que votou em Miguel Arraes, que votou em Osvaldo Lima Filho, que votou em Cristina Tavares, que votou em Egídio Lima, em Fernando Lyra, que votou em Humberto Costa (PT) que hoje tem um cargo majoritário como senador e deputados que possam representar uma tradição de Pernambuco que é um Estado pequeno, uma região pobre, que é o Nordeste, mas que sempre teve voz altiva no Congresso Nacional.

Desejo - Eu espero ser eleito. Vou discutir com as pessoas, vou conversar com os estudantes, com a juventude, com os artistas, com os empresários que têm compromissos com a política praticada da melhor forma e, se conquistarmos este mandato, esperamos cerrar fileiras em torno de um novo momento para o Brasil que eu espero que seja conduzido com Eduardo Campos na presidência da República.

Estratégias do PSB – A estratégia é de ter sintonia com a população. Não podemos ter políticos autistas que defendem interesses próprios, que defendem algo desconectado daquilo que a sociedade claramente coloca como a pauta brasileira. Ano passado nós vimos as ruas se encherem de pessoas para cobrar um Estado eficiente com saúde pública, que funcione com educação pública de qualidade, com segurança, com oportunidade de lazer, com transportes com mobilidade, com emprego e foi isso que nós fizemos aqui no governo de Pernambuco.

A estratégia é estar atento a esses sinais que a sociedade dar. É apostar na democracia, é apostar na capacidade de diálogo muitas vezes divergindo, mas sempre com muito diálogo, com muito espírito de mediação porque na democracia é fundamental esta capacidade de diálogo.

Leia a entrevista completa:

Entrevista: Alencar fala de candidatura e táticas do PSB

* Fonte: LeiaJá

1964/Histórias sobre o Golpe: John F Kennedy ajudou a piorar a situação *

Kennedy cogitou ação

militar contra Goulart

Em pouco mais de um ano, durante a Presidência de John F. Kennedy, as relações americanas com João Goulart foram do “ápice” à deterioração total, ao ponto de os Estados Unidos chegarem ao fim de 1963 cogitando uma intervenção militar no Brasil.

 

Em abril de 1962, o presidente Kennedy dos EUA recebeu o presidente João Goulart no salão oval da Casa Branca.

Em abril de 1962, o presidente Kennedy dos EUA recebeu o presidente João Goulart no salão oval da Casa Branca.

 

Porém, a veloz resignação de Jango à sua própria queda meses depois poupou os brasileiros de verem tropas americanas desembarcando em território nacional – uma ideia que soava tão escandalosa que os próprios americanos relutavam em abraçar, indicam os arquivos da época.

A possibilidade estava na manga caso houvesse “uma clara evidência de intervenção do bloco soviético ou de Cuba do outro lado”, precisou o então embaixador americano no Brasil, Lincoln Gordon, em um plano de contingência discutido com o Departamento de Estado em dezembro de 1963 e obtido pelo historiador Carlos Fico, da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

As relações entre Kennedy e Jango foram se deteriorando com o passar do tempo

As relações entre Kennedy e Jango foram se deteriorando com o passar do tempo

A hipótese de uma ação armada também foi assunto de conversa entre Gordon e Kennedy em Washington em outubro de 1963, segundo uma gravação revelada pelo jornalista Elio Gaspari na reedição de A Ditadura Envergonhada.
Segundo o registro, o então presidente perguntou ao embaixador se a situação no Brasil estava “indo para onde deveria”, ou se era “aconselhável que façamos uma intervenção militar”.

Em visita à Casa Branca, Jango e o general Amaury Kruel, que acabaria aderindo ao golpe que derrubou o presidente em 1964

Em visita à Casa Branca, Jango e o general Amaury Kruel, que acabaria aderindo ao golpe que derrubou o presidente em 1964

‘Nova Cuba’

As desconfianças de Kennedy em relação a Jango se exacerbaram entre fins de 1962 e fins de 1963, período em que os Estados Unidos se preocupavam em “evitar uma nova Cuba na América Latina”.

Evitar que o Brasil de Jango “deslizasse” para o comunismo virou um “mantra” em Washington, disse à BBC Brasil o historiador Peter Kornbluh, da organização National Security Archives, que pressiona pela desclassificação de documentos históricos do governo americano.

(Foto 2)

O “ápice” da relação Kennedy-Jango fora durante a crise dos mísseis, em outubro de 1962, quando a inteligência americana revelou que a União Soviética estava posicionando mísseis na ilha comunista de Cuba.

A pedido de Kennedy, Goulart enviou um emissário à ilha comunista para servir de intermediário secreto entre Havana e Washington, segundo um detalhado estudo de James Hershberg, historiador da Universidade George Washington.

O emissário brasileiro, general Albino Silva, chegou em Havana quando o líder soviético Nikita Kruschev já anunciara a retirada dos mísseis de Cuba.

Mas o episódio é interpretado na historiografia como sinal do “benefício da dúvida” que Kennedy estendia a Goulart. Porém, no fim, serviu para reforçar as desconfianças do norte do continente.

Hershberg diz que a Casa Branca achou que Jango “virava a casaca” em temas importantes conforme sua conveniência.

Kornbluh explica que a Casa Branca não gostou da recusa de Jango em se se alinhar aos Estados Unidos em um voto contra Cuba na Organização dos Estados Americanos (OEA) por ter aceitado esses mísseis.

Em vez disso, Jango defendera uma zona livre de armas nucleares na América Latina. “No final, Kennedy se convence de que, se Goulart não estava com eles, estava contra eles”, disse o historiador.

Operação Brother Sam

O líder brasileiro seria deposto apenas meses antes da reunião da OEA em julho de 1964 que expulsou Cuba e resultou no seu isolamento do hemisfério.

leia a Íntegra:

Kennedy cogitou ação militar contra Goulart

 

* Fonte: BBCBrasil - Pablo Uchoa da BBC Brasil em Washington

Pernambuco: Mil Vagas em Oportunidades nas Três Esferas de Governo *

MIL VAGAS

Concursos Públicos

 

concursos publicos_1

 

CONCURSOS Seleções abertas nas três esferas do poder público têm oportunidades para quem não quer sair de Pernambuco

Entre as vantagens oferecidas por um concurso público, como salários atrativos e estabilidade, a proximidade do local de trabalho com a residência soma-se ao conjunto de vantagens que faz milhares de pessoas disputarem uma vaga: quanto mais perto melhor. Pensando nisso, concurseiros de Pernambuco devem ficar atentos, pois há oito certames com inscrições abertas no Estado, em um total de 1.036 possibilidades. São órgãos de esferas municipais, estaduais e federais que oferecem oportunidades para os níveis fundamental, médio, técnico e superior. Os salários variam de R$ 800 a R$ 6.154.

Oferecem chances a Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU), a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), o Instituto Federal de Pernambuco (IFPE), a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), a Fundação de Amparo à Ciência e Tecnologia do Estado de Pernambuco (Facepe) e as prefeituras de Jaboatão e de Arcoverde.

O salário mais alto é para analista de saneamento, oferecido pela Compesa. O cargo disponibiliza 13 vagas para as áreas de engenharia de segurança do trabalho (1), civil (9, sendo 1 para deficientes), eletrotécnica (1), eletrônica (1) e química (1).

Embora as remunerações mais baixas sejam R$ 800 (Prefeitura de Arcoverde) e R$ 937,37 (Prefeitura de Jaboatão dos Guararapes), os editais de ambos os concursos atentam para a possibilidade de gratificações. No caso da Prefeitura de Arcoverde, no Sertão, que oferece o salário para cargos como técnico em enfermagem e arte educador, o edital garante que há a “possibilidade de gratificação por desempenho de até 200%, a depender da avaliação do servidor”. Já a Prefeitura de Jaboatão dos Guararapes, diz que o valor é uma remuneração inicial e que a “tabela salarial prevê a possibilidade de ascensões horizontais e verticais, chegando ao valor de R$ 1.403,44, existindo ainda a possibilidade de gratificação, variando de R$ 130 a R$ 200.”

PREVISTOS

Está previsto para o mês de abril o lançamento do edital do Ministério Público de Pernambuco. A instituição vai oferecer 20 vagas para o cargo de promotor com salário de R$ 19.383,87. A Câmara Municipal do Recife também está em fase final de tramitação de um concurso. Na tarde de hoje haverá uma reunião para finalizar pontos relativos ao certame.

O Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão autorizou na última quinta-feira a realização de três concursos. São 600 vagas para agente da Polícia Federal, 242 para cargos do plano de carreiras da área de ciência e tecnologia do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, e outras 100 para pesquisador e 40 para tecnologista em propriedade industrial do Instituto Nacional da Propriedade Industrial (Inpi). O prazo máximo para a publicação dos editais dos três certames será o mês de setembro.

* Fonte: JC/Rossini Gomes

Belo Jardim: Governador Inaugura a UPAE que vai atender a nossa região *

BELO JARDIM

 

Ao todo, o Governo do Estado investiu R$ 37 milhões nas três unidades entregues neste domingo ao povo pernambucano

Ao todo, o Governo do Estado investiu R$ 37 milhões nas três unidades entregues neste domingo ao povo pernambucano

Governador e prefeitos da região e secretários prestigiaram inauguração da UPAe Padre Assis Neves em BJ

Governador e prefeitos da região e secretários prestigiaram inauguração da UPAe Padre Assis Neves em BJ

Inaugurada a UPAE de Belo Jardim

 

“A saúde de Pernambuco ganha um reforço especial com essas novas unidades”. Foi o que disse o governador, neste domingo (30/03), durante a inauguração da Unidade Pernambucana de Atenção Especializada (UPAE) de Belo Jardim,

“A saúde de Pernambuco ganha um reforço especial com essas novas unidades”. Foi o que disse o governador, neste domingo (30/03), durante a inauguração da Unidade Pernambucana de Atenção Especializada (UPAE) de Belo Jardim,

“A saúde de Pernambuco ganha um reforço especial com essas novas unidades”. Foi o que disse o governador, neste domingo (30/03), durante a inauguração da Unidade Pernambucana de Atenção Especializada (UPAE) de Belo Jardim, no Agreste de Pernambuco. No mesmo dia, Eduardo ainda entregou outras duas unidades, a UPAE de Arcoverde, no Sertão do Moxotó, e a de Limoeiro, no Agreste. Até o final deste ano, outras seis unidades serão inauguradas nos municípios de Abreu e Lima, na Região Metropolitana do Recife; Escada e Palmares, ambas na Mata Sul; Goiana e Carpina, municípios localizados na Mata Norte; e Ouricuri, no Sertão do Araripe.

Para Eduardo, as especialidades vão garantir mais qualidade no diagnóstico e no tratamento de doenças de baixa e média complexidade. “É importante destacar que as UpaEs foram construídas com 100% de recursos do Governo do Estado e a manutenção será compartilhada com as prefeituras”, lembrou o governador.

Ao todo, o Governo do Estado investiu R$ 37 milhões nas três unidades entregues neste domingo ao povo pernambucano. Antes de definir os locais para a implantação das UpaEs, a equipe da saúde procurou uma localização estratégica para cada nova unidade. A UPAE de Arcorverde vai beneficiar 13 cidades. A unidade de Belo Jardim vai atender a 270 mil habitantes dos municípios de Alagoinha, Cachoeirinha, Pesqueira, Poção, Sanharó, São Bento do Una e Tacaimbó.

Já o equipamento de Limoeiro beneficia 12 municípios do Agreste e da Mata Norte, totalizando uma população de cerca de 300 mil habitantes. Cada unidade terá capacidade para realizar cerca de 80 mil atendimentos e 160 mil exames em diversas especialidades. O objetivo da ação é descentralizar os atendimentos e oferecer conforto aos pernambucanos que residem no interior.

“Com as UpaEs, nós estamos reforçando a atenção básica em todo o Estado, garantindo um atendimento integral a todos os pernambucanos”, salientou o secretário de Saúde, Antonio Carlos Figueira, garantindo que a união entre Estado e os municípios foi um dos fatores que possibilitaram a implantação das novas unidades.

EC joao mendonça e familia

Já o prefeito de Belo Jardim, João Mendonça, lembrou que já fazia 30 anos que a cidade não recebia um grande investimento. “A última intervenção foi a construção do Quartel dos Bombeiros, viabilizado ainda no governo de Joaquim Francisco”, disse o prefeito, ressaltando que a UPAE foi construída em apenas cinco meses e vai beneficiar diversas cidades da região.

* Fonte: Portal PE

Editorial/1964 : Jornal Folha de São Paulo Justifica apoio ao Golpe de 1964 *

1964

 

 

anos de chumbo foto conjunta

 

 

 

 

Aos olhos de hoje, apoiar a ditadura militar foi um erro, mas as opções de então se deram em condições bem mais adversas que as atuais

Às vezes se cobra, desta Folha, ter apoiado a ditadura durante a primeira metade de sua vigência, tornando-se um dos veículos mais críticos na metade seguinte. Não há dúvida de que, aos olhos de hoje, aquele apoio foi um erro.

Este jornal deveria ter rechaçado toda violência, de ambos os lados, mantendo-se um defensor intransigente da democracia e das liberdades individuais.

O regime militar (1964-1985) tem sido alvo de merecido e generalizado repúdio. A consolidação da democracia, nas últimas três décadas, torna ainda mais notória a violência que a ditadura representou.

Violência contra a população, privada do direito elementar ao autogoverno. E violência contra os opositores, perseguidos por mero delito de opinião, quando não presos ilegalmente e torturados, sobretudo no período de combate à guerrilha, entre 1969 e 1974.

Aquela foi uma era de feroz confronto entre dois modelos de sociedade –o socialismo revolucionário e a economia de mercado. Polarizadas, as forças engajadas em cada lado sabotavam as fórmulas intermediárias e a própria confiança na solução pacífica das divergências, essencial à democracia representativa.

A direita e parte dos liberais violaram a ordem constitucional em 1964 e impuseram um governo ilegítimo. Alegavam fazer uma contrarrevolução, destinada a impedir seus adversários de implantar ditadura ainda pior, mas com isso detiveram todo um impulso de mudança e participação social.

Parte da esquerda forçou os limites da legalidade na urgência de realizar, no começo dos anos 60, reformas que tinham muito de demagógico. Logo após 1964, quando a ditadura ainda se continha em certas balizas, grupos militarizados desencadearam uma luta armada dedicada a instalar, precisamente como eram acusados pelos adversários, uma ditadura comunista no país.

As responsabilidades pela espiral de violência se distribuem, assim, pelos dois extremos, mas não igualmente: a maior parcela de culpa cabe ao lado que impôs a lei do mais forte, e o pior crime foi cometido por aqueles que fizeram da tortura uma política clandestina de Estado.

Isso não significa que todas as críticas à ditadura tenham fundamento. Realizações de cunho econômico e estrutural desmentem a noção de um período de estagnação ou retrocesso.

Em 20 anos, a economia cresceu três vezes e meia. O produto nacional per capita mais que dobrou. A infraestrutura de transportes e comunicações se ampliou e se modernizou. A inflação, na maior parte do tempo, manteve-se baixa.

Todas as camadas sociais progrediram, embora de forma desigual, o que acentuou a iniquidade. Mesmo assim, um dado social revelador como a taxa de mortalidade infantil a cada mil nascimentos, que era 116 em 1965, caiu a 63 em 1985 (e melhorou cada vez mais até chegar a 15,3 em 2011).

No atendimento às demandas de saúde e educação, contudo, a ditadura ficou aquém de seu desempenho econômico.

Sob um aspecto importante, 1964 não marca uma ruptura, mas o prosseguimento de um rumo anterior. Os governos militares consolidaram a política de substituição de importações, via proteção tarifária, que vinha sendo a principal alavanca da industrialização induzida pelo Estado e que permitiu, nos anos 70, instalar a indústria pesada no país.

A economia se diversificou e a sociedade não apenas se urbanizou (metade dos brasileiros vivia em cidades em 1964; duas décadas depois, eram mais de 70%) mas também se tornou mais dinâmica e complexa. Metrópoles cresceram de modo desordenado, ensejando problemas agudos de circulação e segurança.

O regime passou por fases diferentes, desde o surto repressivo do primeiro ano e o interregno moderado que precedeu a ditadura desabrida, brutal, da passagem da década, até uma demorada abertura política, iniciada dez anos antes de sua extinção formal, em 1985.

As crises do petróleo e da dívida externa desencadearam desarranjos na economia, logo traduzidos em perda de apoio, inclusive eleitoral. O regime se tornara estreito para uma sociedade que não cabia mais em seus limites. Dissolveu-se numa transição negociada da qual a anistia recíproca foi o alicerce.

Às vezes se cobra, desta Folha, ter apoiado a ditadura durante a primeira metade de sua vigência, tornando-se um dos veículos mais críticos na metade seguinte. Não há dúvida de que, aos olhos de hoje, aquele apoio foi um erro.

Este jornal deveria ter rechaçado toda violência, de ambos os lados, mantendo-se um defensor intransigente da democracia e das liberdades individuais.

É fácil, até pusilânime, porém, condenar agora os responsáveis pelas opções daqueles tempos, exercidas em condições tão mais adversas e angustiosas que as atuais. Agiram como lhes pareceu melhor ou inevitável naquelas circunstâncias.

Visto em perspectiva, o período foi um longo e doloroso aprendizado para todos os que atuam no espaço público, até atingirem a atual maturidade no respeito comum às regras e na renúncia à violência como forma de lutar por ideias. Que continue sendo assim.

* Fonte: Folha de São Paulo -

Artigo: Embromar e Convencer – Por Gustavo Krause *

Embromar e convencer

charge prejubras petrobras1

Existe muita gente disposta a embromar e um número de embromáveis infinitamente maior. Trata-se de uma luta desigual entre vigaristas e pessoas de boa fé, os otários, na linguagem dos criminosos.

Por falar em linguagem, o leitor pode ficar sossegado: tenho juízo suficiente para não ir além do trivial. Nada de entrar na semiótica de notáveis teóricos como Peirce, Saussure, Umberto Ecco, etc… Muito menos profanar as ideias de Aristóteles sobre retórica, lógica, dialética, poética e suas relações com a metafísica, a política e a ética que o passar dos milênios absorveu e reverencia.

Vou simplificar. Ou seja, pensar um pouco nessas categorias tão presentes no nosso cotidiano como a nutritiva mistura do feijão com arroz.

Mas vamos pensar, tentando identificar quem ilude e os sintomas da farsa da embromação.

Por definição, seja astúcia, embuste, mentira, ardil, em maior ou menor escala, pecado venial ou mortal, ninguém pode atirar a primeira pedra contra o embromador. O que interessa é a grande embromação, a embromação dos que têm o poder de atingir o respeitável público a exemplo de líderes políticos, empresariais, grandes executivos, jornalistas, técnicos de futebol, enfim, todo e qualquer profissional que, ao lidar com a opinião pública, engana e do engano obtêm proveito ilícito ou aparentemente lícito.

Em comum, eles tratam o respeitável público como idiotas.

Infelizmente, não foi descoberta uma vacina. A gente só se dá conta depois. Eita! Bateram minha carteira.

Todavia, alguns sinais ajudam na proteção coletiva:

- A pedra de toque do discurso do embromador é o jargão. Ele usa com a grave solenidade como se fosse o dono (cuidado com o discurso “moderno” da “governança corporativa” dos CEOs);

- o discurso do embromador é sempre uma exaltação aos “conhecimentos especializados”, usando termos técnicos em moda, se possível, em outros idiomas;

- para o embromador, importante é impressionar. Um rolando lero elegante. Impressionou, enganou o besta;

- o discurso do embromador tem algo de obscuro, melhor dizendo, misterioso. Na vida laica, mistério é ilusionismo;

- no conjunto da obra, o discurso impressionista é uma espécie de “turbina intelectual”. É um arretado! Sabe tudo. A plateia baba.
Mas não sejamos tão inclementes. Existe o outro lado da moeda que é o discurso do convencimento:

- é breve e fundamentado em fatos consistentes;

- é objetivo, claro e conquista pela forma e pelo conteúdo;

- é próximo das pessoas e a proximidade se alimenta de “histórias” que contêm grandezas e fraquezas. Ninguém aguenta os “heróis” que jamais levaram porrada;

- é, na dose certa, bem humorado. É preciso não se levar muito a sério paralevar a sério tudo que faz;

- quem convence não precisa optar entre ser chato um autêntico ou um simpático artificial. Estilo não se inventa e as pesquisas sobre o assunto indicam que a comunicação convincente deriva 7% das palavras e 93% de pistas não-verbais.

Resta uma grande questão: diante de um escândalo de dimensão nacional, internacional, multinacional, como agir? Simples: contratar a maior consultoria do Planeta em embromação: a BRASILBRÁS.

 

Gustavo Krause foto-colunista-62608

 

 

 

* Fonte e autor: Por LeiaJá –  Gustavo Krause,  Professor Titular da Cadeira de Legislação Tributaria, é ex-ministro de Estado do Meio Ambiente, dos Recursos Hídricos e da Amazônia Legal, no Governo Fernando Henrique, e da fazenda no Governo Itamar Franco, além de já ter ocupado diversos cargos públicos em Pernambuco, onde já foi prefeito da Capital e Governador do Estado

1964/História: Conheça a História da cidade pernambucana que resistiu ao Golpe de 64 *

A resistência de uma

pequena cidade de

Pernambuco

Estudantes foram primeiros mortos no Recife. Uma das primeiras vítimas da ditadura militar era de uma família de homens que, ao longo do século, oscilaram entre a militância política e o quartel

Estudantes foram primeiros mortos no Recife. Uma das primeiras vítimas da ditadura militar era de uma família de homens que, ao longo do século, oscilaram entre a militância política e o quartel

 

 

Professora, telegrafista e até o delegado de Vitória de Santo Antão entraram na lista de 21 acusados de subversão

A professora foi para a rua liderar o levante contra o golpe. Os trabalhadores da estrada de ferro cruzaram os braços. O telegrafista disse para os primeiros soldados com carabinas nas mãos que não tinha condições de mandar mensagens. O delegado não aceitou as ordens do Exército. Diante da agitação, o comércio fechou as portas. A rádio AM foi tomada por defensores do presidente João Goulart e, pelo microfone, conclamou os ouvintes a resistir. O sindicalista resistiu e foi fuzilado num canavial. O corpo dele virou repasto de aves de rapina. Os militares forjaram um suicídio que indignou a família.

A crônica com tintas surreais dos primeiros dias de abril de 1964 em Vitória de Santo Antão, em Pernambuco, na época com 30 mil moradores – hoje sua população passa de 100 mil -, mostra que, na história do Brasil contada a partir do interior, o povo não assistiu, mais uma vez, bestializado, e os generais não esperaram o AI-5, quatro anos depois, para dar início à barbárie.

O delegado Edvaldo Rodrigues Cavalcanti entrou na lista de 21 acusados de subversão que teriam resistido ao golpe na cidade da Zona da Mata pernambucana. Foi expulso da Polícia Militar. Documento do Conselho Especial de Justiça do Exército, de dezembro de 1969, obtido pelo Estado, destaca que o ex-tenente “procurou sublevar o destacamento policial e até camponeses adestrados para uma reação ao movimento revolucionário”. Esse personagem desconhecido afirmou, em sua defesa, que tinha orgulho por jamais permitir que senhores de engenho colocassem as mãos em seu ombro e dissessem: “Meu delegado”.

A paraibana Maria Celeste Vidal Bastos, na época com 37 anos, e o sindicalista pernambucano Luiz Serafim de Santana, 36, foram outros líderes do levante contra o golpe citados no documento. Na manhã do dia 1o de abril, eles convocaram trabalhadores dos engenhos para o levante. Centenas deles foram para a cidade com foices, enxadas e paus. Eles ocuparam a Rádio Jurema. O comerciante José Lyra, 87 anos, lembra da passeata com pessoas erguendo varas com ossos amarrados para reclamar dos mortos nos canaviais. “O Exército e a polícia apareceram. Foi um Deus nos acuda”, relata.

Morte. Chegou à cidade a notícia de que o corpo do sindicalista Albertino José de Oliveira já estava em estado de putrefação na mata. A Secretaria de Segurança Pública disse que o sindicalista morreu envenenado. A professora foi capturada num engenho próximo e levada para o Recife, onde ficou presa por mais de três anos. Sofreu choques elétricos. Para o ex-telegrafista José Andrade de Oliveira, Maria Celeste era a grande líder da resistência na cidade. “Cortava o cabelo bem curtinho para protestar.”

Estudantes foram primeiros mortos no Recife. Uma das primeiras vítimas da ditadura militar era de uma família de homens que, ao longo do século, oscilaram entre a militância política e o quartel. O estudante pernambucano Ivan Rocha Aguiar, 21 anos, atingido por tiros na esquina da Avenida Dantas Barreto com a Rua Marquês do Recife, era neto de um chefe político que, nos anos 1920, espalhava cópias do Manifesto Comunista, e filho de um ex-sargento do Exército que combateu revoltosos paulistas em 1932.

Naquele 1o de abril de 1964, Recife amanheceu com tropas do Exército nas ruas. Ivan saiu cedo de casa para participar de uma passeata de apoio ao governador Miguel Arraes, que estava cercado no Palácio do Campo das Princesas. Um irmão, o soldado Danúbio, 20 anos, ficou preocupado e foi atrás de Ivan. Encontrou-o perto da Praça da Independência. Eram 16 horas. “Não vai aí na frente, não, porque a turma está muito agitada e o Exército pode atacar”, advertiu Danúbio. “Não vou deixar os companheiros”, respondeu Ivan, que pegou uma bandeira de um colega e seguiu para a praça.

Leia a Íntegra:

 

 

* Fonte: | Por Leonencio Nossa ENVIADO ESPECIAL / VITÓRIA DE SANTO ANTÃO, estadao.com.br

 

Comportamento/Cultura: Rio de Janeiro Resgata em Museu a Memória da Moda no Brasil *

 

 

Rio de Janeiro

terá museu de moda

 

Vestido de alta-costura da estilista francesa Catherine Walker, preferida da princesa Diana para grandes bailes

Vestido de alta-costura da estilista francesa Catherine Walker, preferida da princesa Diana para grandes bailes

“Vestido de alta-costura da estilista francesa Catherine Walker, preferida da princesa Diana para grandes bailes. A peça foi arrematada por US$ 60 mil, em um leilão da Christie’s, por um grupo de doadores encabeçado por Hildegard Angel, pouco antes da morte de Lady Di. Quando chegou ao Brasil, foi recebido por batedores e transportado em carro-forte, com seguro estimado em US$ 100 mil. As fotos são da Revista Serafina/Folha de S.Paulo”.

O Rio de Janeiro ganhará o primeiro museu do Brasil totalmente dedicado à moda nacional e internacional, com inauguração prevista para outubro deste ano numa casa na Barra da Tijuca. O local se chamará ’Casa Zuzu Angel de Memória da Moda do Brasil’ e só se concretizou graças a uma parceria entre o Instituto Zuzu Angel e o governo do Estado do Rio.

Maiô e faixa originais usados por Martha Rocha, primeira Miss Brasil, em 1954. A peça, fotografada na praia de Copacabana, foi confeccionada pela fábrica Catalina, que criava todos os maiôs e biquínis usados pelas misses na segunda metade do século 20. Fotos: Revista Serafina/Folha de S.Paulo

Maiô e faixa originais usados por Martha Rocha, primeira Miss Brasil, em 1954. A peça, fotografada na praia de Copacabana, foi confeccionada pela fábrica Catalina, que criava todos os maiôs e biquínis usados pelas misses na segunda metade do século 20. Fotos: Revista Serafina/Folha de S.Paulo

O local terá espaço para exposições, cursos e um centro de conservação e restauração de vestuário, trabalho minucioso e dificílimo de ser executado. O acervo foi montado a partir de peças reunidas pela filha da estilista, Hildegard Angel ao longo de quase 20 anos.

A Revista Serafina, editada pelo jornal Folha de S. Paulo, teve acesso exclusivo ao local, mostrando detalhes do acervo em fotos publicadas no último dia 23. Mais de 4.000 roupas de estilistas consagrados, como Dener Pamplona, Hubert de Givenchy, Cristóbal Balenciaga, Markito e Zuzu Angel, vão compor o acervo.

Patchwork de rendas da região Norte, uma das criações mais marcantes da estilista Zuzu Angel (1921-1976). Criado no final da década de 1960, o vestido pastoral, como foi chamado, faz referência à amizade da estilista com o bispo Dom Hélder Câmara (1909-1999). Fotos: Revista Serafina/Folha de S.Paulo

Patchwork de rendas da região Norte, uma das criações mais marcantes da estilista Zuzu Angel (1921-1976). Criado no final da década de 1960, o vestido pastoral, como foi chamado, faz referência à amizade da estilista com o bispo Dom Hélder Câmara (1909-1999). Fotos: Revista Serafina/Folha de S.Paulo

* Fonte: Social1

Evento/Economia & Negócios: Pesqueira Promove a Primeira Fenepe de 02 a 05 de abril *

PESQUEIRA

FENEPE de 03 a 05 de abril

 

FENEPE Feira de Negocios de Pesqueira

Pesqueira promove feira

de negócios nos polos

moveleiro e de renda

 

exposição de móveis e renda renascença no Centro de Artesanato, um evento paralelo vinculado à Fenepe vai ocorrer no salão de eventos do Hotel Estação Cruzeiro, próximo ao local de exposições

exposição de móveis e renda renascença no Centro de Artesanato, um evento paralelo vinculado à Fenepe vai ocorrer no salão de eventos do Hotel Estação Cruzeiro, próximo ao local de exposições

Conhecida como “Terra do Doce e da Renda”, a cidade de Pesqueira, no Agreste, quer retomar o destaque econômico de outrora em Pernambuco, que sucumbiu com fechamento de tradicionais fábricas de doce, na década de 90. Para isso, aposta no fortalecimento do setor de renda renascença e no emergente e promissor polo moveleiro, cujo crescimento tem sido um dos vetores da tímida, mas visível, recuperação econômica do município.

Um novo capítulo desta retomada da fase áurea vai acontecer entre os dias 3 e 5 de abril, com a primeira edição da Feira Regional de Negócios Movelaria e Renascença (Fenepe). O evento, idealizado e realizado pela Associação Comercial e Empresarial de Pesqueira (Acep), vai reunir fabricantes dos dois segmentos, renda e móveis, com a proposta de divulgar as potencialidades econômicas de Pesqueira e municípios vizinhos, como Alagoinha, Poção, Sanharó e Tacaimbó.

Não espere encontrar a tradicional passarela cercada de cadeiras destinadas aos apreciadores da moda. A organização da Fenepe adotou a arte viva no desfile

Não espere encontrar a tradicional passarela cercada de cadeiras destinadas aos apreciadores da moda. A organização da Fenepe adotou a arte viva no desfile

A feira, inserida no Projeto Melhoria de Competitividade Industrial, do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas em Pernambuco (Sebrae-PE), vai reunir cerca de 30 expositores de movelaria e 40 de renascença, distribuídos em aproximadamente 120 estandes. O evento recebeu um investimento de R$ 200 mil e vai ocorrer no Centro de Artesanato de Pesqueira, local que recebeu a última edição da antiga “Feira do Doce e da Renda”, realizada na década passada.

Henrique Cavalcanti, diretor-secretário da Acep e gestor de planejamento da Prefeitura Municipal de Pesqueira, explicou que uma das propostas da Fenepe é resgatar a importância econômica da cidade e região. “Ao contrário de outras feiras, a Fenepe tem o intuito de ser econômica, não visa exclusivamente a quantidade de visitantes, e sim quantos negócios serão gerados a partir dela”, pontuou. “O mercado moveleiro está crescendo e o setor de renascença se fortalecendo. A feira será uma boa oportunidade para geração de negócios posteriores.”

Não espere encontrar a tradicional passarela cercada de cadeiras destinadas aos apreciadores da moda. A organização da Fenepe adotou a arte viva no desfile. Traduzindo, os modelos vão circular entre os visitantes, que poderão conferir cada detalhe das cerca de 50 peças que serão exibidas. Gostando de alguma, obviamente, o interessado poderá negociar diretamente com o fabricante e levar para casa o artigo.

Leia a Íntegra:

Primeira edição da Fenepe ocorrerá entre os próximos dias 3 e 5 de abril para estimular a economia do município e região 

* Fonte: DP/Augusto Freitas – Economia

Brasil: O País Registra 16 cidades entre as 50 mais violentas do Mundo *

BRASIL

O Ranking maldito

 

Jovens criados ao relento são os principais alvos nas estatísticas de homicídios

Jovens criados ao relento são os principais alvos nas estatísticas de homicídios

Das 16 cidades brasileiras citadas entre as 50 mais violentas do mundo, pasmem, 9 delas ficam na região NORDESTE

“É claro que, das 50 cidades mais violentas do planeta, a maioria estaria no Brasil: 16 delas (Maceió, Fortaleza, João Pessoa, Natal, Salvador, Vitória, São Luís, Belém, Campina Grande, Goiânia, Cuiabá, Manaus, Recife, Macapá, Belo Horizonte e Aracaju)”.

De 1500 a 1822 foram 322 anos de extorsão, roubos, escravidão, chicotadas, apropriações, estupros, humilhações, violências e extermínios. Cerca de 5 milhões de índios foram dizimados. Mais de um milhão de negros escravizados foram exterminados. Para o Novo Mundo nenhum europeu branco veio para constituir família e aqui se perpetuar. O Brasil era a colônia ideal para extorquir, corromper, matar, estuprar, roubar e, sobretudo, para se enriquecer, com cana de açúcar, por meio da parasitação dos escravos (negros e índios) ou do branco pobre. Ausência absoluta do império da lei. Mundo selvagem, olhado à distância de Lisboa.

De 1822 a 1889 foram 67 anos de Império, que muito pouco alterou os costumes colonialistas: a escravidão continuou porque os donos do poder capitalista (fazendeiros de açúcar e café) não deixaram aboli-la antes de 1888. Paralelamente à escravidão e ao parasitismo corriam soltos a corrupção, sobretudo dos políticos, as guerras internas e externas, todas exageradamente sanguinárias, a frouxidão do controle dos órgãos repressivos, o desrespeito ao devido processo, o tratamento desigual das pessoas, os privilégios e maracutaias patrimonmialistas etc.

Na primeira república (1889-1929) os donos do poder continuam roubando, matando, extorquindo, corrompendo políticos, burlando resultado de eleições e se enriquecendo com o trabalho neoescravista. Em 1930 começa a industrialização forte, que vai até 1980. Alto crescimento econômico com altíssima concentração de renda, à custa dos assalariados miseráveis, que só respiraram um pouco com o populismo getulista. No meio, revoluções militares, Estado Novo, torturas, desaparecimentos, violação massiva de direitos humanos e extermínio dos inimigos (especialmente os da esquerda).

Durante a ditadura de 64-85 veio o maior arrocho salarial da história, que promoveu uma enorme concentração de renda (do Gini 0,54 em 60 passamos para o Gini 0,64 em 89). Muito enriquecimento em cima dos assalariados pobres. Capitalismo mais selvagem é difícil de encontrar.

De 1985 a 2013, redemocratização, nova Constituição, seis eleições presidenciais seguidas e consolidação do capitalismo selvagem, apenas suavizado com Bolsa Família, nova classe C, recuperação do poder de compra do salário mínimo etc. As violações massivas de direitos humanos não sofrem interrupção: 900 mil pessoas trituradas, torturas, extermínios, campos de concentração (presídios) e por aí vai.

Depois de 513 anos (não se constrói uma nação violenta, corrupta e com capitalismo extremamente selvagem da noite para o dia), chegamos em 2014: fortificação do capitalismo selvagem financeiro, 70% da renda nacional divididos entre pouquíssimas famílias, índice Gini de 0,51 (um dos mais altos do mundo, o que revela enorme desigualdade), aprofundamento do apartheid, violência epidêmica persistente (27,1 assassinatos para cada 100 mil pessoas), 53 mil mortes intencionais, 45 mil mortes no trânsito, corrupção ampla, geral e irrestrita etc.

É claro que, das 50 cidades mais violentas do planeta, a maioria estaria no Brasil: 16 delas (Maceió, Fortaleza, João Pessoa, Natal, Salvador, Vitória, São Luís, Belém, Campina Grande, Goiânia, Cuiabá, Manaus, Recife, Macapá, Belo Horizonte e Aracaju).

Não estamos fazendo absolutamente nada do que fizeram os países de capitalismo evoluído, distributivo e altamente civilizado (Dinamarca, Suíça, Canadá, Bélgica, Coreia do Sul, Japão, Austrália etc.) para reduzir a violência, domando o monstro do capitalismo selvagem. Com condições inalteradas, tudo vai piorar bastante. Quem faz tudo errado em termos de prevenção da criminalidade não pode esperar resultados diferentes nunca (Einstein).

Luiz-Flavio-Gomes1-146x85

* Autor: Luiz Flávio Gomes – Colunista do Congresso em foco – professor e Jurista (foto Google)

Curiosidades/Turismo: Encontra-se na Holanda o Maior Jardim de Flores do Mundo. Conheça-o *

O maior jardim de flores

do planeta abre suas portas

para a temporada 2014

 

Keukenhof é de extrema importância para o setor da floricultura, o desenvolvimento da região e também para a imagem turística do país no exterior. Atualmente, 75% dos visitantes são estrangeiros, vindos principalmente da Alemanha, Estados Unidos, França , Reino Unido e China

Keukenhof é de extrema importância para o setor da floricultura, o desenvolvimento da região e também para a imagem turística do país no exterior. Atualmente, 75% dos visitantes são estrangeiros, vindos principalmente da Alemanha, Estados Unidos, França , Reino Unido e China

maior jardim Holanda 2maior jardim 5maior jardim 4 Holandamaior jardim 3a

 

Keukenhof, na Holanda, proporciona um espetáculo de encher os olhos: são mais de sete milhões de flores plantadas, incluindo as protagonistas do jardim – as tulipas holandesas

 

Sete milhões de flores, incluindo tulipas, narcisos e jacintos, mais de duas mil árvores, esculturas, fontes, um lago e um velho moinho: é esse o cenário encantador de Keukenhof, considerado o maior jardim de flores do planeta.

O parque ocupa uma área de 32 hectares e fica localizado na cidade de Lisse, a poucos quilômetros de Amsterdã; a capital holandesa. Normalmente, a abertura dos portões ao público coincide com o início da primavera no Hemisfério Norte, mas neste ano o clima ameno veio mais cedo e os visitantes puderam apreciar o jardim botânico um dia a mais, com a florada já em seu auge.

Na temporada, que segue até o dia 20 de maio, Keukenhof tem um motivo a mais para comemorar: o jardim está celebrando seu aniversário de 65 anos e, por isso, o tema escolhido foi a própria Holanda.

O país é o maior produtor mundial de tulipas, com a incrível marca de 4,2 bilhões de bulbos cultivados anualmente, entre mais de duas mil espécies diferentes. Metade dessa produção é comercializada no exterior, enquanto a outra metade permanece em solo holandês, para a alegria de moradores e turistas.

Novidades para a temporada 2014

Todos os anos, mais de 800 mil turistas visitam Keukenhof, consolidando o jardim como um dos cartões-postais mais populares e fotografados da Holanda. Entre as novidades deste ano, está um belíssimo mosaico de flores representando os canais e edifícios de Amsterdã. Para compor o desenho, que mede 22 por 13 metros, foram utilizadas 60 mil tulipas e jacintos.

Outro destaque fica por conta do recém-renovado Jardim Histórico, que conta a história dos mais de 400 anos de florescimento da tulipa no país. Nessa área, encontra-se o busto de Carolus Clusius (1526-1609), o homem responsável por plantar a primeira tulipa em um dos primeiros jardins botânicos da Europa. Foi graças a ele que essa flor de beleza única se tornou um ícone da Holanda.

Além desse setor, o turista pode ainda caminhar por sete jardins inspiracionais, conferir as curiosidades da exposição “Tulip Mania” e visitar os diversos pavilhões, que já têm 30 mostras alternadas de diversas plantas agendadas. Entre as variedades, estão as gérberas (3 a 8 de abril), rosas (10 a 15 de abril), alstroemérias e íris (24 a 29 de abril) e os crisântemos (1 a 9 de maio). No pavihão Willem-Alexander, é possível ver a beleza de 75 mil tulipas de mais de 600 variedades.

Já o evento anual “Parada da Flor”, está previsto para acontecer no dia 3 de maio, com a presença de mais de 20 carros alegóricos florais e programação musical variada.

Passeios de barco e bike pela região são alternativas

Keukenhof é um parque projetado para caminhar e, por isso, não é permitido entrar de bicicleta no parque. Mas, como estamos falando do país das bicicletas, é possível explorar os arredores a bordo de uma “magrela”. No estacionamento, ao lado da entrada principal, há um serviço de aluguel por € 10 ao dia. Lá, eles indicam quatro rotas sinalizadas, que variam de 5 a 25 km.

Outra atividade imperdível é o passeio de barco pelos canais internos do jardim. As silenciosas embarcações elétricas foram adaptadas para navegar nas águas rasas e estreitas da área. O passeio dura 45 minutos e é uma ótima maneira de apreciar e fotografar os campos floridos de um outro ângulo.

Se você for viajar para a Holanda nessas próximas oito semanas, não deixe de visitar o jardim e conhecer esse espetáculo multicolorido da natureza. Os ingressos custam 15 euros para adultos (cerca de R$ 47) e podem ser adquiridos na bilheteria ou antecipadamente no site oficial (keukenhof.nl).

Há ainda a opção de adquirir o “Combi Ticket” que, além da entrada, inclui o valor das passagens de ônibus até o local. O ticket combinado custa 28 euros para adultos (cerca de R$ 90) e 12,50 euros (cerca de R$ 40) para crianças entre quatro e onze anos.

* Fonte: MSN/Viagens

Canal da Integração: Em Nova Visita Ministro Teixeira diz que Trechos com Problemas terão que ser Reparados *

 

Trechos deteriorados da

transposição serão

consertados por outra empresa

 

Ministro da Integração está visitando trechos dos serviços em PE e PB. Ele diz que manutenção será dada por empresa contratada pela Codevasf.

Ministro prever aceleraçãoCom mais de 9.500 trabalhadores contratados para atuarem nas obras, o Ministério da Integração Nacional prevê ainda o aporte de mais profissionais

Ministro prever aceleração Com mais de 9.500 trabalhadores contratados para atuarem nas obras, o Ministério da Integração Nacional prevê ainda o aporte de mais profissionais

O ministro Francisco Teixeira, da Integração Nacional, está visitando as obras de transposição do Rio São Francisco em Pernambuco e na Paraíba. Durante a passagem, nesta quinta-feira (27), ele informou que outra empresa deve fazer a manutenção de eventuais fissuras, buracos e rachaduras nos trechos já concluídos.

A empresa que entregou a obra não tem responsabilidade sobre isso. Isso é trabalho de manutenção que vai se iniciar pela Codevasf [Companhia de Desenvolvimento do Vale do São Francisco e do Paraíba] naquilo que está pronto, garantiu. Acerca dos serviços complementares, o ministro afirmou que “as empresas que foram contratadas, como aqui [em Sertânia,Pernambuco] o consórcio da SA Paulista, está na planilha de preços para elas complementarem e não ter nenhum problema de superposição de trabalho. Ninguém vai pagar trabalho duas vezes”, concluiu.

Formado por dois canais que somam 477 quilômetros lineares, a Integração do Rio São Francisco também envolve a construção de 14 aquedutos, nove Estações de Bombeamento, 27 reservatórios e quatro túneis para transporte de água.

Formado por dois canais que somam 477 quilômetros lineares, a Integração do Rio São Francisco também envolve a construção de 14 aquedutos, nove Estações de Bombeamento, 27 reservatórios e quatro túneis para transporte de água.

E em relação à empresa que não tenha realizado o combinado, Teixeira afirma que o dinheiro não foi pago. “Ou até em alguns casos devolveu, como tivemos empresa que devolveu até mais de R$ 1 milhão. E aquela empresa que não fez a sua parte e foi embora, a outra que entrou faz e a gente paga. E a manutenção é dada pela empresa contratada pela Codevasf”, explicou.

Vistorias técnicas

O ministro está realizando vistorias técnicas em partes do Projeto de Integração do Rio São Francisco nos dois estados. A meta é visitar três etapas de obras do Eixo Leste (Metas 1L, 2L e 3L) e duas estações de bombeamento do Eixo Norte (Meta 1N).

A passagem ocorre nos trechos do empreendimento que passam pelos municípios de Monteiro, na Paraíba, e Sertânia, Custódia,BetâniaFloresta e Salgueiro, no estado de Pernambuco. Nesta quinta, constou na agenda de Francisco Teixeira as visitas a Sertânia e Salgueiro. As demais cidades serão visitadas na sexta-feira (28).

Obras ocorrem desde 2007

Iniciadas em 2007, as obras de transposição do São Francisco devem ficar prontas em 2015. Já foram investidos R$ 4,5 bilhões dos R$ 8,2 bilhões previstos. De acordo com a assessoria de imprensa do Ministério da Integração Nacional, já foram concluídos 55,5% dos serviços que estão dentro do cronograma estabelecido. Atualmente, mais de 2,9 mil máquinas estão em funcionamento e há 9,5 mil trabalhadores ao longo das obras.

O projeto é formada por dois canais que percorrem 477 quilômetros lineares. A Integração do Rio São Francisco também envolve a construção de 14 aquedutos, nove estações de bombeamento, 27 reservatórios e quatro túneis para transporte de água. O projeto vai garantir a segurança hídrica de mais de 12 milhões de pessoas em 390 cidades de Pernambuco, Ceará, Paraíba e Rio Grande do Norte.

* Fonte: Portal Mint/G1

Judiciário: Juízes vão tentar mudar a Estrutura Administrativa dos TJs – Eleição Direta, JÁ! *

 

 

Juízes de PE farão mobilização

pública em favor de eleição

direta para a Mesa Diretora

dos Tribunais de Justiça

 

Juízes querem democratizar a estrutura administrativa.92% dos processos estejam no primeiro grau. O poder hoje é dos desembargadores

Juízes querem democratizar a estrutura administrativa.92% dos processos estejam no primeiro grau. O poder hoje é dos desembargadores

 

A nova política pode estar ainda em fase de gestação no Executivo e Legislativo. Mas os integrantes do Judiciário, respiram novos ares.

Quem imaginaria ver magistrados mobilizados lutando publicamente por uma causa que acham justa?

Pois nesta segunda-feira (31), juízes pernambucanos realizarão ato no Recife para reivindicar a eleição direta para a mesa diretora do Tribunal dos Justiça(presidência, vice presidência e corregedoria).

A iniciativa reforça um movimento de amplitude nacional.

Hoje, segundo informações da Associação de Magistrados de Pernambuco (Amepe) apenas desembargadores têm direito a participar do processo de escolha.

E isso acontece mesmo sabendo-se que 92% dos processos estejam no primeiro grau.

A segunda-feira está sendo considerada pelos juízes como o “dia de luta pela democratização no Judiciário”

A mobilização nacional está sendo organizada pela Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB).

Em Pernambuco, a mobilização está marcada para as 14h, no Fórum Paula Batista, onde os juízes se reunirão e depois seguirão para o gabinete do presidente do Tribunal de Justiça de Pernambuco, desembargador Frederico Neves para protocolar a petição.

Ao todo, 34 associações que representam os juízes (27 estaduais e sete da Justiça do Trabalho) irão protocolar nos respectivos Tribunais de Justiça um pedido de alteração no Regimento Interno para que sejam realizadas eleições diretas para as mesas diretoras.

A data para a realização desse ato político não foi escolhida aleatoriamente. Visa demonstrar à sociedade que, após 50 anos do golpe militar de 31 de março de 1964, os juízes ainda buscam o direito no Poder que integram.

amepe-mobilizacao-e1395949866320

Para a Amepe não se trata apenas de democratizar a estrutura administrativa do Poder Judiciário, mas principalmente de permitir a escolha daquele magistrado que se apresente para a maioria dos membros da magistratura como o melhor gestor ou administrador da coisa pública.

O presidente da Amepe, desembargador Antenor Cardoso entende que a partir do momento em que o processo de escolha não for feito somente pelos integrantes do segundo grau e sim por toda magistratura, passará a haver uma tendência de se fazer uma administração voltada também para a primeira instância.

* Fonte:  assessoria da Amepe

História/1964: A Trajetória da Ditadura *

A trajetória da ditadura

 

1961 - Após 207 dias de governo, Jânio Quadros renunciou.

1961 – Após 207 dias de governo, Jânio Quadros renunciou.

 

 

Cenário pré-golpe

 

Prometendo eliminar a corrupção, Jânio Quadros é eleito em 1960, com quase 50% dos votos.
O presidente perdeu apoio das elites ao desprezar o Congresso.

Jânio rejeitou os EUA, se aproximou da China e de Cuba e condecorou o então ministro cubano Che Guevara com a mais alta comenda concedida a estrangeiros pelo Brasil.

Após 207 dias de governo, Jânio Quadros renunciou. Surgiram rumores de que ele planejava um golpe que o manteria no poder como ditador, o que nunca foi confirmado.

Os militares impediram a posse do vice João Goulart, contrariando a Constituição.

Os militares impediram a posse do vice João Goulart, contrariando a Constituição.

Instabilidade

A renúncia de Jânio lançou o Brasil em profunda crise política. Os militares impediram a posse do vice João Goulart, contrariando a Constituição.

Jango era visto como uma “ameaça comunista” pela proximidade com sindicalistas.

O Congresso altera a Constituição e muda o regime, instaurando o Parlamentarismo. Tancredo Neves assume como primeiro-ministro e Jango toma posse destituído de poderes presidenciais.

A pressão popular força a realização de um plebiscito em 1963, para que o povo escolhesse o regime de governo.

Em janeiro de 1963 mais de 80% dos eleitores dizem NÃO ao parlamentarismo, devolvendo a Jango plenos poderes.

Véspera do golpe – Em janeiro de 1963 mais de 80% dos eleitores dizem NÃO ao parlamentarismo, devolvendo a Jango plenos poderes.

Vésperas do Golpe

 

Em janeiro de 1963 mais de 80% dos eleitores dizem NÃO ao parlamentarismo, devolvendo a Jango plenos poderes.

O presidente inicia as Reformas de Base. Jango defendia ampla reforma agrária, eleitoral e da educação, além de restrição das remessas de lucro das multinacionais.

Setores contrários articulam a derrubada do governo.

Em 13 de março de 1964, o presidente faz um comício em frente à Central do Brasil, no Rio, reunindo cerca de 100 mil pessoas. Antes, Jango institui por decreto a reforma agrária, irritando ainda mais a direita.

O Golpe - 31 de março: O general Mourão Filho parte de Juiz de Fora com tanques rumo ao Rio de Janeiro

O Golpe – 31 de março: O general Mourão Filho parte de Juiz de Fora com tanques rumo ao Rio de Janeiro

O Golpe

 

O mundo vive o auge da Guerra Fria e Jango era tido como ameaça comunista pelos EUA. O governo americano envia ao Brasil um aparato militar pronto para entrar em ação.

25 de março de 1964: Protesto de marinheiros no Rio de Janeiro contra a cúpula militar. O comandante dos Fuzileiros Navais, almirante Candido de Aragão, é demitido.

30 de março: Jango promete restaurar a patente dos militares demitidos.

31 de março: O general Mourão Filho parte de Juiz de Fora com tanques rumo ao Rio de Janeiro. Soldados tomam as ruas e prendem políticos, sindicalistas e estudantes.

Caça às bruxas - Políticos são cassados, entre eles os ex-presidentes Juscelino Kubistchek, Jânio Quadros e João Goulart.

Caça às bruxas – Políticos são cassados, entre eles os ex-presidentes Juscelino Kubistchek, Jânio Quadros e João Goulart.

Caça às bruxas

 

O presidente Jango foge para o Uruguai. Em 3 de abril de 1964, o presidente do Congresso, senador Moura Andrade, declara vaga a presidência da República.

O Congresso ganha poderes para escolher o novo presidente. Políticos são cassados, entre eles os ex-presidentes Juscelino Kubistchek, Jânio Quadros e João Goulart.

O marechal Humberto de Alencar Castello Branco toma posse em 15 de abril como presidente do Brasil. Ele permite a livre remessa de lucros ao exterior, intervém nos sindicatos e proíbe greves.

1968 - Ano da virada. Em 1968 intensifica-se a luta do movimento estudantil contra o regime militar.

1968 – Ano da virada. Em 1968 intensifica-se a luta do movimento estudantil contra o regime militar.

1968 – O ano da virada

 

Em 1968 intensifica-se a luta do movimento estudantil contra o regime militar. Em março, o estudante Edson Luiz é morto em confronto entre estudantes e policiais no Rio.

A morte deu ânimo aos protestos. Em 26 de junho, houve a Passeata dos 100 Mil, no Rio. O governo proíbe as manifestações de rua.

Em 13 de dezembro, o presidente Artur da Costa e Silva decreta o Ato Institucional Número 5. O AI-5 confere poderes extraordinários ao presidente, suspende garantias constitucionais e aumenta a perseguição aos opositores do regime.

CENSURA e prisão Após o golpe, as lideranças políticas, sindicais e estudantis foram aniquiladas por cassações, demissões, prisões, torturas e desaparecimentos

CENSURA e prisão
Após o golpe, as lideranças políticas, sindicais e estudantis foram aniquiladas por cassações, demissões, prisões, torturas e desaparecimentos. Viva o Pasquim!

Censura

 

Após o golpe, as lideranças políticas, sindicais e estudantis foram aniquiladas por cassações, demissões, prisões, torturas e desaparecimentos.

A censura dos militares forçava a criação de linguagens alternativas na imprensa, na música e nas artes.

Em dezembro de 1968, Gilberto Gil e Caetano Veloso são presos, ficando dois meses num quartel do Exército em Realengo, no Rio. Ao serem soltos, partem para um exílio voluntário em Londres.

Chico Buarque, que teve várias composições vetadas, parte para a Itália em 1969.

Anos de chumbo Na clandestinidade, a resistência recorre à luta armada. O Partido Comunista Brasileiro organiza uma guerrilha às margens do Rio Araguaia.

Anos de chumbo
Na clandestinidade, a resistência recorre à luta armada. O Partido Comunista Brasileiro organiza uma guerrilha às margens do Rio Araguaia.

Os Anos de Chumbo

 

Na clandestinidade, a resistência recorre à luta armada. O Partido Comunista Brasileiro organiza uma guerrilha às margens do Rio Araguaia.

Grupos de esquerda, como a Ação Libertadora Nacional (ALN) e o Movimento Revolucionário 8 de Outubro (MR-8), realizam assaltos a bancos e sequestros para financiar a guerrilha.

Setembro de 1969: O embaixador dos EUA no Brasil, Charles Elbrik, é capturado no Rio e em troca é exigida a libertação de 15 presos políticos e a divulgação de um manifesto.

O governo atende às reivindicações e três dias depois os 15 prisioneiros seguem para o México.

Milagre econômico Transamazônica, Itaipu, Ponte rio-Niterói - E o Tri da seleção brasileira

Milagre econômico
Transamazônica, Itaipu, Ponte rio-Niterói – E o Tri da seleção brasileira

Milagre econômico

 

Em outubro de 1969 assume a presidência Emílio Garrastazu Medici, consolidando a estrutura da repressão.

A luta armada é sufocada e centenas de militantes são presos, torturados e mortos. Muitos estão até hoje desaparecidos.

Enquanto isso, o Brasil tinha um crescimento econômico em torno de 7% ao ano financiado por dívidas contraídas no exterior.

Foi um tempo de obras faraônicas como a hidrelétrica de Itaipu, a rodovia Transamazônica e a ponte Rio-Niterói.

O tri do Brasil na Copa de 70 foi usado pelo governo militar numa campanha de marketing que ligava sua imagem às vitórias do futebol.

A direita contra-ataca Em 30 de abril de 1981, uma bomba que seria plantada durante um show do Dia do Trabalho, no Rio Centro

A direita contra-ataca
Em 30 de abril de 1981, uma bomba que seria plantada durante um show do Dia do Trabalho, no Rio Centro

A direita contra-ataca

 

Na “caça aos comunistas” a direita também passa a usar táticas de guerrilha. Atentados a bomba destruíram bancas de jornais que vendiam publicações consideradas de esquerda, notadamente, O Pasquim.

Em 30 de abril de 1981, uma bomba que seria plantada durante um show do Dia do Trabalho, no Rio Centro, explodiu no colo de um sargento, revelando o envolvimento do Exército na campanha do terror.

A esquerda começa a se reorganizar. O líder sindical Luiz Inácio da Silva funda o Partido dos Trabalhadores (PT), em 1980.

Diretas Já! Em agosto de 1979, o presidente João Figueiredo assina a Lei da Anistia e os exilados políticos começam a voltar ao Brasil.

Diretas Já!
Em agosto de 1979, o presidente João Figueiredo assina a Lei da Anistia e os exilados políticos começam a voltar ao Brasil.

Diretas Já!

 

No final dos anos 70, a sociedade pressionava para que os militares deixassem o poder.

Em agosto de 1979, o presidente João Figueiredo assina a Lei da Anistia e os exilados políticos começam a voltar ao Brasil.

A campanha das Diretas Já! exigindo eleições diretas para presidente se espalha pelo país. Em janeiro de 1985, o Congresso elege Tancredo Neves como primeiro presidente civil em 20 anos.

Tancredo adoece e o vice José Sarney toma posse. Tancredo falece um mês depois. São criados novos partidos e instaura-se a Assembleia Constituinte. Uma nova Constituição é promulgada em 1988.

Volta à democracia Após 25 anos, os brasileiros votam para presidente em eleições diretas. Fernando Collor de Mello (PRN) derrota Lula (PT) no segundo turno de eleições de 1989.

Volta à democracia
Após 25 anos, os brasileiros votam para presidente em eleições diretas.
Fernando Collor de Mello (PRN) derrota Lula (PT) no segundo turno de eleições de 1989.

Volta à democracia

 

Após 25 anos, os brasileiros votam para presidente em eleições diretas.

Fernando Collor de Mello (PRN) derrota Lula (PT) no segundo turno de eleições de 1989.

Dois meses depois, o Plano Collor confisca a poupança e taxa depósitos e aplicações financeiras. Em 1992, o irmão do presidente, Pedro Collor, revela um esquema de corrupção no governo.

No final do ano, o Congresso vota pela abertura do processo de impeachment de Collor, que renuncia em 29 de dezembro, antes de ser condenado.

Leia a Íntegra:

Linha do tempo: a ditadura

* Fonte: BBCBrasil/

Análise Política/Pernambuco: Quantos votos precisam para se eleger um Federal ou Estadual? Probabilidades *

probabilidades p dep federal e estadual MR março 14

Prospectando votações e chances de assunção ao Parlamento

No modelo brasileiro de lista aberta, onde o quociente eleitoral funciona como barreira de entrada ao Parlamento, as coligações proporcionais são permitidas, e nem sempre os mais votados são os eleitos, é muito difícil estimar qual é o número mínimo de votos que garante acesso às Casas Legislativas.

A cada eleição muitos fatores influenciam tal número, a exemplo de candidaturas de “puxadores de votos”. No famoso caso do Prona em 2012, em São Paulo, quatro candidatos do partido foram eleitos com menos de 700 votos para o Parlamento Federal, enquanto cinco postulantes de outras siglas, com mais de 100 mil votos, ficaram de fora.

Entretanto, à guisa de exercício prospectivo, ao invés de projetar quantidades específicas de votos, é mais aconselhável, até para minimizar erros de estimativa, simular algumas faixas numéricas de votação, associadas à chance de eleição de candidatos. Esta tentativa pode ser vista nas tabelas que acompanham o texto, confeccionadas tanto para deputado federal, quanto para deputado estadual.

Os limites das faixas de votação se baseam na média de votos dos parlamentares eleitos em 2010, no estado de Pernambuco. Como a média é muito influenciada pelos valores extremos, optou-se por excluir do cálculo as votações elevadas dos puxadores de votos (no conceito de votações individuais acima de quociente eleitoral), que pressionavam a média para cima.

Por este critério, então, foram descartadas cinco votações de deputados federais acima do quociente eleitoral (que foi de 178.008 votos em 2010) e três de deputados estaduais (quociente de 91.824 votos em 2010).

Assim, depois do expurgo, a média de votos dos deputados federais eleitos em 2010 ficou em 95.338 votos e a média dos deputados estaduais alcançou 44.302 votos. A menor votação e a votação intermediária das faixas foram ajustadas a partir desses valores médios.

Independentemente dos partidos ou coligações em que estão abrigados, candidatos com votações esperadas para deputado federal e estadual acima de 95.338 votos e de 44.302 votos, em respectivo, situados na faixa azul, podem considerar-se virtualmente eleitos.

A palavra virtualmente cabe aqui como precaução, para acomodar casos excepcionais. Exemplo: suponha-se que determinado partido resolva disputar o pleito de deputado federal isoladamente, e tenha nos seus quadros três fortes candidatos que obtenham 120 mil, 110 mil e 100 mil votos. Imagine-se, ainda, que o partido tenha 30 mil votos de cauda, de sorte que sua votação total é de 360 mil votos.

Com o quociente eleitoral estimado para 2014 em 185.239 votos, o partido garantiria vaga diretamente pelo quociente partidário para o candidato de 120 mil votos, ficaria com uma enorme sobra de votos para eleger por média o segundo mais votado, porém não elegeria o candidato de 100 mil votos, embora postado confortavelmente na faixa azul.

Candidatos com votações abaixo dos números médios referenciais da tabela têm diferentes chances de ascender ao Parlamento, a depender da faixa em que se situem.

São muito promissoras, por exemplo, as chances dos candidatos com votações que os credenciem a figurar dentro dos limites da faixa verde. Aquelas votações circunscritas à faixa amarela, embora fora da zona de conforto, ainda suscitam algum alento para postulantes de mediana densidade eleitoral.

Já as votações compreendidas na faixa vermelha dão pouquíssimas esperanças a uns reduzidos casos que ficarem nas proximidades dos pisos mostrados nas tabelas.

Neste último caso, mais uma vez, pode haver ocorrências extraordinárias: conceba-se uma coligação de partidos pequenos para deputado estadual com candidatos de baixa votação (o mais forte tem 10 mil votos, por exemplo). Se esta coligação conseguir ultrapassar o quociente eleitoral projetado para 2014, de 96.231 votos, o primeiro colocado é eleito com apenas 10 mil votos, não obstante esteja distante do limite da faixa vermelha.

Então, as situações projetadas nas tabelas referem-se a padrões normais, que independem de casos extremos.

Também não levam em consideração as composições diferenciadas de partidos ou coligações, em termos de candidaturas com maior ou menor densidade de votos. Por exemplo, um candidato com votação esperada para se situar na amplitude da faixa amarela tem muita chance de ser eleito por uma aliança com menos candidatos fortes, e pode não ser eleito numa em que predominam altas votações.

De qualquer forma, mesmo concebidas no terreno movediço da incerteza, as faixas de votação, se vistas com a devida cautela, podem servir de balizamento para contribuir com algumas discussões que se avolumam nesta fase de pré-convenções partidárias.

Maurício Romão

* Autor: Maurício Romão  -  Maurício Costa Romão é Master e Ph.D. em economia pela Universidade de Illinois, nos Estados Unidos, sendo autor de livros e de publicações em periódicos nacionais e internacionais. É consultor e cientista político.

Eleição 2014: Pesquisa CNI/Ibope – Dilma Cai 7 Pontos Percentuais *

Aprovação ao governo Dilma

cai sete pontos em março,

diz pesquisa Ibope

Esta foi a primeira queda na popularidade do governo desde setembro do ano passado, acedeu a luz amarela no governo.

Esta foi a primeira queda na popularidade do governo desde setembro do ano passado, acedeu a luz amarela no governo.

 

 

 

Percentual de quem acha governo ‘bom’ ou ‘ótimo’ caiu de 43% para 36%. Levantamento foi encomendado pela Confederação Nacional da Indústria

 

Logo - CNI.2JPGIBOPE

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) divulgou na manhã desta quinta-feira (27) os resultados da pesquisa de avaliação do governo da presidente Dilma Rousseff (PT) encomendada ao Ibope no mês de março. A aprovação de Dilma caiu 7% desde o último levantamento realizado em novembro. Esta é a primeira queda desde que a presidente retomou a popularidade após os protestos de junho do ano passado.

Segundo  a pesquisa Ibope a avaliação do governo Dilma caiu de 43% para 36% entre as duas pesquisas. Já os que consideram a administração da presidente ruim ou péssima passaram de 20% para 27%. O percentual dos que consideram a gestão regular permaneceu estável, indo de 35% para 36%. Este é o primeiro levantamento do tipo divulgado pelo Ibope em 2014, ano em que Dilma disputará a reeleição.

Leia a Pesquisa Completa:

http://www.slideshare.net/slideshow/embed_code/32809065#

O número dos brasileiros que confiam em Dilma também recuou: de 52% para 48%. Aumentaram de 21% para 28% o percentual daqueles que consideram que o final do governo será ruim ou péssimo. Os que acham que será ótimo ou bom caíram de 45% para 36%.

Dilma também perdeu popularidade em relação ao governo do ex-presidente Lula (PT). Hoje, 42% acham que a gestão dela é pior que a do antecessor. Em novembro, eram 36%. Outros 46% acreditam que as duas gestões são iguais.

A avaliação da presidente caiu entre todos os estratos de população avaliados. A queda foi mais intensa em municípios pequenos, com menos de 20 mil habitantes. O levantamento foi realizado com 2.002 pessoas entre os dias 14 e 17 deste mês em 141 municípios.

ECONOMIA – Dilma também perdeu avaliação em todas as nove áreas de atuação pesquisas. O descontentamento é maior na área econômica. De acordo com o Ibope, 71% dos brasileiros desaprovam o modo como o Planalto lida com a inflação e 57% não são favoráveis as políticas de emprego. Em novembro, esses dados eram de 63% e 49%.

O número dos brasileiros que confiam em Dilma também recuou: de 52% para 48%. Aumentaram de 21% para 28% o percentual daqueles que consideram que o final do governo será ruim ou péssimo. Os que acham que será ótimo ou bom caíram de 45% para 36%.

Dilma também perdeu popularidade em relação ao governo do ex-presidente Lula (PT). Hoje, 42% acham que a gestão dela é pior que a do antecessor. Em novembro, eram 36%. Outros 46% acreditam que as duas gestões são iguais.

A avaliação da presidente caiu entre todos os estratos de população avaliados. A queda foi mais intensa em municípios pequenos, com menos de 20 mil habitantes. O levantamento foi realizado com 2.002 pessoas entre os dias 14 e 17 deste mês em 141 municípios.

* Fonte: CNI/Ibope 

Crônica: “Os Inocentes” (Escândalos mal resolvidos) – Por Walter Jorge de Freitas *

“OS INOCENTES”

 

 

The_Innocents débora KerrRefinaria de Suape atual images-cms-image-000291511Banco-Ruralambulancias abandonadas

 

O mensalão, escândalo político que envolveu a cúpula do governo, teve como cenário uma sala bem próxima ao local de trabalho do presidente, mas ele não viu.

E ainda há quem ache que esse PAÍS tem futuro!!!

 

O título acima passa a impressão de que vou comentar um filme inglês produzido em 1961, estrelado pela premiadíssima atriz Deborah Kerr. Mas como falar sobre uma película cinematográfica que não assisti?

Pretendo, sim, tentar analisar algumas trapalhadas encenadas pelos nossos políticos, que poderiam ser transformadas em comédias se as suas consequências não fossem tão trágicas para as futuras gerações.

O mensalão, escândalo político que envolveu a cúpula do governo, teve como cenário uma sala bem próxima ao local de trabalho do presidente, mas ele não viu.

O Banco Rural, com sede em Minas Gerais e dirigido por gente da inteira confiança dos governantes de plantão, permitiu saques e transporte de milhões de reais em sacos e sacolas, sem que ninguém visse. Ainda bem, que depois de dez anos sendo a principal manchete nos veículos de comunicação daqui e de fora, o caso resultou na condenação e prisão de políticos, empresários e outras espécies de espertalhões.
O Ministério da Saúde andou “derrapando” ao adquirir ambulâncias por preços exorbitantes, episódio que ficou conhecido como “operação sanguessuga”.

Alguém se lembra de um acordo celebrado entre Lula e um espertinho chamado Hugo Chaves? Ele morreu sem nunca ter aplicado um centavo, mesmo considerando a Venezuela sócia da Refinaria Abreu e Lima. E tem mais: a obra ainda está bem longe de ser concluída enquanto que seus custos subiram que só foguetão em dia de comício.
Outro “negócio da China” foi a compra de uma refinaria americana chamada Pasadena por preço acima do seu valor real, transação que, segundo os entendidos, resultou num  prejuízo, superior a 1 bilhão de dólares, para o Brasil.

O espantoso endividamento da PETROBRÁS nos últimos anos vem ocupando consideráveis espaços nos jornais do Brasil e do exterior. E os gastos com as arenas e a realização da Copa do Mundo? Isto, saberemos depois do evento. Por enquanto, tudo está registrado em “confiáveis” rascunhos.

Todos esses trambiques aconteceram de 2003 para cá e contaram com a participação de figurões da república, cujo guia fez carreira arrotando santidade.

Mas, como a mentira tem pernas curtas e não existe mal que dure para sempre, aos poucos, a verdade está sendo exposta e as desculpas são as de sempre: Lula já disse mais de uma vez que não sabia. Dilma, sua aluna e seguidora, sem a menor cerimônia declarou que assinou os contratos sem ler. Achando pouco, justificou que os pareceres técnicos em que se baseou continham falhas.

No meu entender, procedimentos assim, abrem perigosos precedentes para que governadores e prefeitos “gastem os tubos” como se diz por aqui, e depois apresentem as mesmas justificativas. E os tribunais de contas nada poderão fazer já que perante a lei os políticos são todos iguais.

E ainda há quem ache que esse PAÍS tem futuro!!!

 

walter-J-Freitas II

 

 

- Pesqueira, 25 de março de 2014.

* – Autor: Walter Jorge de Freitas. Walter é pesqueirense, comerciante, professor, colaborador do OABELHUDO, cronista, poeta e pesquisar musical.

Crônica/História: Éramos uma Ilusão em 1964… *

 

Éramos uma ilusão em 64…

 

Passeata Femininaamanha vai-ser-outro-dia-faixa-da-passeata

A ideologia “revolucionária” era um ensopadinho feito de JK, Marx, Getúlio, Iseb e sonho

O golpe de 64 aconteceu porque nós não existíamos. Éramos uma ilusão. A esquerda era uma ilusão no Brasil (já imagino as “cerdas bravas do javali” se eriçando em alguns cangotes). Pois não existíamos em 64. Mas, existia o quê? Existia uma revolução verbal. A ideologia “revolucionária” era um ensopadinho feito de JK, Marx, Getúlio, Iseb e sonho. Existia uma ideologia que nos dava a sensação de que o “povo do Brasil marchava conosco”, um wishful thinking de que éramos o “ sal da terra”.

Havia a crendice de que nossos inimigos estavam todos “fora” de nós e fora das estruturas políticas arcaicas (até hoje é difícil arrancar isso de dentro das cucas fóbicas ). Existia um “bacalhau português” em nosso discurso, um forte ranço ibérico em nossa postiça ideologia “franco-alemã”: o amor ao abstrato, ao uno totalizante. A população nem sabia que existíamos. Não havia nenhuma base material, econômica ou armada, “condições objetivas” para qualquer revolução. Por trás de nossas utopias, o Brasil escravista e patrimonialista dormia a sono solto. Nós éramos uma esquerda imaginária, delegando ao Estado a tarefa de fazer uma revolução contra o Estado. Como sempre em nossa história, até nas revoluções precisamos do governo.

Havia apenas um sindicalismo de pelegos e dependentes do presidente, que deu a grande festa de 13 de março (o comício da Central, com tochas da Petrobras). Eu estava lá, olhando para Thereza Goulart, linda de vestido azul e coque anos 1960, e vendo depois, com calafrio na espinha, as velas acesas em protesto em todas as janelas da chamada classe média “reacionária” do Flamengo até Ipanema. Essa era a verdadeira “sociedade civil” que acordava. Hoje, acho que o único que sacava a zorra toda era o próprio Jango, o mais brasileiro, mais sábio e que preferiu o exílio, já que não pôde segurar o trem, entre os gritos de Darcy Ribeiro falando do “Brasil, nossa Roma tropical!”. Havia uma espécie de “substituição de importações dentro da alma”: a crença de que éramos “especiais” e de que podíamos prescindir do mundo real, fazendo uma revolução pela vontade mágica. Mas, existia o quê, de concreto?

Existiam os outros. Os “outros” surgiram do nada. Surgiram categorias esquecidas pelos “ideólogos”. O óbvio de nossa cultura pipocou do “nada” em 64. Fantasmas seculares refloriram. Surgiu uma classe média reacionária e burra, que sempre esteve ali. Surgiu um exército ignorante e submisso às exigências externas e repressivas da Guerra Fria na América Latina.
A sensação que eu tive foi de acordar de um sonho para um pesadelo. Um pesadelo feito de milicos grossos, burrice popular e pragmatismo de gringos do “mercado”. (Foi inesquecível o surgimento de Castelo Branco, feio como um ET de boné verde na capa do “O Cruzeiro”). Um pesadelo feito de realidade.

E agora, outra “heresia” (mais cerdas eriçadas): eu acho que 64 foi “bom” para nos acordar. Foi uma porrada necessária. 64 abriu cabeças. Aprendemos muito. Ficamos conhecendo a ignorância do povo (que idealizávamos); descobrimos que a resistência reacionária de minhas tias era igual à dos usineiros e banqueiros. Descobrimos a burocracia endêmica, a “burguesia” nacional adesista a qualquer grana externa (que achávamos “progressista”). Descobrimos o óbvio do mundo.

Foi o início de uma possível maturidade. Despertamos para a bruta mão do money market, que precisava nos emprestar dinheiro, para que o Estado pós-getulista-verde-oliva avalizasse a instalação das multinacionais aqui. Ou vocês acham que iam nos emprestar US$ 150 bilhões para o Jango fazer a reforma agrária com o Darcy? Aprisionaram-nos para contrairmos a dívida como, 20 anos depois, nos libertaram para pagá-la. 64 ensinou que o buraco é muito mais embaixo. Em 64, vimos que a esquerda tinha “princípios” e “fins”, mas não tinha “meios”.

Em 64, descobrimos que o mundo anda sozinho e independe de conspirações individuais. Claro que a CIA armou coisas com direitistas daqui, mas foram apenas os parteiros de um “desejo material da produção” no momento capitalista do mundo. Nossos paranoicos acham que o “neoliberalismo” é uma trama da IBM e da Microsoft em Washington.

1964 foi um show de materialismo histórico, ali, na bucha. Mas ibérico não gosta de ver estas coisas. E logo tapamos os olhos e nos consideramos as “vítimas” da ditadura, lutando só pela “liberdade” formal. E não enxergávamos que faltava liberdade “real” em nossas instituições políticas de 400 anos. Com 64, poderíamos ter descoberto que um país sem sociedade organizada morre na praia. E deveríamos ter descoberto que não adianta nada analisar os “erros” de nossa esquerda “revolucionária”. O conceito de “esquerda” no Brasil tem de ser repensado de novo, pois é impossível trancar a complexidade de nossa formação nacional numa falange unificada. 1964 devia nos lembrar que uma esquerda aqui tem de ser dialogal, atenta aos vícios culturais do país, complexa e libertada da “ganga impura” do patrimonialismo tradicional do Sarney ou do novo patrimonialismo de Estado que o PT inventou.

Como os EUA lutaram contra o racismo, Vietnã, direitos civis, temos de lutar dentro da democracia. Nossa formação nos condena à democracia. O tempo não para, e as forças produtivas do mundo continuarão agindo sobre nossa resistência colonial que o PT preserva.

Quando entenderemos que a verdadeira revolução brasileira tem de ser endógena, democrática, porque as instituições seculares são a causa de nosso atraso e fracasso? As velhas palavras de ordem continuam comandando o governo atual. O medo à “globalização neoliberal” (ah… palavras mágicas da hora…) desloca o alvo do problema: o verdadeiro inimigo de uma nova esquerda deve ser a velha estrutura oligárquica e e burocrática do país, alojada no bunker do Estado. E aí vai o terceiro eriçamento das “cerdas bravas do javali”: o Estado não é a solução; o Estado é o problema. Só um banho de “liberalismo” pode ajudar a sanear esta “bosta mental sul-americana”, como disse Oswald de Andrade.

 

Arnaldo Jabor

 

 

*Autor: Arnaldo Jabor – Jornalista, colunista e comentarista.

 

* Fonte: O Globo Cultural.http://oglobo.globo.com/cultura/eramos-uma-ilusao-em-64-11969934

Energia Elétrica: A CELPE é 11ª no Ranking das Piores Distribuidoras do país *

Aneel: Celpe é 11ª pior distribuidora do país

A Companhia Energética de Pernambuco (Celpe) registrou um dos piores níveis de qualidade do serviço no ano passado

A Companhia Energética de Pernambuco (Celpe) registrou um dos piores níveis de qualidade do serviço no ano passado

 

 

Para fazer o ranking, a Aneel leva em conta o tempo e a quantidade de vezes que o consumidor ficou sem luz no ano

A Companhia Energética de Pernambuco (Celpe) registrou um dos piores níveis de qualidade do serviço no ano passado, segundo ranking da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), divulgado nesta quarta-feira (26). Na lista das 35 maiores empresas do País, a Companhia ficou na 24ª posição.

Entre as concessionárias de maior porte, a melhor posição em termos de qualidade dos serviços prestados foi a Coelce, que atende o Ceará; seguida por CPFL Santa Cruz, que atua no interior de São Paulo. Em terceiro lugar, ficou a Cemar, no Maranhão, seguida por Energisa Paraíba e Energisa Minas Gerais. Na última posição está a Celg, seguida por Light, Celpa, Ceal e CEB.

A lista considera as empresas com mercado faturado anual maior que 1 Terawatt-hora (TWh). A que mais evoluiu foi a Bandeirante Energia, que ganhou nove posições em relação a 2012. A que mais piorou, por sua vez, foi a Caiuá Distribuição de Energia, que perdeu 12 posições. Ambas atuam no interior de São Paulo.

Para fazer o ranking, a Aneel leva em conta dois indicadores de desempenho que mostram o tempo e a quantidade de vezes que o consumidor ficou sem luz no ano. O DEC (duração equivalente de interrupção por unidade consumidora) indica o número de horas, em média, que o consumidor ficou sem energia. Já o FEC (frequência equivalente de interrupção por unidade consumidora) demonstra quantas vezes, em média, houve interrupção no fornecimento de energia no período.

Os limites são definidos pelo órgão regulador para cada distribuidora. Quanto pior a posição na lista, mais esses níveis foram violados. Desde o ano passado, a posição é um dos itens considerados na aplicação dos reajustes tarifários. Assim, quem tem desempenho pior obtém um reajuste menor, e quem tem mais qualidade obtém um reajuste maior.

Entre as 28 distribuidoras de menor porte (mercado igual ou inferior a 1 TWh), as melhores colocadas foram a Empresa Força e Luz João Cesa, que atua em Santa Catarina; Forcel, no Paraná; e Mux Energia, no Rio Grande do Sul. A que mais evoluiu no ano passado foi a Hidropan, no Rio Grande do Sul, com um avanço de 12 posições em comparação a 2012.

As piores foram a CEA, no Amapá; Eletrocar, no Rio Grande do Sul; e Ienergia, em Santa Catarina. A que mais piorou foi a CERR, em Roraima, com recuo de dez posições em comparação a 2012.

* Fonte:  Agência Estado

Brasil: APROVADO Projeto que destina 20% de vagas em Concursos Público para NEGROS *

Câmara aprova reserva de

20% de vagas para negros

em concursos públicos

Resultado da votação foi 314 votos a favor, 36 contra e 6 abstenções; a matéria vai para análise do Senado

Resultado da votação foi 314 votos a favor, 36 contra e 6 abstenções; a matéria vai para análise do Senado

Resultado da votação foi 314 votos a favor, 36 contra e 6 abstenções; a matéria vai para análise do Senado

O Plenário da Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira, 26, projeto que reserva 20% das vagas em concursos públicos da administração direta e indireta da União a candidatos negros que assim se declararem na inscrição. O resultado da votação foi de 314 votos a favor, 36 contra e 6 abstenções. A matéria vai para análise do Senado.

A reserva de vagas será aplicada sempre que o número de vagas oferecidas no concurso público for igual ou superior a três. De acordo com o texto, a reserva de vagas a candidatos negros deverá constar expressamente dos editais dos concursos públicos, que deverão especificar o total de vagas correspondentes à reserva para cada cargo ou emprego público oferecido. Poderão concorrer às vagas reservadas a candidatos negros aqueles que se autodeclararem pretos ou pardos no ato da inscrição no concurso público, conforme o quesito cor ou raça utilizado pela Fundação Instituto Brasileiro de Geografia Estatística (IBGE).

Durante a discussão do projeto na noite desta quarta-feira, 26, chegou a ser discutida a possibilidade de estender o mesmo percentual para os cargos comissionados do Executivo. A proposta, no entanto, não teve apoio e foi derrubada.

A discussão no plenário teve momentos mais acalorados, em que opositores e favoráveis ao estabelecimento dos porcentuais para negros se alternaram nos microfones. “São hipócritas, demagogos, quem defende o projeto”, afirmou tribuna o deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ). O deputado Silvio Costa (PSC-PE) também criticou. “Como é que a gente pode qualificar este País tendo a cor como bandeira? Isso é demagogia pura.”

Apesar das queixas, a maioria apoiou a votação da matéria. “As cotas dos não negros, nós, negros, sempre, convivemos com elas, porque nossos filhos não foram para a escola, para a universidade. Eles não tiveram nenhum cargo que nós pudéssemos achar que era digno do seu conhecimento. Essa é a cota com a qual nós convivemos“, afirmou Benedita da Silva (PT-RJ). “Nós vivemos num país onde a cor da pele discrimina, sim. Nós vivemos num país onde a grande maioria da população pobre é negra, onde as chances de disputa são menores, as chances de igualdade são menores”, acrescentou Jandira Feghali (PcdoB-RJ)

* Fonte: Agência Brasil

1964/Histórias Tenebrosas – Coronel Revela: “Quantos morreram? Tantos quanto foram necessários” *

 

“Quantos morreram?

Tantos quanto foram necessários”,

diz coronel sobre regime militar

Em depoimento de mais de duas horas, Paulo Malhães admitiu que torturou, matou e ocultou cadáveres

Em depoimento de mais de duas horas, Paulo Malhães admitiu que torturou, matou e ocultou cadáveres

Foi só quando o carro embicou no pátio do Arquivo Nacional, no Centro do Rio, e o corre-corre da imprensa se amontoando ao seu redor começou – “Chegou!” – que as dúvidas sobre se o coronel reformado Paulo Malhães de fato apareceria se dissiparam.

 

Aos 76 anos, Malhães foi carregado do carro para a cadeira de rodas que havia solicitado para comparecer à audiência pública da Comissão Nacional da Verdade (CNV), cercado de fotógrafos e cinegrafistas.

O ex-agente do Centro de Informações do Exército (CIE) chegou acompanhado da esposa, vestindo um terno bege e um óculos escuros de aro dourado – que fez um repórter ao meu lado comentar que parecia o ex-ditador líbio Muanmar Khadafi.

Outra repórter arriscou puxar uma entrevista – ‘Você não se arrepende?’ – gritou, mas a cadeira de rodas era empurrada às pressas para a sala de depoimento, que seria fechada à imprensa. Malhães nem olhou para trás.

Desde que a CNV foi criada, em maio de 2012, apenas quatro agentes da ditadura haviam aparecido nas convocações para depor em audiência pública, e apenas dois haviam confirmado a prática, ou a existência, de tortura.

Malhães se tornou o quinto a depor e o primeiro a admitir a participação em tantos crimes.

Em depoimento que durou mais de duas horas, ele confirmou que torturou, matou e ocultou cadáveres de presos políticos na ditadura militar.

Casa da Morte

Na audiência pública, a CNV apresentou o que se sabe sobre a Casa da Morte de Petrópolis, um centro clandestino mantido pelo regime militar no início da década de 1970.

Malhães era um dos agentes ativos no centro de tortura – cujo nome vem da fama de que ninguém saía dali vivo. A única sobrevivente é Inês Etienne Romeu, presa e torturada por seis meses em 1971.

Argumentou que hoje as pessoas não conseguem entender quais eram os problemas enfrentados, e que a verdade precisa ser ‘informada’.

“Quantos morreram? Tantos quanto foram necessários.”

‘Não sou sentimental’

Dias e Cardoso faziam uma pergunta atrás da outra, muitas vezes cortando suas respostas pela metade. Malhães esboçou alguma impaciência mas permaneceu calmo, sempre tratando-nos por ‘senhores’.

Guerrilheiras mulheres, ele disse que via como se fossem homens. Mas ‘eu tinha verdadeiro pavor de interrogar as mulheres e, vamos dizer, gays, para não usar a palavra que se usava naquele tempo.’

Isso porque mulheres ou homossexuais, segundo o coronel, preferiam morrer a revelar os nomes dos amantes ou maridos. Já os homens falariam depois de duas ou três horas. ‘Você ‘ganhar’ uma mulher é uma coisa, assim, de outro mundo’, disse, sem precisar a que método de interrogatório se referia.

Culpa

Ao fim do depoimento, depois de confirmar seus crimes, Malhães foi empurrado na cadeira de rodas de volta para o carro, de volta para a rua, de volta para casa.

Mas deixou entrever o calvário pelo qual sua família começa a passar após ter começado a tornar públicos seus crimes.

Quando Dias insistiu para que falasse sobre os corpos que descaracterizava, ele se negou a informar quem ele havia ‘feito’. Disse não ter medo de vingança, mas de sanções aos seus filhos.

‘Seus filhos não têm culpa do pai que têm’, disse Dias.

‘É. Também concordo. Mas isso não é verdade. Eu tenho cinco filhos e oito netos. Com essas reportagens que saíram, eles estão sofrendo sanções’.

‘Mas sofreriam mais se soubessem – ‘meu pai cortou os dedos e cortou o pescoço de fulano de tal‘, ou então de uma pessoa cujo nome eles não sabem? Que diferença faz?‘, insistiu Dias.

‘Muita. Essa pessoa também têm família.’

Leia a Íntegra:

 

 

* Fonte: BBCBrasil no Rio de Janeiro  -  Júlia Dias Carneiro

Operação Lava Jato: Movimentação financeira de 90 mi do doleiro é o Mapa da Mina *

POLÍCIA FEDERAL

PF descobre movimentação

de R$ 90 mi em contas de

doleiro alvo da Operação Lava Jato

 

Muito dinheiro e pouca explicação.

Muito dinheiro e pouca explicação.

Quebra de sigilo bancário mostra fluxo intenso no caixa de Alberto Youssef, suspeito de negócios ilícitos na Saúde e na Petrobrás

A Polícia Federal descobriu que uma empresa de “consultoria” controlada pelo doleiro Alberto Youssef, alvo da Operação Lava Jato, movimentou quase R$ 90 milhões entre 2009 e 2013. A PF suspeita que parte desses valores foi utilizada para pagamento de propinas para agentes públicos corrompidos por Youssef.

A descoberta sobre o fluxo milionário do caixa do doleiro ocorreu após análise da quebra de sigilo bancário da MO Consultoria e Laudos Estatísticos, que Youssef criou para captar valores de ‘clientes’ empresários, segundo a PF.

A Lava Jato foi desencadeada há 10 dias para desmontar sofisticado esquema de lavagem de dinheiro que atingiu o montante de R$ 10 bilhões. A investigação mostra as digitais de Youssef em negócios sob suspeita do Ministério da Saúde e da Petrobrás.
Youssef é um antigo conhecido da Justiça Federal. Nos anos 1990 ele foi protagonista do escândalo Banestado, evasão de US$ 30 bilhões. Na ocasião, ele fez delação premiada e contou parte do que sabia.

A Lava Jato o flagrou agora em ação novamente. Ele teria pago propinas para o ex-diretor de Abastecimento da Petrobrás, Paulo Roberto Costa. A PF constatou que o doleiro presenteou o executivo com uma Land Rover Evoque, de R$ 250 mil. As ‘comissões’ para Paulo Roberto Costa e outros suspeitos podem ter chegado a quase R$ 8 milhões.

A PF interceptou mensagem de correio eletrônico enviada pela gerente financeira de uma empresa, que encaminha planilha de pagamentos de “comissões”, em valores vultosos – total de R$ 7.950.294,23 -, com indicação, no campo fornecedor, das siglas MO e GFD.

Segundo a PF, a GFD Investimentos e a MO Consultoria “são empresas controladas por Alberto Youssef, que as colocou em nome de pessoas interpostas e são por ele utilizadas para ocultação de patrimônio e movimentação financeira relacionada às operações de câmbio no mercado negro”.
O laudo pericial número 190/2014 “permite um panorama financeiro das movimentações da MO Consultoria”.
A planilha intitulada “valores movimentados por ano nas contas do investigado (Youssef)” revela o intenso fluxo.
Em 5 anos (2009/2013) as contas do doleiro movimentaram exatamente R$ 89,73 milhões.

O melhor resultado foi em 2011, com giro de R$ 43,78 milhões, entre créditos e débitos. Em 2013, porém, a movimentação despencou para R$ 504,9 mil – os investigadores suspeitam que Youssef canalizou os recursos para outra instituição, ainda não identificada.

A tabela 6 do laudo 190/2014 indica os principais remetentes identificados, agrupados, de créditos nas contas de Youssef. São 20 pessoas jurídicas, entre as quais algumas das maiores empreiteiras do País e empresas de engenharia, que despontam como “fonte pagadora” da MO Consultoria.

A Sanko Sider Comércio, Importação e Exportação de Produtos Siderúrgicos Ltda, que atua no ramo de tubos de aço, aparece em primeiro lugar com 57 aportes nas contas da MO Consultoria totalizando R$ 24,11 milhões naquele período. A reportagem não localizou nenhum representante da Sanko para se manifestar sobre as relações da empresa com a MO Consultoria.

Leia Mais:

Veja parte do documento da PF:

Veja também:

* Fonte: Estadão/Fausto Macedo

Brasil: Deputados APROVAM o Marco Civil da Internet em Votação unânime *

Câmara aprova Marco

Civil da Internet

 

 

Votação do Marco Civil da Internet -   deputados aprovaram o texto em votação simbólica.

Votação do Marco Civil da Internet – deputados aprovaram o texto em votação simbólica.

Após cinco meses de polêmica e intensos debates, a Câmara aprovou hoje (25) o projeto do Marco Civil da Internet (PL 2126/11). Os deputados aprovaram o texto em votação simbólica. Desde 28 de outubro de 2013, o projeto passou a trancar a pauta da Câmara.

O projeto define os direitos e deveres de usuários e provedores de serviços de conexão e aplicativos na internet. A aprovação abre caminho para que os internautas brasileiros possam ter garantido o direito à privacidade e à não discriminação do tráfego de conteúdos. O texto agora segue para o Senado e, caso seja aprovado lá também, deverá ir para sanção presidencial.

“Hoje em dia precisamos de lei para proteger a essência da internet que está ameaçada por praticadas de mercado e, até mesmo, de governo. Assim, precisamos garantir regras para que a liberdade na rede seja garantida“, disse o relator do projeto deputado Alessandro Molon (PT-RJ).

Antes da votação, um grupo de manifestantes entregou ao presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), uma petição com mais de 340 mil assinaturas a favor do Marco Civil da Internet. Na ocasião, Alves disse que o projeto já estava          “amadurecido” para ir à votação.

Entre os principais pontos da proposta estão: a garantia do direito à privacidade dos usuários, especialmente à inviolabilidade e ao sigilo de suas comunicações pela internet. Atualmente, as informações são usadas livremente por empresas que vendem esses dados para o setores de marketing ou vendas.

Agora, os provedores não poderão fornecer a terceiros as informações dos usuários, a não ser que haja consentimento do internauta; os registros constantes de sites de buscas, os e-mails, entre outros dados, só poderão ser armazenados por seis meses. O projeto também define os casos em que a Justiça pode requisitar registros de acesso à rede e a comunicações de usuários.

De acordo com o texto, as empresas não vão poder limitar o acesso a certos conteúdos ou cobrar preços diferenciados para cada tipo de serviço prestado.

Antes da votação, o governo recuou e aceitou alterar alguns pontos considerados polêmicos por parlamentares da oposição e da base aliada. O principal deles é o princípio da neutralidade de rede que assegura a não discriminação do tráfego de conteúdos. Após negociação os deputados acordaram que a regulamentação deste trecho da lei caberá a um decreto da Presidência da República, depois de consulta à Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e ao Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI)

Também caiu a obrigatoriedade das empresas provedoras de conexão e aplicações de internet manterem em território nacional estrutura de armazenamento de dados, os chamados datacenters.

A obrigatoriedade havia sido incluída após as denúncias de espionagem do governo brasileiro, por parte dos Estados Unidos, revelados pelo ex-consultor que prestava serviços à Agência Nacional de Segurança (NSA, na sigla em inglês) norte-americana, Edward Snowden. Como forma de punição para a violação das comunicações, ficou assegurado no texto que deverá ser “obrigatoriamente respeitada a legislação brasileira”.

“Felizmente, o governo recuou e o relator acatou a sugestão da oposição e retirou do texto a obrigatoriedade de datacenters no território brasileiro”, disse o líder do DEM, Mendonça Filho (PE).

Outro ponto do projeto é o que isenta os provedores de conexão à internet de serem responsabilizados civilmente por danos decorrentes de conteúdos gerados por terceiros. Isso só ocorrerá se, após ordem judicial específica, o provedor não tomar as providências para retirar o conteúdo da rede.

Nesses casos, o projeto determina que a retirada de material com cenas de sexo ou nudez deve ocorrer a partir de apresentação pela pessoa vítima da violação de intimidade e não pelo ofendido, o que poderia dar interpretação de que qualquer pessoa ofendida poderia pedir a retirada do material. Agora, a retirada deverá ser feita a partir de ordem judicial.

Além disso, o relator também incluiu um artigo para prever que os pais possam escolher e usar programas de controle na internet para evitar o acesso de crianças e adolescentes a conteúdo inadequado para a idade. “O usuário terá a opção de livre escolha da utilização de controle parental em seu terminal e caberá ao Poder Público em conjunto com os provedores de conexão a definição de aplicativos para realizar este controle e a definição de boas práticas de inclusão digital de crianças e adolescentes”, discursou Molon.

Após diversas negociações, o governo conseguiu com que os partidos contrários ao marco civil mudassem de ideia. O PPS foi o único partido que votou contra o projeto. O PMDB que era contra a proposta, mudou de opinião e defendeu a aprovação. “Continuo com uma parte do receio de que a internet chegou onde chegou por falta de regulação“, disse o líder do partido na Casa, Eduardo Cunha (RJ), que justificou a mudança de postura como fruto de negociações do governo e da alteração de pontos considerados polêmicos no texto. “O PMDB vai se posicionar favoravelmente ao projeto”, completou.

A aprovação do Marco Civil da Internet foi vista como uma vitória pelo líder do governo na Câmara, Arlindo Chinaglia (PT-SP). “Eu acho que é uma vitória porque nós vivemos momentos variados, o mínimo que eu posso dizer sobre esta matéria é que houve tensões. A paciência e determinação em buscar através de um diálogo independente de quem quer que seja, isso é uma grande vitória”, disse Chinaglia.

* Fonte: Agência Brasil

1964: O Que a História Registra 1 *

A queda da democracia

Posse de Castelo Branco - O que seria transitório virou permanente

Posse de Castelo Branco – O que seria transitório virou permanente

Foi um começo de ano marcado por radicalização, agitações e instabilidade, ainda enquanto não se haviam dissipado, no ambiente político conturbado, os efeitos dos conflitos e manifestações de meses antes. Comícios e passeatas atraíam multidões, a favor e contra o governo. Intensificavam-se as articulações para a disputa presidencial que se aproximava. Mas a disputa jamais teria lugar. Quando, em 13 de março de 1964, o Rio parou para um comício em que o presidente João Goulart discursaria, seria difícil imaginar que em semanas o país estaria mergulhado em uma ditadura que, ao longo de 21 anos, cassou políticos, perseguiu adversários, torturou, assassinou e censurou.

Passados 50 anos, o país mergulha fundo na memória do período ditatorial. As publicações sobre a época são abundantes e os debates, intensos e disseminados, num movimento amplificado de análise e interpretação das origens e fatos do tempo da ditadura.

Nos últimos anos, tornou-se comum, entre historiadores, a opção por denominar tanto o golpe de 1964 quanto o regime autoritário que se seguiu como de caráter civil-militar – não só militar. O objetivo é realçar a participação de forças políticas e o apoio de grandes grupos econômicos à conspiração contra Goulart. Para Jorge Ferreira, que em parceria com Angela de Castro Gomes escreveu “1964: O Golpe que Derrubou um Presidente, Pôs Fim ao Regime Democrático e Instituiu uma Ditadura no Brasil” (Civilização Brasileira), “o golpe foi militar, mas teve ampla participação da sociedade: empresários, meios de comunicação, políticos, setores médios. Se o golpe claramente foi uma operação militar, teve sucesso graças ao amplo apoio civil”.

Os governadores de São Paulo, Adhemar de Barros; da Guanabara, Carlos Lacerda; e de Minas Gerais, Magalhães Pinto, colocaram suas polícias em ação. O presidente do Congresso Nacional, Auro de Moura Andrade, declarou vaga a Presidência da República quando Goulart ainda estava em território brasileiro. O Supremo Tribunal Federal, diz Ferreira, omitiu-se. Meios de comunicação celebraram o golpe, como se viu em dois editoriais do jornal carioca “Correio da Manhã” nos últimos dias da democracia, intitulados “Basta!” e “Fora!” A classe média se manifestou: em São Paulo, a Marcha da Família com Deus, pela Liberdade tomou as ruas em 19 de março, com milhares de participantes execrando um suposto perigo comunista encarnado pelo governo de Goulart. A marcha marcada para o dia 2 de abril no Rio acabou ocorrendo depois do golpe, rebatizada Marcha da Vitória.

“Há revisões em curso sobre o período, que ora convergem, ora divergem”, afirma o historiador Marcos Napolitano, da Universidade de São Paulo (USP), que publicou neste ano “1964: História do Regime Militar Brasileiro” (Contexto). “Se, por um lado, a ideia de ditadura civil-militar procura enfatizar o protagonismo civil no golpe e no regime, evitando o papel da ‘sociedade vítima’ do Estado, por outro, há uma tendência para reduzir a ‘ditadura’ aos anos de violência policial mais direta sobre a oposição política e a classe média.”

renuncia de janio quadros queda da democracia

“Acho muito importante deixar claro que o golpe de 1964 aconteceu, mas poderia não ter acontecido“, afirma Ferreira. “Vários indivíduos e instituições fizeram escolhas que acreditavam ser controláveis e previsíveis, mas acabaram se revelando completamente incontroláveis.” O historiador se reporta ao fato de que o período democrático vivido pelo Brasil entre 1946 e 1964 costuma ser analisado como próprio de um sistema instável e condenado de antemão ao fracasso. Mas essa avaliação decorre de uma visão em retrospecto, que analisa uma realidade pelo seu fim. Apesar de tentativas de golpe em 1951, 1955 e 1961, Ferreira considera que a democracia brasileira do período pós-Vargas tinha qualidades que ficaram esquecidas.

“Essa primeira experiência brasileira com democracia liberal representativa vinha se firmando a passos largos”, afirma. Ferreira cita os pontos positivos. “Todo o calendário eleitoral foi cumprido. Todas as eleições foram realizadas. Todos os eleitos tomaram posse. Havia grande participação da população nas eleições e existiam partidos com identidade própria, com perfil político-ideológico definido. E mais: fidelização do eleitorado. Diferentemente do que ocorre hoje, havia fidelidade dos eleitores à linha ideológica dos partidos.

A historiadora Miriam Dolhnikoff e a socióloga Angela Alonso organizam um seminário, em parceria com o Sesc, que debate as origens e o legado do regime militar. Pesquisadoras do Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (Cebrap), elas deitam o olhar sobre o golpe em perspectiva panorâmica, que examina desde o governo de Goulart, iniciado em 1961, até a atualidade, a redemocratização nos anos 1980 e a investigação de violações dos direitos humanos durante o regime autoritário, com a Comissão Nacional da Verdade – com destaque para o fato de que o impacto de um episódio traumático como um golpe de Estado e uma ditadura vai além da política, atingindo manifestações culturais, a produção intelectual e acadêmica e o cotidiano da população. Todos esses são temas de mesas de debate do evento, que começou em São Paulo nesta semana e se encerrará no dia 25, com depoimentos do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, do sociólogo Francisco de Oliveira e do filósofo José Artur Giannotti.

O Cebrap [fundado em 1969] é fruto da ditadura: foi criado por professores universitários aposentados compulsoriamente”, diz Miriam. A historiadora avalia que o governo militar provavelmente não impediu a criação do centro porque sua prioridade era afastar os professores dos estudantes, pois poderiam ser inspiradores de contestação e mobilização. “Mas um centro de pesquisa não parecia ser algo muito ameaçador”, conclui. Ainda assim, a primeira sede do instituto de pesquisa, na rua Bahia, em São Paulo, foi alvo de um atentado a bomba praticado por desconhecidos.

Universidades sofreram com aposentadorias forçadas e demissões de professores, em duas ondas, conforme pesquisa do historiador Rodrigo Patto Sá Motta, da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). A primeira foi em 1964, após a derrubada de Goulart. A segunda foi em 1969, em seguida à promulgação do Ato Institucional 5 (AI-5), em dezembro de 1968. Foram revogados dispositivos que garantiam a estabilidade dos servidores públicos e, com isso, “o governo se armou de um aparato jurídico que permitia demitir e aposentar qualquer professor que quisesse”, diz Motta, que publicou o livro “As Universidades e o Regime Militar” (Zahar).

Mesmo naquele período repressivo, houve tentativas de resistir ou contornar as determinações do governo em diversas universidades, seja negociando para proteger professores que as reitorias consideravam indispensáveis por sua capacidade acadêmica, seja criando institutos fora das universidades, a exemplo do Cebrap. “Houve uma protelação, uma resistência passiva. Alguns atos punitivos acabaram não saindo e os órgãos de repressão ficaram frustrados, porque queriam um expurgo maior”, afirma Motta. A escolha dos professores a serem expurgados estava a cargo de um órgão obscuro, a Comissão de Investigação Sumária do Ministério da Educação e Cultura (Cismec), encabeçada por Jorge Boaventura de Souza e Silva, que, na juventude, havia sido militante integralista.

Em seguida aos expurgos, todo o sistema universitário brasileiro foi reformulado, em parte, seguindo um acordo fechado entre o regime militar, através do então Ministério da Educação e Cultura (MEC), e o governo americano, através da Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (Usaid, na sigla em inglês). O sistema de pós-graduação brasileiro data desse período e o sistema de créditos também. O acordo MEC-Usaid, porém, não foi aplicado integralmente, por efeito da pressão da opinião pública. “Mesmo em uma ditadura, a opinião pública era capaz de forçar o governo a não renovar um acordo como esse”, comenta Motta. Em 1979, com a Lei de Anistia, os professores expurgados puderam escolher se voltariam ao trabalho ou se contariam o período do expurgo para cálculo de aposentadoria. Motta calcula que cada opção foi escolhida por aproximadamente metade dos demitidos.

(Continua na postagem seguinte)

* Fonte: Valor Econômico

1964: O Que a História Registra – (A Queda da Democracia – Final) *

A queda da democracia

 cronologia do golpe 1964 arte14cul-403-abre-d4

A memória da ditadura é cada vez mais presente no debate público brasileiro, sobretudo desde a instituição da Comissão da Verdade, em 2012, que colhe depoimentos de vítimas de tortura e familiares de desaparecidos políticos e deverá produzir um relatório final até 16 de dezembro. Comissões estaduais, municipais ou ligadas a universidades foram instaladas em seguida. Enquanto isso, ativistas em diversas cidades pressionam pela mudança de nomes de ruas e logradouros públicos que homenageiam personagens centrais do período autoritário.

Elementos do dia a dia político brasileiro são frequentemente associados a resquícios do período autoritário, como o poder de legislação nas mãos do Executivo (por meio de medidas provisórias) e a divisão das polícias estaduais entre civil e militar. Para Napolitano, “se existem fantasmas da ditadura, estão concentrados em alguns legados que não conseguimos superar, como na área de segurança pública, na qual impera uma visão militarizada de controle social do crime”.

Argentina e Uruguai, que também passaram por períodos de ditadura, já haviam instalado seus órgãos de apuração e punido responsáveis por atrocidades patrocinadas pelo Estado quando o Brasil criou sua Comissão Nacional da Verdade, em 2011. Para Miriam, a instalação tardia da comissão brasileira resulta do processo de redemocratização do país, obtida graças a um acordo com os militares. “O simples fato de existir a comissão é da maior importância, porque é indispensável que o Estado reconheça os crimes que cometeu”, afirma Angela Alonso.

Há também uma reavaliação da figura de João Goulart, que entrou para a história como um presidente vacilante e influenciável. Sua queda, como é mais comum ouvir, teria resultado da incapacidade de controlar a radicalização da esquerda, comandada por Leonel Brizola, então deputado federal, ou da vacilação em levar adiante tanto o projeto de reforma agrária quanto o plano trienal formulado pelo economista Celso Furtado e pelo ministro da Fazenda, San Tiago Dantas, que deveria estabilizar a economia e abrir caminho para reformas estruturais. Retratos mais nuançados mostram um Jango conciliador e inclinado a longas negociações, que, no fim, presidiu com dificuldades um país radicalizado e sucumbiu à intransigência de seus opositores.

Napolitano evoca uma frase de Darcy Ribeiro, chefe da Casa Civil de Jango, segundo a qual o presidente caiu mais por suas virtudes do que por seus defeitos. Entre essas virtudes estaria o esforço por mudar a pauta política brasileira, “questionando dois eixos fundamentais da nossa exclusão secular: as restrições à posse de terra e ao direito do voto”. Jango teria sido um presidente que tentava reformar o capitalismo brasileiro, “um projeto muito ambicioso para seu perfil moderado e para a difícil conjuntura econômica e política”, em plena Guerra Fria.

Para Ferreira, autor de uma biografia de Goulart publicada pela editora Civilização Brasileira, Jango cometeu dois grandes erros, que comprometeram seu governo. O primeiro foi o abandono do Plano Trienal, cuja primeira etapa incluía aumento de juros e cortes de subsídios. Na segunda etapa, o crescimento seria retomado com a reforma da posse fundiária. Goulart não resistiu às pressões dos sindicatos e dos empresários, afetados, respectivamente, pelo arrocho salarial e pelo aperto no crédito. O segundo erro ocorreu em 1963, quando os movimentos sindical e estudantil já tomavam as ruas e as forças da direita conspiravam. San Tiago Dantas percebeu os riscos da radicalização e propôs a formação de uma Frente Progressista, reunindo o PSD (Partido Social Democrático, centrista) e a ala moderada do PTB (Partido Trabalhista Brasileiro, de esquerda), para dar apoio a Jango. Brizola formou a Frente Única de Esquerda, que incluía o CGT (Comando Geral dos Trabalhadores) e o PCB (Partido Comunista Brasileiro). “Ao comparecer ao comício na Central do Brasil, Jango demonstrou que tinha fechado com Brizola. Ele sela publicamente essa aliança”, diz Ferreira. “Essa foi a senha para as direitas partirem para o golpe.”

Jango e Tancredo foto14cul-404-abre-d4

Goulart poderia ter cumprido seu mandato, não fosse a precipitação de uma série de eventos, que contaram com a participação de lideranças intransigentes à esquerda e à direita, financiamento estrangeiro e escolhas equivocadas. Ele presidiu de fato a partir de janeiro de 1963. Em 1961, quando Jânio Quadros renunciou à Presidência, Goulart, que era vice-presidente e estava em visita oficial à China, pôde assumir com o apoio da Campanha da Legalidade, liderada por seu cunhado, Brizola, que governava o Rio Grande do Sul. Às pressas, o Congresso aprovou emenda constitucional que instituiu o regime parlamentarista, evitando o risco iminente de guerra civil. Em janeiro de 1963, um plebiscito para decidir se prosseguiria o parlamentarismo ou voltaria o presidencialismo terminou com 82% dos votos para a segunda opção.

Anunciado em dezembro de 1962, o Plano Trienal estaria no centro dos debates no Congresso nos meses seguintes. Jango desistiria de medidas de austeridade então propostas, com o que, se atendia a pressões de seus aliados à esquerda, sobretudo os sindicalistas, o fez perder o apoio de parte significativa das lideranças empresariais. Mesmo o governo de John Kennedy era simpático a Goulart, no início.

Uma revolta de sargentos, em setembro de 1963, impedidos pelo Judiciário de se candidatar a cargos legislativos (assim como suboficiais e cabos), colocou a cúpula militar em alerta. O impasse que envolvia os principais partidos da base governista, PTB e PSD, nos debates sobre a proposta de reforma agrária do governo era engrossado pela disputa de influência, na mesma discussão, por militares abaixo do oficialato, sindicalistas e estudantes. Com a aproximação das eleições de 1965, os possíveis candidatos a ocupar a cadeira presidencial – Juscelino Kubitschek, Carlos Lacerda e Magalhães Pinto -tinham pouco interesse em fortalecer o presidente.

Na espiral de radicalização, destacava-se Carlos Lacerda, governador da Guanabara (Estado que abarcava o atual município do Rio de Janeiro), personagem de relevo entre os civis que se envolveram na trama anti-Goulart. Lacerda tinha ambições presidenciais, mas passou para a oposição quando o regime militar suspendeu as eleições. Em 1966, com Juscelino e Goulart, formou a chamada Frente Ampla, de oposição ao regime, extinta em abril de 1968 por portaria do ministro da Justiça, Luís Antônio da Gama e Silva.

Na esquerda, Brizola, então deputado federal pela Guanabara, tentava capitalizar o prestígio adquirido à frente da Cadeia da Legalidade, movimento de resistência que, como governador do Rio Grande do Sul, organizara para garantir a posse de Jango em 1961 – com o qual contribuiu para que, afinal, se fizesse o plebiscito. Depois do golpe, tentou organizar a resistência armada no Sul, mas Jango preferiu evitar um provável derramamento de sangue. Brizola exilou-se no Uruguai, para onde Goulart já partira. Voltou ao Brasil em 1979, e elegeu-se duas vezes governador do Rio.

Após o Brasil recusar-se a participar de um ataque a Cuba, como queriam os Estados Unidos, durante a chamada crise dos mísseis, em 1962, Washington passou a financiar a oposição a Goulart, por meio de organizações como o Ibade (Instituto Brasileiro de Ação Democrática). Com a chegada de Lyndon Johnson ao poder, passou-se à pura incitação ao golpe, que culminou com o envio de uma força-tarefa naval para as proximidades de Santos, com a missão de garantir sustentação aos insurretos em caso de reação do governo. Mas o general Olímpio Mourão Filho pôs suas tropas em movimento na noite de 31 de março, de Minas para o Rio, antes do combinado com outros líderes da conspiração. Os navios americanos deram meia-volta. O golpe se consumava.

Leia também:

Almino Affonso: A história de quem perdeu

A ditadura na estante

* Fonte: Valor Econômico

Abastecimento/Arcoverde: Chegam os Tubos para a Conclusão da Adutora do Jatobá *

TUBOS PARA OBRAS DA ADUTORA

DO JATOBÁ, EM ARCOVERDE,

CHEGAM A SUAPE

 

17 mil metros de tubos de 400 mm de diâmetro que serão utilizados na última etapa do empreendimento

17 mil metros de tubos de 400 mm de diâmetro que serão utilizados na última etapa do empreendimento

O ramal levará água da bateria de poços do Frutuoso, em Ibimirim, à cidade de Arcoverde, que está enfrentando um rodízio rigoroso devido ao colapso dos mananciais. Atualmente, a barragem do Riacho do Pau está apenas com 2% de sua capacidade.

A previsão é que, na segunda quinzena de abril, o reforço do abastecimento já esteja sendo feito pela nova adutora.

As obras de duplicação da Adutora do Jatobá, em Arcoverde, no Sertão do Estado, estão entrando na reta final. Nesta segunda-feira (24), chegaram ao Porto de Suape, em Ipojuca, mais 17 mil metros de tubos de 400 mm de diâmetro que serão utilizados na última etapa do empreendimento. O lote é proveniente da Espanha e representa o sexto carregamento vindo do exterior apenas para atender a demanda de obras de infraestrutura hídrica tocadas pela Compesa.

A Adutora do Jatobá é um empreendimento de R$ 40,8 milhões que está na fase final de execução. São 74 quilômetros de tubos de ferro fundido que estão sendo assentados ao lado da antiga adutora, ao longo das BRs 232 e 110. O ramal levará água da bateria de poços do Frutuoso, em Ibimirim, à cidade de Arcoverde, que está enfrentando um rodízio rigoroso devido ao colapso dos mananciais. Atualmente, a barragem do Riacho do Pau está apenas com 2% de sua capacidade.

Com a chegada desse carregamento vindo da Espanha, será possível concluir a duplicação do ramal e levar mais água para 67 mil pessoas em Arcoverde. A previsão é que, na segunda quinzena de abril, o reforço do abastecimento já esteja sendo feito pela nova adutora.

A Compesa está importanto tubos da Alemanha e da Espanha devido a escassez no mercado nacional

A Compesa está importando tubos da Alemanha e da Espanha devido a escassez no mercado nacional

Dois poços foram perfurados para complementar o abastecimento, além dos três do antigo sistema. Juntos, os cinco poços terão capacidade para produzir 200 litros de água por segundo. Parte dessa produção já está sendo transportada pela adutora antiga, mas é preciso que o trecho duplicado comece a operar para haver um incremento real na oferta de água.

Com a conclusão da nova linha, a Compesa espera suprir 50% da demanda por água em Arcoverde, possibilitando uma melhoria no calendário de abastecimento do município. Atualmente, Arcoverde vem utilizando a água restante da barragem de Riacho do Pau e de 50 caixas d’água que são abastecidas por carros-pipa.

Trazer tubos de fora do país foi uma alternativa encontrada pela Compesa para não desacelerar o ritmo de obras consideradas prioritárias, como é o caso da Adutora do Jatobá e da Adutora do Agreste, que tem a cidade sertaneja como ponto de partida. Para esta obra, já chegaram tubos vindos da Espanha e da Alemanha, em virtude da escassez desse material no mercado nacional.

* Fonte: Portal Compesa

Crônica/Homenagem:O PFC/Águia do Agreste Garantiu 2015 – Por Francisco Aquino *

escudo do Pesqueira ORIGINAL

A ÁGUIA DO AGRESTE QUE ENCANTA E VOA ALTO

 

 

O sonho se tornou real depois de lutas travadas com determinação.

 

 

Jogadores que brilharam em 2014 e garantiram a Águia para 2015

Jogadores que brilharam em 2014 e garantiram a Águia para 2015

 

 

 

A águia do Agreste voou bem alta e tornou eterno o seu cantar que em coro foi acompanhada pela multidão vibrante de emoção.

Que canto apaixonante minha Águia querida que emocione este seu torrão.

Canta Águia Agrestina, pois é lindo o teu cantar empolgando nos campos que floriu com o teu voar.

Canta Águia Pesqueirense abrindo caminhos envolvendo todos para num coro só a cidade se juntar.

Paixão guerreira com baluartes a vibrar e o time com gloriosas vitorias lindas conquistar.

Ecoa agradecimentos por belos feitos demonstrando honradamente teu comprometimento com a causa abraçada e sonhada com muito amor e paixão deste lindo chão.

Voa minha Águia nos fazendo vibrar por cada emoção.

Canta Águia querida como é bonito o teu cantar depois de cada vitória com honra e gloria.

Agradecidos estamos ao baluarte guerreiro seu criador que com outros que abraçou soube sonhar e realizar um desejo de toda cidade que vibra ao teu cantar e conquistar.

Ecoa Águia aguerrida no cenário mundial de Pesqueira, Pernambuco e Brasil para o Mundo sou Pesqueirense sou com orgulho e amor.

Águia amada louvada seja por cada emoção e conquistas lindas que elevam o coração vendo todos irmanados num só cantar o hino do amor pelo o nosso lindo torrão.

Águia Guerreira nunca canse de cantar e renovar este sonho lindo para massa vibrar não podendo retroceder jamais.

Avante guerreiros lutadores por vitorias e grandiosas conquistas que ficaram marcadas na história desta cidade agradecida e feliz.

A Águia chegou marcou presença e ficou se renovando a cada ano tornando-se mais forte nos gramados. Ecoando maravilhosas vibrações voando bem alto mostrando com eficácia ao Mundo e o Brasil sua força de vencedora que sempre será.

Parabéns Águia Agrestina Pesqueirense, pois é maravilhoso o teu cantar de altivez e empolgação pelo o seu conquistar.

Linda Águia que voa e ecoa por este chão o teu zumbido forte vibrante Pesqueira, Pesqueira, Pesqueira pra sempre campeão.

Francisco Chico Aquino sozinho de azul

* Autor:  Francisco Aquino  -  Francisco de Assis Maciel Aquino é pesqueirense, cronista, poeta, contista, colaborador do OABELHUDO e comentarista esportivo.

Pesqueira: Mudou – Vidanews agora é o – PESQUEIRA FUXICO.COM *

Vidanews E Pesqueirafuxico 

Comunicado aos seus Leitores

 

logo-vida news 300x95

 

 

 

Mudou para

 

Logo-PesqueiraFuxico2

Gostaríamos de comunicar a todos que, devido a problemas técnicos a nossa página esteve parada por vários dias (quase um mês),antes do carnaval, e que após termos feito a cobertura de um dos mais Belos Carnavais de Pesqueira ( Patrocinados pelo ISEP e do CENSG) este ano de 2014, também, após o carnaval, tivemos uma nova grande parada nas postagens (por mais de 15 dias). Portanto, como todos perceberam a página vidanews estava apresentando problemas de postagens e isso, em muito, prejudicava aos nossos internautas e (que não encontravam postagens atualizadas) e, consequentemente, aos nossos patrocinadores. Por este motivo, estamos migrando para a nova página, que há quase um mês ( se encontra no ar) e muitos já a acessaram. Para os que ainda não a conhece o endereço é: www.pesqueirafuxico.com.

Gostaria, também, de comunicar a todos que o Companheiro, Severino Doniset, não fará parte do nosso novo Modelo de Trabalho devido a ele está, atualmente, muito atarefado com os contratos que assumiu, este ano de 2014, e por este motivo não lhe sobra mais tempo para as Redações e Edições de imagens. Desde já, gostaria de dizer a este meu ex-companheiro de trabalho que desejo-lhe muito sucesso nesta sua nova tarefa social de lecionador! Pois, foi muito bom trabalhar com você todos estes anos (Deixo-lhe, nesta nossa página do vidanews o meu Grande Abraço e o meu desejo de muita sorte a você que é um Grande Guerreiro. Amigo, eu vou ficando por aqui, aos “trampos e barrancos”, com as comunicações de nossa Amada Terrinha Pesqueira, Companheiro! Acesse o seu Novo Site de comunicação o www.pesqueirafuxico.com .F.M.G Desde já, agradecemos a todos os nosso colaboradores e, principalmente, aos internautas que sempre estiveram curtindo a nossa Página durante estes 5 anos com este domínio (de vidanews).

Aguardamos os acessos e a colaboração de todos vocês na nossa nova página ( que está sendo formada pela colaboração de todas as pessoas que gostam de escrever e queiram publicar seus escritos em uma página de notícias locais que é o: www.pesqueirafuxico.com a mais nova versão da notícia de Pesqueira e Região) aos que se interresarem poderão participar com poesias, informativos, crônicas, cometário esportivo, denúncia, festas, comemorações,negócios e ouitros, ou seja, com o assunto que mais lhe agradar você gostar de escrever.Envie para o email: franciscomendes1580@hotmail.com ( que ao chegar na nossa caixa postal nós o analisaremos e o publicaremos em seu nome com seus créditos) Observação: Se tiver fotos ilustrativas na sua matéria, pedimos a gentileza de as enviar em anexo e não dentro do texto escrito. Grato pela atenção, desde já contamos com a sua colaboração. Um grande abraço!

francisco mendes pesqueira fuxico

* Fonte: Francisco Mendes/Editor do PesqueiraFuxicom.com

Evento/Literatura: II Festival Rio Mar de Literatura Pernambucana – Colaboração de Leonor Medeiros *

II Festival Rio Mar de

Literatura Pernambucana

 

Pessoal, nesta quarta-feira, 26/03, às 18 horas, estarei apresentando uma palestra sobre a origem do nome “Pernambuco”, no II Festival Rio Mar de Literatura Pernambucana, auditório da Livraria Cultura do Shopping RioMar.
Ficarei contente em tê-los no debate. O tema é polêmico. Por cinco séculos, o nome de Pernambuco foi creditado ao tupi ‘parana+puka’ (buraco no mar). Quarta-feira, mostrarei que a história não foi bem assim…
Aproveito para enviar todo o programa. Participem o mais que puderem!

 a) Jacques Ribemboim