Category Archives: Causos e Casos

BRASIL: Tragédia das Motos – 40 Motoqueiros Morrem por dia no País *

Um “Boeing” a cada seis dias

 

 

 

acidente de motos 1acidente moto 2 _buraco_a_620x465

O crescimento do uso de motocicletas é tão alucinante que, mantido o ritmo atual, é possível dizer que na próxima década a frota em duas rodas ultrapassará a de carros. A consequência disso é facilmente verificável em funerárias e cemitérios do país, a despeito da pouca importância que se dá ao assunto nos gabinetes oficiais.

Pelo menos 40 motoqueiros morrem diariamente nas ruas do Brasil, segundo os últimos dados conhecidos, de 2011. Em 1998, eram cinco por dia. Na prática, é como se atualmente a cada seis dias um Boeing-777 desaparecesse no oceano sem deixar vestígios. O número é maior que o de óbitos por atropelamento (32/dia) ou em acidentes de carro (34/dia), diferença que aumenta a cada ano.

O “motocídio” cresce mais rapidamente até do que a própria violência urbana. Se, em 1996, um motociclista morria a cada 27 pessoas assassinadas no Brasil, em 2011 houve um óbito em acidente de moto para cada 3,5 homicídios.

Os dados são ainda mais preocupantes se comparados com os internacionais. Segundo o “Mapa da Violência 2013″, estudo muito bem-feito pelo Centro Brasileiro de Estudos Latino-Americanos, o Brasil tem a 13ª pior taxa de mortalidade numa lista de 122 países pesquisados. Foram 7,1 mortos em 2010 para cada 100 mil habitantes. Pior, por exemplo, que Índia (6,1), Uganda (5,0), Costa do Marfim (3,4), Venezuela (1,5), Argentina (1,3) e México (0,6).

Apesar do índice elevado de óbitos –e dos gastos astronômicos com hospitais e custos previdenciários–, o governo continua a estimular o uso de motocicletas, facilitando, por exemplo, o financiamento nos bancos oficiais. Chega a ser mais barato pagar uma prestação no final do mês do que utilizar transporte público. Mais grave ainda é autorização para que motoqueiros circulem entre duas filas de carros, em espaços apertadíssimos. Ao contrário do que se pensa, no Brasil existe, sim, “corredor da morte”.

* Fonte e Autor: Rogério Gentile, na Folha de São Paulo

São Paulo: Os Maiores Doadores de Campanhas Política reunidos em Almoço com Mantega *

 

 

Empresários reunidos hoje

com Mantega doaram

R$ 88 mi ao PT

 

11 dos 16 ‘xerifes do PIB’ têm alta proximidade com o governo

 

As 16 grandes empresas convidadas para almoço com o ministro da Fazenda, Guido Mantega, nesta 4ª feira (12.mar.2014) em Brasília, doaram R$ 88 milhões para candidatos do PT, partido da presidente Dilma Rousseff, na campanha de 2012. No total, elas repassaram R$ 265 milhões para políticos de todas as legendas.

À mesa com o ministro estarão representadas as companhias que mais doaram a partidos políticos nas últimas eleições: Andrade Gutierrez (1ª no ranking), OAS (3ª), Camargo Correa (4ª), Vale (5ª), JBS (9ª) e Odebrecht (10ª).

Acompanhe na tabela abaixo:

tabela final doaçoes de campanha FR

O volume de doações para campanhas é só a face mais visível do entrelaçamento desses “xerifes do PIB” com o poder político central. Segundo levantamento do Blog, 11 dessas 16 companhias têm um alto grau de proximidade com o governo, que em alguns casos se assemelha à dependência.

Além de estarem entre os maiores doadores a políticos, essas empresas têm alto percentual de capital votante sob influência do Palácio do Planalto –via BNDES e fundos de pensão de estatais– ou são lideradas por diretores filiados a partidos da base governista.

A fluidez entre o grande capital e o poder central não é nova no Brasil: os governos de Getúlio Vargas e da ditadura militar investiram muita verba pública nos setores-chave da economia e os fundos de pensão estatais participaram em peso das privatizações dos anos 90.

Mas há um fator contemporâneo a aprofundar esse cenário: os governos de Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff abriram a torneira de recursos para salvar empresas com risco de quebra após a crise financeira de 2008 e incentivar a criação dos chamados “campeões nacionais” do setor privado.

As pequenas e médias empresas sentem-se excluídas do tratamento privilegiado. Na segunda-feira (10.mar.2014), representantes dessa parcela do setor produtivo reclamaram de falta de abertura. “Esse é um governo que não ouve a pequena e média empresa”, disse à “Folha” José Velloso, presidente-executivo da Abimaq, que reúne os fabricantes de máquinas e equipamentos.

Conheça alguns sinais da proximidade com o governo de 11 empresas convidadas para o almoço com Mantega:

 

tabela dos  doadores e quanto faturaram

 

 

Leia a Íntegra:

Empresários reunidos hoje com Mantega doaram R$ 88 mi ao PT

* Fonte: Blog Fernando Rodrigues/Oab

Brasil/Saúde: Medicamentos Genéricos são, em média, 56% MAIS BARATOS *

 

Pesquisa mostra genéricos 56%

mais baratos que medicamentos

de referência

 

logomarca de GENERICO

 

 

 

Pesquisa feita pela Fundação Procon-SP – órgão vinculado à Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania de São Paulo – em farmácias e drogarias da capital, constatou que os medicamentos genéricos são em média 56,51% mais baratos do que os de referência. Segundo a pesquisa, é possível encontrar medicamentos genéricos com diferenças de preços que chegam a até 881,88%.

Um dos medicamentos genéricos citados na pesquisa, o Nimesulida, 100 miligramas (mg), 12 comprimidos, custava R$ 1,60 em um estabelecimento e em outro, R$15,71, uma diferença de R$ 14,11 em valor absoluto. No caso dos remédios de referência, a maior diferença foi 259,99%. O Amoxil (Amoxicilina), Glaxosmithkline, 500 mg, 21cápsulas, foi encontrado com preços de R$ 14,67 e de R$ 52,81 – diferença de R$ 38,14 em valor absoluto.

A pesquisa verificou os preços de 58 medicamentos, em 15 redes de drogarias nas cinco regiões da capital paulista, no mês de fevereiro. A diretora de Estudos e Pesquisas do Procon-SP, Valéria Garcia, observou que a diferença de preços é grande, e os medicamentos genéricos são, em geral, mais baratos. “Mas é bom lembrar que um genérico de um mesmo laboratório também pode apresentar preços diferentes entre as drogarias, logo, é essencial a pesquisa de preços sempre aliada à recomendação e prescrição médica”.

* Fonte: Flávia Albuquerque – Repórter da Agência Brasil

Invasão Política/Territorial: Prefeitura Constrói Posto do CAPS em Cidade Vizinha. E pode? *

Prefeitura Municipal de Arcoverde “investe”

no distrito de Mimoso que pertence ao

Município de Pesqueira

 

caps de mimoso foto principal

caps de mimoso Leni assistindocaps prefeita de arcoverde inaugurando

 

A manchete espetacular traduz a surpresa demonstrada por uma moradora do distrito de Mimoso, Pesqueira, Néria Brito, quando relata na sua página do Facebook que assistiu na tarde desse sábado, 08, –  a inauguração do CAPS AD III ARCOVERDE. 

Numa atitude 100% cidadã ela indaga: Grande Surpresa hoje a tarde em Mimoso encontrei a Prefeita de Arcoverde Madalena fazendo uma linda inauguração em nosso município.

E ela, angustiada com o que assitia indaga:

Gostaria de entender como funciona o poder de invasão de divisas entre os municípios?

 

O CAPS AD III ARCOVERDE foi inaugurado hoje em MIMOSO PESQUEIRA. Levando a logo marca do município de Arcoverde

Intrigada a pesqueirense aponta para a logomarca da Prefeitura de Arcoverde. E pode?

Intrigada a pesqueirense aponta para a logomarca da Prefeitura de Arcoverde. E pode?

 

 

NOTA DO BLOG:

Fico imaginando o seguinte: se para se consertar uma estrada limítrofe entre municípios é necessário que haja permissão da parte recebedora do serviço. Imagine uma obra desse porte. Quantos meses levou pra ser construída e NINGUÉM (Pesqueira) tomou nenhuma iniciativa de, pelo menos, levantar dúvidas sobre sua legalidade? Eu estou estupefato, principalmente com a colocação da logomarca da Prefeitura Municipal de Arcoverde. A meu ver, se a obra fosse num sítio tipo Canela de Ema onde existe divisa territorial entre os municípios, a dúvida seria aceitável. No caso do distrito de Mimoso é pura invasão.

Presumo que tenha prevalecido o critério político para “ajudar” os candidatos a deputados de Arcoverde. Todavia, teria que haver respeito absoluto ao limite territorial. Onde fica a autonomia do município de Pesqueira?

O blog deixa no ar essas indagações: quem teria dado a licença de construção? Ou se a tal obra teria sido construído à revelia da PMP?

* Fonte: Página de Neria Brito no Facebook com fotos.

Educação: Conselho Nacional de Educação discute Nova Idade para a Pré-Escola *

CNE vai rediscutir idade para

matrícula na pré-escola e no

ensino fundamental

Idade:  4 anos para matrícula na pré-escola e 6 anos para ingresso no primeiro ano do ensino fundamental.

Idade: 4 anos para matrícula na pré-escola e 6 anos para ingresso no primeiro ano do ensino fundamental.

Na próxima quarta-feira, dia 12 de março, a Câmara de Educação Básica do Conselho Nacional de Educação (CEB/CNE) vai rediscutir a Resolução 6/2010. A medida trata da matrícula no ensino fundamental e na educação infantil.

De acordo com a publicação, o corte de idade para ingresso na escola foi fixado em anos completos até o dia 31 de março do ano em que ocorrer a matrícula, sendo 4 anos para matrícula na pré-escola e 6 anos para ingresso no primeiro ano do ensino fundamental. A Resolução dispõe, ainda, que a criança que completar 6 anos depois de 31 de março deve permanecer matriculada na pré-escola.

Suspensão por decisões judiciais
Pais insatisfeitos com a medida têm ingressado com ações judiciais, pois teriam que manter seus filhos por mais um ano na pré-escola quando a criança completar 6 anos de idade após 31 de março do ano do ingresso no ensino fundamental. Com isso, a Resolução está suspensa por decisão da Justiça no Distrito Federal e em dez Estados: Bahia, Ceará, Minas Gerais, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia e Santa Catarina.

Porque é preciso uma data de corte

De acordo com a Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB) de 1996, com as modificações de 2005 e 2006, a matrícula é obrigatória aos 6 anos de idade no ensino fundamental, que possui nove anos de duração. E, de acordo com a Emenda Constitucional 59/2009, a educação básica dos 4 aos 17 anos passará a ser obrigatória a partir de 2016. Assim, fica determinado: pré-escola para crianças de 4 e 5 anos; ensino fundamental dos 6 aos 14 anos; e ensino médio para jovens de 15 a 17 anos.
Como os indivíduos nascem distribuidamente ao logo dos 365 dias do ano e como é preciso organizar turmas de alunos para o início das aulas no começo do ano letivo, impõe-se a fixação de uma data de corte para a matrícula obrigatória.
Antes, não havia norma nacional para regulamentar essa questão. Nas regras fixadas pelas secretarias de educação predominava a data de 30 de junho. No entanto, até então, a matrícula era obrigatória aos 7 anos e facultativa aos 6 anos de idade. Após a antecipação da matrícula obrigatória dos 7 para os 6 anos de idade é que a CEB/CNE fixou essa data de corte de idade para ingresso na educação escolar em 31 de março do ano em que ocorrer a matrícula.
Pais insatisfeitos com a medida têm ingressado com ações judiciais,

Pais insatisfeitos com a medida têm ingressado com ações judiciais,

 

O que a data para idade de corte representa

Para a área técnica de Educação da Confederação Nacional de Municípios (CNM), essa data para idade de corte deve ser entendida como delimitação da obrigatoriedade do ensino. A medida configura o dever dos pais de matricularem seus filhos na escola e o dever do poder público de assegurar a matrícula.
Em outras palavras, o poder público é obrigado a garantir vaga no primeiro ano do ensino fundamental para absolutamente todas as crianças que completarem 6 anos de idade até o dia 31 de março do ano da matrícula. Da mesma forma, os pais dessas crianças não têm o direito de escolher não matricularem seus filhos na escola.

Leia a Íntegra:


* Fonte: Portal CNM

Eleição 2014: IstoÉ diz que o General Heleno tem 5,7 milhões de apoiadores para ser candidato *

Candidatura do General Heleno

à presidência já tem mais de 5,7

milhões de apoiadores, diz IstoÉ

general Heleno foto 1 (2007)

Reportagem desta semana da Revista IstoÉ aborda a possibilidade de candidatura e o cenário das articulações políticas e sociais em torno do General Augusto Heleno.

 

 

 

O candidato dos militares

Movimento surgido na caserna e que já conta com o apoio de mais de cinco milhões de pessoas quer lançar o general Augusto Heleno, chefe da missão brasileira no Haiti, para concorrer à presidência da República

Aos 66 anos, o general Augusto Heleno Ribeiro Pereira é um fenômeno que não aparece nas pesquisas de intenção de voto nem frequenta as análises políticas convencionais. Na internet, porém, sua eventual candidatura à Presidência da República tem feito sucesso.

Conforme dirigentes de 68 associações de militares da reserva, que costumam refletir o pensamento de boa parte da caserna, o movimento “general Heleno presidente” alcançou nas últimas semanas o apoio de 5,7 milhões de eleitores. Uma ordem de grandeza respeitável em qualquer circunstância. Apesar desses números, o general Heleno, que foi comandante militar da Amazônia, e também esteve à frente das tropas da ONU que mantêm a ordem no Haiti, construindo uma rara liderança fardada nascida após a democratização do País, tem tudo para se transformar na principal estrela de um movimento de caráter simbólico. Oficial da reserva desde maio de 2011, ele teria de ter preenchido alguma ficha de filiação partidária até outubro do ano passado para poder disputar a eleição e até agora não se posicionou sobre isso. Seus aliados não confirmam nenhuma vinculação partidária do general, embora também não descartem a possibilidade de este ser um segredo estratégico. O certo é que, com o apoio que tem recebido, o general não será um eleitor qualquer.

O sucesso do general na internet tem explicação. Num universo político em que os principais candidatos têm uma postura que admite apenas mudanças de tonalidades cinzentas entre o centro e o centro-esquerda, com receio de descontentar eleitores desconfiados da propaganda eleitoral, o general apresenta um discurso conservador que um bom número de eleitores gosta de ouvir. Ele tornou-se uma celebridade instantânea ao dizer que a política indigenista do governo Luiz Inácio Lula da Silva era “lamentável, para não dizer caótica,” afirmação que lhe custou o comando militar da Amazônia. De lá para cá, ironizou o “passado ilibado” de Renan Calheiros, criticou a política econômica do ministro da Fazenda, Guido Mantega, e chamou o acordo do Mercosul de um “mero tratado bolivariano”. Heleno já definiu o ex-ministro José Dirceu como o “maior colecionador de rabos presos” da República. Aliados e amigos do general afirmam que, ainda que a legislação impeça uma candidatura própria, irão entrar na campanha como parte de um “movimento anti-PT.” O capitão Augusto Rosa, um dos mais ativos aliados do general, faz críticas ao programa Bolsa-Família que a oposição civil abandonou há muitos anos. “Estamos criando uma geração de pais vagabundos que não servem de referência para os filhos.”

General Heleno pretende criar o PMB - Partido dos Militares do Brasil - (foto Joedson Alves/Agência Estado)

General Heleno pretende criar o PMB – Partido dos Militares do Brasil – (foto Joedson Alves/Agência Estado)

O discurso conservador não faz do general Heleno um defensor do golpe militar de 1964, mas aos mais próximos ele gosta de repetir uma afirmação pouco convicta sobre os valores democráticos. “Democracia é quando eu mando em você. Ditadura é quando você manda em mim”, diz, citando uma frase cubana. A boa notícia em torno da liderança do general é que, desde a redemocratização do País, é a primeira vez que se consolida entre as Forças Armadas um movimento que pretende se valer do voto e das vias democráticas para colocar suas posições. Os militares que se articulam em volta de Heleno pretendem formar o Partido Militar Brasileiro, PMB, que anuncia ter conseguido filiar 490 mil eleitores para obter registro no TSE – se todas as fichas forem regulares, faltarão 80 mil para que possa chegar ao registro definitivo. Por enquanto, a exemplo do que acontece com os simpatizantes da Rede, de Marina Silva, os candidatos que apoiam a criação do PMB estão espalhados por outros partidos ou usando o PRTB como “sigla franqueada” para disputar as eleições de 2014.

O deputado comunista Protógenes Queiroz (PCdoB-SP), delegado da Polícia Federal que fez fama na Operação Satiagraha, já assinou sua ficha de apoio e milita pela criação do partido. Através de seu site, Protógenes costuma pedir aos eleitores que façam o mesmo. Outro aliado seguro é o deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ), que se dedica a organizar o partido no Rio de Janeiro e é um nostálgico assumido da ditadura. Longe da política, mas famoso no meio militar, o primeiro astronauta brasileiro, o coronel da Aeronáutica Marcos Pontes, também fará parte do diretório de São Paulo.

Leia a Íntegra:

 Setores militares querem general Heleno presidente da República

* Fonte: Revista IstoÉ

Judiciário: STJ Decide – Exame Psicológico NÃO PODE eliminar Candidato em Concurso Público *

STJ decide que exame

psicológico não pode eliminar

candidato em concurso público

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu que um candidato eliminado no exame psicológico do concurso da Polícia Militar do Distrito Federal poderia continuar no certame e, portanto, ser matriculado no curso de formação da corporação.

 

 

concursos publicos_1

O entendimento da Primeira Turma do STJ é que o exame psicológico “pode ser utilizado como meio de apurar a saúde mental do candidato, mas jamais para excluí-lo do concurso”.

A decisão, anunciada hoje (6), foi tomada no dia 18 de fevereiro e deve ser publicada nos próximos dias. Ela vale apenas para esse concurso e somente para o candidato que moveu a ação. Outros interessados que quiserem reverter uma situação semelhante, nesse ou em outros concursos no Distrito Federal ou em qualquer estado, também devem entrar na Justiça.

O Tribunal de Justiça do Distrito Federal (TJDF) já havia decidido a favor do candidato anteriormente, mas o governo do Distrito Federal (GDF) entrou com recurso especial. Os cinco ministros do STJ, incluindo o relator, Ari Pargendler, decidiram contrariamente a esse recurso. Outros, porém, ainda podem ser interpostos, caso seja do interesse do GDF.

* Fonte: Agência Brasil/Oabe

Brasil: Campanha da Fraternidade da CNBB 2014 – “É para a liberdade que Cristo nos libertou” *

Campanha da Fraternidade

faz chamado para combate

ao tráfico humano

logo da campanha da fraterniade 2014

Papa diz que seres humanos não podem ser tratados como mercadoria

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) fez hoje (5) um chamado para que a sociedade se conscientize da importância de combater o tráfico de pessoas, ao lançar a Campanha da Fraternidade de 2014, cujo tema é Fraternidade e Tráfico Humano e o lema “É para a liberdade que Cristo nos libertou”.

No início do evento, foi lida uma mensagem do papa Francisco, na qual ele afirma que “não é possível ficar impassível, sabendo que seres humanos são tratados como mercadoria”. O papa lembrou que crianças são traficadas para a remoção de órgãos, mulheres submetidas à exploração sexual e trabalhadores mantidos em condição de escravidão. Estas são algumas das situações de tráfico de pessoas que a campanha vai abordar.

Durante a solenidade de lançamento, o secretário-geral da CNBB, dom Leonardo Steiner, disse que o crime viola a dignidade das pessoas submetidas e que a prática é fruto da sociedade em que vivemos. “Queremos com a campanha identificar essa realidade e, junto com o Estado, realizar este trabalho para que as pessoas deixem de ser exploradas”, exortou. “O tráfico de pessoas é fruto da cultura em que vivemos, atualmente quase nos habituamos ao sofrimento do outro e é preciso se compadecer pelas pessoas traficadas”, disse.

A secretária executiva do Conselho Nacional de Igrejas Cristãs (Conic), pastora Romi Márcia Bencke, reiterou que esta dificuldade se deve também à vulnerabilidade econômica das pessoas traficadas. “O tema toca em raízes profundas na forma como a nossa sociedade se estrutura e [o tráfico humano] se capilariza em vários setores da economia”, disse. Os religiosos também ressaltaram a necessidade de superar divergências religiosas para combater esse tipo de crime.

A solenidade contou ainda com a presença do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, que elogiou a iniciativa e classificou o tráfico de pessoas como uma prática subterrânea, devido à dificuldade de verificar sua ocorrência. “É inaceitável que pessoas sejam tratadas como escravas”, disse Cardozo para quem o crime tem que ser combatido de forma conjunta com a sociedade. “Temos esta oportunidade de junção de forças com a sociedade, através da Campanha da Fraternidade e da formação de um comitê conjunto para aprimorar as políticas de Estado, receber sugestões e ao mesmo tempo enraizar atuações na sociedade”, complementou.

leia a Íntegra:

Tema da campanha deste ano é o combate ao tráfico humano

Saiba Mais

* Fonte: Agência Brasil

Rio de Janeiro: Números que assustam o Mundo – Morte por violência urbana *

Taxa de homicídios cresce 16,7% no Rio

 

 

Números são alarmantes e pioram sensivelmente o conceito do país

Números são alarmantes e pioram sensivelmente o conceito do país

BALANÇO Foram registrados 4.761 homicídios dolosos (intencionais) no ano passado, 680 casos a mais do que em 2012, segundo dados do Instituto de Segurança Pública

Os homicídios dolosos (intencionais), que estavam oficialmente em queda no Estado do Rio de Janeiro desde 2010, voltaram a subir em 2013. Dados divulgados ontem pelo Instituto de Segurança Pública (ISP) mostram que houve aumento de 16,7%, em relação a 2012. Foram registrados 4.761 homicídios no ano passado, 680 casos a mais.

Os homicídios decorrentes de intervenção policial, que no Rio são registrados como “autos de resistência”, ficaram praticamente estáveis, com redução de 3 casos: 419 em 2012 e 416 em 2013. Isso indica uma reversão da forte tendência de queda para o indicador, registrada desde 2007, primeiro ano da gestão Sérgio Cabral (PMDB), quando o número de mortos em alegados confrontos com policiais havia chegado ao ápice: 1.330.

“Estamos em um momento de crise. Há um acúmulo de casos negativos pontuais. Alguns números, como o de roubos, já vinham apontando deterioração progressiva, e agora os indicadores consolidam essa tendência”, disse o sociólogo Ignácio Cano, que coordena o Laboratório de Análise da Violência da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (LAV-UERJ). “A percepção dos impactos de políticas positivas parece que se esgotou. O caso do pedreiro Amarildo de Souza acabou com o prestígio das Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs), sobretudo nas populações das favelas“, afirmou.

Ignácio Cano diz que as manifestações iniciadas em junho de 2013 mudaram o foco das agendas de segurança e que agora, por se tratar de ano eleitoral, a política deverá ser mantida “em piloto automático” até o fim do atual governo. Sobre a reversão da tendência de queda dos autos de resistência, o sociólogo avalia que o fato de não ter ocorrido aumento em um cenário de crescimento dos homicídios é um ponto a ser destacado, mas que o patamar continua inaceitável: “Em Minas Gerais, por exemplo, que tem população maior e mais PMs que o Rio, a polícia costuma matar de 50 a 80 pessoas por ano.”

Procurada pela reportagem para comentar os números divulgados pelo ISP, a Secretaria de Segurança do Estado divulgou uma nota, onde pontuou que “o atual governo recebeu o Estado com o índice de homicídios de 41,3 por 100 mil habitantes, enquanto em 2013 foram 28,9 por 100 mil habitantes.”

* Fonte: JC/Cidades

Sertania: Polícia Federal desbarata quadrilha que roubava Trilhos da antiga Rede Ferroviária do Nordeste*

PF investiga quadrilha suspeita

de roubar 25 t de trilhos de ferrovia

Doze homens estariam envolvidos no crime, diz Polícia Federal.

Caso será julgado pela Justiça Federal; carga estaria em caminhão.

 

Carga apreendida está na sede da Polícia Militar de Sertânia. (Foto: Divulgação/ Polícia Federal)

Carga apreendida está na sede da Polícia Militar
de Sertânia. (Foto: Divulgação/ Polícia Federal)

A Polícia Federal (PF), em Caruaru, no Agreste pernambucano, investiga uma quadrilha presa suspeita de roubar trilhos de uma antiga linha ferroviária no Sítio Soares em Sertânia, Sertão do estado. Ao todo, foram apreendidas 25 toneladas do material.

De acordo com a delegada da PF que investiga o crime, Mariana Cavalcanti, 12 homens estariam envolvidos. “O motorista do caminhão é do Rio Grande de Sul e informou que a carga seria levada para uma empresa de construção civil de Minas Gerais. Um dos homens presos é de Minas, a suspeita é de que ele seja o mandante. Os outros envolvidos são do Sertão pernambucano e receberiam R$ 200 para retirar o material, explica.

Foram apreendidos também um maçarico, dois cilindros de oxigênio, um botijão de gás, e duas alavancas de ferro (Foto: Divulgação/ Polícia Federal)

Foram apreendidos também um maçarico, dois cilindros de oxigênio, um botijão de gás, e duas alavancas de ferro (Foto: Divulgação/ Polícia Federal)

A carga estaria em um caminhão. Mais dois veículos transportavam os suspeitos e outros equipamentos que seriam utilizados para praticar o crime. “Foram apreendidos também um maçarico, dois cilindros de oxigênio, um botijão de gás, e duas alavancas de ferro”, diz a delegada Cavalcanti. Ela diz ainda que o caso será julgado pela Justiça Federal, e que a carga está na sede da Polícia Militar de Sertânia.

Segundo a Polícia Civil de Sertânia, onze homens foram levados para o Presídio Advogado Brito Alves, em Arcoverde, na mesma região. A Polícia Militar estaria fazendo uma operação na madrugada da última quarta-feira (26) para efetuar a prisão dos suspeitos e apreender a carga, a partir de denúncias da população. O outro homem estaria foragido.

* Fonte: G1