Category Archives: Cidadania/Serviços Público

Saúde Pública: Operação retira mais de 7 toneladas de alimentos da CEASA Recife *

 

Total apreendido em ação no Ceasa foi de 7,1 toneladas de

alimentos

Balanço sobre apreensões foi apresentado nesta quinta (Foto: Katherine Coutinho/G1)

(Balanço sobre apreensões foi apresentado nesta quinta (Foto: Katherine Coutinho/G1)

Vigilância Sanitária e Adagro recolheram 3,9 toneladas de pescados. Além dos alimentos, foram retidos 600 mil ovos de galinha.

Ovos apreendidos estavam com embalagem irregular e foram jogados no lixo. (Foto: Kety Marinho/TV Globo)

(Ovos apreendidos estavam com embalagem irregular e foram jogados no lixo. (Foto: Kety Marinho/TV Globo)

A operação conjunta de fiscalização no Centro de Abastecimento e Logística de Pernambuco (Ceasa), no bairro do Curado, Zona Oeste do Recife, apreendeu aproximadamente 7,1 toneladas de alimentos e 600 mil ovos de galinha na última quarta-feira (29). O balanço da operação foi divulgado nesta quinta-feira (30), na sede da Associação Nordestina de Criadores, no bairro do Cordeiro, também na capital.

Participaram da ação a Vigilância Sanitária do Recife, a Delegacia do Consumidor, a Agência de Defesa e Fiscalização Agropecuária de Pernambuco (Adagro), o Ministério Público de Pernambuco (MPPE), entre outros. O objetivo foi coibir a venda de produtos sem origem identificada. Ao todo, 16 estabelecimentos foram fiscalizados, mas apenas um chegou a ser fechado, uma loja que revendia laticínios, por não haver responsável técnico.

Na loja interditada, foram apreendidos 776,2 quilos de produtos, sendo 93 quilos de manteiga de garrafa, 152 quilos de queijo muçarela, 572 kg de linguiça e mortadela e 4,2 quilos de frango. “Tinha produtos vencidos, muitos sem registro, falsificados. Orientamos que eles contratem um responsável técnico, o que eles me disseram que já estavam providenciando. Eles tinham muito produto em um espaço pequeno, eles vão ter que readequar sua estrutura”, explica a diretora da Vigilância Sanitária municipal, Adeílza Ferraz.

A apreensão de ovos foi um dos pontos mais polêmicos da ação, visto que foram jogados todos fora, assim como os 31,9 mil ovos de codorna. Os ovos eram vendidos sem embalagem, estando dispostos em bandejas. “No caso dos ovos, eles têm que sair do entreposto embalados. É assim que a legislação federal e estadual exigem.  A conservação do ovo é de 20 dias e o prazo pode ser ampliado quando ele está resfriado”, explica André Sérgio, chefe da unidade estadual de Inspeção Animal da Adagro.

Como os boxes no Ceasa são pontos de vendas, e não entrepostos comerciais, eles são obrigados por lei a vender o produto embalado. “Lá não tem como resfriar, lá é um ponto de venda e não um entreposto comercial. O ovo precisa chegar lá embalado por questão de rastreabilidade, para sabermos de onde o ovo vem, o lote e o prazo de validade. Você não sabe identificar quando aquele ovo foi produzido, se está de fato bom, se está contaminado”, destaca Sérgio.

saiba mais

* Fonte: G1/Adagro/Vigilância Sanitária Recife

Educação/UFPE & Enem – Veja o peso de cada nota do Enem no vestibular da Federal *

 

 

UFPE divulga pesos das provas do Enem para o vestibular de 2015

 

Alunos que concluíram estudos no Agreste e na Zona da Mata terão bônus. Campus Caruaru terá graduação em comunicação social, no ano que vem.

A Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) divulgou, nesta segunda-feira (13), os pesos e as notas mínimas diferenciadas que cada prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) terá, de acordo com o curso escolhido pelo candidato. As novas regras foram aprovadas após uma reunião do Conselho Coordenador de Ensino, Pesquisa e Extensão, realizada na reitoria da instituição, na Zona Oeste do Recife.

Os pesos serão aplicados no Sistema de Seleção Unificada (Sisu), do Ministério da Educação (MEC), ao qual a UFPE também aderiu para o vestibular de 2015. Para montar a tabela de pesos, desde o final de maio, foi reunido o colegiado de cada um dos 100 cursos de graduação presenciais da instituição. Apenas os cursos de dança, música e bacharelado em química não utilizarão o Sisu como meio de ingresso à instituição por requisitarem uma segunda fase de testes de habilidade específicos.

Confira a lista dos pesos e das notas mínimas dos cursos da UFPE para a seleção 2015:

» Cursos fora do Sisu
» Cursos que usam o Sisu: parte 1 | parte 2

 

Ana Cabral, pró-reitora para Assuntos Acadêmicos da UFPE (Foto: Katherine Coutinho / G1 PE)

Pró-reitora de graduação da UFPE, Ana Cabral detalhou
pesos das provas do Enem para seleção da universidade
(Foto: Katherine Coutinho / G1 PE)

Bônus regional e nova graduação

Além da divulgação dos pesos, a pró-reitora de graduação da universidade, Ana Cabral, anunciou um “bônus regional”, que será um acréscimo de 10% da nota do Enem na nota final dos alunos que concluíram os ensinos fundamental e médio, integralmente, em escolas públicas ou privadas da Zona da Mata ou do Agreste e pretendem estudar nos campi de Vitória de Santo Antão ou Caruaru.

O bônus não pode ser somado aos 10% destinados ao sistema de cotas. “Ou o aluno é cotista ou usa o bônus. O objetivo é fixar futuros profissionais na região e garantir o desenvolvimento regional com profissionais ativos, que se estruturam e corroboram com a melhoria econômica e social da região”, diz Ana Cabral.

Outra novidade é a aprovação do novo curso de comunicação social do campus do Agreste, em Caruaru. “O curso terá início no segundo semestre de 2015”, conta a pró-reitora. Ainda não há uma definição de quais habilitações serão oferecidas, porque o perfil está sendo definido. Em termos de peso do Enem, a nova graduação equivale ao curso de jornalismo, oferecido no Recife.

* Fonte: G1 / UFPE

Brasil/Eleição Presidencial: O Peso do Bolsa Família na votação de Dilma *

Peso do Bolsa Família

é maior em 2014

Alaide Martins, ao lado das filhas, depende do Bol

 

 

O Bolsa Família, principal programa de transferência de renda do País, teve em 2014 o maior impacto eleitoral desde sua criação, segundo estudo do cientista político Cesar Zucco, da Fundação Getúlio Vargas, feito em parceria com o Estadão Dados. A análise indica que cada ponto porcentual de cobertura do Bolsa Família em um município rendeu, em média, 0,32 ponto porcentual na votação de Dilma naquela cidade – o dobro do que foi verificado em 2010. O estudo compara o desempenho da presidente em municípios de perfis socioeconômicos semelhantes, mas com diferenças nos porcentuais de atendimento do Bolsa Família. Embora não permitam dizer exatamente como beneficiários e não beneficiários do programa se comportam na hora de votar, os resultados indicam que, quanto maior a parcela de famílias beneficiadas, maior a probabilidade de a presidente ganhar na cidade analisada.

Segundo o estudo, um em cada cinco votos em Dilma está relacionado ao mais famoso programa de transferência de renda dos governos petistas. A extrapolação dos resultados, porém, sugere que a presidente teria recebido votações expressivas nos locais mais pobres, mesmo sem o programa.

A análise de Zucco leva em conta variáveis socioeconômicas – como a pujança da economia do município, medida pelo Produto Interno Bruto, e o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) -, para especificar municípios semelhantes a serem comparados entre si.

São levados em conta ainda fatores políticos, como o partido a que pertencem o prefeito e o governador do Estado em que está localizada a cidade. É por isso que é possível isolar o efeito eleitoral do Bolsa Família quando comparado ao impacto das outras variáveis.

Leia a Íntegra:

  • Peso do Bolsa Família é maior em 2014

* Fonte: Estadão/LUCAS DE ABREU MAIA , RODRIGO BURGARELLI

Pernambuco: Orçamento do Estado é de 32 bi. – Tem 4 bilhões para investimentos *

 

 

Em PE, orçamento para 2015

deve ser o maior da história

no estado: 32 bi

R$ 4 bi para investimentos

A nova gestão deve dispor de R$ 4 bilhões para investimentos em 2015. Projeto inclui construção de novo corredor BRT e navegação no Capibaribe.

 

 

A nova gestão do governo de Pernambuco deverá dispor de R$ 4 bilhões para investimentos no estado no próximo ano. O orçamento, encaminhado para a Assembleia Legislativa de Pernambuco como projeto de lei orçamentário de 2015, é considerado o maior da história do estado. A previsão de receita é de R$ 32 bilhões, valor 6% maior em relação ao orçamento de 2014.

A Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag) do governo pretende garantir um investimento de R$ 3.890 bilhões. Entre os projetos para o próximo ano estão em destaque as áreas de água e saneamento, com R$ 606,4 milhões destinados; educação, saúde e segurança, que juntas vão receber R$ 587,6 milhões; desenvolvimento econômico, com R$ 592,5 milhões; e mobilidade, que deve receber R$ 564 milhões.

As construções no estado incluem barragens, adutoras, implantação do corredor BRT na Avenida Agamenon Magalhães, navegação dos rios Beberibe e Capibaribe na Região Metropolitana do Recife, além de construção de estradas e moradias. “Com projetos muito bem organizados e um monitoramento intensivo, a gente tem conseguido solucionar o problema dos empreendimentos e conseguir recursos junto aos organismos financiadores, bancos federais, bancos internacionais e também o próprio governo federal, que financia determinadas obras de interesse mútuo através de convênios”, explica o secretário executivo de Planejamento e Orçamento, Edilberto Xavier.

O secretário de Planejamento de Pernambuco, Fred Amâncio, espera que a Assembleia aprove o projeto e que o resultado econômico do estado seja positivo no próximo ano. “A expectativa pro ano de 2015 é de que vamos ter um contexto difícil na economia do país, mas o estado vai continuar crescendo mais do que o Brasil e, consequentemente, com uma expectativa de termos um orçamento pra 2015 maior do que o previsto para 2014. Entretanto, teremos uma economia ainda num ritmo de recuperação”, aponta Amâncio.

* Fonte: Portal PE

Violência/Escândalo da Petrobrás – Para onde foi o dinheiro das propinas? *

 

Esquema irrigou campanhas

do PT, PMDB e PP, diz

ex-diretor da Petrobras

 

 

 

Em seu primeiro depoimento à Justiça após ter feito um acordo de delação premiada, o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa afirmou que o esquema de corrupção na estatal irrigou campanhas de três partidos nas eleições de 2010: PT, PMDB e PP, segundo apurou a Folha. Naquele ano, foram disputadas eleições para presidente, governadores e deputados.

Deflagrada em março pela Polícia Federal, a Operação Lava Jato descobriu um esquema de desvio de dinheiro da Petrobras que envolveu Costa, doleiros e fornecedores da estatal. Segundo a PF, uma “organização criminosa” atuava dentro da empresa. O esquema teria movimentado R$ 10 bilhões.

No depoimento, ele disse que o presidente da Transpetro, Sérgio Machado, ligado ao PMDB, também teria participado das irregularidades. Paulo Roberto disse ter recebido R$ 500 mil do presidente da Transpetro. O ex-diretor da estatal também citou José Eduardo Dutra, atual diretor da Petrobras e ex-presidente da BR Distribuidora, como participante dos esquemas do grupo. Dutra também presidiu o PT.

Segundo Paulo Roberto, três ex-diretores da Petrobras fizeram parte do esquema: Nestor Cerveró, Jorge Zelada e Renato Duque.

No depoimento, ele reconheceu ter recebido dinheiro da Odebrecht, citou o nome do executivo Márcio Farias como sendo seu contato, mas não citou valores, segundo informou o advogado Haroldo Nater, que defende Leonardo Meirelles, apontado como laranja do doleiro Alberto Youssef no laboratório Labogen, usado para lavar dinheiro.

Segundo a Folha apurou, Paulo Roberto disse que a propina correspondia a 3% do valor líquidos de contratos da Petrobras, que eram divididos entre ele e partidos políticos. Afirmou também que o CNCC, consórcio liderado pela Camargo Corrêa pagou propina para ganhar obras da Petrobras, segundo seu advogado, Antonio Augusto Figueiredo Basto. Basto disse que políticos lideravam o esquema, e não o doleiro Alberto Yousseff, como acusa a Polícia Federal.

Leia a Íntegra:

 

Irregularidades na estatal 

Esquema irrigou campanhas do PT, PMDB e PP, diz ex-diretor da Petrobras

 

* Fonte: Folha de são Paulo/MARIO CESAR CARVALHO – SAMANTHA LIMA – ENVIADOS ESPECIAIS A CURITIBA

Eleições 2014/Pernambuco: Paulo Câmara iniciará transição de governo logo em outubro *

Paulo comandará

transição já em outubro

 

Governador eleito de Pernambuco quer tudo afinado em 1º de janeiro

 

 

 

Comprometido com o avanço nas conquistas acumuladas por Pernambuco nos últimos anos, o governador eleito Paulo Câmara (PSB) pretende iniciar a preparação para a sua futura gestão já neste mês. Em entrevista à Rádio Jornal na manhã desta segunda-feira (6), o socialista destacou que quer construir o ambiente necessário para que o Estado prossiga ofertando à população um serviço público eficiente que ajude a melhorar a qualidade de vida dos pernambucanos. “Vamos iniciar a transição já em outubro; começar a pensar o início do nosso governo em janeiro. Um governo de continuidade e que não pode parar em nenhum momento”, assinalou.

Paulo entende que o início da transição ainda esse mês possibilitará que a futura administração atue com a eficiência desejada. Câmara ressaltou que, para isso, contará com a colaboração de um time compromissado com as bandeiras da Frente Popular e com as demandas da sociedade. “Nós queremos estar prontos para governar com pessoas que queiram nos ajudar, com pessoas que tenham a concepção do que entendemos que é melhor para Pernambuco e que a população aprovou”, frisou.

O governador eleito adiantou na entrevista à Rádio Jornal que comandará logo no começo do próximo ano o programa Todos por Pernambuco, com o objetivo de identificar e definir prioridades para a gestão que já estão indicadas no seu programa de governo. “Já no início de 2015, vamos fazer o Todos por Pernambuco, como fizemos em 2007 e em 2011. É um processo de escuta da população que ocorre em todas as regiões do Estado. E vamos pactuar em cada região as suas prioridades em nosso programa de governo. O que vai acontecer de maneira imediata em 2015, o que pode ficar para 2016, 2017 e 2018”, apontou Paulo Câmara.

O socialista pontuou que esse formato de governar tem feito com que as administrações capitaneadas pela Frente Popular consigam atacar os problemas que afetam os pernambucanos e a possibilitar novas ações que colaborem para a transformação do Estado. “É assim que a gente governa, que governou e que vamos governar; com o compromisso com a população. Tenho certeza de que vamos pactuar de maneira correta, transparente e responsável as ações do nosso futuro governo para os próximos quatro anos”, assegurou Paulo, completando: “Vou fazer o que eu sempre fiz. Vou conversar com as pessoas, colocar minhas posições e ouvir”.

* Fonte: Assessoria de Imprensa da Frente Popular

Comportamento/Mais Médicos: Médicos brasileiros são os “campeões” de desistência *

 

Brasileiros foram os

profissionais que mais

abandonaram Mais Médicos

 

 

 

 

Os profissionais brasileiros formados no país foram os que mais deixaram o programa Mais Médicos, desde o seu lançamento. Segundo o Ministério da Saúde, 146 brasileiros se desligaram do programa, o que representa 7,9% do grupo de formados no Brasil.

Até o momento, 35 médicos cubanos que vieram ao país via o intercâmbio com a Opas (braço da Organização Mundial da Saúde para as Américas) abandonaram o programa, o que representa 0,3% do total dos profissionais de Cuba, de acordo com o governo.

Outras 12 desistências foram registradas entre médicos formados no exterior e de outras nacionalidades, o que significa 1% do total desse grupo.

Em junho, o governo federal a superação da meta inicial do programa, atendendo 50 milhões de pessoas em todo o país –a meta era estipulada era chegar a 46 milhões de brasileiros. O Mais Médicos está presente em mais de 3.800 municípios, com mais de 14,7 mil médicos (brasileiros e estrangeiros) atuando em postos de saúde no Brasil.

leia também

  • A um mês das eleições, governo divulga pesquisa favorável ao Mais Médicos

* Fonte: FP/MS

Segurança Pública/Pernambuco: Governo Inaugura Unidade da Funase em Timbaúba *

 

 

Estado inaugura sua

unidade mais moderna

da Funase

 

Exiba Case Timbaúba.jpg na apresentação de slides

 

 

A nova unidade da Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase) localizada em Timbaúba e que atende às necessidades da Zona da Mata Norte já está em pleno funcionamento. Para o governador João Lyra neto, além de ser a mais moderna de Pernambuco é uma das mais bem equipadas do Brasil. “O Centro de Atendimento Socioeducativo (Case) Timbaúba inova ainda na sua gestão: será a primeira no Estado a contar com a atuação de um Grupo Comunitário de Apoio e Acompanhamento de execução das medidas socioeducativas, formado por cinco representantes voluntários com mandato de 12 meses”, afirmou o governador.

O grupo irá operar apresentando propostas de melhorias a serem desenvolvidas na unidade. Os projetos serão analisados pela Funase e, se aprovados, serão executados. A intenção é que, pelo menos, mais duas unidades iniciem os trabalhos do Grupo Comunitário de Apoio até o final deste ano. Os Cases Caruaru, Jaboatão dos Guararapes, Petrolina e Vitória de Santo Antão são alguns dos centros que já estão na rota do projeto.

Para o presidente da Funase, Eutácio Borges, a participação da comunidade é de fundamental importância. “A comunidade participando através desse grupo de apoio vai atender as necessidades dos jovens em cumprimento de medida, além de todos que participam do processo de ressocialização”, garante.

Vinte e seis socioeducandos, que estavam sendo atendidos no antigo Case Timbaúba, já foram transferidos para a nova unidade. Outros 42 internos, naturais de cidades da Mata Norte, também serão encaminhados para continuarem o cumprimento da medida socioeducativa.

Timbaúba – O novo centro possui uma área construída de 1,7 hectares e contará com três casas de convivência, cinco quartos com capacidade para quatro adolescentes, cada, consultórios, uma foto Escola Estadual com duas salas de aula, biblioteca, sala de informática, cozinha com refeitório, espaço ecumênico, quadras de areia e polivalente, três salas para a prática de oficinas esportivas, lúdicas, culturais e profissionalizantes, entre outros ambientes. Uma seleção pública simplificada foi realizada no município, no último mês de maio, para a contratação de 70 agentes e seis assistentes socioeducativos que irão atuar no Case Timbaúba.

 

Fonte: Radio/SEI
Foto: Divulgação/Rádio SEI

Brasil/Câmara dos deputados: Campeões de votos têm atuação APAGADA *

 

Campeões de votos

têm atuação apagada

 

Levantamento técnico da Câmara mostra participação apática em tomadas de decisão

 

Campeões nas urnas na última eleição, os 30 deputados federais que tiveram mais votos em seus Estados em 2010 chegam em sua maioria ao fim do mandato com uma atuação pífia. Levantamento da área técnica da Câmara feito para o Estado mostra que a maior parte desses parlamentares teve uma participação apática em tomadas de decisão e no debate dos principais temas do Congresso, no plenário e comissões.

A lista inclui o deputado mais votado de cada Estado, acrescida por três parlamentares que figuraram no ranking dos dez principais em número de votos no País, conforme dados do Tribunal de Superior Eleitoral (TSE). Apenas cinco dos 30 concentraram 59% dos discursos e apartes em tribuna. O quinteto foi responsável por 34,5% das matérias relatadas pelo grupo e por 25,7% dos projetos, emendas e requerimentos elaborados por eles.

Um dos critérios utilizado para a análise do desempenho dos deputados levou em conta o número de matérias relatadas pelos parlamentares. O papel do relator é orientar o voto dos colegas sobre temas que podem virar lei no País. Além disso, a relatoria pode ser usada para barganhar apoio a projetos individuais.

(Deputado Eduardo da Fonte PP/PE relatou apenas 3 projetos)

À frente do bloco PP-PROS, a terceira maior bancada da Câmara, o líder Eduardo da Fonte (foto) (PP-PE), o segundo mais votado em seu Estado, relatou apenas três projetos. O deputado argumenta, por meio de sua assessoria, que em 2011 e 2012 foi segundo vice-presidente da Câmara, o que o impedia de relatar projetos. Já em 2013, Fonte alega que foi presidente da Comissão de Minas e Energia e, por “tradição”, não é recomendável relatar. Em 2014, ele diz que assumiu a liderança partidária e, em razão disso, “acha melhor dividir” as relatorias entre seus correligionários.

]

Dida Sampaio/Agência Estado

(Deputado mais votado do País, o palhaço Tiririca relatou oito projetos, mas nunca defendeu uma ideia ou projeto em discurso na tribuna)

Deputado mais votado do País – escolhido por 1,35 milhão de eleitores -, Francisco Everardo Oliveira Silva (foto) (PR-SP), o palhaço Tiririca, relatou oito projetos – entre eles, um que renomeava viaduto em Guaratinguetá (SP) e outro denominando Caçapava (SP) como “Capital Nacional do Antigomobilismo”, ou seja, a cidade da restauração e manutenção de veículos antigos. Entretanto, em quatro anos, Tiririca nunca defendeu uma ideia ou projeto em discurso na tribuna.

Atual líder nas pesquisas para o Senado no Distrito Federal, José Antônio Reguffe (PDT) empata em relatorias com Tiririca, que supera outros oito parlamentares – como os ex-líderes de bancada ACM Neto (DEM-BA) e Ana Arraes (PSB-PE). Ambos deixaram os mandatos mais cedo para assumir os cargos de prefeito de Salvador e de ministra do Tribunal de Contas da União (TCU), respectivamente. No topo da lista está o deputado Esperidião Amin (PP-SC), com 79 projetos relatados. 

Os 30 deputados analisados pelo Estado fizeram 3.787 manifestações na tribuna, entre discursos e apartes, e apresentaram 6.560 proposições – como projetos individuais e coletivos, emendas e requerimentos. Eles foram relatores de 457 projetos, medidas provisórias, entre outros. 

O deputado Vinícius Gurgel (PR), o mais votado do Amapá em 2010, é o último da lista em número de proposições – apenas 32. Em penúltimo está Tiririca – com 42 proposições, sendo 30 projetos próprios relacionados ao circo. Nenhum aprovado.

Para a comparação, no lado oposto, com mais matérias apresentadas durante o mandato entre os 30 parlamentares da lista, a deputada Fátima Bezerra (PT-RN) aparece com um total de 757 proposições. 

 

* Fonte: Estadão/NIVALDO SOUZA E ERICH DECAT – O ESTADO DE S. PAULO

Brasil/Economia: Governo despreza o ETANOL e leva as Usinas à Falência *

 

 

 

Com pré-sal, governo

deixa etanol de lado

Setor enfrenta o pior dos cenários, que vai de demissões à falta de crédito; 34 usinas fecharam em 7 anos

Desde 2007, 58 usinas fecharam as portas na região centro-sul – 34 delas em São Paulo. Isso sem contar as empresas que deixaram de produzir etanol para se dedicar ao açúcar.

 

 

Os negócios ligados ao etanol já foram mais prósperos. O cenário, hoje, é de insatisfação, principalmente dos produtores, que reclamam da falta de incentivo do governo e culpam o subsídio à gasolina como um dos responsáveis pelo retrocesso do setor. Desde 2007, 58 usinas fecharam as portas na região centro-sul – 34 delas em São Paulo. Isso sem contar as empresas que deixaram de produzir etanol para se dedicar ao açúcar.

O derivado da cana foi alardeado pelo governo mundo afora como alternativa sustentável aos combustíveis fósseis. Surgia como esperança de mudança no cenário econômico brasileiro. Junto houve o incentivo ao aumento da frota flex e a perspectiva de exportação do etanol brasileiro.

Pré-sal. Veio então a euforia com os resultados do pré-sal – de 2010 a 2014, a média de produção cresceu dez vezes, chegando a 411 mil barris de petróleo por dia, que representa 20% de toda a produção nacional. O etanol foi para segundo plano.

“A crise do álcool começou em 2010, com a implantação da política de controle de preço de gasolina e diesel para segurar a inflação de energia”, diz Adriano Pires, presidente do Centro Brasileiro de Infraestrutura. “Ao segurar o preço da gasolina na bomba dos postos, a Petrobrás teve prejuízo.”

O consumidor preferiu a gasolina ao álcool depois que o derivado de petróleo ficou sem aumento do preço na bomba Em 2009, 80% dos veículos s flex usavam álcool. No fim de 2012, a adesão caiu para 27%. Para o motorista, só vale à pena usar o etanol se o preço for até 70% abaixo da gasolina, pois o combustível da cana rende menos.

“No ano passado, a crise ainda se agravou devido ao clima”, diz Elizabeth Farina, presidente do União Nacional das Indústrias de Cana-de-Açúcar (Unica). Em alguns lugares, choveu muito acima de média, em outros, muito abaixo, e ainda houve geada. O País ficou sem estoque para exportação.

No campo, a crise levou a demissões, problemas de salário e falta de crédito. Até as usinas que migraram para o açúcar se deram mal . “O preço da bolsa do açúcar em Nova York não cobre os custos da produção”, diz Gustavo Diniz Junqueira, presidente da Sociedade Rural Brasileira. “Não sabemos qual será a saída para essa crise”, diz Elizabeth. Mas o sonho do etanol virar commodity ainda está longe de se concretizar.

* Fonte: Estadão/Por Valéria França, Bárbara Bretanha, estadao.com.br