Category Archives: Colaboração

Pernambuco/PSA Ipojuca: “Tem futuro o Rio Ipojuca” – Há quem acredite? *

 

REPRESENTANTES DO BID

SUPERVISIONAM ATIVIDADES

DO PSA IPOJUCA

 

 

O Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), principal financiador do Programa de Saneamento Ambiental da Bacia Hidrográfica do Rio Ipojuca, o PSA Ipojuca, realizou a Missão de Supervisão do andamento das ações do programa. A visita, realizada entre os dias 5 e 7 de novembro, foi importante para que as representantes do BID pudessem acompanhar de perto o desenvolvimento das atividades. Várias reuniões foram realizadas com técnicos da Compesa, da Secretaria de Infraestrutrura do Governo, da Apac e da CPRH.

De acordo com a especialista em saneamento e representante do BID, Irene Altafim, o balanço foi positivo, tendo em vista que das 32 ações previstas para 2014, 31 foram iniciadas. “O desenvolvimento dos projetos está em um ritmo bom, mas temos que reduzir ainda mais os prazos, reduzir os tempos para os processos de licitação, o que dará mais agilidade ao projeto. Esse é um desafio para os próximos anos”, afirmou.

Dentro da programação da Missão de Supervisão do BID, foi realizada a reunião semestral do Comitê Consultivo do PSA Ipojuca. O encontro contou com a presença do secretário de Infraestrutura de Pernambuco, João Bosco de Almeida, e teve o objetivo de integrar as informações sobre a evolução das ações do programa, bem como tirar dúvidas dos membros presentes. “Tem futuro o Rio Ipojuca”, declarou João Bosco logo após as apresentações.

A primeira grande obra do programa, prevista para iniciar em janeiro de 2015, será a implantação do sistema de esgotamento sanitário no município de Tacaimbó, no Agreste do estado. No próximo dia 25, a Compesa irá realizar um evento socioambiental na localidade em comemoração ao Dia do Rio. As atividades serão voltadas para o público em geral, com atenção especial para as crianças e adolescentes. Atividades lúdicas, teatro, apresentação musical e informações sobre os cuidados com o meio ambiente farão parte da programação.

HISTÓRICO

O Programa de Saneamento Ambiental da Bacia Hidrográfica do Rio Ipojuca (PSA Ipojuca) visa recuperar a vida do manancial, um dos principais do Estado, por meio da ampliação dos sistemas de esgotamento sanitário e elevação dos níveis de tratamento de esgoto em 12 cidades situadas às margens do rio.

O PSA Ipojuca está orçado em cerca de US$ 330 milhões, sendo US$ 200 milhões financiados pelo BID e US$ 130 milhões de contrapartida do Governo de Pernambuco, tornando-se assim o maior financiamento individual firmado entre o estado e a instituição internacional.

* Fonte: Compesa

Brasil: Diminuiu, mais ainda temos 155 mil pessoas em situação análoga à escravidão *

 

No Brasil, situação

análoga à escravidão

atinge 155,3 mil pessoas

 

 

 

 

Jornada exaustiva de trabalho

(No Brasil, situação análoga à escravidão atinge 155,3 mil pessoas Ministério Público do Trabalho – Divulgação)

 

 

O Brasil tem 155,3 mil pessoas em situação análoga à escravidão, segundo o relatório Índice de Escravidão Global 2014, da Fundação Walk Free, divulgado hoje (17). Houve significativa queda em relação ao levantamento do ano passado, que apontou mais de 210 mil pessoas submetidas ao trabalho escravo no país. De acordo com a organização, dos 200.361.925 de brasileiros, 0,078% está nesta condição.

Pela primeira vez, segundo o levantamento, o número de pessoas resgatadas em situação de trabalho forçado no setor da construção civil (38% dos casos) foi maior que no setor rural do país. De acordo com a Walk Free, o Brasil atraiu bilhões de dólares em investimentos para a execução da Copa do Mundo, o que propiciou o aumento do número de casos em áreas urbanas.

O relatório também destaca que a exploração sexual concentrou um grande número de pessoas em situação de trabalho forçado por causa do grande fluxo de turismo nas cidades-sede do Mundial. A Walk Free ressaltou que Fortaleza concentrou boa parte dos casos de abuso sexual de crianças por turistas.

O documento ressalta que ainda há muitas crianças trabalhando como empregadas domésticas. Em 2013, segundo a organização, 258 mil pessoas entre 10 e 17 anos estavam trabalhando como trabalhadoras domésticas no Brasil. Segundo um dos autores do relatório, Kevin Bales, também há preocupação com a participação de crianças no tráfico ilegal de drogas.

De acordo com a Walk Free, outro dado relevante no país é o fato de muitos bolivianos e peruanos serem explorados na indústria têxtil. Mais da metade dos 100 mil imigrantes bolivianos entraram no Brasil de forma irregular e são facilmente manipulados por meio da violência, das ameaças de deportação, e da servidão por dívida, segundo a pesquisa.

A organização ressaltou o progressivo comprometimento do governo e das empresas com a erradicação do trabalho forçado no Brasil. Um das medidas lembradas foi a aprovação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) do Trabalho Escravo, que determina a expropriação de imóveis urbanos e rurais onde seja constatada a exploração de trabalho análogo à escravidão. Outra medida importante é a lista suja do trabalho escravo, elaborada pelo Ministério do Trabalho.

“O Brasil é um dos líderes mundiais no combate à escravidão. A lista suja e os grupos móveis de combate ao trabalho escravo são muito importantes e nenhum outro país tem medidas como essa”, disse Bales.

Leia a Íntegra:

No Brasil, trabalho escravo atinge 155,3 mil pessoas

Saiba Mais

 

* Fonte: AEB/Ana Cristina Campos – Repórter da Agência Brasil

Petrobrás/Escândalo Petrolão: Gerente ganhava 20 mil reais e tem quase 100 milhões de dólares para DEVOLVER *

 

 

Subordinado de Renato

Duque vai devolver cerca

de US$ 100 milhões

 

Ex-gerente da Petrobras, Pedro Barusco faz delação premiada na Lava-Jato

(Ex-diretor da Petrobrás Renato de Souza Duque que está preso no Paraná. Pedro Barusco era seu subordinado)

O ex-gerente da Petrobras Pedro Barusco concordou em devolver cerca de US$ 100 milhões desviados da companhia. Ele era subordinado a Renato de Souza Duque, um dos presos na Operação Lava-Jato da Polícia Federal, e fez acordo de delação premiada.

O nome de Barusco é mencionado em diversos trechos do relatório do Ministério Público Federal (MPF) sobre a operação. Dois executivos da Toyo Setal, Julio Gerin Camargo e Augusto Ribeiro de Mendonça, que fazem delação premiada sempre se referem a Barusco como o responsável por operacionalizar a propina que era paga ao ex-diretor.

O MPF já aponta no relatório que US$ 20 milhões em nome de Barusco estavam apreendidos administrativamente na Suíça pelas autoridades daquele país. Apesar de todas as menções ao subordinado de Duque, o nome dele ficou de fora dos pedidos de prisão e busca e apreensão. Isso ocorreu porque colabora com as investigações. O relatório cita ainda nove obras da Petrobras nas quais houve desvios de recursos. Em sete delas os delatores contaram ter pago propina a Duque e Barusco.

O depoimento dos delatores da Toyo Setal afirma que os pagamentos a Duque e Barusco eram feito, em sua maioria, por meio de contas na Suíça e no Uruguai. Dizem que poucos pagamentos foram feito no Brasil. Camargo afirmou que foram feitos pagamento em espécie por emissários enviados pelo ex-diretor e pelo ex-gerente. Disse que nunca entregou dinheiro diretamente nas mãos de Renato Duque pois este era “extremamente cauteloso”.

Leia também:

* Fonte: O Globo/POR JAILTON DE CARVALHO E EDUARDO BRESCIANI

Presidente Dilma minimiza a crise moral: “O Brasil não se abala por um escândalo” *

 

 

“O Brasil não se abala

por um escândalo”,

diz Dilma sobre Petrobras

 

 

 

No seu primeiro pronunciamento desde a prisão espetacular de chefes de empreiteiras no escândalo de corrupção da Petrobras, a presidente Dilma Rousseff exaltou o mérito do governo de estar investigando a corrupção “pela primeira vez na História do Brasil”. E ainda culpou governos passados pela corrupção que está acontecendo hoje na empresa, afirmando que ninguém fez nada antes dela para combater.

Para a presidente, o escândalo será um marco na história do país :

Eu acho, de fato, que isso pode mudar o país para sempre. Em que sentido ? No sentido de que se vai acabar com a impunidade. Este é, para mim, a característica principal desta investigação.

Vestida num terno bege, respondendo tranquilamente a todas as perguntas, a presidente disse que nem ela, nem o país vão se abalar por causa disso. É parte do jogo democrático, afirmou.

– O Brasil não se abala por um escândalo – disse.

O escândalo, também, não vai significar o fim nem a revisão de todos os contratados do governo com as principais empreiteiras do país, muito menos uma devassa na Petrobras :

– Não acho que nem a Petrobras, nem todas as empreiteiras…não dá para demonizar todas as empreiteiras desse país. São grandes empresas e se a,b, c ou d praticaram malfeitos, atos de corrupção, ou de corromper, eles pagarão por isso.

Segundo ela, é “um absurdo fazer raio x de todas as companhias para trás” – isto é, rever todos os contratos :

Leia a Íntegra:

    • A presidente Dilma Rousseff, durante Cerimônia de entrega das Cartas Credenciais dos Embaixadores Estrangeiros

      ‘Brasil não se abala por um escândalo’, diz Dilma sobre Petrobras

      Agência O Globo 5 horas atrás

Brasil: Escândalos derrubam o valor da Petrobrás de 380,2 para 173,9 bilhões *

Com escândalos,

Petrobras cai para 3ª

maior empresa em

valor na Bolsa

 

Maior empresa do Brasil em patrimônio, a Petrobras caiu para o terceiro lugar entre as companhias de maior valor de mercado negociadas na Bolsa.

Do início do governo Dilma Rousseff até esta quinta-feira (13), o valor da estatal caiu de R$ 380,2 bilhões para R$ 173,9 bilhões, derrubado pela sucessão de escândalos de corrupção.

Petrobras valor de mercado 1994-2014

Com isso, ela foi superada pela Ambev, cujas ações somam R$ 251,3 bilhões, e pelo Itaú Unibanco, avaliado em R$ 184,2 bilhões.

A comparação entre os valores de mercado e o patrimônio líquido -os bens e valores a receber, descontando as dívidas- mostra o tamanho da incerteza do mercado quanto ao futuro da Petrobras.

O patrimônio líquido da petrolífera foi contabilizado em R$ 362,2 bilhões em junho, muito acima dos montantes da Ambev (R$ 43,6 bilhões em setembro) e do Itaú (R$ 94,8 bilhões em setembro).

No governo Lula, a gigante estatal chegou a valer R$ 429,9 bilhões na Bolsa ao final de 2007. Naquela época havia sido anunciada a maior descoberta de petróleo na camada do pré-sal -os primeiros achados, de 2006, não eram tão impactantes.

Encerrado o período de prosperidade da economia global da década passada, as ações da companhia entraram em trajetória de queda no governo Dilma.

Além do cenário menos favorável, a rentabilidade da empresa foi prejudicada pela decisão política de represar os preços da gasolina e outros combustíveis para conter a inflação.

Mais recentemente, a queda foi intensificada pela operação da Polícia Federal que investiga o pagamento de propinas à empresa em favor de partidos políticos.

* Fonte: Infomoney/POR DINHEIRO PÚBLICO & CIA

Brasil: Juiz Federal Sergio Moro. O Herói da Operação Lava-Jato… *

 

 

PETROLÃO

JUIZ DA LAVA JATO DEFENDE

ACORDOS DE DELAÇÃO PREMIADA

 

HERÓI DA OPERAÇÃO LAVA JATO, O JUIZ SERGIO MORO DEFENDE A COLABORAÇÃO

 

Juiz disse: “crimes não são cometidos no céu e, em muitos casos, as únicas pessoas que podem servir como testemunhas são igualmente criminosos.” (Foto: JF Diorio/AE)

(Juiz disse: “crimes não são cometidos no céu e, em muitos casos, as únicas pessoas que podem servir como testemunhas são igualmente criminosos.”) (Foto: JF Diorio/AE)

O juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal em Curitiba, defendeu os acordos de delação premiada firmados com os investigados na Operação Lava Jato. No despacho em que decretou novas prisões na sétima fase da investigação, Moro disse que “crimes não são cometidos no céu e, em muitos casos, as únicas pessoas que podem servir como testemunhas são igualmente criminosos.”

Na decisão, o juiz reconheceu que os depoimentos do doleiro Alberto Youssef e do ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa devem ser vistos com precaução pelo fato de os investigados serem acusados de crimes graves. No entanto, Moro afirma que a colaboração é necessária para avançar nas investigações.

“Mesmo vista com reservas, não se pode descartar o valor probatório da colaboração premiada. É instrumento de investigação e de prova válido e eficaz, especialmente para crimes complexos, como crimes de colarinho branco ou praticados por grupos criminosos, devendo apenas serem observadas regras para a sua utilização, como a exigência de prova de corroboração. Sem o recurso à colaboração premiada, vários crimes complexos permaneceriam sem elucidação e prova possível”, disse o juiz.

Sérgio Moro defendeu a atuação da Polícia Federal e do Ministério Público Federal na condução da investigação. Segundo ele, os acusados não foram coagidos a assinar os acordos de delação premiada.

“Nunca houve qualquer coação ilegal contra quem quer que seja da parte deste Juízo, do Ministério Público ou da Polícia Federal na assim denominada Operação Lava Jato. As prisões cautelares foram requeridas e decretadas porque presentes os seus pressupostos e fundamentos, boa prova dos crimes e principalmente riscos de reiteração delitiva dados os indícios de atividade criminal grave reiterada e habitual. Jamais se prendeu qualquer pessoa buscando confissão e colaboração”, afirmou.

O juiz destacou que a investigação da Operação Lava Jato vai além dos depoimentos testemunhais. Moro cita que foi feito um rastreamento específico dos valores desviados das obras da Refinaria Abreu e Lima, da Petrobras, para contas das empreiteiras. “A prova mais relevante, porém, é a documental. Os depósitos milionários efetuados pelas empreiteiras nas contas controladas por Alberto Youssef constituem prova documental, preexistente às colaborações premiadas, e não estão sujeitas à qualquer manipulação”.

Na quarta-feira (12), o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, confirmou que mais investigados fecharam acordo de delação premiada com o Ministério Público Federal. Segundo Janot, três acordos aguardam homologação da Justiça e mais cinco ou seis estão em curso.

Leia também – Justiça

Juiz da Lava Jato defende acordos de delação premiada

Nas 50 cidades mais violentas do mundo, Brasil entra com 16 *

As 50 cidades mais

violentas do mundo;

Brasil tem 16 na lista

 

 

Trinta e quatro das piores cidades do ranking estão localizadas na América Latina.

 

 

Antes de escolher um destino para viajar, muitos se preocupam em conferir se o local é seguro.

O Business Insider listou as 50 cidades mais violentas ao redor do mundo.

Trinta e quatro das piores cidades do ranking estão localizadas na América Latina, sendo que o assassinato é o crime mais comum na região do que em qualquer outra parte do mundo.

O destaque vai para San Pedro Sula, uma cidade em Honduras.

O Brasil não passa longe dessa lista negra e abriga 16 municípios violentos. Confira:

Posição Cidade – País

1º lugar San Pedro Sula – Honduras

2º lugar Caracas – Venezuela

3º lugar Acapulco – México

4º lugar Cali – Colômbia

5º lugar Maceió – Brasil

6º lugar Distrito Central – Honduras

7º lugar Fortaleza – Brasil

8º lugar Guatemala City – Guatemala

9º lugar João Pessoa – Brasil

10º lugar Barquisimeto – Venezuela

11º lugar Palmira – Colômbia

12º lugar Natal – Brasil

13º lugar Salvador – Brasil

14º lugar Vitória – Brasil

15º lugar São Luís – Brasil

16º lugar Culiacán – México

17º lugar Ciudad Guayana – Venezuela

18º lugar Torreón – México

19º lugar Kingston – Jamaica

20º lugar Cape Town – África do Sul

21º lugar Chihuahua City – México

22º lugar Victoria – México

23º lugar Belém – Brasil

24º lugar Detroit – Estados Unidos

25º lugar Campina Grande – Brasil

26º lugar Nova Orleans – Estados Unidos

27º lugar San Salvador – El Salvador

28º lugar Goiânia – Brasil

29º lugar Cuiabá – Brasil

30º lugar Nuevo Laredo – México

31º lugar Manaus – Brasil

32º lugar Santa Marta – Colômbia

33º lugar Cúcuta – Colômbia

34º lugar Pereira – Colômbia

35º lugar Medellín – Colômbia

36º lugar Baltimore – Estados Unidos

37º lugar Juárez – México

38º lugar San Juan – Porto Rico

39º lugar Recife – Brasil

40º lugar Macapá Brasil

41º lugar Nelson Mandela Bay – África do Sul

42º lugar Maracaibo – Venezuela

43º lugar Cuernavaca – México

44º lugar Belo Horizonte – Brasil

45º lugar St. Louis – Estados Unidos

46º lugar Aracajú – Brasil

47º lugar Tijuana – México

48º lugar Durban – África do Sul

49º lugar Porto Príncipe – Haiti

50º lugar Valencia – Velezuela

Além dos assassinatos, o tráfico de drogas, guerras de gangues, instabilidade política, corrupção e a pobreza influenciam na alta violência nas cidades da lista.

* Fonte: InfoMoney

Brasil: Contas do País está entre as PIORES do mundo *

 

Análise: Situação real das

contas do Brasil está

entre as piores do mundo

 

O Brasil iniciou em 1999 a política de metas de superavit primário porque os juros nacionais e os encargos da dívida pública não têm paralelo entre as principais economias do mundo.

Esse dado põe em xeque a argumentação da presidente Dilma Rousseff segundo a qual o desempenho fiscal do país, em aguda deterioração neste ano eleitoral, é melhor que o da grande maioria dos países do G20.

Na maior parte do mundo, o saldo das contas dos governos é apurado a partir da diferença entre as receitas totais e as despesas totais -o que no Brasil se chama de resultado nominal.

O deficit nominal brasileiro acumulou o equivalente a 4,9% do PIB (Produto Interno Bruto, medida da renda nacional) nos últimos 12 meses, maior taxa em 11 anos.

Entre as principais economias globais, esse patamar só é igualado ou superado por EUA, Reino Unido, Japão, Índia e África do Sul.

Os três primeiros, desenvolvidos, buscam estimular suas economias e não enfrentam dificuldades para obter dinheiro emprestado. As duas últimas, emergentes, são vistas, como o Brasil, como vulneráveis a oscilações do mercado externo.

A comparação de Dilma, no entanto, se baseou nos resultados primários -ou seja, que não consideram as despesas com juros da dívida pública. Trata-se de um conceito pouco considerado no resto do mundo.

O Brasil adotou esse cálculo em sua política fiscal porque o governo sempre teve dificuldades em cumprir metas de resultado nominal. Os juros, além de elevados, estão sujeitos a alterações para o controle da inflação.

União, Estados e municípios gastam hoje 5,5% do PIB com encargos da dívida. Um levantamento feito pelo FMI (Fundo Monetário Internacional) com dados de 2011 mostrou que só Grécia e Líbano gastavam mais. Na maior parte do G20, essa despesa não chega a 2% do PIB.

Leia também:

 

*  Fonte: Folha SP/GUSTAVO PATU DE BRASÍLIA

Movimento Cultural/Evento: Começa HOJE a 10ª Fliporto *

10ª Fliporto de

13 a 16 de novembro

 

 

 

Movimento Cultural/Crônica: Mandacaru tem Flor * – Colaboração de Fátima Canejo

MANDACARU TEM FLOR

“Mandacaru tem flor, é vermelha, é azul, é uma cor de toda cor a flor do mandacaru. Quando chove é jardim, mas se chuvisca brota enfim o que mais parece jasmim. Na ensolarada dos dias, em meio a lamentos e agonias, ninguém mais enxerga a flor na dor do mandacaru.”

 

 

 

 

Mandacaru tem flor. Floresce mandacaru!

Tanta sina, tanta vida, tanto destino de desalento e solidão, esperança petrificada desse sertão. Povo faminto, povo tão nu, esperando a flor do mandacaru.

Tempo aberto, sol escaldante, calango passando, cobra sumindo debaixo da macambira, um tatu e um preá, tudo nesta vida e nela tudo que há. Nas pedreiras o urubu, espante o bicho mandacaru!

Alvorece, vem o dia, a tarde chega escaldante, um entardecer num rompante caminhando para o anoitecer. Tudo passa sempre assim, sem revoada ou pio de passarim, sem nuvem ao norte, sem nuvem ao sul. Floresce mandacaru!

Maria foi passear, tomou o destino do mato, cortou vereda e caminho, pisou em ponta de pedra, pisou em ponta de espinho, mas seguia sem destemor tentando encontrar a flor. No cansaço que chegou, sentou no chão e chorou, queria apenas a flor, a cor do mandacaru!

Gavião ronda a magreza, urubu vem rastejante, imagina que num instante o bezerro vai cair, o bezerro vai morrer, e a carniça a lhe sorrir. Enquanto a morte não vem, enquanto a danada não grita, o carnicento faz seu voo e pousa no mandacaru. Os olhos avermelhados na flor do mandacaru!

Menino sertanejo danado, traquina de descampado, quando se vê aperreado corre pro mato em fuga. Como não tem com o que brincar, pula e pega o sol com a mão, e nele dá um chutão rumo ao mandacaru. A ponta do espinho no sol explode em girassol, a flor do mandacaru!

Mandacaru tem flor, é vermelha, é azul, é uma cor de toda cor a flor do mandacaru. Quando chove é jardim, mas se chuvisca brota enfim o que mais parece jasmim. Na ensolarada dos dias, em meio a lamentos e agonias, ninguém mais enxerga a flor na dor do mandacaru.

Depois da molhação da trovoada, enchendo tanque, alagando estrada, a caatinga se transforma. Faz festa a bicharada, a mata toda animada louvando a graça divina, e o mandacaru com a sina de agradecer ao Senhor. Abre os braços numa prece, em cada lado uma flor!

Sertanejo agoniado, catando comida pro gado, corta palma e capim, corta mato e o que encontrar, num desespero sem fim. Desce o machado em tudo, derruba até aroeira pra fugir da desgraceira que é a fome do bicho. Só não corta o espinhento, altivo e arreliento, a flor do mandacaru.

A Velha Sinhá se alevanta, mija em riba da planta que é pra ela não morrer. Depois abre a porta da frente, já sentindo o bafo quente do sol mais perto da terra. Eleva a Deus uma prece, numa fé que não esmorece, desejando boa sorte. Ergue o olhar para o norte, no piado da nambu, e os olhos pensam avistar uma flor no mandacaru!

* Autor: Rangel Alves da Costa – Editor do blogspot Ser tão Sertão – Escritor, cronista  e poeta – http://blograngel-sertao.blogspot.com.br/