Category Archives: Pesquisa Eleitoral

Eleição 2014/Segundo Turno; Por que Dilma perdeu mais eleitores do que Aécio? *

 

 

Dilma perde mais eleitores

do que Aécio para o 2º

turno, diz Datafolha

 

 

A presidente Dilma Rousseff (PT) perdeu para o rival Aécio Neves (PSDB) parte dos eleitores que votaram nela no primeiro turno, mostra pesquisa Datafolha.

O mesmo ocorre com o tucano, mas em percentual inferior ao dos votos perdidos pela petista.

Segundo levantamento Datafolha concluído na quinta-feira (9), se a eleição fosse nesse dia, 6% dos eleitores que afirmaram ter votado em Dilma Rousseff no primeiro turno escolheriam o tucano no segundo turno. No caso de Aécio Neves, a migração de votos para a petista seria de 2%.

Considerando apenas os votos válidos, Dilma perderia 6% dos votos, e Aécio, 3%.

Dilma Rousseff terminou o primeiro turno à frente, com 43,268 milhões de votos, ou 41,59% do total dos válidos. Aécio Neves teve 34,897 milhões de votos, 33,55% dos válidos.

Na última pesquisa do Datafolha, ambos aparecem em empate técnico nas intenções de voto para o segundo turno. O tucano, porém, está numericamente à frente, com 51% das intenções, contra 49% de Dilma.

É a primeira vez que ele lidera nas pesquisas do instituto. A margem de erro da pesquisa é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.

Dos que disseram ter votado em Dilma, 88% afirmaram que “com certeza” repetiriam o voto no dia 26 de outubro. Daqueles que optaram por Aécio, 91% permaneceriam fiéis.

Entre os dilmistas, 3% não sabiam em quem votar no pleito final das eleições presidenciais. No caso tucano, esse percentual era de 2%.

 

 

Leia a Íntegra:

Dilma perde mais eleitores do que Aécio para 2º turno, diz Datafolha

* Fonte: Folha de São Paulo / PAULO MUZZOLON – EDITOR-ASSISTENTE DE “MERCADO”

Eleições 2014/presidente: Aécio põe mais de 17 pontos de vantagem, segundo Sensus/IstoÉ *

 

 

Aécio dispara e abre 17 pontos de vantagem sobre Dilma, mostra pesquisa Istoé/Sensus

Primeiro levantamento após divulgação de áudios da Petrobrás mostra que escândalo atingiu em cheio campanha da petista

 

aecio2.jpg

 

Primeira pesquisa ISTOÉ\Sensus realizada depois do primeiro turno da sucessão presidencial mostra o candidato Aécio Neves (PSDB) com 58,8% dos votos válidos e a petista Dilma Rousseff com 41,2%. Uma diferença de 17,6 pontos percentuais. O levantamento feito entre a quarta-feira 7 e o sábado 10 é o primeiro a captar parte dos efeitos provocados pelas revelações feitas pelo ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa sobre o detalhamento do esquema de corrupção na estatal. “Além do crescimento da candidatura de Aécio Neves, observa-se um forte aumento na rejeição da presidenta Dilma Rousseff”, afirma Ricardo Guedes, diretor do Instituto Sensus. Segundo a pesquisa, o índice de eleitores que afirmam não votar em Dilma de forma alguma é de 46,3%. A rejeição de Aécio Neves é de 29,2%. “O tamanho da rejeição à candidatura de Dilma, torna praticamente impossível a reeleição da presidenta”, diz Guedes. A pesquisa também capta, segundo o diretor do Sensus, os apoios políticos que Aécio recebeu durante a semana, entre eles o do PSB, PV e PPS.

As 2000 entrevistas feitas em 24 Estados e 136 municípios mostra que houve uma migração do eleitorado à candidatura tucana mais rápida do que as manifestações oficiais dos líderes políticos. No levantamento sobre o total dos votos, Aécio soma 52,4%, Dilma 36,7% e os indecisos, brancos e nulos são 11%, tudo com margem de erro de 2,2% e índice de confiança de 95%. Nos votos espontâneos, quando nenhum nome é apresentado ao eleitor, Aécio soma 52,1%, Dilma fica 35,4% e os indecisos são 12,6%. “A analise de todos esses dados permite afirmar que onda a favor de Aécio detectada nas duas semanas que antecederam o primeiro turno continua muito forte”, diz Guedes. O tucano, segundo a pesquisa ISTOÉ\Sensus, vence em todas as regiões do País, menos no Nordeste. No PSDB, a espectativa é a de que a diferença a favor de Dilma no Nordeste caia nas próximas pesquisas, principalmente em Pernambuco, na Bahia e no Ceará. Em Pernambuco devido o engajamento da família de Eduardo Campos na campanha, oficializado na manhã do sábado 10. Na Bahia em função da presença mais forte do prefeito de Salvador, ACM Neto, no palanque tucano. E, no Ceará, com a participação do senador eleito Tasso Jereissati.

Além da vantagem regional, Aécio, de acordo com o levantamento, supera Dilma em todas as categorias socioeconômicas, o que, segundo a análise de Guedes, indica que a estratégia petista de apostar na divisão do País entre pobres e ricos não tem dado resultado.

PESQUISA ISTOÉ|Sensus

Realização – Sensus

Registro na Justiça Eleitoral – BR-01076/2014

Entrevistas – 2.000, em cinco regiões, 24 Estados e 136 municípios do País

Metodologia – Cotas para sexo, idade, escolaridade, renda e urbano e rural

Campo – de 07 a 10 de Outubro de 2014

Margem de erro – +/- 2,2%

Confiança – 95%

* Fonte: REvista IstoÉ/Mário Simas Filho

Eleição Presidencial/Segundo Turno: 1/3 dos Ricos rejeitam Dilma. 1/3 dos Pobres não votam em Aécio *

 

 

Rejeição a Dilma é maior entre

os mais ricos, aponta Datafolha

 

 

 

A rejeição ao voto na presidente Dilma Rousseff (PT) é maior entre os mais ricos. Segundo pesquisa Datafolha concluída na última quinta-feira (9), 43% dos entrevistados disseram que não votariam na presidente de jeito nenhum. Já os que responderam isso sobre Aécio Neves (PSDB) são 34%.

Entre os mais ricos, a rejeição à Dilma cresce: 65% disseram não votar na petista, enquanto apenas 25% dos classificados como classe alta não votariam no tucano. No grupo classe média-alta, os percentuais são, respectivamente, de 57% e 26%.

Na outra ponta, a rejeição a Aécio é maior entre os mais pobres. Dos excluídos (baixa escolaridade e renda), 41% disseram que não votam no tucano, ante 29 de Dilma.

A classificação de perfil de classe criada pelo Datafolha combina, por meio de análises estatísticas, o acesso a bens de conforto, escolaridade do entrevistado e renda familiar mensal.

O diretor do Datafolha, Mauro Paulino, avalia que se por um lado a rejeição a Aécio não é tão expressiva entre os excluídos, por outro as classes baixas são justamente onde a presidente obtém sua maior parcela de eleitores convictos.

Segundo ele, no segundo turno, além de tentar conquistar votos as campanhas procuram também aumentar a rejeição do adversário.

O Datafolha investigou ainda o grau de convicção do voto. O placar também é equilibrado: 43% dizem que votam em Aécio “com certeza”, 42% respondem o mesmo para Dilma. Há 22% que “talvez” possam votar no tucano. O “talvez” de Dilma está em 14%.

VOTOS VÁLIDOS

O segundo turno da eleição presidencial começa com uma disputa extremamente acirrada e aspectos inéditos. Pesquisa Datafolha mostra Aécio (PSDB) com 51% das intenções de voto válido ante 49% da presidente Dilma.

É uma situação de empate técnico, já que a margem de erro é de dois pontos. Assim, o tucano pode ter entre 49% e 53%, a petista pode ter entre 47% e 51%.

Considerando todas as pesquisas do instituto desde 1989, é a primeira vez que um candidato que ficou em segundo lugar na disputa inicial aparece numericamente à frente do vencedor numa simulação de turno final.

Em votos totais, Aécio tem 46% contra 44% para Dilma. Há 4% de eleitores dispostos a votar nulo ou em branco. Outros 6% estão indecisos.

Leia também: 

 

* Fonte: Datafolha/Folha de São Paulo –

Eleição Presidencial/Segundo turno: Pesquisa Datafolha confirma vantagem de Aécio *

 

 

 

 

O segundo turno da eleição presidencial começa com uma disputa extremamente acirrada. Pesquisa Datafolha finalizada nesta quinta (9) mostra empate técnico entre o senador Aécio Neves (PSDB) e a presidente Dilma Rousseff (PT). Mas, pela primeira vez, com o tucano numericamente à frente. Ele tem 51% das intenções de voto válido ante 49% da petista.

A margem de erro do levantamento é de dois pontos para mais ou para menos. Dessa forma, Aécio pode ter entre 49% e 53%. Já Dilma pode ter entre 47% e 51%.

Considerando todas as pesquisas do instituto desde 1989, é a primeira vez que um candidato que ficou em segundo lugar no primeiro turno aparece com mais intenções de voto que o vencedor num estudo de segundo turno. No 1º, Dilma alcançou 41,59% dos votos, ante 33,55% de Aécio; em terceiro, Marina Silva (PSB) teve 21,32%.

Analisando o histórico da polarização PT x PSDB, é a primeira vez também, desde 2002, que um tucano aparece numericamente à frente de um petista em simulação de turno decisivo.

Em votos totais, o placar é 46% para Aécio, 44% para Dilma, 4% dispostos a votar nulo ou em branco, e 6% de indecisos.

AVALIAÇÃO

A avaliação do governo Dilma revela uma situação de estabilidade para a presidente da República. Nesta última pesquisa Datafolha, 39% das pessoas ouvidas julgam que o governo é ótimo ou bom. Trata-se do mesmo patamar nas duas pesquisas anteriores. Em seguida, 38% avaliam o governo como regular e 22% dizem que o governo é ruim ou péssimo –um ponto a menos que na pesquisa anterior.

Datafolha ouviu 2.879 eleitores em 178 municípios na quarta e nesta quinta. O nível de confiança da pesquisa é 95% (em 100 levantamentos com a mesma metodologia, os resultados estarão dentro da margem de erro em 95 ocasiões). O registro da pesquisa no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) é BR-01068/2014.

Leia também:

* Fonte: Datafolha/Ricardo Mendonça – TV Globo

Eleições 2014/Pernambuco: Datafolha dá vitória a Paulo Câmara e Fernando Bezerra *

GOVERNADOR DE PERNAMBUCO

 

Datafolha, votos válidos: Câmara tem 61%, Armando, 37%

Margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. Segundo Datafolha, Paulo Câmara venceria eleição no primeiro turno.

Pesquisa Datafolha divulgada neste sábado (4) aponta os seguintes percentuais de intenção de votos válidos na corrida para o governo de Pernambuco:

Paulo Câmara (PSB): 61%

Armando Monteiro (PTB): 37%

Zé Gomes (PSOL): 1%
Pantaleão (PCO): 1%
Miguel Anacleto (PCB): 0%
Jair Pedro (PSTU): 0%

Para calcular esses votos, são excluídos da amostra os votos brancos, os nulos e os eleitores que se declaram indecisos. O procedimento é o mesmo utilizado pela Justiça Eleitoral para divulgar o resultado oficial da eleição. Para vencer no primeiro turno, um candidato precisa de 50% dos votos válidos mais um voto.

Segundo o Datafolha, Paulo Câmara (PSB) venceria no primeiro turno.

A pesquisa foi encomendada pela TV Globo e pelo jornal Folha de São Paulo.

Votos totais

Se forem incluídos os votos brancos e nulos e dos eleitores que se declaram indecisos, os votos totais da pesquisa estimulada são:

Paulo Câmara (PSB): 52%

Armando Monteiro (PTB): 31%

Zé Gomes (PSOL): 1%
Pantaleão (PCO): 1%
Miguel Anacleto (PCB): 0%
Jair Pedro (PSTU): 0%
Brancos e nulos: 6%
Indecisos: 9%

No levantamento anterior, divulgado em 2 de outubro, Paulo Câmara tinha 46% e Armando, 36%. Na pesquisa divulgada em 26 de setembro, Paulo Câmara tinha 43% e Armando Monteiro aparecia com 34%. No levantamento anterior, divulgado em 10 de setembro, Paulo tinha 39% e Armando, 33%.

A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral com o número PE-00044/2014 e BR-01037/2014.

Veja pesquisa para SENADOR – PE

Datafolha, votos válidos: Bezerra Coelho tem 52%, João Paulo 45%

* Fonte: G1/Datafolha

Eleições 2014/Pernambuco: IPMN aponta 13% diferença em prol de Paulo sobre Armando *

 

 

 

  • Paulo Câmara consolida

  • favoritismo para vencer

  • eleição

 

Os percentuais são maiores do que os da última amostra, veiculada no dia 25 de setembro, para os dois candidatos

 

Segundo a última pesquisa do IPMN, antes do pleito, a diferença entre o socialista e Armando atingiu 13 pontos

 

 

O candidato a governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), consolida a liderança e aumenta a diferença de intenções de votos para ele em relação ao principal adversário, Armando Monteiro (PTB), a três dias do pleito eleitoral. Dados do último levantamento do Instituto de Pesquisa Maurício de Nassau (IPMN), encomendado pelo Portal LeiaJá, em parceria com o Jornal do Commercio, divulgados nesta quinta-feira (2), apontam o ex-secretário da Fazenda com 44% da preferência. Já o petebista aparece com 31% das intenções, configurando uma diferença de 13 pontos entre os dois.

Os percentuais são maiores do que os da última amostra, veiculada no dia 25 de setembro, para os dois candidatos. Nela, Câmara atingia a casa dos 39%, já o petebista receberia 33% dos votos. A anterior, veiculada no dia 11 do mesmo mês, a liderança do socialista já aparecia, no entanto com percentuais menores. Ele configurava 33% da preferência, enquanto o petebista receberia 31% das intenções de votos.

Nas pesquisas do IPMN divulgadas antes desta data, o cenário era contrário ao atual, com a liderança ocupada por Armando. Em julho, ele tinha 37% da preferência, enquanto o socialista receberia 13% das intenções. Um mês depois, em agosto, a diferença entre os dois já reduzia. No levantamento divulgado no dia 30, após a morte do ex-governador Eduardo Campos (PSB), eles apareciam tecnicamente empatados, 32% do senador licenciado contra 28% do ex-secretário da Fazenda.

Veja a pesquisa na sua íntegra:

Paulo Câmara consolida favoritismo para vencer eleição

* Fonte: LeiaJá/IPMN

Eleições 2014/Pernambuco: Marina, mesmo caindo, tem duas vezes mais chances do que Aécio *

 

 

Chance de Marina ir ao 2º turno cai, mas ainda é duas vezes

maior que a de Aécio

 

É o que mostra um modelo estatístico desenvolvido pelo Ibope e pelo Estadão Dados, com base no potencial de voto.

 

Em 15 de setembro, ela tinha 3,8 vezes mais chances do que o tucano.

<p>Em 15 de setembro, ela tinha 3,8 vezes mais chances do que o tucano.</p>

Em duas semanas, a vantagem relativa de Marina Silva (PSB) sobre Aécio Neves (PSDB) para passar ao 2.º turno presidencial caiu pela metade. Em 15 de setembro, ela tinha 3,8 vezes mais chances do que o tucano. Na terça-feira, a diferença era menor: 2 para 1. Sua vantagem caiu 46%, mas a chance de Marina ainda é o dobro da de Aécio. É o que mostra um modelo estatístico desenvolvido pelo Ibope e pelo Estadão Dados, com base no potencial de voto.

“Se as curvas de intenção de voto dos dois candidatos (Marina e Aécio) continuarem com as tendências recentes, há uma probabilidade de elas se cruzarem em algum ponto no futuro próximo“, diz a CEO do Ibope Inteligência, Marcia Cavallari. Mas não é possível prever se isso acontecerá antes da eleição.

O modelo estatístico desenvolvido pelo Ibope e pelo Estadão Dados simula todas as combinações possíveis de votação de Marina e Aécio, e depois calcula quantas dessas combinações beneficiam um ou outro candidato. Segundo os resultados da pesquisa Ibope divulgada na terça, 67% dessas combinações levariam Marina ao 2.º turno contra Dilma Rousseff (PT), e 33% levariam Aécio. Duas semanas atrás, essa proporção era de 79% a 21%.

As simulações de resultado só se aplicam a Aécio e Marina. As taxas de intenção de voto de Dilma (39%) e dos candidatos nanicos (3%) são dadas pela pesquisa Ibope mais recente, e a taxa de brancos e nulos (10%) pelo histórico de votações para presidente. Logo, a soma das taxas de Marina e Aécio tem que dar obrigatoriamente 48%.

O mínimo e o máximo de votos que Marina e Aécio podem ter são diferentes entre si – ou ambos teriam chances iguais de chegar ao 2.º turno. Pisos e tetos determinam quantas combinações de resultado levariam Marina ou Aécio ao 2.º turno.

Piso

O piso eleitoral é calculado pelo potencial de voto exclusivo de cada candidato. Ou seja, quantos eleitores dizem que votariam com certeza nele e apenas nele. O mínimo de votos para Dilma foi de 33% na mais recente pesquisa Ibope, contra 16% para Aécio e 20% para Marina. Quanto maior o piso, mais chances tem o candidato.

O cálculo do teto eleitoral é mais complexo. Ele se baseia em outro modelo estatístico desenvolvido pelo Ibope e pelo Estadão Dados e divide o eleitorado brasileiro em três grupos: pró-PT, anti-PT e volúvel.

A chance de um eleitor antipetista votar em Dilma tende a zero. Já a chance de um pró-PT votar nela é superior a 80%. No eleitorado volúvel há maior equilíbrio.

Os pró-PT chegaram a 39% na mais recente pesquisa Ibope. São aqueles eleitores que se enquadram em pelo menos três das cinco condições seguintes: é beneficiário do Bolsa Família, aprova Dilma, acha seu governo bom ou ótimo, diz ter preferência partidária pelo PT e descarta afirmar que não votaria nela de jeito nenhum.

Os anti-PT não se enquadram em nenhuma dessas características. Eles somam 33% do eleitorado nacional. Os restantes 28% são os volúveis, que responderam positivamente a uma ou duas daquelas questões. Podem votar tanto na petista quanto na oposição.

Funil

O teto de votação é resultado de um funil. No caso de Dilma, são os eleitores dos grupos pró-PT e neutro que não a rejeitam e que dizem que votariam nela com certeza ou poderiam votar. Feitas as contas, Dilma poderia ter, no máximo, 55% dos votos.

Nos casos de Aécio e Marina, o funil que calcula seu teto de votação tem a mesma fórmula. É a soma dos eleitores que pertencem aos grupos volúvel e anti-PT e que não rejeita o candidato (ou a candidata) e que poderia votar ou votaria com certeza nele ou nela. O teto de Aécio chegou a 38%. O de Marina vem caindo a cada nova pesquisa, mais ainda é mais alto: 40%.

Leia também:

PSDB quer pedir cassação da candidatura de

Dilma por polêmica com Correios, diz Veja

  •  ESPN

  • Segundo a Veja, Aécio quer pedir a cassação da candidatura de Dilma

    PSDB quer pedir cassação da candidatura de Dilma por…

* Fonte: Estadão/JOSÉ ROBERTO DE TOLEDO , DANIEL BRAMATTI ( Foto: Tiago Queiroz)

Eleições 2014/Pernambuco: Nova Pesquisa IBOPE/TV GLOBO para Governador e Senador *

Em PE, Paulo Câmara tem 42% e Armando Monteiro, 34%,

diz Ibope

 

 

Margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos. Instituto entrevistou 2.002 eleitores no estado entre 28 e 30 de setembro.

Pesquisa Ibope divulgada nesta quarta-feira (1º) aponta os seguintes percentuais de intenção de voto na corrida para o governo de Pernambuco:

Paulo Câmara (PSB): 42%

Armando Monteiro (PTB): 34%

 

Zé Gomes (PSOL): 1%
Jair Pedro (PSTU): 0%
Miguel Anacleto (PCB): 0%
Pantaleão (PCO): 0%
Brancos e nulos: 9%
Não souberam responder: 13%

No levantamento anterior do instituto, divulgado em 23 de setembro, Paulo Câmara aparecia com 39% e Armando Monteiro, com 35%. Encomendada pela TV Globo, a pesquisa é a quinta do Ibope após o registro das candidaturas.

Segundo turno

O Ibope fez uma simulação de segundo turno entre Paulo Câmara e Armando Monteiro. Os resultados são os seguintes:

Paulo Câmara (PSB): 43%
Armando Monteiro (PTB): 34%
Brancos e nulos: 8%
Não souberam responder: 14%

Realizada entre os dias 28 e 30 de setembro, a pesquisa contou com 2.002 entrevistas em 81 municípios. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%, o que quer dizer que, se levada em conta a margem de erro de dois pontos para mais ou para menos, a probabilidade de o resultado retratar a realidade é de 95%.

A pesquisa está registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) sob o protocolo número PE-00034/2014 e no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob protocolo número BR-00916/2014.

Rejeição

O Ibope também pesquisou em quem os eleitores não votariam de jeito nenhum. Confira abaixo:

Pantaleão (PCO): 28%
Zé Gomes (PSOL): 24%
Jair Pedro (PSTU): 24%
Miguel Anacleto (PCB): 23%
Armando Monteiro (PTB): 21%
Paulo Câmara (PSB): 16%
Poderia votar em todos: 11%
Não sabe ou não respondeu: 22%

 

João Paulo tem 36% e Bezerra Coelho, 30%, na disputa ao

Senado, diz Ibope

 

 

Margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos. Instituto entrevistou 2.002 eleitores no estado entre 28 e 30 de setembro.

Leia a pesquisa para senador:

João Paulo tem 36% e Bezerra Coelho, 30%, na disputa ao Senado, diz Ibope

* Fonte: G1/TV-Globo – Ibope

Eleições 2014/Corrida presidencial: Acirra a disputa pelo segundo lugar entre Marina e Aécio *

 

Datafolha: Dilma tem 40 %,

Marina 25 % e Aécio 20 %

Marina segue em tendência de queda, Aécio sobe dois pontos percentuais

 

Gráficos das pesquisas Ibope e Datafolha para Presidente divulgadas em 30 de setembro de 2014 Foto: Criação

A pesquisa Datafolha divulgada nesta terça-feira mostra que a presidente Dilma Rousseff, candidata à reeleição pelo PT, manteve-se em primeiro lugar, com 40% das intenções de voto e que Marina Silva, do PSB, manteve a tendência de queda, oscilando negativamente, chegando a 25%. O terceiro colocado, Aécio Neves (PSDB), subiu dois pontos e marcou 20 % .

No levantamento anterior, divulgado na sexta-feira passada, Dilma tinha 40% das intenções de voto; Marina Silva tinha 27% e Aécio Neves, em terceiro lugar, marcava 18%. Brancos e nulos somaram 5% e aqueles que não sabem em quem irão votar eram 6%.

O levantamento também estimou a quantidade de votos válidos. Nesse recorte, Dilma Rousseff aparece com 45 %, Marina, 28 %, e Aécio Neves, 22 %.

Na simulação de segundo turno, Dilma ampliou sua vantagem sobre Marina, enquanto Aécio cresceu, diminuindo sua distância da candidata petista. Dilma Rousseff teria 49% das intenções de voto, contra 41% de Marina Silva. Já contra Aécio neves, a presidente marca 50% da preferência do eleitorado, contra 41% do tucano.

Na simulação de segundo turno da pesquisa passada, Dilma, com 47%, e Marina, com 43%, estavam em empate técnico, com a petista numericamente à frente da candidata do PSB. Na disputa entre Dilma e Aécio, a presidente ganharia por 50% das intenções de voto, contra 39% dos tucanos.

O diretor-geral do Datafolha, Mauro Paulino, ao comentar o resultado da pesquisa, afirmou que, de acordo com as tendências apresentadas nos mais recentes levantamentos, de queda de Marina e crescimento de Aécio, fica mais difícil definir qual dos dois candidatos estará no segundo turno contra Dilma Rousseff.

– Há probabilidade maior de os dois (Marina e Aécio) chegarem muito próximos no dia da eleição. A gente tem verificado em seguidas eleições para governo do estado e prefeitura, não ainda na presidência, mudanças no dia da eleição, e às vezes as tendências se acentuam no final de semana da eleição – afirmou Paulino.

PUBLICIDADE

O diretor-geral do Datafolha também destacou que, em um segundo turno, a disputa será entre o “anti-petismo” e o sentimento de continuísmo do governo atual.

– No segundo turno, vai ser muito mais um sentimento de anti-petismo versus um sentimento de manutenção da Dilma, por medo do eleitorado de perder as conquistas petistas – pontuou.

A pesquisa do Instituto Datafolha, encomendada pela Rede Globo e pelo jornal Folha de S.Paulo, ouviu 7.526 entrevistados entre esta segunda e terça-feira. A pesquisa foi registrada no TSE sob o protocolo BR-00905/2014.

Veja Também

 

* Fonte: O Globo/POR JÚNIA GAMA

Eleições 2014/Corrida Presidencial: Datafolha sinaliza crescimento real de Dilma e queda de Marina *

 

Dilma dobra vantagem e

está à frente de Marina no

2º turno, diz Datafolha

 

 

 

 

A presidente Dilma Rousseff (PT) dobrou sua vantagem na pesquisa Datafolha de primeiro turno da eleição presidencial e, pela primeira vez na série do instituto, aparece quatro pontos a frente deMarina Silva (PSB) na simulação de segundo turno.

Se a eleição fosse hoje, a petista terminaria a primeira etapa da disputa com 40% dos votos totais, agora 13 pontos a frente de Marina, que alcança 27%. Na pesquisa da semana passada, a dianteira de Dilma era de 7 pontos.

Em relação ao levantamento anterior, Dilma avançou três pontos percentuais (de 37% para 40%), Marina variou três para baixo (30% para 27%), e o senador tucano Aécio Neves oscilou um para cima (17% para 18%).

A tendência de crescimento das intenções de voto em Dilma fica mais evidente olhando para a série mais longa do instituto. No fim de agosto, ela tinha 34%. Foi oscilando para cima seguidamente até atingir os atuais 40%.

No teste de segundo turno mais provável, o Datafolha mostra Dilma com 47% contra 43% de Marina.

É um empate técnico no limite máximo da margem de erro da pesquisa, de dois pontos para mais ou para menos. Mas é também a primeira vez que Dilma surge numericamente a frente da pessebista nesse tipo de simulação. Na semana passada, o placar era 46% a 44% para Marina. No fim de agosto, a ex-ministra do Meio Ambiente tinha dez pontos de vantagem sobre Dilma (50% a 40%).

O Datafolha ouviu 11.474 pessoas em 402 municípios. O registro no TSE (tribunal Superior Eleitoral) é BR-00782/2014.

 

 

* Fonte: Folha de São Paulo/Ricardo Mendonça