Category Archives: Poema / Soneto

Movimento Cultural: A Arte e a Poesia de Célio Guimarães – O Sal da Terra A Luz do Sol *

P O E S I A

 

 

 

Sal da terra Celio Guima

 

 

 

celio guimarães pesqueira

 

 

* Autor: Célio Guimarães – Pesqueirense, emérito colaborador do blog OABELHUDO,  professor, Cronista, Contista, Chargista e poeta.

Movimento Cultural: Pedalando em Poesia com Carlos Sinésio *

Love_Lane-500x473 bicicleta

SEM MAIS POESIA

 

 

 

Não quero mais ser poeta
Apenas um nobre atleta
Com a alma repleta
De sentimentos vazando,
Se oferecendo e doando
Versos a quem está clamando
Nas ruas vãs por uma bicicleta.

 

Não quero mais ser poeta,
De poemas sem graça,
Que não animam na praça
A quem vive na raça.

 

Não quero mais ser poeta
De poesia nobre ou matuta
Que tem até alma astuta
Ou de filho da puta
Que não alcança sua meta,
Nem é abstrata ou concreta,
Produto de mau poeta.

 

Quero pegar a magrela
Sair de viela em viela
Sem choro nem vela
Só de bicicleta,
Só de bicicleta.

 

Carlos Sinésio foto nova em pé 28 10 018

 

– Pesqueira, 18 de dezembro de 2013

* Autor: Carlos Sinésio – Carlos Sinésio de Araújo Cavalcanti é pesqueirense, jornalista, escritor, cronista e poeta.

Movimento Cultural: Os Três Natais na Poesia de Margarida Maciel *

Salve "Menino Jesus" os Natais de todas as idades...

Salve o “Deus Menino” os Natais de todas as idades…

TRÊS NATAIS

 

 

 

 

ASSIM COMO NA VIDA EXISTE A IDADE
DA INFÂNCIA, DO IDOSO E DA JUVENTUDE
TAMBÉM OS NATAIS DE JESUS ACOMPANHAM
CADA NOVA ETAPA COM MAGNITUDE

 

E NOS MEUS NATAIS DE CRIANÇA FAGUEIRA
REPLETOS DE LUZ E DE ETERNA ALEGRIA
NASCIA” O MENINO” CHEIO DE CANDURA
TUDO ERA UM SONHO, DOCE FANTASIA

 

E NAQUELAS NOITES, FELIZ EU OLHAVA
ESTRELAS BRILHANTES NUM CÉU CINTILANTE
QUE COM OS PASTORES TAMBÉM ME LEVAVAM
PRÁ UM MUNDO ENCANTADO E INEBRIANTE

 

DEPOIS OS NATAIS DA MINHA JUVENTUDE
REPLETOS DE SONS EM MINH’ALMA ARREDIA
NASCIA “O MENINO CHEIO DE ESPERANÇAS”
TUDO ERA SORRISOS, FULGAZ EUFORIA

E NAQUELAS NOITES, FELIZ EU OUVIA
O CANTO DOS ANJOS DE GLÓRIA E LOUVOR
TAMBÉM EU CANTAVA SAUDÁVEL, VIBRANTE
A FESTA DA VIDA, A FESTA DO AMOR

 

E VÊM OS “NATAIS” DA IDADE ADULTA
REPLETOS DE PAZ, DE LEMBRANÇA INCONTIDA
NASCE AGORA “O MENINO” CHEIO DE SAUDADES
DOS BELOS NATAIS QUE ORNARAM MINHA VIDA

 

AGORA NESTAS NOITES, FELIZ EU RECORDO
DE QUEM JÁ FOI VER “O MENINO” NO CÉU
E EM TUDO QUE OLHO E QUE OUÇO, AS LÁGRIMAS…
TURVAM MEUS OLHOS , FORMANDO UM VÉU

 

QUEM SABE UM QUARTO NATAL HAVERÁ?!
SEI QUE “NOITE FELIZ” SEMPRE ENTOAREI
PRA FESTEJAR SEMPRE NOSSO “DEUS MENINO”
NÃO IMPORTA A IDADE, CRIANÇA SEREI

 

 

Margarida Maciel Ramalho

 

 

* Autora: Margarida Maciel – MARGARIDA MACIEL RAMALHO é pesqueirense, professora, musicista, cantora, cronista e poeta.

Movimento Cultural: Sem Peso e Sem Medida – A Poesia de Núbia Cavalcanti *

sem peso e sem medida

Sem peso e sem medida

 

 

 

Amo-te na distância
Que nos separa dolorosamente
Mas, a distância não tem importância
Porque amo-te imensamente.

 

Amo-te simplesmente
Sem motivo e sem razão
Porque amo-te livremente
Com toda a força do meu coração.

 

Amo-te verdadeiramente
Sem procurar explicações
Sem analisar minhas razões
Que fluem impulsivamente.

 

Amo-te cada dia mais
Sem pesar a quantidade
Sem medir a intensidade
Apenas amo-te cada vez mais.

 

Menção Honrosa de Nubia

 

Obs: Antologia de Poetas Brasileiros Contemporâneos – Vol. 108.

 

Nubia foto 2

 

* Autora: Núbia Cavalcanti – Núbia Cavalcante dos Santos é sanharoense, colaboradora doblog OABELHUDO, servidora público municipal, cronista e poetisa. Teve várias poesias publicadas em livros especializados 0nde obteve prêmios e citações Honoríficas.

Movimento Cultural: Enquanto Você Não Vem – A Poesia de Núbia Cavalcanti *

enquanto você não vem imagem do banco e da janela

Enquanto você não vem

 

Enquanto você não vem
Vou tentando sobreviver
Alimentando-me das lembranças de outrora
Que persistem em me acompanhar
Trazendo com elas a sua imagem
Aonde quer que eu vá.

 

Enquanto você não vem
Vou levando a vida ao léu
E da solidão tentando me esquivar
Para amenizar a dor lacerante
Que o meu peito corrói
Fazendo minha alma sangrar.

 

Enquanto você não vem
Vou buscando encontrar os meus sonhos
Que se perderam em meio ao caminho
Ou, quem sabe, me abandonaram
Enquanto eu lamentava profundamente
A ausência dos teus carinhos.

 

Enquanto você não vem
Vou procurando uma explicação
Para esse imenso amor que por você sinto
E que ultrapassa qualquer obstáculo
Porque o meu amor por você
É bem maior que o infinito.

 

Obs: – Antologia de Poetas Brasileiros Contemporâneos – Vol. 96. – Antologia de Poetas Brasileiros Contemporâneos –

 

Nubia foto 2

 

*Autora: Núbia Cavalcanti – Núbia Cavalcanti dos Santos é sanharoense, servidora público municipal, cronista e poeta. Tem várias poesias premiadas e publicadas em livros poéticos.

Movimento Cultural: Adeus, Solidão! – A Poesia de Núbia Cavalcanti *

adeus solidão

ADEUS, SOLIDÃO!

 

 

Na busca incessante desse amor
Não medi as consequências dos meus sentimentos
Violei as leis do meu coração
Ignorando a voz da razão
Condenando-me à prisão perpétua
E o meu castigo foi viver na solidão.

 

Os anos foram passando lentamente
E eu, enclausurada na minha agonia
Perdi a noção do tempo
E tentei fugir da minha realidade
Agarrando-me às lembranças
Para não morrer de solidão.

 

Mas um dia, os meus sonhos adormecidos
Brotaram novamente
Alimentando o meu coração angustiado
E eu percebi que, no âmago do meu ser
A chama de um novo amor reascendia
Libertando-me da solidão em que eu vivia.

 

Poesia Publicada na Antologia da CBJE.

 

Nubia foto 2

 

*Autora: Núbia Cavalcanti – Núbia Cavalcanti dos Santos é sanharoense, servidora público municipal, poetisa, cronista e contista. Já teve várias de suas poesias publicadas em livros.

Movimento Cultural: Encontro de Amigos, na Poesia de Francisco Aquino *

http://www.dreamstime.com/royalty-free-stock-photo-friends-meeting-image9318185

ENCONTRO DE AMIGOS

 

 

 

 

Como é bonito ver um encontro entre amigos a papear

e partilhar vivência deixando fluir a amizade com satisfação.

O conhecer e partilhar vida transforma o ser humano

e o satisfaz quando encontra uma grande amizade.

É bonito de se ver o encontro de verdadeiros amigos.

Porque uma grande amizade vale muito neste mundo.

Amigo que é amigo admira, ajuda, aconselha

e defende se precisar o outro.

Por isso é tão importante se encontrar e radiar alegria

ao se verem demonstrando grande satisfação e emoção.

Um amigo que é amigo está presente em todas

as horas caminhando lado a lado e apoiando no que precisar.

Dando suporte ao amigo de maneira reciproca.

Há uma vibração latente a cada momento que juntos

estão partilhando histórias vividas com intensidade os tornando felizes.

Cultivar boa amizade é salutar e ver o amigo bem

nos confortam pela distância da vida que há.

Torcendo pelo o sucesso mútuo.

Amigo que é amigo esbanja confiança

torcendo sempre pelo o bem estar do outro

e ficando feliz quando o outro está feliz.

Existe um prazer honroso a cada encontrar.

Para lembrar-se de momentos lindos

e amargos vividos juntos com intensidade.

É extremamente bom ter amigos e os encontrá-los

sempre pra dividir vivência e partilhar a vida

com intensidade e admiração.

 

 

Francisco de Assis Maciel Aquino

* Autor: Francisco Aquino – Francisco de Assis Maciel Aquino é pesqueirense, professor, filho de sanharoense, cronista, contista  e poeta. Também é comentarista esportivo.

Movimento Cultural: Vamos Semear a Paz – A Poesia de Francisco Aquino *

CAMPANHA PELA PAZ

VAMOS SEMEAR A PAZ

 

Vamos nos desarmar

para amar o próximo

sendo possível viver

dignamente e juntos.

Vamos falar com o outro

querendo o seu bem.

Chega de egoísmo

inveja e querer trapacear os outros

isto é muito feio.

Não queiram só pensar em si

você não está sozinho neste Mundo.

Olhem em sua volta

tanto clamou; lamentos; sofrimentos.

E dores que podiam ser vencidas

se o ser dessem as mãos.

Chega de matar e roubar a vida dos outros

Lembre-se dos desvalidos e dos muitos que

precisam de apoio nestas horas difíceis.

Curtam a paz; semeiem a paz.

é bonito viver em paz

amando e querendo bem a todos.

Pois devemos nos ajudar e jamais nutrir

desavenças que amargura o coração do ser.

Veja como o Mundo é belo

aprendam com a vida que nasce a cada amanhecer.

deixem florir o amor e a paz

entre os seres que devem ser acolhedores e felizes.

Amem a vida

vivendo a paz

para poder dizer

vim ao Mundo

cumpri bem minha missão

e venci tendo sido um projeto de sucesso

marcando com gloria a história

vivendo em harmonia com todos

tendo uma salutar vida

dentro do principio cristão e morais

de paz e bem.

 

 

Francisco Chico Aquino sozinho de azul

* Autor: Francisco Aquino – Francisco de Assis Maciel Aquino é pesqueirense, professor, poeta, cronista e comentarista esportivo.

Movimento Cultural / … Melancolia – A Poesia de Núbia Cavalcanti *

Ode a melancolia

Ode a melancolia

DIAS DE PROFUNDA MELANCOLIA

 

 

Hoje, ao despertar de um sono agitado
Povoado por sonhos conturbados
Abri as janelas da minh’alma
E deixei que uma réstia de luz entrasse
Diminuindo a solidão cruel
E a aflição ímpar
Que do meu ser tomava conta.

 

Senti a brisa suave da manhã
Que adentrava pela porta entreaberta
Trazendo o perfume inebriante das flores
Que desabrochavam lentamente
Formando um imenso tapete colorido
Acariciadas pelos primeiros raios solares
Que despontavam com a chegada da primavera.

 

Lá fora, o tempo corria ao léu
Transformando os segundos em minutos
Os minutos em longas horas
E as horas em dias de profunda melancolia
Enquanto que eu, do mundo me escondia
Tentando fugir da angústia e da solidão
Causadas por um amor que só me trouxe dor.

 

Poesia Publicada na Antologia da CBJE.

 

Nubia foto 2

 

* Autora: Núbia Cavalcanti – Núbia Cavalcanti dos Santos é sanharoense, poetisa, cronista e contista. Recebeu vários prêmios por poesias consagradas em publicações especiais.

Movimento Cultural / Soneto da Cruz da Estrada – Por Robson Aquino *

cruz na beira da estrada com coroa de flores

Soneto da Cruz na Estrada

 

 

Uma cruz vi beirando aquela estrada
Perguntei o que foi que aconteceu?
Se alguém descuidou, brincou com a vida
Ou será que da vida se perdeu?

 

São dois paus que se cruzam e indicam
Que a morte – ali – contou vitória
De uma forma brutal e impiedosa
Abreviou os capítulos de uma história

 

Quantos olhos choraram essa partida?
Quem terá lamentado aquele dia?
Onde encontro as mãos tristes, sofridas

 

Que em meio à dor, o amor paria?
Fez postar em um jarro a flor ferida
E no peito, talvez, até um dia!

Robson Aquino  SDC12664

* Autor ;  Robson Aquino – ANTONIO ROBSON MACIEL AQUINO – É sanharoense, escritor, poeta, cronista, contista. Autor do romance – Sanharó. Cinco Homens e um Caçoá de Discussão.