Category Archives: Política

Eleição 2014/Pernambuco: Renata, Paulo e Marina dividem palco em Caruaru e Recife *

40 mil vozes se unem no Recife

para dizer que “agora é lá e lô”

Exiba Foto Aluísio Moreira_1.jpg na apresentação de slidesExiba Foto Aluísio Moreira_26.jpg na apresentação de slides

Exiba Rodrigo Lôbo  IMG_1126.JPG na apresentação de slidesExiba Rodrigo Lôbo  IMG_1120.JPG na apresentação de slides

 

Em mega festa no Cais da Alfândega, Paulo Câmara e Marina Silva emocionam pernambucanos

 

 

 

Um encontro para marcar história. Cerca de 40 mil pessoas acompanharam no Recife, às margens do rio Capibaribe, o grande comício conjunto de Paulo Câmara e Marina Silva (ambos do PSB), respectivamente, candidatos a governador de Pernambuco e presidente da República, nessa segunda-feira (29), no Cais da Alfândega. Vindos de todas as regiões do Estado, os pernambucanos mostraram que vão votar fechado na escolha de seus governantes nas esferas estadual e federal, assim como no candidato da Frente Popular ao Senado, Fernando Bezerra Coelho (PSB), mostrando que, como diz o jingle da campanha socialista, “agora é lá e lô”.

Precedido por um coro de 40 mil vozes cantando Madeira do Rosarinho, frevo de bloco que se tornou um hino da Frente Popular, Paulo ressaltou a sintonia entre o projeto que mudou Pernambuco nos últimos oito anos e aquele que Marina representa para o País, ambos tendo no ex-governador Eduardo Campos seu idealizador. “O tempo bom de Pernambuco só está começando, depende só de continuarmos no caminho certo. E depende de levarmos esse tempo bom para o restante do País, para o Brasil voltar a crescer, se desenvolver; mas com transparência, sem corrupção, sem fisiologismo, olhando para aqueles que mais precisam”, defendeu o candidato.

Paulo e Marina comandam

emocionante comício em Caruaru

Mais de 12 mil pessoas acompanharam o ato em praça pública

Exiba Foto Wagner Ramos (1).jpg na apresentação de slidesExiba Foto Wagner Ramos_3 (1).jpg na apresentação de slides

Exiba Foto Wagner Ramos_12.jpg na apresentação de slidesExiba Foto Wagner Ramos_8.jpg na apresentação de slides


Historicamente palco de grandes atos políticos, o município de Caruaru, no Agreste, abrigou, na noite dessa segunda-feira (29), um dos comícios mais emocionantes de sua história. Mais de 12 mil pessoas se reuniram em praça pública para mostrar com entusiasmo o seu apoio aos avanços das transformações vivenciadas pelo Estado, com a eleição de Paulo Câmara (PSB) governador, e a uma necessária mudança de rumo no País, com Marina Silva (PSB) presidente. A multidão cantava, agitava bandeiras e fazia coro a cada fala que ecoava no palanque.

“A alegria com que estamos sendo recebidos por vocês nos mostra que estamos no caminho certo. Mostra que Pernambuco quer e vai seguir no caminho das transformações. Faltam seis dias para que o Estado aponte para o futuro”, destacou Paulo Câmara. Além de Marina e de seus companheiros de chapa, Raul Henry (PMDB/vice) e Fernando Bezerra Coelho (PSB/Senado), o socialista estava acompanhado pelo governador João Lyra Neto (PSB); pelo prefeito José Queiroz (PDT); por Beto Albuquerque (PSB), postulante a vice-presidente; pelo prefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB); pela ex-primeira-dama Renata Campos; e pelos filhos do ex-governador Eduardo Campos, Maria Eduarda, João e Pedro.

Parceira do ex-governador Eduardo Campos na construção de uma proposta para recolocar o Brasil nos trilhos, Marina afirmou que enxerga em Paulo Câmara o símbolo da continuidade das conquistas acumuladas ao longo dos governos comandados pelo saudoso líder socialista. “Paulo, você é a continuação do legado de Eduardo. Muito obrigado por doar seu trabalho, seu esforço, sua competência para levar esse legado a diante“, exaltou Marina.

* Fonte: Assessoria de Imprensa do PSB

Artigo/Opinião: Marina, era somente uma Avalanche? E pra descer, é o quê? *

 

Tetos, pisos e

a avalanche

 

“Se a perda de votos de Marina continuar acelerando e virar avalanche, os pisos e tetos serão solapados. As pesquisas de terça, quinta e sábado mostrarão o tamanho do estrago’.

 

Os pilares da eleição de presidente do Brasil não mudam de lugar há 25 anos. Desde o segundo turno de 1989, a disputa se estrutura entre eleitores pró-PT, antiPT e volúveis. No domingo, será a décima votação seguida comandada por essa lógica. A dúvida é quem representará o antipetismo. O favoritismo de Marina Silva (PSB) para ganhar o papel é cada vez menor.

O Ibope e o Estadão Dados elaboraram um modelo estatístico para medir os três grupos de eleitores e identificar suas tendências. Após muitos cálculos e comparações, chegaram a cinco respostas que separam pró-petistas de antipetistas e demais. Se o eleitor concorda com ao menos três, ele é pró-PT (é diferente de ser petista; só tem mais probabilidade de votar no PT). Se não concorda com nenhuma, é antiPT. Uma ou duas o tornam volúvel.

As respostas-chave são: 1) acha o governo bom ou ótimo, 2) aprova Dilma Rousseff (PT), 3) diz que votaria com certeza ou poderia votar em Dilma, 4) diz ter preferência partidária pelo PT, 5) é beneficiário do Bolsa Família (ou mora com alguém que seja). Algumas delas podem parecer redundantes, mas o seu cruzamento elimina inconsistências nas respostas dos eleitores.

O modelo foi testado em três rodadas de pesquisas presidenciais e mostrou-se quase imutável. Na mais recente, feita na semana passada, 39% dos eleitores se encaixaram no grupo pró-PT. Os anti-PT, que não se enquadram em nenhuma das cinco respostas, são 33% do eleitorado nacional. Os 28% restantes podem ir para um lado ou para outro. Como nenhum dos grupos antagônicos tem maioria absoluta, os volúveis acabam decidindo a eleição.

Não basta, porém, ter metade mais um dos volúveis. Há nuances que tornam a conta mais complexa. Por exemplo: como o grupo pró-PT é maior, o candidato antipetista precisaria conquistar mais de 60% dos votos do grupo volúvel para ser eleito. Isso se ele tivesse todos os eleitores antiPT, e o candidato petista tivesse 100% dos votos pró-PT. O problema é que eles nunca têm.

“Apenas” 82% dos pró-PT são eleitores de Dilma no primeiro turno. Há quem caia nesse grupo e prefira outros candidatos. Afinal, a segunda colocada é uma ex-petista: 8% dos pró-PT declaram voto em Marina Silva (PSB), e 4%, em Aécio Neves (PSDB). É o grupo onde há menos eleitores que vão anular ou votar em branco: só 1%. São também poucos os indecisos: 5%.

Já entre os antiPT, só 1% dizem que vão votar na presidente. Também há poucos indecisos (6%), mas abundam os que não estão satisfeitos com nenhuma das alternativas e vão anular: 15%. Marina leva vantagem de 45% a 34% sobre Aécio nesse grupo.

A ex-petista vai ainda melhor do que o tucano entre os volúveis: 38% a 19%. E Dilma tem o suficiente para embolar a disputa entre os rivais e manter-se com chances no turno final: 21%. Em nenhum outro grupo há tantos indecisos: 14%. A taxa de branco/nulo entre eles se aproxima da média histórica e não deve mudar: 8%.

Como o modelo ajuda a saber quem passará ao segundo turno? A partir dele são estimados os tetos de votação dos candidatos, cruzando os grupos com as taxas de rejeição e o potencial de voto. O modelo mostra que, até a última pesquisa, Marina tinha teto e piso mais altos do que os de Aécio. Era uma vantagem.

A análise combinatória das taxas a que Aécio e Marina poderiam chegar, respeitados seus tetos e pisos, mostrava que há menos cenários em que o tucano poderia chegar à frente da rival. Até a última pesquisa divulgada pelo Ibope, a proporção era de 3 para 1 em favor da candidata do PSB. Porém, sua curva descendente sugere que as chances do tucano tenham aumentado desde então.

Se a perda de votos de Marina continuar acelerando e virar avalanche, os pisos e tetos serão solapados. As pesquisas de terça, quinta e sábado mostrarão o tamanho do estrago.

* Autor: Jose Roberto Toledo/O Estado de São Paulo

Eleições 2014/Pernambuco: Campanha de Paulo Câmara agita Camaragibe na RM do Recife *

 

Camaragibe veste o

amarelo para gritar

que está com Paulo

 

(Veja também a AGENDA do candidato para esse domingo, 28)

Exiba Foto Wagner Ramos_1 (1).jpg na apresentação de slidesExiba Foto Wagner Ramos_5.jpg na apresentação de slides

 

Socialista reforça compromisso de construir UPA e escola técnica no município

 

Exiba Foto Wagner Ramos_6.jpg na apresentação de slides

 

 

Faltam oito dias para a eleição e o pernambucano de todo o Estado faz questão de mostrar que está fechado com Paulo Câmara (PSB). Neste sábado (26), foi a vez do povo de Camaragibe soltar o grito de apoio ao socialista durante caminhada no bairro de Tabatinga. Uma multidão tomou as ruas, pintando de amarelo o caminho do candidato da Frente Popular ao Palácio do Campo das Princesas.

Emocionado e agradecido com a calorosa recepção, Paulo Câmara destacou que trabalhará muito pela população camaragibense. O socialista, que estava na companhia de Fernando Bezerra Coelho (PSB/Senado), do prefeito Jorge Alexandre (PSDB) e de postulantes proporcionais, pontuou que município estará no foco do Governo do Estado.

“Vamos fazer muito em Camaragibe. Teremos muitas parcerias com o prefeito Jorge Alexandre. Vamos ter uma UPA (Unidade de Pronto-Atendimento), para ter um serviço de saúde mais humanizado”, afirmou Paulo, reforçado o seu compromisso com a qualificação profissional. “O município vai ter uma escola técnica com cursos voltados para a população de Camaragibe“, frisou.

O prefeito Jorge Alexandre lembrou que se incorporou a Caravana 40 desde o início da campanha eleitoral por observar em Paulo Câmara a melhor alternativa para Pernambuco seguir avançando. “Abraçamos a sua eleição desde o início. Mas não por querer e esperar algo em troca. Foi, Paulo, por confiar em você. Foi por confiar na escolha do ex-governador Eduardo Campos”, bradou o gestor municipal.

O ex-ministro Fernando Bezerra Coelho recordou que o carinho demonstrado pelo povo de Camaragibe tem sido observado em todas as regiões do Estado. “Paulo e eu andamos mais de 140 municípios, e por onde a gente passa o povo mostra que tomou sua decisão, que quer ver Pernambuco no caminho certo”, apontou o socialista.

AGENDA PAULO CÂMARA 

Domingo, 28 de Setembro

9h – Caminhada no Cabo

Local: Concentração na Rua Diomedes Ferreira (Escola Menino Jesus).

 

12h – Carreata em Belo Jardim

Local: Concentração na Praça da Criança, Cohab I.

 

16h – Carreata em Gravatá

Local: Concentração na Igreja Universal, Rua 15 de Novembro.

* Fonte: Assessoria de Imprensa do PSB

Eleições 2014/Corrida Presidencial: Datafolha sinaliza crescimento real de Dilma e queda de Marina *

 

Dilma dobra vantagem e

está à frente de Marina no

2º turno, diz Datafolha

 

 

 

 

A presidente Dilma Rousseff (PT) dobrou sua vantagem na pesquisa Datafolha de primeiro turno da eleição presidencial e, pela primeira vez na série do instituto, aparece quatro pontos a frente deMarina Silva (PSB) na simulação de segundo turno.

Se a eleição fosse hoje, a petista terminaria a primeira etapa da disputa com 40% dos votos totais, agora 13 pontos a frente de Marina, que alcança 27%. Na pesquisa da semana passada, a dianteira de Dilma era de 7 pontos.

Em relação ao levantamento anterior, Dilma avançou três pontos percentuais (de 37% para 40%), Marina variou três para baixo (30% para 27%), e o senador tucano Aécio Neves oscilou um para cima (17% para 18%).

A tendência de crescimento das intenções de voto em Dilma fica mais evidente olhando para a série mais longa do instituto. No fim de agosto, ela tinha 34%. Foi oscilando para cima seguidamente até atingir os atuais 40%.

No teste de segundo turno mais provável, o Datafolha mostra Dilma com 47% contra 43% de Marina.

É um empate técnico no limite máximo da margem de erro da pesquisa, de dois pontos para mais ou para menos. Mas é também a primeira vez que Dilma surge numericamente a frente da pessebista nesse tipo de simulação. Na semana passada, o placar era 46% a 44% para Marina. No fim de agosto, a ex-ministra do Meio Ambiente tinha dez pontos de vantagem sobre Dilma (50% a 40%).

O Datafolha ouviu 11.474 pessoas em 402 municípios. O registro no TSE (tribunal Superior Eleitoral) é BR-00782/2014.

 

 

* Fonte: Folha de São Paulo/Ricardo Mendonça

Eleições 2014/Pernambuco: Candidato Paulo confirma dianteira de 9% sobre Armando Monteiro, diz Datafolha/Globo *

Paulo Câmara tem 43% e

Armando Monteiro 34%,

aponta Datafolha

 

 

A pesquisa Datafolha divulgada, há pouco, no NETV 2ª Edição, aponta os seguintes percentuais de intenção de voto na corrida para o governo de Pernambuco:

Paulo Câmara (PSB): 43%

Armando Monteiro (PTB): 34%

Zé Gomes (PSOL): 1%

Miguel Anacleto (PCB): 1%

Pantaleão (PCO): 0%

Jair Pedro (PSTU): 0%

Brancos e nulos: 8%

Indecisos: 12%

A pesquisa foi encomendada pela TV Globo e pelo jornal Folha de São Paulo. No levantamento anterior, divulgado em 10 de setembro, Paulo tinha 39% e Armando, 33%.

Realizada entre os dias 25 e 26 de setembro, a pesquisa contou com 1.222 entrevistas em 44 municípios. A margem de erro é de três pontos percentuais, para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%, o que quer dizer que, se levada em conta a margem de erro de dois pontos para mais ou para menos, a probabilidade de o resultado retratar a realidade é de 95%.

A pesquisa está registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) sob o protocolo número PE-00031/2014 e no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob protocolo número BR-00782/2014.

Segundo turno

O Datafolha fez uma simulação de segundo turno entre Paulo Câmara e Armando Monteiro. Os resultados são os seguintes:

Paulo Câmara (PSB): 45%

Armando Monteiro (PTB): 39%

Brancos e nulos: 7%

Indecisos: 9%

Rejeição

O Datafolha também apontou a rejeição dos candidatos. A maior rejeição é de Pantaleão, que tem 32%. Na sequência aparecem Zé Gomes (27%), Jair Pedro (22%), Miguel Anacleto (20%), Armando Monteiro (20%) e Paulo Câmara (14%). Outros 6% votariam em qualquer candidato, 6% rejeitam todos e 19% não souberam responder.

Foto: Montagem do Blog

PESQUISA PARA SENADOR

Datafolha: João Paulo tem 37%,

Fernando Bezerra 29%

Pesquisa Datafolha divulgada nesta sexta (26) aponta que o candidato João Paulo (PT) tem 37% das intenções de voto para o Senado. Na sequência, o socialista Fernando Bezerra Coelho (PSB) aparece com 29%. Simone Fontana (PSTU) tem 1%, Albanise Pires (PSOL), 1%. Oxis (PCB) não pontuou.

A pesquisa foi encomendada pela TV Globo e pelo jornal Folha de São Paulo.

Os indecisos somam 19% e os que declararam que vão votar branco ou nulo são 13%. No levantamento anterior, divulgado em 11 de setembro, João Paulo tinha 34% e Fernando Bezerra Coelho, 25%.

Veja os números do Datafolha:

 

João Paulo (PT) – 37% 

Fernando Bezerra Coelho (PSB) – 29%

Simone Fontana (PSTU) – 1%

Albanise Pires (PSOL) – 1%

Oxis (PCB) – 0%

Brancos e nulos – 13%

Indecisos – 19%

 

* Fonte: G1/TV Globo/Datafolha

Eleições 2014/Governador de Pernambuco: Candidato Paulo “invade” Garanhuns com a Onda Amarela *

Garanhuns se rende

à onda amarela

 

 

Município recebeu socialista para uma grande caminhada e comício

 

 

Exiba Foto Aluísio Moreira_1 (1).jpg na apresentação de slidesExiba Foto Aluísio Moreira_4.jpg na apresentação de slidesExiba Foto Aluísio Moreira_14.jpg na apresentação de slides

 

 

Um dos últimos redutos da oposição, o município de Garanhuns, no Agreste Meridional, foi completamente pintado de amarelo, nesta quinta-feira (25), pela Caravana 40. Sob o comando de Paulo Câmara (PSB/Governo) e seu companheiro de chapa, Fernando Bezerra (PSB/Senado), um exército de prefeitos, ex-prefeitos e lideranças da região foi acompanhado pelas ruas da cidade por uma entusiasmada multidão. Ao longo de toda a caminhada, as pessoas faziam questão de registrar a escolha pelo avanço das transformações conquistadas pelos pernambucanos nos últimos anos.

A dona de casa Verônica de Cássia da Silva deixou tudo o que estava fazendo em casa para dar um beijo no socialista e confidenciá-lo que nenhuma pressão local será capaz de mudar o seu voto. “Eu era Eduardo de coração e agora sou Paulo do mesmo jeito. Não tem quem me faça pensar diferente. Vim aqui para dizer isso a ele. No dia 5 de outubro é 40 na cabeça e na urna também. Será uma vitória de todos nós”, afirmou, emocionada, Dona Verônica.

“Amarelo” desde a época em que a Frente Popular era comandada pelo ex-governador Miguel Arraes, o comerciante José Gomes de Roma saiu de Quipapá para acompanhar a caminhada mais animada que ele já participou. “Estou muito feliz de estar aqui para ver isso; esse povo todo na rua para dizer que Pernambuco não pode parar. Não há nada que pague isso. Quando o povo quer, não há quem possa. E povo quer Paulo no Governo do Estado“, destacou.

A calorosa recepção do povo de Garanhuns reforçou a determinação de Paulo Câmara em sua caminhada rumo à manutenção de Pernambuco no caminho certo. “A população já fez a sua opção. Vamos trabalhar muito para devolver todo esse carinho com muito trabalho. Vamos ter um distrito industrial forte aqui em Garanhuns para que o município e a região possam ter condições de receber empreendimentos que ajudem a transformar a vida das pessoas”, frisou o socialista.

* Fonte: Assessoria de Imprensa do PSB

Eleições 2014/Pernambuco – Governador – Na contabilização dos votos válidos, Paulo venceria no 1º turno, diz o IPMN *

 

Paulo Câmara lidera com 39%

e Armando Monteiro  tem 33%

 

 

A dez dias do pleito eleitoral, a diferença entre eles tem crescido

 

 

 

Na contabilização dos votos válidos, o socialista venceria a eleição no primeiro turno

 

 

 

 

A 10 dias do pleito eleitoral, o candidato a governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), lidera as intenções de votos no estado com uma diferença de seis pontos percentuais em relação ao principal adversário, Armando Monteiro (PTB). De acordo com dados de um levantamento do Instituto de Pesquisa Maurício de Nassau (IPMN), encomendado pelo Portal LeiaJá, em parceria com o Jornal do Commercio, divulgado nesta quinta-feira (25), o socialista configura 39% da preferência e Armando 33%.

Os percentuais são maiores do que os da última amostra, veiculada no dia 11 de setembro, para os dois candidatos. Nela, Câmara atingia à casa dos 33%, já o petebista receberia 31% dos votos. Nas pesquisas do IPMN divulgadas antes desta data, o cenário era contrário ao atual, com a liderança ocupada por Armando. Em julho, ele tinha 37% da preferência, enquanto o socialista receberia 13% das intenções. Um mês depois, em agosto, a diferença entre os dois já reduzia. No levantamento divulgado no dia 30, após a morte do ex-governador Eduardo Campos (PSB), eles apareciam tecnicamente empatados.

Para o cientista político e coordenador da pesquisa, Adriano Oliveira, o cenário atual consolida a vitória de Câmara. “A tese de Paulo Câmara vencer as eleições se consolida, em virtude do crescimento eleitoral contínuo. Neste momento constato a possibilidade de vitória real no primeiro turno”, observou. “Ele tem amplas condições de permanecer com este quadro inalterado, se não houver nenhum fator relevante. É muito grande a chance de Paulo se eleger”, corroborou o analista e também coordenador do levantamento, Maurício Romão.

Percentuais por regiões

A liderança de Paulo Câmara permanece quando a aferição é analisada por regiões do estado. Na capital pernambucana, maior colégio eleitoral, o socialista aparece como o preferido por 43% do eleitorado, já Armando teria 24% das intenções e os candidatos Jair Pedro e Pantaleão um ponto percentual cada. Nas outras cidades da Região Metropolitana do Recife (RMR), o ex-secretário da Fazenda atinge à casa dos 41% e o senador licenciado teria 34% da preferência. Neste cenário, Miguel Anacleto e Jair Pedro aparecem com 1% cada.

Votos válidos: Paulo Câmara venceria no primeiro turno

Caso o pleito eleitoral fosse hoje, considerando os votos válidos, o candidato do PSB seria eleito governador de Pernambuco no primeiro turno, com 53% da preferência. Armando ficaria com o segundo lugar, com 45% dos votos e os outros postulantes somariam a 2%. A computação dos votos válidos é uma novidade deste levantamento do IPMN.

Leia a Íntegra da pesquisa

Câmara lidera com 39% e Armando tem 33%

Leia já também:

 

* Fonte: LeiaJá/IPMN

Artigo: O que vale mais: Voto comprado ou voto por gratidão…? – Por Ayrton Maciel *

O voto despolitizado

(ou o peso e o valor do voto)

 

Como imaginar o voto de quem vende igual ao valor ao voto de quem agradece, retribui ou se compadece? O voto de gratidão não se mede, dirão sempre os ofendidos.

 

 

 

 

Tudo o que se deseja em uma democracia é que seja estável, que a sociedade chegue a um estágio político no qual as crises sociais, políticas, econômicas e institucionais não a ameacem, sejam superadas pela própria sociedade pelo voto em seus representantes – as eleições – ou por pactos de governabilidade que assegurem os mandatos dos governos e nos Parlamentos. Esta é a estabilidade política de uma sociedade. Leva tempo, exercício, respeito às regras, como nas democracias estáveis no mundo. É um estágio superior, que para ser atingido requer a superação de condições que lhe são obstáculos.

A democracia estável, tal qual se cobiça, é ulterior às etapas da formação para a cidadania, à formação do cidadão-democrata. Implica em uma educação formal de qualidade, em todos os níveis. Um aprendizado que formate o indivíduo-cidadão consciente dos direitos e deveres, mas também com senso crítico para avaliar e julgar o que absorve – informações, conhecimento, a comunicação, o seu cotidiano – e com capacidade de autocrítica sobre o que pratica e como se posiciona na sociedade. Leva tempo.

Muito mais tempo, ainda, em sociedades onde, por injunções políticas e preconceitos de classes sociais, seus governantes historicamente não priorizaram a educação formadora para a cidadania. Então, se o que se cobiça é uma democracia estável, como medir o voto – o seu peso e o seu valor – numa sociedade distante de atingir os preceitos citados que levem-na a superar os obstáculos e atingir o estágio superior?

Se a democracia estável e o cidadão-democrata ainda são objetos de desejo, como medir o voto do eleitorado brasileiro em uma sociedade que não superou os obstáculos à sua formação? Qual a diferença de peso e valor entre um voto por gratidão, compaixão, comoção ou parentesco de um voto dado por um punhado de telhas, uma dentadura, um par de óculos, uma cesta básica ou por R$ 30,00?

Nas duas situações, o Brasil está distante de uma sociedade formada por cidadãos-democratas e, portanto, estável. Em termos de peso, as duas situações se equivalem: um voto é só um voto, para mais ou para menos.

E em termos de valor, um voto por gratidão, amizade, comoção ou parentesco é igual a um voto por interesse material ou subjugação social? Moralmente, numa sociedade não-formadora de cidadãos-democratas, será dito que ‘não’. Que é inadequada e incompatível a comparação. Como imaginar o voto de quem vende igual ao valor ao voto de quem agradece, retribui ou se compadece? O voto de gratidão não se mede, dirão sempre os ofendidos.

Numa sociedade sem uma democracia estável, que não forma o cidadão-democrata, resultado das profundas e históricas desigualdades sociais, econômicas e de escolaridade e de qualidade da educação, a diferença será sempre ressaltada. Assim, o voto vendido, trocado e comprometido por bens materiais é atribuído ao pouco escolarizado, economicamente vulnerável e politicamente sem formação; e o voto da gratidão, do parentesco e da comoção vai ser identificado com o de maior formação, economicamente situado, informado e, portanto, agradecido.

Nas duas condições, a sociedade expõe o seu voto despolitizado. Se o voto não tem convicção política e o compromisso de cidadão-democrata, na escolha de seus governantes – aqueles dirigirão o País, os Estados e municípios, e os que serão os representantes da palavra e do pensamento incondicional da sociedade nos Parlamentos -, será sempre um voto instável e inconstante da democracia.

 

 

 

* Autor: Jornalista Ayrton Maciel, especial para o Blog de Jamildo

 

Eleições 2014/Pernambuco: Gravatá – Candidato Paulo diz que faz mais e faz bem feito *

Em Gravatá, Paulo reforça

compromisso com o fazer bem

feito

 

Exiba Beto Figueiroa image (5).jpeg na apresentação de slidesExiba Beto Figueiroa image (2).jpeg na apresentação de slides

 

 

Multidão acompanhou comício do socialista no município

 

 

 

Os governos da Frente Popular sempre se notabilizaram por realizar entregas com a agilidade e com a qualidade exigidas pelo povo. Honrar essa tradição foi um compromisso reforçado, na noite dessa terça-feira (23), por Paulo Câmara (PSB), durante comício em Gravatá, no Agreste. Essa disposição do socialista foi exaltada pelo prefeito Bruno Martiniano (PTB), que deixou as questões partidárias de lado para integrar o exército de pernambucanos que desejam ver o Estado no caminho certo.

O gesto do petebista foi destacado por Paulo como exemplo de que a política, quando bem exercida, promove a melhoria da vida das pessoas. “É assim que atuamos. Foi assim que eu aprendi com Eduardo Campos quando pude ajudá-lo em seu governo. Aprendi a fazer e a entregar bem feito”, afirmou Paulo Câmara, sendo muito aplaudido pela multidão que acompanhou o comício em praça pública.

O prefeito Bruno Martiniano lembrou que a capacidade exibida por Paulo durante suas passagens pelas secretarias de Administração, Turismo e Fazenda o deram a confiança necessária para apoiar o socialista desde o primeiro momento. “Estou com você, Paulo, desde o início. Desde quando as pesquisas não eram as mais favoráveis. Agora, que já ‘podemos’ chamá-lo de governador pelos últimos levantamentos, tenho a certeza de que tomei a melhor decisão”, ponderou.

O gestor municipal pontuou que o Governo Eduardo Campos dispensou um olhar muito atencioso para Gravatá, com a destinação de recursos para a construção de obras importantes, a exemplo da PE-75. “E Paulo, como secretário, foi o responsável pela criação do FEM (Fundo de Apoio ao Desenvolvimento Municipal), que nos ajudou a fazer muito pelo município”, frisou Martiniano.

OUTRO LADO – Paulo Câmara aproveitou a sua passagem por Gravatá para visitar o vice-prefeito Rafael Prequé (PSB), que disputa cadeira na Câmara Federal nestas eleições. Na residência do aliado, o candidato da Frente Popular ao Governo do Estado recordou que os diferentes palanques municipais marcham juntos na sucessão estadual, deixando em segundo plano as aspirações locais. “Isso mostra que Pernambuco inteiro quer seguir no caminho das transformações. As eleições de 2016 serão discutidas apenas daqui a dois anos”, disse Paulo.

* Fonte; Assessoria de Imprensa do PSB

Eleições 2014/Pernambuco: IBOPE/TV GLOBO diz que Paulo tem 4% mais do que Armando *

 

Em PE, Paulo Câmara tem 39% e Armando Monteiro, 35%,

diz Ibope

Margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos. Instituto entrevistou 2.002 eleitores no estado entre 20 e 22 de setembro.

 

 

 

Paulo Câmara (PSB): 39%
Armando Monteiro (PTB): 35%

Zé Gomes (PSOL): 0%
Jair Pedro (PSTU): 0%
Miguel Anacleto (PCB): 0%
Pantaleão (PCO): 0%

Brancos e nulos: 10%
Não souberam responder: 15%

No levantamento anterior do instituto, divulgado em 16 de setembro, Paulo Câmara aparecia com 38% e Armando Monteiro, com 32%. Encomendada pela TV Globo, a pesquisa é a quarta do Ibope após o registro das candidaturas.

Segundo turno

O Ibope fez uma simulação de segundo turno entre Paulo Câmara e Armando Monteiro. Os resultados são os seguintes:

Paulo Câmara (PSB): 39%

Armando Monteiro (PTB): 36%

Brancos e nulos: 10%
Não souberam responder: 15%

 

Realizada entre os dias 20 e 22 de setembro, a pesquisa contou com 2.002 entrevistas em 82 municípios. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%, o que quer dizer que, se levada em conta a margem de erro de dois pontos para mais ou para menos, a probabilidade de o resultado retratar a realidade é de 95%.

A pesquisa está registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) sob o protocolo número PE-00029/2014 e no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob protocolo número BR-00752/2014.

Rejeição

O Ibope também pesquisou em quem os eleitores não votariam de jeito nenhum. Confira abaixo:

Pantaleão (PCO): 26%
Zé Gomes (PSOL): 24%
Jair Pedro (PSTU): 22%
Miguel Anacleto (PCB): 20%
Armando Monteiro (PTB): 19%
Paulo Câmara (PSB): 14%
Poderia votar em todos: 12%
Não sabe ou não respondeu: 26%

SENADO – Pernambuco

 

João Paulo tem 34% e Bezerra Coelho, 28%, na disputa ao

Senado, diz Ibope

Margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos. Instituto entrevistou 2.002 eleitores no estado entre 20 e 22 de setembro.

 Leia a pesquisa na íntegra:

Em PE, Paulo Câmara tem 39% e Armando Monteiro, 35%, diz Ibope

* Fonte: G1/TV Globo-Ibope