Category Archives: Vídeos

Eleições 2014/Campanha presidencial: Eduardo Campos no JN da Globo *

 

Eduardo Campos defende

acabar com “cargos vitalícios”

na Justiça

 

À indagação sobre se 2015 vai ser um ano difícil, Eduardo Campos disse que, se eleito, 2015 vai "terminar melhor" que 2014 "porque vamos enfrentar os problemas".

À indagação sobre se 2015 vai ser um ano difícil, Eduardo Campos disse que, se eleito, 2015 vai “terminar melhor” que 2014 “porque vamos enfrentar os problemas”.

Candidato do PSB à Presidência deu entrevista ao vivo no Jornal Nacional. Ele respondeu sobre empenho para eleger mãe no TCU e outros temas.

O candidato a presidente pelo PSB, Eduardo Campos, defendeu nesta terça-feira (12), em entrevista ao Jornal Nacional, acabar com cargos vitalícios na Justiça. Ele se disse favorável a processos de escolha “de caráter mais impessoal”.

Campos fez a afirmação ao final de uma série de questões sobre o fato de ter apoiado a indicação de parentes para o Tribunal de Contas da União (TCU) e para o Tribunal de Contas do Estado (TCE) de Pernambuco, estado que governou. Esses dois tribunais são órgãos que auxiliam o Poder Legislativo na fiscalização do Executivo.

O candidato disse que não vê problema no empenho que fez para ajudar a mãe dele, a ex-depudada Ana Arraes, a se tornar ministra do TCU – o tribunal julga contas do governo federal. Ele também foi questionado sobre a indicação de um primo dele e outro de sua mulher para trabalhar no TCE-PE.

Eu acho que a gente precisa, na verdade, sobretudo agora, que vamos ter cinco vagas no Supremo Tribunal Federal, o Brasil precisa fazer uma espécie de comitê de busca. O que é feito nos institutos de pesquisa: juntar pessoas com notória especialidade e conhecimento para fazer ao lado do presidente a seleção de pessoas que vão para esses lugares vitalícios. Aliás, eu acho que o Brasil deve fazer uma reforma constitucional para acabar com cargos vitalícios que ainda existem na Justiça, é preciso ter os mandatos também no Poder Judiciário, coisas que existem em outras nações do mundo, de maneira a oxigenar os tribunais, garantir que esse processo de escolha seja um processo mais impessoal.”

(Veja a íntegra da entrevista em “Eduardo Campos é entrevistado no Jornal Nacional)

No AM, Ibope aponta: Dilma, 48%, Aécio, 19%, e Campos, 10%

* Fonte: G!/JN

Crônica/Homenagem: O Silêncio de um Seresteiro – Por Walter Jorge de Freitas *

O SILÊNCIO DE UM SERESTEIRO

 

Turma da Velha Guarda de Pesqueira. Mais de 60 anos divulgando o telurismo e o romantismo das serestas

Turma da Velha Guarda de Pesqueira. Mais de 60 anos divulgando o telurismo e o romantismo das serestas(foto Eurivinha, Chiquinho, Sebastião Cândido, João Oliveira e Zé Amaral, o único entre nós)

turma da velha guardaturma da velha guarda 60 anos depois

(Turma da Velha Guarda em três momentos)

 

 

Depois de um longo período enfermo, o nosso seresteiro JOÃO DE OLIVEIRA acaba de nos deixar. Falar sobre esse acontecimento que poderia ser encarado como coisa normal na vida, não está sendo fácil para este modesto rabiscador.

No ano de 1975, ao adquirir a Padaria S. José, no bairro do Prado, passei a ser seu vizinho e em pouco tempo nos tornamos amigos. Ele gostava muito de música e eu também e isto certamente nos aproximou mais ainda.

João sempre foi muito caprichoso com o repertório e mantinha as letras das canções de sua preferência copiadas à mão em um caderno, onde além do cantor que gravou, ele anotava a autoria e o tom em que deveria cantar, depois de ensaiar exaustivamente com a ajuda do seu cavaquinho.

A inauguração da Rádio Difusora de Pesqueira em novembro de 1951 foi de grande importância para os nossos cantores e músicos. Em dezembro de 1953, o radialista Laurene Martins criou o programa Serões e Serestas que por vários anos teve o grupo musical denominado Turma da Velha Guarda como atração principal. João foi, salvo engano, o cantor que passou mais tempo fazendo parte do seleto conjunto que reunia os maiores seresteiros e instrumentistas da região.

(Gilberto Alves – Algum dia Te direi)

Infelizmente, com o passar dos anos, os “meninos de ontem” como Lídio Leal de Barros gostava de chamá-los, foram empreendendo a sua volta às origens e, consequentemente, a solicitadíssima Turma da Velha Guarda foi fazer as suas apresentações em um plano superior.

Agora, foi a vez de João nos deixar. Com certeza, foi recepcionado pelo irmão Moacir, pelos sobrinhos Galego e Bila, além do cunhado Sitonho e o primo Eurivaldo Jatobá.

Por certo, com a Turma da Velha Guarda completa, seus componentes devem estar providenciando a primeira noitada de serestas, quando reunirão todos os boêmios, cantores e violonistas que de hoje em diante, passam a contar com a liderança daquele que não media esforços para que o grupo de seresteiros que figurou entre os mais solicitados da região fizesse bonito nos palcos e nos bares da vida.

Saiba, amigo João, que todos nós, amigos e familiares sentiremos a sua falta, mas em compensação, estamos felizes pelo privilégio de termos contado com a sua amizade, seus conselhos e orientações em todas as horas que o procuramos.

walter-J-Freitas II

Pesqueira, 02 de junho 2014.

 

* Autor: Walter Jorge de Freitas – Walter é pesqueirense, comerciante, professor, colaborador do OABELHUDO, cronista, poeta e pesquisador musical.

Pesqueira: Entrevista do advogado/procurador João Prudêncio *

 

Advogado/procurador João Prudêncio que mantém marcação severa sobre ex-gestores da PMP

Advogado/procurador João Prudêncio que mantém marcação severa sobre ex-gestores da PMP

O procurador da prefeitura municipal de Pesqueira, João Prudêncio, aborda tema de grande interesse de Pesqueira, relatando providências com relação à processos movidos contra  gestões anteriores.

(Veja,em vídeo, o Dr.João Prudêncio fala em desvio de verbas e corrupção!)

 

Francisco Mendes-editor do blog pesqueirafuxico e o advogado João Prudêncio no mento da entrevista

Francisco Mendes-editor do blog – pesqueirafuxico  – e o advogado João Prudêncio no mento da entrevista

 

 

 

 

“Se a gente acreditar que o futuro depende do que estamos fazendo hoje este País não vai afundar e veremos o futuro dele nas nossas crianças. “ ( Dr. João Prudêncio)

 

 

* Fonte: PesqueiraFuxico/Francisco Mendes

(WWW.PESQUEIRAFUXICO.COM)

Crônica/Homenagem: Severino Dias de Oliveira (Sivuca) – Por Walter Jorge de Freitas *

SEVERINO DIAS DE OLIVEIRA

(SIVUCA)

Severino (Sivuca) paraibano de nascimento iniciou  sua vida profissional em Recife

Severino (Sivuca) paraibano de nascimento iniciou sua vida profissional em Recife

 

 

Nascido na cidade de Itabaiana em 26 de maio de 1930, o paraibano SIVUCA, foi um dos maiores artistas brasileiros. O seu talento se manifestou precocemente.

Com nove anos já animava casamentos e festas pelo interior. Aos quinze, foi tentar a sorte em programas de calouros na cidade do Recife, tocando, entre outras, Tico-Tico no Fubá, de Zequinha de Abreu. Trabalhou inicialmente na Rádio Clube de Pernambuco, onde recebeu o apelido de SIVUCA. Em 1948, foi contratado pela Rádio Jornal do Comércio.
Estudou harmonia com o maestro Guerra Peixe. Em seguida, foi levado pela cantora Carmélia Alves para atuar em São Paulo, onde integrou o elenco da TV Tupi de 1955 a 1959.

Em 1958, representou o Brasil na Europa, juntamente com clarinetista Abel Ferreira e o Trio Iraquitã. Morou em Paris entre os anos de 1960 a 1964. Em 1965, já estava com residência nos Estados Unidos, onde atuou até como guitarrista, integrando o conjunto da cantora africana Miriam Makeba, intérprete de PATA PATA grande sucesso internacional.

Assumiu a direção musical das gravações da cantora e com ela viajou pela África, Europa e Ásia. Foi também na América que conheceu e acompanhou grandes nomes da música internacional.
Além de exímio instrumentista, SIVUCA ficou conhecido internacionalmente como grande compositor e arranjador.

Sivuca- Quando Me Lembro (Luperce Miranda)

Foi casado com a compositora Glória Gadelha, com quem compôs algumas músicas. Destaques para Feira de Mangaio, que fez grande sucesso na voz da cantora Clara Nunes e João e Maria, feita em parceria com Chico Buarque.

Comemorou os seus 75 anos de idade com a gravação de um DVD feito integralmente no seu Estado natal, a Paraíba, com a participação de vários convidados.

No dia 14 de dezembro de 2006, o grande sanfoneiro perde a luta que vinha travando há dois anos com um câncer na garganta e falece em um hospital onde estava internado.

walter-J-Freitas II

 

 

Pesqueira, 25 de maio de 2014.

* Autor: Walter Jorge de Freitas – Walter é pesqueirense, professor, comerciante, colaborador do OABELHUDO, cronista e pesquisador musical.

Arcoverde: Luz, Câmara, Ação! Lançada a programação do são João 2014 *

 

 

Tradição e inovação no

São João de Arcoverde

 

Prefeita Madalena Freire anunciou a programação e as atrações dos festejos juninos de Arcoverde 2014. Cláudia Leitte é o destaque!

Prefeita Madalena Freire anunciou a programação e as atrações dos festejos juninos de Arcoverde 2014. Cláudia Leitte é o destaque!

 

Cláudia Leitte será a grande atração do dia 21 de junho

Cláudia Leitte será a grande atração do dia 21 de junho

 

 

Com o tema “Luz, Câmera, Ação… o cinema vai passar no melhor São João do Nordeste” a festividade junina, que acontece entre os dias 19 e 28 de junho, homenageará o cinema Rio Branco, fundado em 1917, e atualmente considerado o cinema mais antigo em funcionamento na América Latina.Esta é uma temática diferenciada e que vai chamar bastante atenção. Nós contaremos a história de fundação do cinema e teremos diversas projeções”, conta a prefeita Madalena Brito.

Além do cinema, a estrutura da cidade terá espaço para shows, espetáculos teatrais e recitais, divididos entre dez polos de animação: Multicultural, Artes, Pé de Serra, Multimusical, Forrogospel, Vila de Rio Branco, Gastronomia, Diversão, Raízes do Coco e Budega da Poesia. Segundo o secretário de Turismo da cidade, Albérico Pacheco, apesar de dividas em polos específicos, o público não terá dificuldades para conferir diversas atrações. ”Os pólos são próximos e o nosso objetivo é facilitar a circulção das pessoas entre eles, possibilitando que o público assista diversas atrações em uma noite”, afirma. A exceção fica para os pólos Raízes do Coco e o Budega da Poesia, que segundo ele, possuem programação diurnas e um público específico.

 

Veja a programação completa abaixo:

 

19/06 – Os Pariceiros, Lucy Alves, Jorge de Altinho

20/06 – Marzinho de Arcoverde, Magníficos e Thiago Costa

21/06 – Forró Estigado, Wagner Carvalho, Claudia Leitte e Noda de Cajú

22/06 – Paulinho Leite e Fafá de Belém

23/06 – Academia da Berlinda, 2º Grande Encontro dos Cocos Raízes e Trupé de Arcoverde, e Luan e Forró Estilizado

24/06 – Flávio Leandro, Geraldinho Lins, banda Kitara

25/06 – Garota Safada, Benil, Forró da Curtição

26/06 – Banda Pinga Fogo, Limão com Mel e Forró Arreio de Ouro

27/06 – Gabriel Diniz e Bonde do Brasil

28/06 – Forró Kartuxo, Valdinho Paes, Bruno e Marrone e Capim com Mel

 

* Fonte: Assessoria Imprensa PMA

Crônica/Homenagem: 23 de Abril – Dia Nacional do Choro. Salve Pixinguinha! – Por Walter Jorge de Freitas *

O CHORO

Pixinguinha foto antiga

 

 

Salve, salve ALFREDO DA ROCHA VIANNA JÚNIOR  – Pixinguinha

A chegada da Família Real Portuguesa ao Brasil em 1808, provocou mudanças sociais, econômicas, políticas e culturais. Com a Corte, vieram funcionários e familiares que trouxeram para cá instrumentos e hábitos musicais diferentes daqueles que já eram executados aqui.

A música instrumental já existia no nosso território, pois os indígenas muito antes, já usavam flautas, cornetas, taquaras, trompas, cabaças e outros instrumentos feitos de madeiras ocas e outros materiais.

Aos poucos, notava-se a presença do sotaque brasileiro na maneira de tocar os instrumentos e os ritmos trazidos pelos europeus, até que em 1845, no Teatro Imperial de S. Pedro (atual Pedro Caetano), aconteceu a primeira apresentação musical da polca como dança.
Foi assim que provavelmente surgiu o CHORO, com influências mais diretas da polca e do lundu. A polca virou moda. Era só que se dançava e se tocava nos encontros e rodas musicais realizados na cidade do Rio de Janeiro.

Atribui-se a JOAQUIM ANTÔNIO DA SILVA CALLADO JÚNIOR (1848-1880) a façanha de ter introduzido o CHORO no cenário musical brasileiro a partir de 1870, mais ou menos. Foi CALLADO, flautista e compositor, o fundador do primeiro grupo musical do gênero, ao qual se deu a denominação de “O Choro Carioca”. Por ter pertencido à primeira geração de chorões e ter atuado bastante tocando e ensinando essa maneira plangente de executar o choro, recebeu o título de “Pai dos Chorões”.

(Choro de Pixinguinha. Letra de Hermínio Bello de Carvalho, com a divina Elizeth Cardoso)

O DIA DO CHORO é comemorado no dia 23 de abril, em homenagem a PIXINGUINHA (1897-1973) maior expoente da música popular brasileira. Filho de músico, o iluminado instrumentista e compositor deixou verdadeiras joias para enriquecer o nosso cancioneiro. Lamentos, Ingênuo, 1×0, Rosa,Vou Vivendo, Naquele Tempo e Carinhoso são algumas delas.

O CHORO apesar de ter passado uma época meio esquecido, aos poucos, retomou o seu lugar, graças à luta de grandes nomes da música instrumental, seja interpretando ou compondo.

Em Pernambuco o choro é produto de primeira qualidade. Isto tem motivado comentários elogiosos de Ícones como Paulinho da Viola, Pedro Amorim, Maurício Carrilho, Hamilton de Holanda, Henrique Cazes, Guinga, Reco do Bandolim e Luciana Rabello. Marco César, Adalberto Cavalcante, Henrique Annes, Bozó, Dalva Torres, Inaldo Moreira, Carlos Dantas, José Arimatéa e Luiz Guimarães trabalham diuturnamente na divulgação desse gênero que teve João Pernambuco, Rossini Ferreira e Luperce Miranda como precursores.

(Paulo Moura e os Batutas numa sequencia inesquecível: Ingênuo, Lamentos e Carinhoso)

Não devemos esquecer a importância dos clubes do choro em algumas cidades brasileiras e a existência de escolas como a Portátil de Música do Rio de Janeiro e a que funciona na sede da Cruzada Feminina de Pesqueira, de onde estão surgindo verdadeiras promessas, justificando, assim, a fama de “berço” de grandes “chorões”.

BIBLIOGRAFIA:

(Dicionário Cravo Albin da MPB).
Encartes de CDs (inúmeros)
Agenda do Samba & Choro.

 

Pesqueira, 23 de abril de 2014

 

walter-J-Freitas II

 

 

* Autor: Walter Jorge de Freitas – Walter é pesqueirense, comerciante, professor, colaborador do OABELHUDO, cronista, poeta e pesquisador musical. (Vídeos Youtube)

Pernambuco: Desembargador abre um novo capítulo na “novela” dos vereadores de Caruaru *

TJPE concede liberdade a vereadores suspeitos de corrupção, em Caruaru

 

 

Os edis Neto, Jadiel Nascimento e Val eram considerados foragidos da Justiça, de acordo com delegado. (Foto: (Reprodução/TV Asa Branca/ Reprodução/TV Asa Branca/ Jael Soares/G1))

Os edis Neto, Jadiel Nascimento e Val eram considerados foragidos da Justiça, de acordo com delegado.
(Foto: (Reprodução/TV Asa Branca/ Reprodução/TV Asa Branca/ Jael Soares/G1))

Os edis Val das Rendeiras (PROS) e Evandro Silva (PMDB) foram presos no dia 29 de janeiro e e levados para a Penitenciária Juiz Plácido de Souza. Neto (PMN), Jadiel Nascimento (PROS) e Val (DEM) eram os considerados foragidos

 

Decisão é do desembargador Gustavo Augusto Lima, da Câmara Criminal.

Dois parlamentares estavam presos e três eram considerados foragidos.

Na tarde desta terça-feira (4), o desembargador Gustavo Augusto Lima, da 4ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), decidiu pela liberdade dos vereadores presos e dos foragidos durante a Operação Ponto Final II, em Caruaru, no Agreste. O advogado de defesa, Saulo Amazonas, afirma que “as prisões eram desnecessárias sob vários aspectos, como jurídicos e táticos”.

Os edis Val das Rendeiras (PROS) e Evandro Silva (PMDB) foram presos no dia 29 de janeiro e e levados para a Penitenciária Juiz Plácido de Souza. Neto (PMN), Jadiel Nascimento (PROS) e Val (DEM) eram os considerados foragidos. Ao G1, à época dos mandados de prisão, Saulo Amazonas disse que os vereadores não tinham se apresentado porque aguardavam posição da Justiça. “Eles estão esperando a decisão do Tribunal com relação ao habeas corpus liberatório e preventivo que solicitamos para que eles não sejam presos”, informou.

Segundo a Polícia Civil, os cinco parlamentares estão envolvidos em outro suposto esquema de corrupção. O delegado Erick Lessa, que preside as investigações, afirmou que a ação funcionou da seguinte forma: “Evandro Silva propôs a criação de uma CPI e, para isso, teria que colher assinaturas para levá-la a plenário. Com isso, ele e os vereadores Val de Cachoeira Seca e Neto teriam pago uma quantia em dinheiro para dois vereadores da situação, Val das Rendeiras e Jadiel Nascimento. A intenção era que eles assinassem o documento. Instaurada a CPI, eles iriam negociar com o Poder Executivo para que o caso fosse arquivado mediante pagamento”. Como foram colhidas apenas oito assinaturas – seis de parlamentares da oposição, e dois da situação – o caso foi arquivado.

Estes e outros outros cinco parlamentares foram presos pela primeira vez no dia 18 de dezembro de 2013 na Operação Ponto Final I. Eles estariam exigindo propina à prefeitura para aprovar projetos.

Leia a Íntegra e assistam os videos

TJPE concede liberdade a vereadores suspeitos de corrupção, em Caruaru

* Fonte: G1/Caruaru e região

Movimento Cultural/Cinema: Filmes sobre a Escravidão nos Estados Unidos Retratam o Ódio Racial *

Cinema 

O mordomo da Casa Branca” e “12 Anos de Escravidão” ajudam a entender o ódio racial nos EUA

 

(trailer 1)

“O Mordomo da Casa Branca” e “12 Anos de Escravidão” estão entre as maiores bilheterias do cinema hoje. Ambos tratam da história dos negros nos Estados Unidos. Ambientados em épocas diferentes, são complementares, os dois baseados em autobiografias.

É um filão lucrativo – aberto, curiosamente, por um cineasta branco, descendente de italianos. “Django Livre”, de Quentin Tarantino, fez mais de 400 milhões de dólares no mundo. Embora os diretores sejam negros, não escaparam da patrulha. Steve McQueen, de “12 Anos…”, foi acusado por feministas de não retratar nenhuma mulher com personalidade forte (não é verdade). Seu colega Lee Daniels foi chamado de Uncle Tom, o apelido pejorativo para o afro-americano submisso. Besteira.

“O Mordomo…” (disponível no Netflix) fala de um autêntico Uncle Tom. Cecil Gaines (Forrest Whitaker, como sempre impecável) recorda sua trajetória enquanto espera no hall da Casa Branca para visitar Obama em 2009.

Cecil cresceu numa plantação de algodão na Georgia. Vê sua mãe ser estuprada pelo filho da dona da fazenda e seu pai ser morto ao confrontar o assassino. É adotado pela fazendeira, que lhe ensina a pôr a mesa, receber convidados etc. Aprende a lição de que “servir bem é servir sempre”.

Acaba contratado como mordomo da Casa Branca, onde fica durante 30 anos. Enquanto ele sobrevive invisível ali, seu filho, Louis, vira um ativista e sua mulher (interpretada por Oprah Winfrey) sucumbe ao alcoolismo e aos favores sexuais de um vizinho bonitão.

A fita traz um panorama da luta dos direitos civis e os presidentes que atuaram para mitigar o racismo na sociedade americana. Daniels conseguiu reunir um elenco de atores engajados fazendo pontas. De Vanessa Redgrave a Robin Williams (como Eisenhower, com uma maquiagem ridícula), passando por Mariah Carey (que, graças a Deus, não canta) e Jane Fonda, é um “quem é quem” da chamada “esquerda” de Hollywood.

O resultado tem um certo ar de novela. Mas é competente. Emociona, especialmente nos momentos em mescla o cinema com cenas reais dos conflitos no fim dos anos 50 e ao longo dos 60. Você se lembra de que, até ontem, o Alabama tinha segregação e gente estúpida se vestia com a fantasia da Ku Klux Klan. Os estúpidos continuam lá, mas sem a roupa de fantasma. Através das brigas de seu filho e com seu filho, Cecil descobre que o mundo em que ele respira talvez não seja dele.

O tom de “12 Anos de Escravidão” é mais contundente. McQueen queria abordar a escravidão, mas de uma maneira original. Adaptou o livro de memórias de Solomon Northup. Com uma vida e uma carreira em Nova York, Northup é sequestrado em 1841 e vendido para uma propriedade na Louisiana.

Chiwetel Ejiofor tem um desempenho extraordinário como o estóico Northup. De violinista estabelecido em sua cidade, livre, pai de família, vai parar no coração do Sul escravocrata, com seus capangas vingativos, linchamentos, senhores sádicos e senhoras que colocavam escravos para dançar e tocar à noite, como poodles de circo, para se divertir.

Passa longe da fanfarronice de Tarantino em “Django”. É um épico denso. Emily West, professora de história dos EUA especializada nesse período, declarou que é o filme mais acurado sobre o assunto. “Ele revela as visões e o som desse tempo — de escravos colhendo algodão enquanto cantam até o barulho dos chicotes rachando suas costas”.

Os dois longas ajudam a explicar por que o ódio racial ainda é tão presente nos Estados Unidos, suscita algumas perguntas sobre o Brasil (uma delas é: por que não temos um bom filme sobre a escravidão aqui? “Xica da Silva” não vale) e leva a uma conclusão: Obama não é, essencialmente, tão diferente do mordomo da Casa Branca.

(trailer 2)

 

kiko nogueira

* Fonte/Autor; DCM-  –  Diretor-adjunto do Diário do Centro do Mundo. Jornalista e músico. Foi fundador e diretor de redação da Revista Alfa; editor da Veja São Paulo; diretor de redação da Viagem e Turismo e do Guia Quatro Rodas.

Homenagem ao rei: Reginaldo Rossi – Sua História e seu Acervo Artístico *

Reginaldo Rossi

Ao vivo diretamente da História

 

Quem nunca se pegou cantando "Garçom" ou "A raposa e as uvas"?

Quem nunca se pegou cantando “Garçom” ou “A raposa e as uvas”?

 

Reginaldo Rossi nesceu em 14/2/1944 Recife, PE. Cantor. Compositor. Estudou Engenharia Civil por quatro anos e chegou a dar aulas de matemática. Começou a se interessar por música em 1964, ouvindo os Beatles e intérpretes da Jovem Guarda.

Reginaldo (rei) Rossi * 14-02*1944  + 20-12-2013

Reginaldo (rei) Rossi
* 14-02*1944 + 20-12-2013

Iniciou a carreira em 1964, imitando Roberto Carlos em apresentações em bares e clubes de Recife. Na época, era acompanhado pelo conjunto The Silver Jets. Em 1966 lançou selo Chantecler seu primeiro LP, “O pão”, música título composta em parceria com Namir Cury e Orácio Faustino. No ano seguinte lançou o LP “Festa dos pães”, música título feita em parceria com Waldemar Pimentel, além de outras de sua autoria como “Maior que Deus” e “Mexerico dos quadrados”. Lançou o disco seguinte somente em 1970, já pela CBS, onde estreou com o LP “À procura de você”, música de Geraldo Nunes e Clayton.

Por essa época, afastou-se do gênero rock e passou a apresentar um repertório dentro do chamado brega-romântico, do qual se tornou um ícone. Lançou ainda mais quatro LPs pela CBS. Em 1976, passou a gravar pelo selo Beverly. No ano seguinte lançou o disco “Chega de promessas”, novamente pela CBS. Ficou sem gravar até 1980, quando foi contratado pela EMI, e gravou o LP “A volta”, com inúmeras composições de sua autoria, entre as quais, “Volta”, com Dom Pixote, “Uma tentação”, com Baby Santiago e “A idade do lobo”. Seguindo-se nove discos ao longo da década, nos quais gravou, entre outras, “Sua ausência”, de Eduardo Araújo, “A volta”, de Roberto Carlos e Erasmo Carlos. Por essa época era um fenômeno de vendas no Norte e Nordeste, mas continuava esquecido no eixo Rio-São Paulo. Em 1987 lançou um de seus maiores sucessos, “Garçon”, de sua autoria e que estouraria no sul do país como grande sucesso no final da década de 1990. Em 1989 lançou o LP “Momentos de amor”, com músicas como “Saí da tua vida”, de Chico Roque e Carlos Colla, “Me tira da solidão”, de Chico Roque, Telma e Carlos Colla e “Momentos de amor”, de sua autoria.

Na primeira metade dos anos 1990, lançou apenas um disco, pela modesta gravadora Celim. Em 1998 lançou pela Polydisc o CD “Reginaldo Rossi ao vivo”, com seus grandes sucessos, entre os quais, “A raposa e as uvas”, de sua autoria e “Mon amour, meu bem, ma femme”, de Cleide. Em 1999, o CD “Reginaldo Rossi the king”, contou com a participação de convidados como Wanderléia, em “Prova de fogo”, de Erasmo Carlos, Golden Boys, em “Fumacê”, de Solange Corrêa e Rossini Pinto, Roberta Miranda, em “Vá com Deus”, de autoria da própria cantora e do grupo de rock Planet Hemp, em “Negro gato“, Getúlio Cortes. O disco vendeu 1 milhão de cópias.

Em entrevista à revista “Veja”, afirmou que se orgulha de ser rotulado de brega, falava de si em terceira pessoa e se comparava a Mozart. Entre seus maiores sucessos estão “O pão”, “Mon amour, meu bem, ma femme”,A raposa e as uvas” e “Garçom“, esta última a mais pedida em seus shows. Aceitou e ostenta o título de “Rei” da música brega. Em 2001 lançou novo CD ao vivo interpretando, entre outras, “O dia do corno“, de sua autoria, “Será que foi saudade?“, de Zezé di Camargo e “Em plena lua de mel”, de Clayton e Cleide.

Em 2000, teve a sua música “Garçom”, gravada por Roberta Miranda, no álbum ao vivo “A Majestade, o Sabiá”, lançado pela Universal Music. Em 2007, teve as músicas “Mon amour“, “Garçon” e “Dia do corno” gravadas pelo cantor Luano do Recife no Cd “Luano do Recife – Simplesmente brega – Volume 3”.

Ao longo da carreira recebeu 14 discos de ouro, dois de platina, um de platina duplo e um de diamante. Teve diversas de suas composições gravadas por diferentes cantores e grupos, entre os quais, o Mastruz com Leite, que gravou um CD com suas composições em ritmo de forró.

Lei a Íntegra:

http://bit.ly/Iq22ES

* Fonte: O Nordeste.com (Videos Youtube)

Brasilia: Entrevista aos Setorialistas – …afirma Dilma sobre retirada de 22 milhões de pessoas da miséria *.

 

Presidente com jornalista/setoristas que cobrem o Palácio do Planalto

Presidente com jornalista/setorialistas que cobrem o Palácio do Planalto

 

 

Dilma conversa com jornalistas-setorialistas do Palácio do Planalto durante café da manhã

 

 

 (…) Acho que temos sido capazes de, em dois anos e meio, tirar 22 milhões de brasileiros da pobreza é um orgulho para mim. Presidete Dilma.

 

 

A presidenta Dilma Rousseff tomou café da manhã, nesta quarta-feira (18), com os jornalistas que fazem a cobertura do Palácio do Planalto. No encontro, Dilma conversou sobre economia, educação, saúde e os programas de transferência de renda, que retiraram, nos últimos anos, 22 milhões de brasileiros da pobreza extrema. Confira os principais trechos.

Combate à pobreza

Mas não posso deixar de dizer que tenho orgulho da gente ter sido capaz de focar a política de superação da pobreza. (…) Acho que temos sido capazes de, em dois anos e meio, tirar 22 milhões de brasileiros da pobreza é um orgulho para mim. Porque demonstra maturidade e domínio do instrumento público de política. Pudemos fazer isso porque viemos do patamar de evolução de dez anos. (…) Para mim foi um orgulho grande, quando chegar que vê um ponto de maturação, fazer uma política que transforma.

Leilão de Libra

O leilão foi um sucesso porque juntou empresas fortíssimas. Primeiro juntou a Shell, que, com a Petrobras, são as responsáveis pelas melhores tecnologias de exploração de petróleo em águas profundas. A Total também, e duas das maiores petroleiras do mundo, que são as chinesas CNPC e CNOOC, que controlam os fluxos comercias de compra e venda de petróleo. (…) Implica em um fato de que 85%, se contar Petrobras junto, ficamos com 85% do óleo produzido no Brasil.

Confiança na economia

O Banco Central deu novos números de investimento estrangeiro direto no Brasil. Até novembro, foram US$ 57,5 bilhões. Vamos fechar o ano naquela hierarquia de investimentos. Primeiro, Estados Unidos, depois China, depois Brasil. US$ 57,5 bilhões é algo significativo, e ninguém bota isso onde acha que a situação não rende. Acho que há uma tendência de muita gente, e temo por ela, de olhar sempre o copo meio vazio. Essa tendência ela é complicada, porque uma parte da economia é expectativa. Cada vez que você instiga desconfiança, instiga discussão sem muito sentido, cria clima ruim.

Mais Médicos

Considero importante o Mais Médicos. Se vai levar oito anos para gente formar médico no país. Temos de tomar providência e aumentar o número de médicos e interiorizar a formação. Agora. A população não pode esperar. Sabemos que a distribuição era desigual na periferia, no interior, no Norte e no Nordeste. Faltava médico fisicamente. Pode ter o posto, estou tratando da atenção básica, que resolve 80% dos problemas de saúde. O médico pode atender onde? Na casa da pessoa. No espaço do atendimento da atenção básica é o mais simplificado. Depois tem a UPA [Unidade de Pronto Atendimento] e o hospital. Tomamos uma medida, que é formatar uma política focada que leva esse médico, com um atendimento humanizado.

Igualdade de oportunidades

Gosto do Viver sem Limites, da Casa das Mulheres e de todos os programas de cotas para os negros, porque esse país viveu a escravidão durante muitos anos. E, quando aboliu, manteve a hierarquia da sociedade escravista, que era o racismo. E o racismo se perpetuou numa estrutura. Tanto que tiramos 40 milhões da pobreza e pode saber que uma parte significativa dessas pessoas é negra. Então, ter uma política de cotas é a forma pela qual se faz a política afirmativa. Sou a favor nas universidades e no serviço público. É imprescindível num país que mais de 50% dos brasileiros se declararam afrodescendentes. Têm que ser contemplados com políticas especificas. Ocorre no Prouni, no Fies, em todas as politicas de valorização.

Luz para todos

Disse que íamos universalizar o Luz para Todos, e vamos. Estamos na fase de universalização, estamos na fase mais difícil, tendendo a 0. Por fim, fica o que é mais difícil de fazer. E isso pode levar três anos para conseguir. Por que onde está o que falta? No meio da floresta amazônica. Ou em lugares de difícil acesso. (…) Achávamos que tínhamos 10 milhões de pessoas, em torno de 2 milhões de ligações, descobrimos que tinha 12 milhões, depois era 15 milhões. E, hoje, falta 270 mil. Aí vai me perguntar se cumpriu a meta? Cumpri. Estamos agora no 15 milhões e um pouquinho. Não ter 15 milhões sem luz faz toda diferença do mundo. É um outro país.

Logística

Nós estamos conseguindo fazer as concessões que prometemos. Tivemos seis concessões ao longo do governo de aeroportos. (…) Fizemos as cinco rodovias viáveis, porque tem rodovia que não é viável porque o local não é compatível com a renda, exige preço de retorno que não bate com o que é possível. E vamos fazer, o tribunal aprovou a primeira concessão de ferrovias. É importante fazer a primeira porque, dessa forma, jamais fizemos licitação de ferrovia. O Brasil, um país desse tamanho, não tem ferrovia nesse momento. (…) Aí teremos de fato modais, porque, sem trilho, num país dessa dimensão, podem ter certeza, isso é uma questão tão grave quanto você não conservar suas rodovias. (…) Queria dizer sobre os portos, uma das coisas mais importantes foi em termos de reforma regulatória. Para terem uma ideia, a quantidade de terminais de uso privado liberados vai ser muito significativa como investimento. (…) Tudo isso vai representar uma melhoria significativa na logística portuária.

Veja a íntegra:

Palácio do Planalto
Íntegra – Conversa com j

* Fonte: Portal do Planalto