Tag Archives: Brasil

BRASIL : NOTÍCIAS DA BBC/BRASIL

EUA abrirão mais dois consulados

no Brasil a partir de 2014

 

 

O governo dos EUA abrirá mais dois consulados do país no Brasil a partir de 2014 – em Belo Horizonte, em Minas Gerais, e em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul.

A medida faz parte de um esforço do presidente Barack Obama para diminuir o tempo de espera por vistos e assim facilitar a entrada de turistas brasileiros nos EUA.
Em janeiro, Obama já havia assinado uma ordem para aumentar em 40% a capacidade para processar a concessão de vistos no Brasil. A determinação aumentou em 62% a emissão dos documentos.
O tema da abertura das novas representações seria tratado em reunião de Obama como a presidente Dilma Rousseff, que visita os EUA.
O governo americano já possui consulados no Rio de Janeiro, São Paulo e Recife, além da embaixada em Brasília.

***************************************************************************************************************************

Facebook anuncia compra do

Instagram por US$ 1 bilhão

 

O Facebook anunciou nesta segunda-feira que vai pagar US$ 1 bilhão (cerca de R$ 1,8 bilhão) em dinheiro e ações pelo aplicativo de compartilhamento de fotos Instagram

A aquisição é a maior feita pelo Facebook.

Criado pelo brasileiro Mike Krieger, em conjunto com Kevin Systrom, o Instagram tem cerca de 30 milhões de usuários e permite aplicar efeitos especiais em fotos tiradas com telefones celulares.

***********************************************************************************************************************

China prende cinco em caso de

garoto que vendeu o rim para

comprar iPad

 

Cinco pessoas foram presas no sul da China depois que um adolescente vendeu seu rim para que pudesse comprar um iPhone e um iPad, segundo a mídia estatal.

Entre os detidos, acusados de causarem dano intencional, está o cirurgião que removeu o rim do garoto em abril de 2011.
A agência de noticias Xinhua diz que o grupo recebeu cerca de US$ 35 mil (R$ 64 mil) ao vender o órgão.

O jovem, de 17 anos, estaria sofrendo de insuficiência renal, de acordo com promotores da Província de Hunan, citados pela agência.
Identificado somente pelo seu sobrenome, Wang, o garoto teria recebido cerca de US$ 3 mil pelo rim.
Ele foi recrutado por um grupo envolvido no comércio ilegal de órgãos humanos por um bate-papo online.

Falta de órgãos

O caso foi descoberto quando a mãe de Wang encontrou os novos aparelhos eletrônicos em casa.
Quando perguntado sobre como conseguiu o dinheiro, ele admitiu ter vendido um rim.
Aparelhos da Apple como iPhones e iPads são extremamente populares na China, mas seus preços estão fora do alcance de muitos trabalhadores locais.
O país tem também uma constante falta de doadores de órgãos para transplantes.
Dados oficiais do Ministério da Saúde dizem que cerca de 1,5 milhão de pessoas precisam de transplantes, mas o país só realiza 10 mil cirurgias deste tipo ao ano.
Por causa disso, a China tem um forte mercado negro de órgãos humanos. Somente uma pequena parte das pessoas que precisam de transplantes conseguem os órgãos legalmente.
Prisioneiros executados eram frequentemente usados como fonte de órgãos, mas no mês passado o governo prometeu abandonar a prática dentro dos próximos cinco anos.

Fonte: BBC/Brasil

OLIMPÍADAS 2012 : BRASIL PLANEJA LEVAR A MAIOR DELEGAÇÃO DA SUA HISTÓRIA.(*) – Colaboração de Carlos Henrique S. Muniz

A maior delegação olímpica

de nossa história

 

LONDRES - OLIMPÍADAS 2012

 

Comitê Olímpico Brasileiro planeja levar 300

atletas aos Jogos. A cinco meses da competição,

152 estão garantidos, em 16 modalidades

 

 

No dia 24 de agosto de 2008, teve fim a Olimpíada de Pequim. A partir desta data, milhares de atletas pelo mundo começaram uma outra disputa, por uma vaga nos Jogos de Londres. O Comitê Olímpico Brasileiro (COB) vive a expectativa de montar a maior delegação brasileira da história com 300 classificados, superando os 277 que foram à China.

A cinco meses da competição, 152 atletas já estão com os passaportes carimbados. Eles estão divididos em 16 modalidades, sendo que o futebol é o responsável pelo maior número de classificados: 18 no masculino e mais 18 no feminino. Outro esporte coletivo garantido nas duas categorias é o basquete. Doze mulheres conseguiram a vaga. E doze homens levarão novamente o basquete brasileiro às Olimpíadas, após 16 anos de ausência. As duas equipes se classificaram no pré-olímpico do segundo semestre de 2011.

O primeiro atleta individual a carimbar o passaporte é também a primeira brasileira a garantir vaga olímpica no tiro esportivo desde Barcelona, em 1992. Ana Luiza Mello, professora de biologia, alcançou o sonho em novembro de 2010, no Campeonato das Américas de Tiro Esportivo. O atirador Filipe Fuzaro também se garantiu em Londres, uma semana após o feito da colega.

A boa participação do Brasil nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara foi decisiva para que a delegação crescesse. Foram 24 vagas a mais do que o país trouxe do México, sendo que 14 delas vieram com o ouro no handebol feminino. Triatlo, pentatlo moderno, canoagem e hipismo foram os outros esportes beneficiados.

Grande parte dos atletas ainda vai disputar a classificação. O time de vôlei feminino disputa em maio o pré-olímpico sul-americano e deve garantir vaga nas Olimpíadas. Outro esporte coletivo que ainda está na briga pela classificação olímpica é o handebol masculino, que terá de disputar com Suécia, Macedônia e Hungria por duas vagas. Muitos atletas individuais, em modalidades como natação, atletismo, salto ornamental e boxe, entre outras, ainda podem ajudar o Brasil a bater o recorde histórico esperado pelo COB.

(*) Fonte – Brasil247

BRASIL : GOVERNO RESOLVEU MORALIZAR O SISTEMA DE RADIODIFUSÃO. (*)

Laranjas serão afastados do

mercado de radiodifusão

 

 

Os atravessadores e os laranjas serão afastados do mercado de radiodifusão, com a mudança das regras de concessão, avaliou hoje a Associação Brasileira das Emissoras de Rádio e TV (Abert). “Era uma antiga reivindicação nossa“, disse o diretor-geral da entidade, Luís Roberto Antonik. “Em resumo, gostamos.” O Decreto 7.670, com as mudanças, foi publicado ontem no Diário Oficial.

Segundo Antonik, a atuação de atravessadores e laranjas inibia a entrada do empresário de radiodifusão nas licitações. Com o decreto, ele espera o início de um ciclo de investimentos no setor, uma vez que há apenas 520 geradoras de televisão no País e a entidade avalia que haveria espaço para o triplo. Ele estima também que pelo menos 2.000 municípios brasileiros não têm uma emissora de rádio no local.

Os atravessadores, explicou o dirigente da Abert, são pessoas que entram nos leilões de concessão e oferecem um valor exorbitantemente alto para conseguir a licença. “Eles ganham e esperam uma oportunidade de vender”, explicou. Esse negócio era viável porque o vencedor da licitação não precisava desembolsar praticamente nada.

Ele pagava 1% do valor da outorga e depois ficava esperando o Congresso Nacional aprovar a concessão para então quitar o valor prometido no leilão. “Mas ele deixava de entregar um documento ao Senado, e assim ia empurrando até achar um comprador.” Muitas vezes, a emissora era registrada em nome de laranjas.

Com o decreto essa manobra fica mais difícil, porque o governo aumentou o valor da caução de 1% para até 5% ou até 10% (essa é ainda uma questão em aberto) e porque o pagamento da outorga terá de ser feito à vista, antes da submissão do ato ao Legislativo. Os candidatos terão, além disso, de apresentar um plano de negócios e dois laudos de auditorias independentes atestando sua capacidade financeira. “Só entra a pessoa efetivamente interessada em empreender o negócio“, frisou.

O decreto também valoriza, como critério de escolha, o conteúdo jornalístico, educacional e cultural da emissora. Se a produção for local ou independente, contam ainda mais pontos. Antonik não vê relação entre esses critérios e as cotas de produção local exigidas nas emissoras de TV a cabo, nem com o projeto do PT de fazer um “controle social” da mídia. “Acho isso exagerado, porque esses critérios já estavam na antiga regulamentação”, disse. Apenas eles ganharam mais peso

(*) Estadão.

JUSTIÇA : SUPREMO RESTABELECE O MANDATO DO SENADOR IMPEDIDO PELA FICHA LIMPA.

Supremo determina posse

imediata de Jader Barbalho

no Senado.

 

 

Jáder Barbalho. Velho conhecido da Justiça, retorna ao senado...

 

O Supremo Tribunal Federal (STF) determinou hoje (14) que Jader Barbalho (PMDB-PA) tome posse imediatamente no Senado. O tribunal voltou a analisar um recurso do político cujo julgamento foi suspenso em novembro. Na ocasião, os ministros ficaram divididos sobre uma questão técnica do processo e decidiram esperar a posse da ministra Rosa Weber para decidir a questão.

O julgamento do caso foi retomado hoje depois que defesa de Barbalho pediu que o STF usasse um item do regimento interno que permite ao presidente da Corte ter o voto de qualidade, ou seja, que seu voto valha por dois. Todos concordaram que o dispositivo fosse usado, e como o ministro Cezar Peluso, presidente do STF, era favorável à posse de Jader, esta foi a decisão.

O advogado do político paraense, José Eduardo Alckmin, espera que Barbalho tome posse ainda este ano. “Resta esperar a publicação do acórdão, que ficou com o ministro Dias Toffoli, e iremos pedir a posse imediatamente“, informou. Com a decisão de hoje, o julgamento foi encerrado e a participação de Rosa Weber não será mais necessária.

Jader Barbalho foi candidato ao Senado pelo Pará e obteve 1,8 milhão de votos. No entanto, teve seu registro negado pela Justiça Eleitoral com base na Lei da Ficha Limpa e não pôde tomar posse. Foi no recurso que ele apresentou ao STF que a Corte se debruçou sobre a validade da Lei da Ficha Limpa para as eleições de 2010. Antes, os ministros já tinham analisado o caso de Joaquim Roriz, mas o processo foi extinto depois que ele desistiu de concorrer ao governo do Distrito Federal.

Depois de um empate em 5 X 5, os ministros usaram um item do regimento interno para decidir que a lei valeria para as eleições de 2010, tornando Barbalho inelegível. Em março, já com a presença do ministro Luiz Fux na décima primeira cadeira da Corte, o plenário acabou entendendo que a Lei da Ficha Limpa não poderia valer para as eleições de 2010, uma vez que a norma deveria esperar um ano para produzir efeitos por alterar o processo eleitoral.

Débora Zampier

Repórter da Agência Brasil

BRASIL ELEITORAL : FICHA LIMPA. VALE OU NÃO VALE? O STF VAI JULGAR.

 

STF julga validade do Ficha Limpa

para eleições 2012

 

 

 

 

 

O Supremo Tribunal Federal (STF) deverá julgar nessa quarta-feira ações que definirão se a Lei da Ficha Limpa terá ou não validade na eleição municipal de 2012. No início deste ano, o STF concluiu que a regra aprovada com o intuito de moralizar a política brasileira não poderia ter impedido a candidatura de políticos punidos, por exemplo, com cassação e condenação. De acordo com os ministros, uma norma desse tipo teria de ser aprovada com pelo menos um ano de antecedência à eleição.

Agora, o Supremo analisará aspectos específicos da lei, como o que barra a candidatura de políticos condenados por órgãos colegiados, mas que ainda têm chances de recorrer. Em tese, o julgamento poderá terminar empatado porque o tribunal funciona atualmente com 10 ministros. O 11º. integrante, que sucederá a ministra aposentada Ellen Gracie Northfleet, ainda não foi indicado pela presidente Dilma Rousseff. A expectativa é a de que a presidente escolha uma mulher para ocupar a cadeira que está vaga desde agosto.

AE – Agência Estado

NOTA DO BLOG

A presidente Dilma Rousseff escolheu para a vaga de Ellen Gracie no Supremo Tribunal Federal a ministra Rosa Weber, do TST (Tribunal Superior do Trabalho). Esta é a segunda indicação de Dilma Rousseff para o Supremo, que no início do ano escolheu Luiz Fux para assumir uma cadeira na Corte. A gaúcha Rosa Weber contava com o apoio do governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro, e do ex-marido de Dilma, o advogado trabalhista Carlos Araújo.

Rosa Maria Weber Candiota da Rosa nasceu em Porto Alegre, Rio Grande do Sul.  Aprovada em primeiro lugar em  exame vestibular, ingressou em 1967 na Faculdade de Direito da Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS. Bacharelou-se em Ciências Jurídicas e Sociais, também em primeiro lugar, em 1971,  como aluna laureada

Nova ministra do STF - ROSA MARIA WEBER CANDIOTA DA ROSA.

Fonte: blogdotarso

BRASIL : PUNIDOS OS (IR) RESPONSÁVEIS PELO ESCÂNDALO DO ENEM EM 2009*.

Haddad: decisão da Justiça sobre

Enem mostra que educação deve ser

colocada emoutro patamar.

 

 

ENEM - Cada mais acreditado. Malfeitores foram punidos pelo escândalo de 2009.

 

 

 

 

A Justiça Federal em São Paulo condenou quatro dos cinco denunciados pelo Ministério Público Federal (MPF) por envolvimento no furto, vazamento e tentativa de venda da prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), em outubro de 2009, pelos crimes de corrupção passiva (exigir vantagem indevida) e violação de sigilo funcional. A condenação foi dada pelo juiz Márcio Rached Millani, da 10ª Vara Federal Criminal de São Paulo.

“A Justiça reconheceu o dano que esses criminosos causaram e os condenou exemplarmente. Já soube que o Ministério Público vai recorrer pedindo uma pena maior”, disse o ministro da Educação, Fernando Haddad, ao abrir anteontem (17) em Curitiba o Encontro Internacional de Educação. Para ele, a decisão sinaliza que as pessoas têm que colocar a educação em outro patamar, não podem jogar com o destino das pessoas. “Foi um crime contra o Estado brasileiro e contra a juventude. Do ponto de vista administrativo, o processo está concluído, agora é o processo judicial, que será reforçado por essa decisão. Queremos que os prejuízos sejam ressarcidos à União”, acrescentou.

Felipe Pradella foi condenado a cinco anos e três meses de prisão e a 72 dias de multa por violação de sigilo funcional e corrupção passiva. Filipe Ribeiro Barbosa e Marcelo Sena Freitas foram condenados à pena de quatro anos e seis meses de reclusão e a 63 dias de multa pelo mesmo crime. Pradella foi absolvido do crime de extorsão.

Gregory Camillo Oliveira Craid foi condenado à pena de dois anos e quatro meses de prisão e ao pagamento de 11 dias de multa por corrupção passiva. Mas a pena foi substituída pela prestação de serviço à comunidade ou entidade pública. Outro denunciado, Luciano Rodrigues, foi absolvido de todos os crimes.

Entretanto, por acreditar que as penas são baixas e desproporcionais à gravidade dos crimes, o MPF vai apelar da decisão pedindo o aumento das penas e a condenação de Pradella pelo crime de extorsão. De acordo com o MPF, o furto e o vazamento da prova causaram um gasto, com a reimpressão das provas do Enem, de mais 30% do valor da licitação – 148 milhões, além de afetar mais de 4 milhões de estudantes.

Segundo o MPF, três dos cinco acusados trabalhavam na gráfica onde as provas do exame foram impressas em 2009. Com o fácil acesso ao material, eles furtaram as provas e tentaram vendê-las a veículos de comunicação. Os crimes de corrupção passiva, violação de sigilo funcional e extorsão ocorreram depois do furto, no momento em que os envolvidos tentaram vender o material aos veículos e comunicação, com valores chegando a R$ 500 mil. Um dos jornais procurados denunciou a oferta ao Ministério da Educação, que comprovou a autenticidade da denúncia e cancelou o exame.

 

 

*Flávia Albuquerque
Repórter da Agência Brasil

A DESPEDIDA DO EMBAIXADOR DE ISRAEL DO BRASIL.(*)

A DESPEDIDA DE RACHEL E GIORA BECHER –

EMBAIXADOR DE ISRAEL NO BRASIL?.

 

Embaixador de Israel, Giora Becher e sua esposa Rachel Becher.

 

 

Shalom e Até Logo

 

 

 

Em menos de um mês, Rachel e Eu estaremos deixando o Brasil após quase três anos de serviços para Israel neste instigante e importante país.

Durante nossa estadia no Brasil, presenciamos o fortalecimento e aprofundamento das relações bi-laterais com este país em várias áreas. Tivemos a grande honra de acompanhar a visita do Ministro das Relações Exteriores de Israel e do nosso Presidente, Shimon Peres, ao Brasil. A primeira visita de um presidente israelense em mais de 40 anos. Tivemos também o privilégio de participar da histórica visita a Israel do presidente Luis Inácio Lula da Silva. Fomos testemunhas da assinatura de acordos importantes entre os dois países e acompanhamos de perto o processo de ratificação destes acordos pelo Congresso brasileiro, incluindo a homologação do acordo mais importante: o acordo de Livre Comércio entre Israel e o MERCOSUL.

Realizamos esforços especiais para ressaltar as grandes conquistas de Israel nos campos da ciência, educação, cultura, pesquisa acadêmica e muito mais. Tentamos mostrar que Israel é muito mais que um país no centro de um conflito. Trouxemos ao Brasil acadêmicos, escritores, artistas e músicos israelenses como o famoso escritor A.B.Yehoshua, o cantor David D´or, o grupo musical Chorolê – com o seu toque de música brasileiro-Israelense- , o famoso escultor David Gerstein, que expôs seu trabalho em dois dos museus mais importantes do Brasil, e muito mais.

Nos últimos três anos, mais de cem brasileiros participaram, em Israel, dos cursos do MASHAV nas mais diversas áreas como agricultura, saúde pública, educação, segurança pública entre outros. Também organizamos no Brasil um curso na área de serviços de emergência, com a participação de bombeiros de todo o Brasil. Este tipo de atividade é um bom exemplo da excelente relação entre os dois países.

Durante estes três anos, enfrentamos também tempos de dificuldades em nossas relações. Nem sempre Israel e o Brasil concordaram com os desenvolvimentos em nossa região e com o processo de paz entre israelenses e palestinos. Especialmente, em tempos de crise como durante a última operação militar que Israel realizou na Faixa de Gaza para cessar os ataques terroristas contra civis israelenses no sul do país. No entanto, nós sempre mantivemos os canais de comunicação, em diferentes níveis, aberto entre nossos países, para que pudéssemos entender melhor uns aos outros, se não concordar.

Foram três anos intensos, que nos deram a honra e o privilégio de encontrar muitos de nossos irmãos e irmãs da comunidade judaica em todo o Brasil. Voces sempre foram a fonte de fortalecimento e orgulho para nós, mesmos nos tempos mais difíceis em Israel, pudemos sempre contar com vocês.

Tentamos visitar o máximo de Comunidades Judaicas em todo o Brasil, desde Manaus, Recife, Natal e Salvador, nas regiões norte e nordeste, até o Rio de janeiro e São Paulo, locais onde estivemos várias vezes, e Porto Alegre, na região sul. Sinceramente, queríamos ter feito mais e visitado mais comunidades, mas infelizmente nossas atividades em Brasília nem sempre nos permitem realizar estas viagens, como gostaríamos.

Foi um grande privilégio para mim a oportunidade de me encontrar com as lideranças judaicas do Brasil. Um grupo de pessoas muito dedicadas e motivadas, incluindo os representantes da CONIB e das diferentes Federações Judaicas de todo o Brasil; líderes de organizações sionistas como o Fundo Comunitário e amigos de Israel; os movimentos femininos como o Wizo e o Na’Amat; rabinos de inúmeras atuantes Sinagogas e centros religiosos; diretores e professores de instituições judaicas de ensino; presidentes e ativistas de centros culturais e sociais judaicos; líderes e filantropos do campo econômico e banqueiro, o grupo muito motivado de “shelichim” de Israel, ativistas das associações representantes dos excelentes centros acadêmicos e de pesquisa cientifica de Israel, e muitos outros.

Um agradecimento especial aos meus queridos colegas, nossos cônsules honorários no Rio de Janeiro e Belo Horizonte. No Rio, o Dr. Osias Wurman não foi apenas meu principal conselheiro em muitos assuntos referentes ao Estado do Rio de Janeiro, suas lideranças políticas e a Comunidade Judaica, mas também um amigo sempre pronto a nos ajudar na organização de visitas de israelenses, personalidades, artistas e outros. Seu dinamismo, entusiasmo e dedicação sionista foram contribuições fundamentais para todos nós na Embaixada.

Dr. Silvio Musman, nosso novo querido cônsul honorário para Minas Gerais, já atuando em muitas iniciativas voltadas para a promoção de contatos israelenses com este importante Estado da Federação brasileira.

Eu acredito que no futuro, com a orientação do meu sucessor, embaixador Eldad, seremos capazes de nominar outros cônsules honorários no Brasil.

Gostaria de expressar, em meu nome e de minha esposa Rachel, uma vez mais, a profunda apreciação e amor a todos os membros desta maravilhosa comunidade judaica do Brasil com a esperança de revê-los, em breve, em Israel – nosso amado país.

Com amor e paz

Shalom

Giora Becher

Embaixador de Israel – Brasília / DF

 

(*) Fonte: Dr. Osias Wurman

POLÍTICA: PMDB “animado” É O “CALO” DO PT DESCONFIADO.

Voo solo do PMDB assusta petistas

PT teme articulação de peemedebistas com PTB, PR e PP que, juntos, somam 179 votos.

Alguém lembra desse slogan: "PMDB Neles"...Já se foi esse tempo...

Apesar de ter a maior bancada na Câmara, com 88 deputados, o PT escancarou na votação do Código Florestal, semana passada, as divisões internas e o isolamento em relação ao resto da base aliada do governo Dilma Rousseff. Enquanto isso, o PMDB fortalece a estratégia de se transformar na principal força na Câmara.

 

Paralelamente à disputa por espaço com o PMDB, o PT deixou de contar com o alinhamento automático de legendas historicamente afinadas – PC do B, PDT e PSB dão sinais de que querem funcionar cada vez menos como satélites do PT.

O PMDB, com 79 deputados, tem trabalhado para ficar próximo de siglas governistas como o PTB, o PR e o PP que, juntas, somam 179 votos – o problema é que em certas votações, como no caso do Código Florestal, ruralistas do DEM e do PSDB juntam-se a esse bloco e fazem quase 300 votos entre 513 deputados.

A força do PMDB e aliados que não são íntimos do PT permitiu que o líder peemedebista, Henrique Eduardo Alves (RN), reunisse a base em torno de um acordo que permitiu a votação do Código Florestal, agradando à maioria e excluindo o PT. Neste cenário, Dilma poderá vir a se tornar refém do partido do vice-presidente Michel Temer (PMDB-SP).

A estratégia já preocupa o PT. Dirigentes petistas estão assustados com o fato de o partido estar perdendo espaço para o PMDB. O presidente da Câmara, Marco Maia (PT), que estava no exterior, não foi sequer consultado sobre a data de votação do Código Florestal, definida pelo PMDB, na semana anterior, em uma costura com os aliados e a oposição. Cabe ao presidente colocar os projetos na pauta.

Enquanto Henrique Alves conversa com os líderes da base, o líder petista, Paulo Teixeira (SP), tem pouco trânsito junto aos aliados. Ele não consegue unir sua própria bancada. Isso se revelou na votação do Código, quando o PT rachou e 45 deputados votaram a favor do texto projeto do relator Aldo Rebelo (PC do B-SP) e 35, contra. Em contrapartida, o PMDB mostrou coesão e unidade com o partido todo votando a favor.

Um interlocutor de Dilma admitiu as divisões petistas e fez ao Estado uma analogia para explicar o que está ocorrendo: “É como se estivessem levando para um almoço de família uma briga que só diz respeito a dois irmãos. Eles deveriam resolver o problema antes de ir para o almoço. O PT está criando dificuldades para a base, para a família da coalizão partidária do governo, porque Vaccarezza, Marco Maia, Paulo Teixeira e Palocci falam línguas políticas diferentes”.

Exibição de fidelidade. No início do ano, o PMDB já havia dado demonstração de fidelidade ao Planalto na votação unânime da bancada pelo salário mínimo de R$ 545. Na época, o líder alertou que essa unidade poderia ser usada de forma contrária ao governo, se o partido julgasse conveniente. E foi o que ocorreu com a emenda do PMDB ao Código, que dá anistia aos desmatadores.

Essa estratégia resulta numa constante ameaça velada – a qualquer momento, o PMDB poderá dar outra demonstração de “independência”. No dia seguinte à votação do Código, o partido fez questão, no entanto, de marcar sua posição governista. A bancada atuou em peso para derrubar todos os requerimentos de convocação do ministro-chefe da Casa Civil, Antonio Palocci, apresentados pela oposição.

Sem poder. Para se tornar um dos principais interlocutores junto à base, Henrique Alves conta com a ajuda involuntária do desgaste do líder do governo na Câmara, Cândido Vaccarezza (PT-SP), no processo que levou à aprovação do Código. Na lista de quem ganhou e quem perdeu, Vaccarezza aparece como um dos principais derrotados.

O PMDB deverá se fortalecer ainda mais na votação do Código no Senado. A estratégia é dar respaldo ao texto já aprovado e defendido pela sigla na Câmara.

Os peemedebistas planejam indicar o senador Luiz Henrique (PMDB-SC) como o principal relator do projeto. Ex-governador de Santa Catarina, ele tem uma posição claramente favorável à proposta da Câmara, articulada pelo PMDB da Casa.

 

Eugênia Lopes e Denise Madueño – O Estado de S.Paulo

 

 

 

 

BRASIL: A PRESIDENTE DILMA NÃO TEM MAIS A MAIORIA PARA UMA BOA GOVERNABILIDADE.(*)

Dilma virou minoria em seu

próprio governo.

 

Presidente Dilma - Aliados ameaçam desertar...

 

 

“Parece ter ficado uma lição sobre a base de sustentação imensa mas sem qualquer alinhamento ideológico da presidenta: paquidermes podem ser animais bem dóceis, até resolverem não ser”

 

(*) Rudolfo Lago

 

A jabuticaba é coisa de Deus, que inventou de colocar a fruta pretinha que estoura na boca da gente só no Brasil. Talvez por não serem coisas de Deus, outras exclusividades que se inventam por aqui acabam ficando bem longe de serem agradáveis e perfeitas. Nossa última inovação aconteceu no campo da política. Durante a última terça-feira (24), no Congresso Nacional, inventamos a presidenta que não tem maioria dentro do seu próprio governo. Aquela que fica falando para as paredes no suntuoso gabinete do terceiro andar do Palácio do Planalto enquanto seus auxiliares e a sua base de mais de 70% da Câmara lhes enviam uma solene banana.

É comum acontecer, em países que, ao contrário daqui, não têm eleições para o Executivo e para o Legislativo casadas, os presidentes ficarem em minoria no Congresso. Mesmo aqui, quando a eleição de 1989 foi solteira – só para presidente -, Fernando Collor não tinha a maioria. Agora, nunca se viu um governante eleger uma base avassaladoramente grande, fazer a oposição entrar em parafuso, forjar a quase extinção de uma das suas legendas adversárias, e, mesmo assim, perder de forma vergonhosa. Na votação do Código Florestal, Dilma não foi derrotada por seus adversários. Ela foi derrotada pelos seus aliados. Ficou, assim, em minoria dentro do seu próprio governo.

Duas frases ditas durante a quarta-feira resumem com perfeição esse fenômeno. A primeira foi dita pelo líder do PMDB, Henrique Eduardo Alves (RN): “Eu também sou governo”. A segunda foi dita pela senadora Kátia Abreu, do Tocantins, líder ruralista que está trocando o DEM pelo PSD: “Se eles têm os ministros do Meio Ambiente, nós temos os ministros da Agricultura”.

Henrique Eduardo Alves orientou o PMDB a desafiar solenemente as orientações vindas do Palácio do Planalto. Quando questionado, disse que ele era tão governo quanto a presidenta! Ou seja: negou a Dilma o posto de chefe, colocou-a como mais uma. Que, naquele momento, devia enfiar a viola no saco porque estava em minoria. E Kátia, que não é governo, arrematou com uma constatação certeira: o governo é mesmo dividido com relação às questões ambientais, abriga ao mesmo tempo ambientalistas e representantes do agronegócio. A senadora, pelo menos, mostrou que, neste ponto, o conflito enfiado dentro do próprio governo não é uma exclusividade de Dilma.

Adotou-se no Brasil uma lógica de composição de maioria política que o ex-ministro das Comunicações Sérgio Motta certa vez apelidou de “partido-ônibus”: apertando, sempre cabe mais um. Não interessa saber como o político pensa, se tem alinhamento ideológico com os pensamentos que vão nortear a administração, nada disso. Se está disposto a votar com o governo, é bem vindo. E ganhará seu naco de poder. Assim, os governos brasileiros costumam ter gente ligada a toda e qualquer linha de pensamento que possa se reverter em votos nas eleições e nas votações no Congresso. Há o megaempresário e há o sindicalista. Há o religioso retrógrado e há o cientista arrojado. Há o moralista conservador e há o representante dos homossexuais. E há o ecologista e o empresário rural. Que tudo se resolva na base da queda de braço. E, Dilma viu agora, se o presidente ficar do lado menor, problema dele.

O que tornou a vida de Dilma ainda mais complicada na terça-feira é que sua orientação não partia exatamente de uma profunda convicção ambiental, mas de um cálculo político. Na estratégia de conter os avanços de Marina Silva na campanha presidencial, ela firmou compromissos com ambientalistas com relação ao Código Florestal que tentou cumprir. As brigas que teve com a própria Marina no governo Lula, que levaram a ex-senadora a deixar o Ministério do Meio Ambiente, já davam a Dilma a fama de alguém não muito preocupada com a questão ambiental. Assim, ela de forma alguma queria aparecer alinhada com aqueles que defendiam no caso do Código Florestal uma posição que punha em risco o meio ambiente.

Para evitar mais desgaste, o governo resolveu, inclusive, fazer um adiamento. Como o Congresso em Foco chegou a noticiar aqui na semana passada, já estava tudo acertado em reuniões que aconteceram na Casa Civil para que fosse liberada a licença ambiental da usina hidrelétrica de Belo Monte. Segurou-se a licença: imagine Dilma enfrentar ao mesmo tempo o desgaste da derrota no Código Florestal com a liberação para a construção da polêmica usina, alvo da fúria dos ambientalistas. Resolveu-se cozinhar Belo Monte em banho-maria mais um pouco.

Dilma está furiosa. Foi tratorada pelos seus aliados. Para quem tem fama de mandona, deve ter sido mesmo horrível ficar de espectadora na votação do Código Florestal. Parece ter ficado uma lição sobre a sua base de sustentação imensa mas sem qualquer alinhamento ideológico: paquidermes podem ser animais bem dóceis, até resolverem não ser.

 

(*) É o editor-executivo do Congresso em Foco. Formado em Jornalismo pela Universidade de Brasília em 1986, Rudolfo Lago atua como jornalista especializado em política desde 1987. Com passagens pelos principais jornais e revistas do país, foi editor de Política do jornal Correio Braziliense, editor-assistente da revista Veja e editor especial da revista IstoÉ, entre outras funções. Vencedor de quatro prêmios de jornalismo, incluindo o Prêmio Esso, em 2000, com equipe do Correio Braziliense, pela série de reportagens que resultaram na cassação do senador Luiz Estevão.

PALOCCI RESOLVE ABRIR O JOGO SOBRE OS SEUS FANTÁSTICOS GANHOS COMO “CONSULTOR”…

 

 

 

No centro da primeira turbulência política do governo, o ministro-chefe da Casa Civil, Antonio Palocci, decidiu enviar um esclarecimento espontâneo à Procuradoria-Geral da República (PGR) para justificar as atividades econômicas da sua empresa, a Projeto Consultoria Financeira e Econômica Ltda., e o alto volume de recursos que recebeu no fim de 2010, após a eleição de Dilma Rousseff à Presidência da República. O ministro foi o principal coordenador da campanha da petista.

No documento, que deve ser enviado nesta sexta-feira, 20 à PGR, Palocci informa que trabalhou para pelo menos 20 empresas, incluindo bancos, montadoras e indústrias, e que boa parte dos pagamentos foi concentrada entre novembro e dezembro do ano passado quando anunciou aos clientes que não mais atuaria no ramo de consultoria. Na ocasião, segundo a justificativa do ministro, pelo menos 70% dos serviços de consultoria e análises de mercado já estavam concluídos, o que explicaria o pagamento nesse período.

O faturamento milionário no fim do ano serviu para ajudar a comprar o apartamento de R$ 6,6 milhões num bairro nobre de São Paulo, cuja aquisição foi concluída em novembro.

Somente uma dessas empresas que contratou a Projeto, segundo fonte próxima ao ministro, fatura cerca de R$ 350 milhões por mês. Palocci se nega a divulgar o nome de seus antigos clientes, sob a alegação de que respeita cláusulas de confidencialidade e também mantém sob sigilo o valor faturado.

Fausto Macedo e Leandro Colon, de O Estado de S. Paulo